Casa dos Contos Eróticos

Angel and the Devil parte 12

Autor: Halloween
Categoria: Homossexual
Data: 12/02/2018 01:32:54
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Todo mundo já conhece a história do meu Rafa mas até agora ainda não fui devidamente apresentado, meu nome é Felipe sou nascido e criado na capital do estado de São Paulo, filho de uma empregada doméstica e um pedreiro, moramos na zona leste em um bairro tradicional chamado Itaquera, ou seja, sou Corinthiano maloqueiro haha.

Devido aos estudos ficava durante a semana em outro bairro, na região de Pinheiros, onde moram Dona Laura e seu Pedro, no qual tenho muito apreço, já que bancam meus estudos em um colégio particular, para o orgulho de minha mãe que sempre quis o melhor para mim,

Sempre fui muito bem tratado pelos patrões de minha mãe, e mesmo morando em um quarto durante a semana com minha véia, sempre tive o apoio de Dona Laura e seu Pedro, me tratavam como um afilhado.

Bom há dois anos atrás eu estava prestes a fazer 15 anos, tinha cabelos e olhos pretos mas a minha pela era e continua sendo branca e contraste da tonalidade de minha pela com a cor dos meus olhos e cabelos me davam um charme, tinha na época 1.75 de altura e ainda estava em fase de crescimento e modéstia à parte sempre tive um condicionamento físico der dar inveja aos meus parças, já que sempre fui meio bombadinho sem precisar tomar nenhum tipo de esteroides e como sempre fui vaidoso, gostava de fazer exercícios físicos.

Não sei se era pela idade mas nenhuma mina me chamava a atenção, via os meus colegas sempre caçando umas novinhas para serem seu depósito de porra, mas comigo era diferente, achava que eu era mais seletivo, como não era de dar moral para a opinião das pessoas ninguém comentava nada.

Em um dia a noite na casa dos patrões de minha mãe eu acordei de madrugada, precisava tirar a água do joelho e aproveitei para ver o que tinha na geladeira quando que do nada vejo um garoto semi nu parado na minha frente e PUTA QUE PARIU! Que garoto lindo, mesmo a noite eu conseguia ver o brilho de seus olhos verdes de cor Esmeralda iluminar toda a cozinha, seu corpo não aparentava ter pelo algum, seu corpo era branco mas o que tinha me chamado mais a atenção era a sua boca, seus lábios eram vermelho puro! Tipo da cor de uma maçã bem madura! Lindo. Pena que era um tranqueira, tinha invadido a casa das pessoas que eu tinha muito apreço, bem, foi o que eu tinha imaginado.

Vi que estava surpreso em me ver ali e ficou todo paralisado, aproveitei este instante e dei um pulo para imobilizar, cheguei por trás mesmo e comecei a gritar para que pudessem me ajudar a prender o meliante, só que não tinha como não reparar que meu pau estava sendo prensado pela bunda do garoto, e que bunda.

Na hora eu pensei, como assim? Estou reparando demais nesse moleque, não sou viado, mas meu pau não quis nem saber o que minha mente pensava, pulsava tanto que chegava a doer!

Depois fora esclarecido que ele era um hóspede da casa mesmo assim eu estava bravo, não com ele, mas comigo mesmo, não entendia como eu estava curtindo um cara, tipo não era viado! Ok, nenhuma menina me interessava, mas meninos também não! E descontei toda raiva que estava sentindo no garoto, mas ele me surpreendeu, ele era marrento, me desafiava, bem topetudo mesmo, teve uma hora que desdenhou de mim, e sorri com sarcasmo, ele era debochado e isso me deixava louco, de tesão mesmo, queria mostrar para ele que quem era o macho da relação. Mas que porra o que está acontecendo comigo?

A única coisa boa naquela noite foi eu ter reparado que ele tinha gozado, ou seja, ele curtiu minha pegada, mas que merda! Eu fiquei feliz com isso!

Com o tempo ele foi se firmando como filho dos patrões de minha mãe e eu conheci o passado dele, mas que porra fiquei com muita raiva da família dele e isso me deixou com medo também, se eu contasse para a minha família que eu curtia garotos mas especificamente o Rafa, poderia também ser expulso, consequentemente seria afastado do Rafa, então sempre que dava eu dava uns pegas nele, depois me afastava e isso durou por dois anos, até ele ficar mais lindo do que já era e começar a chamar a atenção de outras pessoas e para piorar ele foi parar na minha classe, ele era inteligente e pulou dois anos, e o pior um camarada meu, super gente boa, começou a ciscar no meu galinheiro, e o Rafa começou a dar moral para ele!

Fiquei louco, mas não queria chamar a atenção, quando vi ele subindo as escadas para ir para seu quarto, não sei o que me deu, o segui para tirar satisfação, ele me tinha, já não bastava? Joguei ele na cama e falei tudo o que estava entalado na minha garganta e ele também soltou os cachorros para cima de mim, não aguentei ver ele sendo topetudo, toda vez que ele faz isso, meu tesão explode e fiquei louco, esqueci onde estávamos e comecei a provocá-lo também é ele cedeu.

Nossa, eu iria ter minha primeira vez, e com a pessoa que eu era fissurado há mais de dois anos, fiquei surpreso em saber que ele era virgem, afinal ele namorava, e como nunca tive coragem de perguntar para ele pois não saberia como seria minha reação ao saber que ele já tinha sido tocado por outro, ele era meu, só meu, minha propriedade, minha posse, ninguém rela, ninguém toca, somente eu!

Ok, pode parecer que sou possessivo, mas, foda-se! Cuido do que é meu, e não estava afim de correr o risco de perder que eu mais amava, ok, também nunca falei isso para ele, sou meio carrancudo, acredito que não preciso falar, o importante é eu demonstrar! Mesmo assim, quando ele disse que era virgem, me segurei para não chorar de felicidade, confessei para ele que também era, não menti, ele era único para mim, quando eu fosse perder seria com ele, só com ele!

Me acabei, eu estava possuído pelo desejo de consumir o que mais desejava há dois anos, eu estava com fome dele, eu precisava saber o gosto de sua pele, do seu corpo, seu cheiro, nossa, e que cheiro, era uma fragrância que só ele exalava e me deixava embriagado de tanto prazer.

Ele começou a me chupar, quando ele colocou a boca no meu pau eu cheguei a me tremer todo, eu me contorcia, tive que ficar pensando em outras coisas para não gozar logo de cara mas foi inevitável!

Mesmo assim não estava saciado queria mais e assim ocorreu, também o chupei, engoli o pau dele, nunca me imaginei chupar um cara, mas eu amo ele, no seu todo, não só uma parte, e queria mais fui descendo até chegar naquele buraquinho completamente lacrado, eu estava em êxtase, chupava com força, com fome, queria ele por completo, eu sentia a minha língua entrar pelo seu cuzinho com uma certa dificuldade, vi que para ele aguentar minha tora teria que prepará-lo adequadamente,

Tudo o que não queria era machucar o meu garoto, coloquei meu dedo, e revezava com a língua, e fui alternando, depois coloquei o segundo e por aí foi!

Quando eu entrei nele, estávamos na posição frango assado, eu via que ele estava sendo corajoso, devia estar doendo, mas ele pedia para eu continuar enfiando e quando chegou até o talo, aguardei até ele estar confortável e sentindo todo o prazer que ele estava me proporcionando.

Comecei bem de leve o nosso vai e vem e beijando ele até aquela boca que por natureza já era vermelha, ficar mais vermelha ainda, quando senti seus gemidos de prazer, aí eu libertei o animal selvagem adormecido dentro de mim! Comi ele sem dó! Metia forte e ele gemia alto! Quanto mais alto ele gemia mais forte eu metia!

Virei ele com tudo, deixando ele de quatro, dei um tapa bem dado naquela bunda linda e enfiei de uma vez no rabo dele o meu pau! Foi lindo ver meu pau sumindo naquele cu! Era quente e bem apertadinho, vi seu corpo arquivar e ele dar um grito de prazer! Fiquei mais louco ainda! Puxei ele pelo cabelo com uma mão e com a outra eu segurava sua cintura! Eu metia muito forte! Ele quase saia voando da cama pelo atrito de nossos corpos.

Ficamos por uns 15 minutos até ele começar a gozar! Ele não estava se tocando! Quer dizer que eu estava indo bem! Mas seu gozo fez seu cú se apertar e esmagar meu pau dentro dele, e essa pressão me deixou muito excitado até eu explodir em gozo com meu pau dentro dele!

Cai com tudo em cima dele ofegante! Foi o melhor dia de minha vida disparado! Eu sentia ele ainda dentro de mim! Ele estava tendo uma convulsão, se tremia todo, e eu? Bem estava na mesma! Melhor sensação do mundo, eu até ia pedir para repetir a dose se não fosse o barulho da porta!

Felipe: PUTA QUE PARIU! Esquecemos de minha mãe! - Rafael me olhou assustado e eu também estava mas não poderia mais fugir! Ele era meu! Eu iria enfrentar de frente

RAFAEL: quem é? - sua voz estava trêmula, transpassava nervosismo!

Sara: sou eu abrem a porta agora! - falou a minha mãe em um tom autoritário mas sem gritar!

Colocamos nossa roupa, ainda suados o mais rápido possível, ele me olhava com o ar de desespero nos olhos, tudo o que pude fazer naquele momento foi pegar a sua mão e ir em direção à porta! Eu prometi o mundo a ele não iria voltar atrás! Iria enfrentar qualquer pessoa, mesmo que seja minha mãe! Quando abri a porta minha mãe estava com os braços cruzados, com a cara morte estampada na cara, sentia raiva em seus olhos, ela olhou nós de mãos dadas e simplesmente falou!

Sara: já liguei para Dona Laura e seu Pedro! Eles já devem estar chegando! QUERO OS DOIS LÁ EMBAIXO AGORA!

****************************

Olá pessoas tudo bem? Espero que sim! Resolvi falar da versão do Felipe de como foi o posicionamento dele durante esses dois anos! No próximo capítulo será na visão do Rafael

****************************

Até a próxima

Comentários

12/02/2018 09:29:56
amei, continua.
12/02/2018 08:16:20
Excitante, espero q ele não tenha uma recaída com o Daniel.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.