Casa dos Contos Eróticos

O DELEGADO e O PRISIONEIRO (cap 39)

Autor: Kaius Cruz
Categoria: Homossexual
Data: 06/12/2017 17:44:21
Nota 10.00
Ler comentários (9) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

O DELEGADO E O PRISIONEIRO

CAP.: 39 - SIM! EU ACEITO!

de KaiusCruz

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento o é opcional... Pois ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida e do amor...

(Kaius Cruz)

*Por Jojô

Volto para a cozinha e quando chego lá, o que vejo...

Vejo um Rafael só cueca e avental, sentado no balcão em seu rosto eu via um sorriso safado... ele me ver e me chama:

- Vem cá... vem cá meu moreno!

Eu fico ali, olhando, admirando aquele homem todo, deitado sobre o balcão da cozinha... Fico alguns instantes a pensar... Como eu consegui chegar até ali, ou melhor aqui?! O mundo dar voltas engraçadas... e aqui estou eu João Carlos, maluquinho, doidinho pra cair de boca nesse loirão. Mas antes de ir até o fim com ele, antes eu precisava descobrir uma coisa...

Me aproximo de Rafael e pergunto:

- Rafael... por que eu? Por que só agora?

Ele pensa um pouco abaixa a cabeça, mas responde:

- Olha Jojô... na verdade, eu já venho te olhando a muito tempo, desde que levei aqueles tiros, na frente daquela boate... e depois você cuidando de mim, da Gaby... sei lá, foi acontecendo cara!

- Tá tudo bem... mas o que você realmente quer comigo?!

Ele sai do balcão, veste as calças e me abraçando, revela:

- Olha Jojô... vou ser sincero contigo... eu tô amarradão em você, eu sei que antes, eu estava na onda do Lucas, mas é sério... agora eu só penso em você! Só em você!

- Você ainda gosta do Lucas?! – pergunto nervoso, pois no fundo eu ainda tinha muito medo dele ainda sentir algo por meu amigo.

- Não! É isso que você queria ouvir?! Eu não amo Lucas... nem sei se amei um dia!

- Isso é mesmo verdade?! Você não gosta mais dele?!

- Não... não Jojô! Eu gosto, mas não é de um loiro e sim de você, meu moreno! – fala me abraçando, todo cheio de mãos. Eu o empurro e o encarando, pergunto:

- Rafael... o que você realmente quer comigo?!

- Eu quero você! E quero agora! – fala me abraçando novamente.

- Então você quer me comer... é isso?!

- Sim... é isso!

- Nossa... valeu!

Ele abaixa a cabeça e fala:

- Me desculpa... não era isso que eu queria falar...

- Era sim Rafael! O que você quer comigo, é isso! Você quer dar uma trepada... quer dar uma aliviada, mas e depois?! E depois, como eu fico... volto para casa e finjo que nada aconteceu?!

- Não é isso Jojô... é que eu tô confuso! Eu nunca gostei de homem antes... eu nem sei como fazer...

- Tá vendo! Você nem quer uma coisa séria comigo... - falo chorando. Rafael me abraça forte, beija minha testa e fala:

- Eu quero sim! Mas eu preciso de um tempo... para entender isso... você me entende?!

Passo a mão pelo rosto dele, e vendo uma mistura de sinceridade e confusão em seus olhos, respondo:

- Tudo bem... mas é que eu gosto muito de você Rafael, na verdade eu estou apaixonado por você. E naquele dia em que você levou os tiros, e que eu pensava que ia perder você, cara eu fiquei desesperado! E sabe porquê? Porque eu te amo Rafael... e se você não sente nada por mim... é melhor eu ir me embora! Pede desculpa para Gaby... eu amo aquela garotinha também! – falo e tento sair. Vou no quarto de Gaby onde estavam minhas coisas, pego minhas coisas e saio do quarto.

Chego na sala e tento abrir a porta, mas a porta estava fechada, procuro a chave pela sala, mas não acho, vou até a cozinha e procuro as chaves, no porta chaves, mas não encontro, tento sair pela porta dos fundos, mas também vejo que estava fechado, volto para sala e não acho ninguém, é então, que me vem a cabeça:

- Vou no quarto de Rafael! As chaves devem estar lá... - sigo até o quarto dele, bato na porta e escuto:

- Pode entrar! – Rafael fala.

Abro a porta... e quando vejo, Rafael tá vestido em seu uniforme de guarda e segurando um cassetete. Ele olha para mim, sorri e fala:

- Entra! – fala com uma voz sexy. Eu sorrio e pergunto:

- O que você tá fazendo?!

- Tô te transformando em meu prisioneiro... você foi um menino muito levado... e agora eu vou te levar para a detenção...

- Ah é?! E o que você vai fazer comigo na detenção?! – tento entrar na brincadeira. Me aproximo dele, pego no cacetete, ele sorri e fala:

- Você gosta de um cacete?! É?!

- Adoro... e o seu é grande?!

Rafael sorri safado e fala:

- É bem grande... e grosso também! E ai, vai encarar?!

Passo a mão pelo peitoral de meu guarda e falo:

- Eu adoro um homem de uniforme!

- Ah é?! Pois sabe de uma coisa... eu adoro ver você de salto alto... coloca pra mim ver, vai?!

Olho incrédulo para meu guarda loirão e olhando no fundo de seus olhos, falo:

- Você tá falando sério?! Você gosta mesmo?!

- Eu sou fascinado... e adoro ver você rebolando naquele saltão vermelho... usa para mim... vai?!

- Tudo bem! Mas antes me responde uma coisa...

- O que você quer saber?! – ele pergunta.

- Você sente o que por mim?! Só me responde isso?!

Rafael baixa a cabeça, pensa um pouco, cossa a cabeça e com lágrimas nos olhos, revela:

- Eu também te amo Jojô! Eu tô muito apaixonado por você, mas eu não sei como dizer essas coisas... eu não sou um cara romântico sabe?!

- Nossa... isso é verdade?! Isso é mesmo real?!

- Sim Jojô... eu aprendi a te amar... você cuidou de mim, da minha filha... e eu aprendi a te amar, esse seu jeito meigo, maluco, esse seu jeito disparado... mas o que me fez apaixonar por você, foi mesmo esse coração grande e generoso que você tem!

- Nossa! Isso tudo?! E eu não sou maluco?! – resmungo e abraço meu guarda, que me segura firme pela cintura e fala:

- Tinha tanto medo de te perder para outro cara...

- Eh mesmo?! – pergunto.

- Era, mas agora eu não tenho mais medo, pois você é meu e depois que você experimentar o cacete do pai aqui, não vai querer saber de outro!

- É... eu já vi o tamanho do seu cacete... e ainda bem que a propaganda não é enganosa! – pego no cacete de meu loiro e pergunto:

- De quem é esse cacete hoje?!

- Esse cacete é seu hoje... e se você quiser, ele pode ser seu para o resto da vida! É só você pedir!

- Pois eu vou pedir... Rafael Martins, você aceita ser só meu e me deixar brincar com seu cacete todos os dias?!

- Aceito! E você João Carlos, aceita brincar todos os dias comigo, e com minha filha pelo resto de sua vida?!

- Aceito! Agora vem cá! – Rafael me puxa, me beija – Agora vem pro papai, vem! Vamos brincar de cavalinho...

Rafael me coloca na cama, sobe em cima de mim, beija meu pescoço, e tirando minha roupa, fala:

- Como você é cheiroso! Como eu tô com vontade de comer todinho‼!

Me viro rápido para ele, e olhando muito sério para ele, falo:

- Rafael! Seja mais romântico...

- Mas não é isso que você quer?! Você não quer meu pau?! – Rafael fala confuso e coçando a cabeça. Me levanto de uma vez da cama e chateado vou para a sala, deixando o loiro de pau duro e sem entender minha reação. Mas eu tava realmente afim de ficar com ele, mas poxa, eu queria perder minha virgindade de uma forma especial e não com um cara de pau grande, que pelo tesão, iria gozar em menos de cinco minutos, fora que do jeito que ele estava eu seria estuprado e não amado, que era o que eu realmente queria fazer... poxa eu amo ele, seria tão difícil para ele me tratar de uma forma melhor? Me tratar com carinho... Falar coisas românticas...

Tudo bem, eu sabia que ele é um brutamontes, um grosseirão, um ex-lutador de boxe, que até algum tempo era só hétero... mas agora, depois de hoje, eu tinha certeza de uma coisa... Rafael sente algo por mim. Sento na cama do quarto dele, mas ele não estava lá, e não o encontrava em lugar nenhum... aonde estava ele...?

****

*Por Rafael

Eu tava mais perdido que cego no meio do tiroteio... Eu não sabia o que tava fazendo e meu pau tava para rasgar minha cueca. Eu tava completamente maluco por causa de Jojô... mas eu não sabia o que fazer, então resolvi pedi ajuda a quem entende do assunto e que um dia foi igual a mim ou no mínimo passou por uma situação semelhante a minha.

Enquanto Jojô sai do quarto, eu rapidamente vou até a cozinha, saio de casa, fecho a porta, para ele não fugir, e com meu celular na mão, ligo para meu novo amigo. Disco o número de Guilherme...

- Alô!

- Oi Guilherme! Aqui é o Rafael!

- O que foi Rafael? Aconteceu alguma coisa com Lucas, mas alguma ameaça?!

- Não Guilherme! É algo muito importante! Eu preciso muito de sua ajuda!

- Fala cara... como posso te ajudar?!

- Cara só promete que não vai rir de mim, por favor!? – peço ao telefone.

- Tá Rafael, mas fala logo!

- Olha Guilherme, eu tô aqui na minha casa, hoje é meu dia de folga, o Jojô tá aqui. A gente meio que se entendeu, eu disse que gosto dele, ele disse que gosta de mim... e... a gente tava disposto ai em frente, entende?!

- Caraca Rafael, você e o Jojô! Como isso foi ocorrer cara! – Guilherme fala rindo, meio que zoando da minha situação, então me estresso e falo 'serio:

- Cara tu vai me ajudar ou não?! Por que se for para ficar me zoando é melhor eu desligar e voltar pra dentro! Onde eu o prendi!

- Calma ai cara! Me diz o que você falou, fez?! Vocês já fizeram alguma coisa?!

- Não cara! Ele não deixou... ele me empurrou... disse que era pra mim ser romântico e tal, depois ele saiu... e como não faço a menor ideia do que tenho que fazer, resolvi pedir ajuda para você... pois como eu tu já foi hetero e tal, agora tá com o Lucas... me ajuda ai Guilherme! Não sei como resolver essa situação e se eu for lá para dentro agora, eu sei que vou fazer mais merda ainda!

Já estava deveras angustiado, sem saber o que fazer e como fazer, pois uma coisa era fato, eu também estava completamente apaixonado por Jojô, mas sei lá, ele não é mulher, embora se comporte como uma, mas é diferente... fora que desde que Isabela morreu a cinco anos atrás, que eu não faço sexo com ninguém. E ele é especial sabe, é um cara gente boa, não quero machucar ele, nem fisicamente e muito menos emocionalmente, por isso resolvi pedir ajuda a Guilherme, que entendendo minha situação, resolve falar:

- Cara, me diz uma coisa, você disse que ama ele?! Aliás, você ama ele?!

- Cara eu amo meu moreno! Mas não me lembro de ter dito isso não! – sou sincero.

- Beleza! Mas na cama, na hora do vamos ver, você tratou ele com carinho, respeito... disse para ele o quanto ele é especial?! – Guilherme pergunta, e eu com toda minha sinceridade pergunto:

- E precisa disso tudo antes de trepar?!

- Cara se você quer dar só uma trepada... não precisa, mas fique sabendo de uma coisa, vai ser a sua primeira e última trepada com seu moreno! – ele revela e minha ficha começa a cair.

- Como assim cara?!

- Olha Rafael... quando eu fui ficar com Lucas, pela primeira vez, descobri que na verdade ele era virgem, de tudo! Nem mulher ele tinha pegado ainda!

- E o que você fez?!

- Cara eu fui devagar... beijei, acariciei, falei coisas românticas para ele... Preparei terreno! Entende?!

- Saquei... tu passou o papo no loirinho né! Por isso que ele te dar até hoje?! – sorrio e ele me reprende.

- Cara eu to falando sério! Lucas não me dar por que eu passei um papo nele! Ele faz sexo comigo, porque a gente se ama, entende... então a gente não só transa... a gente também faz amor, troca caricias, conversa... e sabe qual o resultado desse trabalho todo?

- Não! Qual é?! – pergunto curioso. Guilherme ri, mas responde sério.

- O resultado é que, ele mesmo, sem eu pedir, sobe em cima de mim e cavalga, me fazendo o homem mais feliz e satisfeito do mundo... e sabe o resultado final disso tudo?! Ele vai ser meu marido... e juntos vamos criar um monte de filho!

- Caraca velho! Não é que você tem razão.... Acho que vou fazer a linha homem romântico pra ele... vai que rola!

- Eh sim! Mas não exagera... se não ele vai achar que tá na cama com passivão e ao invés de sexo, ele vai querer é bater papo sobre novelas e filmes de comedia romântica! Tem que fazer carinho, mas também deixar claro quem é o macho e quem é que manda na parada! Entendeu?!

- Entendi... dar carinho, mas também tem que meter forte! É isso?!

- É isso ai campeão! Agora vai lá e incendeia! Bota pra quebrar a cama hein! Mas não esqueça, depois que acabar, vem o mais o importante!

- O que?

- Cara, não é só gozar dentro do garoto e dormi! Você tem que abraçar, botar ele pra deitar no teu peito, fazer cafuné, dar beijinho, carinho... mostrar com ações, que você o ama e que não queria só comer ele! Tá entendendo?!

- Tô sim!

- Pois é, se tu fizer assim como eu tô te dizendo... tu vai ter Jojô toda noite, ou melhor, a hora que você quiser... Mas diz ai, tá vestido de uniforme?

- Tô sim!

- Pois vai lá! Que o teu moreno é chegado num macho de uniforme!

- Valeu ai cara! Tu me ajudou pra caramba!

- Pra que são os amigos!? Se não para isso!

- É verdade! Valeu mesmo oh Guilherme!

- Na hora meu brother! Tamos ai! Agora deixa eu terminar aqui meu trabalho, que meu novinho deve tá me esperando em casa! Até mais Rafael... e boa sorte!

- Valeu! Muito obrigado, de verdade!

Desligo a chamada, abro a porta da cozinha com cuidado, vejo que está tudo fechado, então decido procurar meu moreno. Abro a porta do meu quarto lentamente e o encontro sentado, de cabeça baixa, na minha cama, ando até ele e com calma, sento ao seu lado, seguro uma de suas mãos, ele olha para mim, parecia envergonhado, então tomado de uma coragem sem precedentes falo:

- Desculpa pelo jeito meio bronco Jojô?!

Ele me olha nos olhos e sorri, então pergunta:

- Por que você tá me pedindo desculpas?

- Ah... eu fui muito grosso com você... fui tomar um pouco de juízo no quintal e pensei melhor...

- No que você pensou?!

- Ah Jojô, eu pensei numa coisa... então vou direto ao ponto: Você quer mesmo fazer amor comigo?! Digo hoje, agora?!

Ele parece pensar bem, mas responde:

- É tudo que eu mais quero?! Mas tenho um pouco de medo...

- Do que você tem medo?!

- Ah... Olha Rafael... eu vou ser sincero com você... Eu sei que muitos devem pensar o contrário de mim, por causa desse meu jeito meio atirado ou mesmo, meio maluco, mas sabe... eu ainda sou... Eu ainda sou virgem! Pronto falei! – ele fala rápido e agoniado.

Fico em silencio, pois tinha medo de falar alguma besteira, já que ultimamente minha cota dela já tinha se estourado. Jojo me olha sério e pergunta:

- Você não vai dizer nada?!

Penso mais um pouco então resolvo falar a primeira coisa que vem na minha cabeça:

- Eu te amo mais ainda por isso!

Jojô começa a lacrimejar, eu o abraço forte, cheiro seu pescoço, mexo em seus cabelos cheirosos e falo novamente:

- Prometo tentar fazer da sua primeira vez... a mais especial do mundo... você confia em mim?!

Ele apenas balança a cabeça em afirmação. Tomo seus lábios nos meus de forma lenta e apaixonada... o nosso beijo estava carregado de muito amor, admiração e respeito. Ainda sentado, eu tiro a camisa que ele vestia. Ele desabotoa a minha camisa do uniforme e a tira também, nós sempre olhando nos olhos um do outro, como se só existisse nós dois naquele espaço.

Eu fico em pé na frente dele, que desafivela meu cinto, abre minha calça e com a minha ajuda, fico só de cueca. Jojô também tira seu short e fica só cueca. Eu estava vestindo uma box branca e ele uma cueca estilo sliper, na cor azul, ele se deitou lentamente no centro da minha cama, mordeu seu lábio inferior e com um gesto com a mão me chamou:

- Vem! Eu tô pronto!

Eu subi em cima da cama e logo fui para cima dele... repousei o peso do meu corpo sobre o dele e o beijando, sussurrei em seu ouvido:

- Eu te amo tanto meu moreno! E quero que esse dia seja muito especial para nós dois... e que seja um de muitos que ainda teremos!

- Eu também te amo muito Rafael... e quero ser seu, só seu pro resto da minha vida! – Jojô reponde e passa a mão pelo meu cabelo. Ficamos deitados e em silencio, como se as palavras não fossem suficientes para revelar o que estávamos sentindo. Vários minutos se passam, então ele quebra o silencio:

- Me responde uma coisa... Será que isso tudo vai caber dentro de mim?! – pergunta e segura no meu pau duro por cima da cueca, eu rio de sua curiosidade e falo:

- Ora vamos testar pra ver, né!?

- Safado... tá doidinho pra esconder a anaconda na minha caverninha! – fala rindo.

- Não vou te mentir, tô maluquinho para experimentar você... pra entrar dentro de você...

- É mesmo?!

- Sim... mas como disse, só se você quiser... vou fazer no seu tempo... e prometo, vou ser o cara mais carinhoso do mundo!

- Sabe Rafael... eu me apaixonei completamente por você e se você quiser, pode começar!

Retiro lentamente sua cueca, logo depois ele tira a minha. Meu corpo é tomado por um frenesi, por uma chama, um calor quase sobrenatural... meu coração se encheu de uma alegria que só sentira quando eu estava me casando com Isabela e quando a minha pequena Gaby estava nascendo.

Ele pegou um vidrinho de lubrificante, me deu e me explicou como utilizar. Olhei para ele e perguntei:

- Você anda com isso na mochila?! – ele rir, mas corado responde:

- Sou prevenida meu bem, além do mais... eu no fundo sabia, que uma hora ou outra iria acontecer!

- Como é que é?! Você sabia que eu ia fazer com você?! É isso?!

- Não sei se com você... mas eu tava com planos de perder minha virgindade com alguém que aparecesse, alguém especial! Mas agora vamos deixar dessa conversa e vamos ao que interessa?!

Passo o liquido frio no meu membro e de repente começo a sentir um calor subindo pelo meu corpo. Tomo os lábios de Jojô de uma forma lenta e cadenciada, beijo seu pescoço e sua orelha, então sussurro:

- Você é muito lindo! Sabia?!

- E você muito gostoso! – ele responde e me beija firme. Aponto meu membro em sua entrada e sinto ele se abrindo aos poucos, começo a colocar lentamente, quando entra a cabeça, olho para o rosto de Jojô e logo percebo que ele estava sentindo muita dor, embora meu pau e sua entrada estivessem bem lubrificados, sentia todo o calor de seu corpo e a dor lacerante que ele sentia, enquanto meu membro invadia seu corpo, então ele morde meu ombro e pede de forma sofrida:

- Para só um pouquinho! Espera só um pouquinho... tá doendo muito!

- Tudo bem! – espero ele relaxar um pouco mais e resolvo parar, já que no fundo sabia de sua pureza e da realidade do tamanho de meu membro.

A carinha que meu moreno fazia enquanto eu estava parado dentro dele, despertava em mim os maiores e melhores sentimentos, pois no fundo eu sabia, que eu, estava e seria para sempre o seu primeiro. E como Guilherme havia me falado, seria o homem mais romântico do mundo, pois queria que Jojô fosse meu para sempre. Eu me esforçaria para tentar ser esse cara romântico, que no fundo, ele merece... pois eu ali, naquela cama, já sabia, Jojô, mesmo sendo homem, seria a pessoa que eu queria ao meu lado, pelo resto de minha vida, a pessoa que eu queria ao meu lado para criar a minha filha, ou melhor nossa filha, pois no fundo eu sei que ele ama minha pequena Gaby, como se fosse filha dele também.

Sou retirado de meus breves pensamentos, quando de repente, Jojô toca em meu rosto e pede:

- Amor... pode continuar!

- Você pode falar novamente?! – peço feliz, pois quando ele me chama de amor, sou invadido por uma onda de felicidade.

- Amor... - ele fala, mas eu interrompo, tomando seus lábios carnudos em um beijo apaixonado. Ele corresponde e sinto o seu interior se relaxando a medida que meu pau desse lentamente preenchendo todo o seu interior.

Jojô suspira e geme, como se fosse um choramingo, e eu continuou entrando lentamente e beijando sua boca, e vez ou outra revezando em seu pescoço moreno e cheiroso. Quando percebo, vejo que o mesmo já está completamente entregue a mim e meu pau está totalmente dentro dele, sinto seu interior macio, quente e apertado se contrair lentamente, como se esmagasse de forma graciosa cada centímetro de meu pau, parecia que ele queria sentir cada pedacinho de mim dentro dele.

Olho nos olhos dele e revelo:

- Ah Jojô... eu te amo tanto!

- Eu também!

Eu estava parado, esperando o seu desconforto passar, quando ele passar a mão pelo meu rosto, me dar um selinho e fala:

- Lindo...

- Você que é lindo!

- Rafael... se você quiser, você pode começar! – Jojô dar o sinal e eu começo a me mover, levando o meu moreno a gemer forte, revirar os olhos e rasgar minhas costas.

Jojô era incrível e eu nunca tinha me sentido tão bem em toda minha vida, pois nunca imaginei que depois de cinco longos anos, eu finalmente encontraria alguém que me fizesse feliz... Sim, ele estava me fazendo naquele momento o homem mais feliz do mundo.

Meus movimentos já estavam ritmados e Jojô não sentia mais dor, eu podia sentir que ele estava completamente entregue ao prazer, ao nosso momento de amor, pois nós não estávamos só transando, nós estávamos fazendo o melhor amor, que poderíamos fazer. Eu o satisfazia e ele me satisfazia, meu corpo estava sobre o dele, que respirava pesado, enquanto suas pernas formavam um emaranhado ao meu redor.

- Ai Rafael... por favor mais forte!

- Você tá gostando assim?

- Muito... AHhhhhhhhhh....

- Ah Jojô.... Eu te amo... eu te amo!

Nossos corpos se chocavam de forma dura, rápida e extremamente violenta... Jojô respirava cada vez mais pesado e seus gemidos começaram a ficar cada vez mais intensos, eu sabia que ele estava gozando, só que seu pau não liberava a porra, então ele crava suas unhas em min e junto aos seus espasmos vem uma mordida incontrolável... meu moreno tava gozando literalmente pelo cu, que parecia um bomba de sucção... eu não aguentei, comecei a acelerar mais meus movimentos, todos aqueles espasmos inebriantes começaram a me invadir e quando sinto, já estou me derramando dentro de meu moreno, selando para sempre os nossos corpos.

Eu fui o seu primeiro e último homem e ele foi o meu primeiro e último homem, não por que nosso fim já estava ali programado, não, mas por que a parti daquela tarde de amor, eu sabia, ele era meu... e no fundo eu sabia que eu seria dele para sempre...

Nós estávamos deitados, ele no meu peito, suado, cansado e respirando pesado, pois tínhamos acabado de fazer amor pela terceira vez. Já era noite, ele brincava com alguns pelinhos de meu peitoral, dou um beijo no topo de sua cabeça, e falo:

- Você foi incrível... e sabe, eu te amo ainda mais, meu moreno lindo!

Ele beija meu peito suado, passa a mão pelo meu abdômen e revela:

- Você também foi incrível! E eu te amo muito! Muito mesmo...

- Ah é?!

- Sim, como nunca amei ou vou amar alguém... - revela e me dar um pequeno selinho.

- Eu tava pensando aqui numa coisa... sabe daqui a alguns meses eu farei trinta anos e seis que perdi a minha Isabella, faz muito tempo que vivo e tento cuidar da minha Gaby sozinho, a Paula até me ajuda nas paradas de meninas, sabe? Mas, vai chegar um tempo que ela vai precisar de uma mãe, de uma pessoa que entenda ela, que converse coisas de meninas com ela, e eu pensei: Bom eu e Jojô nos gostamos, ele gosta muito de minha filha, ela gosta muito dele... então por que não?! – faço minhas divagações, Jojô se levanta de uma vez, me encara sério e pergunta:

- Isso é o que eu tô pensando?!

- Depende? O que você tá pensando!?

- Você tá me chamando de mulherzinha?! – fala meio irritado.

- Não! Não é isso! É que você parece entender melhor o universo das mulheres... e querendo ou não, Gaby vai crescer e vai virar uma mulher... entende?! – tento consertar o mal intendido.

- Sim! Entendo, mas onde eu entro nessa história toda!?

Me levanto, sento, puxo ele para meu corpo, dou um beijo... saio da cama rapidamente, corro até a cômoda, abro uma gaveta, que a muito tempo não olho, retiro de lá um saquinho de veludo e olhando para Jojô, peço:

- Se levanta!

- Oi?! Pra que?

- Só se levanta! Você vai fazer isso ou não?! – pergunto meio ansioso, ele se levanta, enrola a cintura num lençol e resmunga:

- Tá... o que você quer?!

Me ajoelho em sua frente e antes que ele comece falar eu falo:

- Olha Jojô... eu sei que nos conhecemos a pouco tempo, sei que até outro dia eu tava na onda de outro cara... Mas desde aquele dia, em que eu levei aqueles tiros, e que você ficou ao meu lado, cuidando de mim e de minha filha, que eu vinha te observando, e sabe, eu acabei chegando a uma conclusão... eu precisava de você ao meu lado, na minha vida, na minha cama, no meu coração... e hoje, quando você se entregou a mim, para mim ser o seu primeiro... eu pensei, preciso dele, preciso dele para sempre ao meu lado! Tá eu sei que isso parece maluquice, ou mesmo repentino, mas eu te amo! Não quero te perder, nunca... nunca mais... e também não quero mais perder tempo, por isso estou aqui ajoelhado... - olho para ele, no fundo de seus olhos – João Carlos, você aceita namorar comigo, dividir sua vida, seu coração, esta casa, minha filha e minha vida comigo, para o resto de todo o sempre?!

Jojô chora, e em suas lagrimas eu consigo ver, a emoção mais dura e profunda que alguém pode sentir... ele se abaixa lentamente, ficando de joelhos, olha nos meus olhos, me dar um selinho e responde:

- Sim! Eu aceito! Eu aceito fazer parte da sua vida e dividir a minha com você para o resto de todo o sempre!

Ele me beija mais uma vez, retiro um anel de ouro, que ganhei a muito tempo, coloco em seu dedo, ele retira um lindo anel de prata do seu dedo, e coloca no meu... ali, no chão daquele quarto... selamos mais uma vez o nosso amor e a nossa eterna união...

****

*Por Guilherme

Eu tinha saído de outro orfanato, a casa de apoio a crianças, da qual eu e minha família, éramos doadores, sim, minha mãe e eu sempre destinamos parte de nosso dinheiro para tentar ajudar o orfanato das irmãs e a casa de apoio a criança, onde eu conheci uma história fascinante de um garoto chamado Ricardo, um menino negro, de dez anos, que fora esquecido a muito tempo, pela fila de adoção, um garoto lindo, pele morena e incríveis olhos verdes, mas nunca adotado, pois é, parece que os pais adotivos, não aceitam muito crianças que chegam aos orfanatos já grandes e que de quebra tem pele negra.

Ricardo parece ser um garoto esperto e muito inteligente, e assim como Bruno, fora criado nas ruas, junto com o pai alcoólatra e viciado em crack, ao que se sabe, sua mãe morreu a muito tempo, seus avós não o queria, pois já estavam criando dois irmãos do mesmo. Ele ao contrário de Bruno, era um pouco mais extrovertido, animado e seu sorriso cativa, além do imenso coração.

Eu estava determinado a ter filhos, e por mim seria eles, pois a história de vida de cada um deles me fascinava.

Sai da casa de apoio e segui para a mansão, onde estavam ocorrendo todos os preparativos, para o aniversario surpresa de Lucas, e uma outra surpresa que meu pai, minha mãe e Jojô, estavam preparando para Lucas e para mim. Eu ainda não sabia bem o que era, mas mamãe e papai estavam muito ansiosos e minha roupa já estava só no ponto de fazer o teste e me vestir.

Corri até a mansão, que compramos juntos, e quando entro, percebo uma correria de garçons, de pessoal na montagem e decoração da festa, o serviço de buffet animado e o corre, corre dos demais funcionários estavam deixando a casa maravilhosa. Tudo estava perfeito, tinha rosas brancas e outras flores espalhados por todos os lugares, além de uma decoração toda em branco, que estava impecável.

Subo em direção ao quarto, que no futuro, será meu e dele, tomo um banho, troco de roupa e desço para ver a quantas anda os preparativos para a festa de dezoito anos de meu garoto, de meu menino, de meu rapaz, do homem da minha vida, do meu futuro companheiro, do futuro pai de meus filhos... de meu marido. Eu amo Lucas e sou capaz de dar a minha vida por ele, e naquele dia, quando eu quase o atropelei, que eu o carreguei em meus braços, pela primeira vez, quando eu olhei dentro de seus lindos olhos azuis pela primeira vez, eu no fundo sabia, que a parti daquele dia, daquele momento, eu tinha encontrado o homem da minha... o amor da minha vida!

Eu dei uma volta pelo jardim, e vi quase todos os ornamentos prontos, me aproximo dela e falo:

- Mãe!?

Ele se vira para mim, me abraça e fala:

- Filho... e ai, preparado para daqui a pouco?!

- Como assim mãe!?

Jojô e meu pai se aproximam de mim, me cumprimentam e eu pergunto:

- O que vocês estão aprontando, hein?!

- Nós? Nada! – Jojô desconversa.

- Ah vamos parar de enrolar ele que já tá ficando sem graça! – fala dona Ligia, se aproximando de mim.

- Como assim... vocês estão me enrolando?!

Dona Lucena e meu futuro sogrão se aproximam de mim, Fernandão sorri, me abraça forte e olhando nos meus olhos, revela:

- Olha Guilherme, eu não vou muito com tua cara não, e preferia meu filho casando com outro cara... mas já que ele ama você e até dorme com você eu, a mãe dele e sua família, decidimos que você vai se casar com meu filho! Por que isso que tá acontecendo, não está certo!

- Oi?! Como assim?! E que história é essa que o senhor não vai com a minha cara?!

Fernandão sorri, me dar uns tapinhas nas costas e fala:

- Calma ai meu genro! Eu tô brincando... e meu filho não poderia arrumar ninguém melhor que você, para ter como companheiro, foi por isso que eu e a mãe dele decidimos transformar essa surpresa em uma dupla surpresa... seu pai e sua mãe também adoraram a ideia...

- Que ideia pessoal!? Falem logo!

- De você e Lucas se casarem... no dia do aniversário dele‼‼ - Jojô quebra o mistério.

- Isso filho! Pensa bem... vocês se amam, já estão juntos e praticamente já levam uma vida de casado. Então, porque não casar de uma vez? – fala minha mãe, sorridente.

- Mas mãe! E se ele não aceitar?! – pergunto nervoso. Jojô rir alto, me dar um pescotapa e fala:

- É mais fácil a Lady Gaga usar uma sandália rasteira, do que Lucas te dizer não meu amor! Ou você não se garante?!

- É claro que eu me garanto!

- Pois então meu querido... você aceita se casar hoje com Lucas?!

- Mais é claro! É tudo que eu mais quero!

- Pois pronto! Ainda bem que somos rápidos! – revela Jojô.

- Como assim Jojô?! – pergunto.

- Seu casamento querido! E a festa de aniversário do meu amigo! Tudo junto, numa festa só... e o que é melhor, tudo já está pronto, convidados, buffet, fotógrafos, ornamentação e celebridades, tudo pronto!

- Isso é sério?!

- Muito sério meu filho... e não tem mais volta... você vai ter que casar... - fala meu pai alegre.

- Isso é tudo que eu mais quero pai! Tudo que eu mais quero...

- Pois está tudo pronto, agora vá ver a sua roupa noivo, pois daqui a pouco o noivo está chegando! – fala minha sogra.

- Tudo bem... mas e Lucas?! – pergunto.

- Não se preocupe... Maria já foi orientada, e de acordo com ela, o plano já está funcionando... Lucas já saiu de casa e meu motorista está fazendo de tudo para que nosso plano der certo! Você está entendendo?!

- Sim! Mas e agora, o que eu faço?!

- Agora você não faz nada! Você vai para um salão, que Jojô já reservou e vai se preparar para seu casamento e para o aniversário de Lucas! agora vai... você já está atrasado! – fala minha mãe.

- Tudo bem! Eu vou!

Saiu dali e percebo o empenho de todos os meus familiares e amigos, para que a coisa toda desse certo... Eu ainda não estava acreditando, eu casaria com Lucas, no dia mais importante da sua vida, o dia que ele nasceu, o dia que ele veio ao mundo, também seria o dia que nós tornaríamos a nossa união eterna...

Fui ao SPA, que Jojô, marcou, fiz tudo, unha, cortei o cabelo, massagens relaxantes e tomei banhos. Sai de lá fui direto para nossa nova casa, onde já estava todas as roupas que eu usaria no aniversário/casamento.

Mas antes que eu pudesse me arrumar, eis que eu recebo uma ligação, era da mansão de meus pais e ao que parecia, Lucas tinha acabado de sofrer um atentado, mas graças ao chefe de nossa segurança ele conseguiu sair ileso, e pelo que entendi, ele quase foi raptado, mas graças a Deus deu tudo certo.

Eu, assim como meu pai e alguns parentes que ficaram sabendo do incidente ficamos muito nervosos. Eu não podia admitir que ele se ferisse, pois eu prometi protege-lo e ama-lo, e não suportaria a ideia de alguém o fazendo mal, na verdade eu não saberia viver em mundo sem o Lucas, pois em pouco tempo ele havia se tornado a razão do meu viver, a razão de minha existência e principalmente, o porto que me mantinha seguro, confortável... eu sou capaz de dar o mundo e lutar contra o mundo, só para tê-lo ao meu lado.

Dada todas as circunstâncias eu corro, vou ao socorro de meu amado, e com o coração em uma mão e minha pistola na outra eu estava indo com resolução de fogo para o ataque, pois seja quem for que tentou fazer mal para o meu garoto pagaria, e pagaria muito caro!

Chego na mansão e logo encontro com meu menino, completamente apavorado, em pânico, mas ai me lembro, que aquela noite era para ser especial, tento resolver tudo com a polícia, e logo vou ao socorro de meu amado, pois ele precisava de mim, como nunca precisou antes, era muita pressão para ele, além das ameaças constantes de morte e do fato dele não ser mais tão livre quanto antes...

Todos os policiais se vão e logo que Lucas se acalma, ele é tomado por uma determinação descomunal, como se ele soubesse do que a noite reservava para ele, o que é bem característica dele...

Lucas estava lindo, seu terno era todo branco e tirando o fato dele estar meio desarrumado, ele estava muito lindo, só esperava que o fato de eu o ver o noivo antes do casamento não desse azar... pois eu casaria com ele nem que ele tivesse que se casar amarrado....

Lucas resolve subir para nosso quarto para poder se arrumar novamente, enquanto isso, aproveito sua ida para voltar para o local da festa, pois ainda teria que me arrumar.

De volta a mansão, subo rapidamente para me arrumar, meu pai, Jojô e outros amigos sobem para me ajudar, pois todos os convidados já tinha chegado, Amanda, minha mãe e minha sogra recepcionavam todos os convidados para aquela, que seria uma festa dupla, uma festa que comemoraria, a maioridade de meu grande amor e a nossa grande união de nossos laços de amor...

Termino de me arrumar, Jojô arruma meus cabelos e faz uma maquiagem bem simples, eu não gostei muito, mas ele disse que muitos membros da imprensa do Rio estariam lá em baixo nos aguardando, e como Lucas, agora era um modelo nacionalmente conhecido, era importante que o marido também aparecesse bem nas fotos, e eu tava disposto a tudo para ver meu garoto feliz e que ele tivesse uma carreira de sucesso, pois precisaríamos disso para adotar nossos filhos...

Desço as escadas e acompanhado de minha mãe, sou levado para fora, nos jardins dos fundos, onde já se concentravam boa parte dos convidados... muitos amigos, meus e dele, familiares, meus e dele, celebridades, modelos, empresários e muita, mas muita imprensa.

A juíza que celebraria nosso casamento, já estava nos aguardando de fronte a um lindo e ornamentado altar, de onde nós dois, seriamos as estrelas, os protagonistas de nossa própria história de amor, uma história marcante e envolvente, cheia de altos e baixos, cheio de descobertas, mentiras, verdades secretas, mistérios e principalmente, cheia de amor... pois é, o amor definia o caminho de Lucas e o meu até aqui...

De repente eu o vejo entrar, ele estava lindo, ao lado de seu pai, que segurava seu braço. Fernandão estava muito elegante e Lucas, parecia um príncipe, parecia um anjo. Sua venda era retirada e quando ele finalmente abriu os olhos, as luzes de seus olhos foram invadidas pelas luzes de minha alma, que vibrava e chorava, cheia da mais pura e repleta felicidade, pois finalmente selaríamos o nosso amor, a nossa união...

A música dos violinos e do piano começaram a tocar e ele finalmente se deu conta de onde estava... ao longe, eu via seu pai falando algo ao seu ouvido, e pelo sorriso de meu sogrão, eu já sabia o que era...

Fernandão segura Lucas pelo braço e como um pai devotado, começa a guiar seu único e amado filho, por entre aquele curto caminho que nos separava, um caminho feito das mais lindas e puras pétalas de rosas brancas, que formavam um tapete magico branco, por onde meu noivo e futuro marido caminhava.

A música era linda, a Moonlight de Beethoven, e a cada acorde do piano, e a cada passo que Lucas dava em minha direção, era uma prova incontestável de nossa união eminente, que finalmente seriamos marido e marido... Ele seria meu companheiro, pai dos meus filhos, cuidaria de mim e nós assim como nos contos de fadas... seriamos uma família que viverá feliz para sempre...

Eu sei que não existe isso de felizes para sempre. Mas eu acredito que meu amor e o de Lucas é para sempre... é só eu olhar dentro de seus lindos olhinhos azuis, que eu percebo o tamanho de nosso amor...

Eles finalmente chagam ao altar, Fernandão me olha, depois para o filho, dar um beijo na testa dele, mas antes de se retirar... ele puxa uma pistola ponto quarenta das costas, o que assusta todo mundo, e fala em alto e bom som:

- Guilherme Leão de Albuquerque, hoje, eu estou entregando em suas mãos o meu bem mais precioso, o meu único filho! E se você não o fizer feliz, ou faze-lo sofrer, eu juro na frente de todos estes convidados... eu meto uma bala no meio da sua cabeça e depois te mando para o micro-ondas, está me entendendo?! – aponta a arma para minha cara, olho ao redor e percebo a cara de medo de todos, inclusive da juíza, que parecia apavorada com medo de levar um tiro.

Eu fiquei um pouco nervoso e Lucas também, então ele fala:

- Pai‼‼‼ pelo amor de Deus, guarde essa arma! – Lucas repreende o pai, que olha para ele, depois para mim e então, gargalhando, revela:

- CALMA AI PESSOAL! É SÓ UMA BRINCADEIRINHA COM MEU FUTURO GENRO! A ARMA É DE BRINQUEDO‼!

Todos riem, mas ele me olha novamente e fala:

- O que eu falei é verdade... e essa arma é de verdade! Então faça meu garoto feliz! Tá me entendendo?!

- Sim senhor! Eu prometo! Farei seu filho, o homem mais feliz deste mundo!

- Agora sim! Vem cá, me dar um abraço! – Fernandão me puxa para um abraço apertado e fala em meu ouvido: - E trata logo de começar a encaminhar meus netos, tá entendendo?! Sei que você é capaz e meu filho é forte!

Me solta do abraço e eu respondo:

- Não se preocupe! Senhor!

Fernandão vai para o lado de Ligia, no altar, ela dar uns beliscões nele, toma a arma e entrega para Rafael, que era um dos nossos padrinhos, junto com Jojô, Luiz Paulo e Jessica...

Seguro a mão de Lucas e juntos ficamos de frente para a juíza. Eu estava vestido em um terno preto e Lucas em seu terno branco, todos os convidados sentam e a Juíza começa:

- Amigos... boa noite! Pois esta é uma noite de festas e de celebração da união e do amor entre duas pessoas, além de estarmos comemorando mais uma vez a democracia e o direito de todos, sem exceção de serem felizes...

Hoje aqui, neste altar, temos o casal Lucas Araújo de Sousa e Guilherme Leão de Albuquerque, ambos a procura de concretizar seus laços de amor, através de um contrato civil de casamento, mas antes que o contrato seja selado, quero dizer aos noivos e aos demais convidados aqui presentes:

"- O amor pode surgir de repente, em qualquer etapa da vida, é o que todos os livros, filmes, novelas, crônicas e poemas nos fazem crer. É a pura verdade. O amor não marca hora, surge quando menos se espera. No entanto, a sociedade cobra que todos, homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres, façam fazer a necessidade de um sentimento de fachada, cercado de mentiras, receios e preconceitos... esta noite caros amigos, estamos celebrando a união destes dois homens, sim, dois homens, um jovem, que ainda está fazendo os seus dezoito anos e um homem, que em breve fará os seus vinte nove anos de vida. Ai eu pergunto, existe um limite para o amor? A resposta para essa pergunta é difícil, pois depende do coração de cada um... mas esta noite, olhando para esses dois, e vendo o brilho nos olhos e o sorriso nos lábios destes dois belos homens, eu vos digo, o amor existe e está aqui agora... e é por isso que eu tenho certeza, que nunca houve dois corações mais abertos, nem gostos mais semelhantes ou sentimentos mais em sintonia do que estes dois... que Deus abençoe esse amor, e que ele possa durar como os versos de uma poesia antiga, que o amor de vocês durem até que as estrelas douradas do oriente se apaguem....

Ela nos olha e fala:

- Guilherme Leão de Albuquerque, você pode fazer seus votos!

Olho para Lucas, e preenchido de toda a felicidade do mundo, falo:

- Sabe Lucas, não existe a menor possibilidade de eu não te amar. Não existe a menor possibilidade de eu não te fazer feliz... porque no fundo da minha alma e do meu coração, eu sei, nasci pra te amar... pois você é tudo o que estava faltando na minha vida, e espero sinceramente poder ser o mesmo pra você...

A juíza olha para Lucas e fala:

- Lucas Araújo de Sousa, você pode fazer os seus votos! – ele me olha nos olhos, segura minhas mãos e fala emocionado:

- Sabe Guilherme, foi no primeiro olhar que eu te consagrei o meu amor e nada vai nos separar, na alegria ou na dor... O mundo não verá nosso amor se acabar. Pois foi no nosso primeiro olhar, que Deus nos casou e escreveu meu nome e o seu no azul deste céu... me dê sua mão e não me importarei com a distância a ser percorrida... pois sei que seguiremos juntos até onde existir vida...

- Com os votos de amor ditos, eu pergunto:

- Guilherme Leão de Albuquerque, você aceita Lucas Araújo de Sousa, como seu único companheiro, para ama-lo e respeita-lo, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?!

- Sim! Eu aceito! – repondo e olho no fundo dos olhos de Lucas, que já chorava emocionado. A juíza se direciona a ele e pergunta:

- Lucas Araújo de Sousa, você aceita Guilherme Leão de Albuquerque, como seu único companheiro, para ama-lo e respeita-lo, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?!

Ele me olha de uma forma profunda e responde:

- Sim! Eu aceito!

Nós trocamos as alianças. Eu coloco no dedo dele, e ele no meu... nos olhamos no olho e palavras não eram suficientes para revelar o que tínhamos para dizer um para o outro... ficamos em silencio, até que a juíza fala novamente:

- Pelos poderes concedidos a mim pelo estado do Rio de Janeiro, eu vos declaro... Casados! E como estamos celebrando uma noite de união e amor... eu digo: Os noivos podem se beijar!

Me aproximo lentamente de Lucas, toco em sua cintura, trazendo-o para mais perto de mim... olho em seus olhos, respiro fundo e finalmente o beijo... o nosso beijo foi lento e calmo, cheio de amor, cumplicidade e respeito...

Estávamos completamente entregues ao tempo quando de repente, um de meus amigos da delegacia dispara:

- CALMA! A LUA DE MEL FICA PARA DAQUI A POUCO! – todos riem e nós nos separamos de nosso beijo.

Somos cumprimentados pelos nossos padrinhos e familiares, assinamos o livro e vamos para a nossa festa, ou melhor a segunda festa. Os amigos de escola e trabalho de Lucas, o colocam no ombro e o levam para onde estavam dois bolos grandes, um com dois bonequinhos que nos representavam e o outro, que possuía uma vela com o número 18 em cima.

Os amigos dele o colocam no chão, próximo ao bolo de aniversário... cantamos os parabéns para ele, e eu sou o primeiro a beijá-lo e a desejar-lhes parabéns. Lucas fecha os olhos, faz seu pedido e sopra as velinhas... Eu me aproximo e falo:

- Parabéns meu amor! Que essa data possa marcar muitas comemorações para nós dois... daqui para frente!

- Muito obrigado! Eu te amo muito! – ele responde.

- Aliás, seu presente está te esperando no nosso novo quarto! – sussurro em seus ouvidos e depois o beijo, abrindo espaço, para que outras pessoas o felicitasse...

Lucas cumprimenta alguns convidados e logo corta o primeiro pedaço, então fala:

- O primeiro pedaço vai para uma pessoa que a quase um ano atrás, quase me atropelou... e que hoje, se tornou o meu marido... para sempre!

Ele olha para mim e reitera:

- Esse pedaço vai para você Guilherme! – se aproxima de mim, me entrega o pratinho e me beija mais uma vez...

Saímos dali e fomos comemorar nossa união, em nosso rosto reinava somente a paz e a felicidade, todos os convidados pareciam felizes, como se nossa felicidade fosse capaz de provocar uma onda boa de amor e paz... até Jojô estava feliz, não largava o braço de Rafael, que vez ou outra dava uma olhada nas modelos que passavam por ele...

A festa foi caminhando e a felicidade reinava em todos os lugares, a imprensa tirava fotos e foi então que eu e meu marido, fomos chamados pela organizadora do casório, para dançarmos a nossa valsa juntos... foi meio engraçado, pois nós dois éramos péssimos nesse negócio de dança...

No fim ocorreu tudo bem... e o nosso amor finalmente estava selado... a festa finalmente chegou ao fim...

Nossas malas foram colocadas no porta-malas da limusine, entramos e partimos rumos a nossa lua de mel... e pela primeira vez... Lucas iria conhecer as terras de minha mãe. Nossa lua de mel seria em Paris, cidade luz, símbolo da liberdade e do amor...

Entramos no jatinho particular de minha família, e casados, eu e o grande amor da minha vida, partimos rumo ao nosso destino.... Rumo a eternidade...

Fim...?

Eu acho que não....

BOA TARDE MEUS

QUERIDOS, CHEGAMOS AOS FIM DA NOSSA HISTÓRIA.

FOI UM PRAZER TER CADA UM DE VOCÊS AQUI, O OBRIGADO PELA COMPANHIA ATÉ AQUI.

E DESDE JÁ. EU JÁ OS CONVOCADO PARA UMA NOVA JORNADA, AINDA MAIS EMOCIONANTE, COM MAIS ADRENALINA, COM MAIS CONFRONTO, COM UM LUCAS TOTALMENTE DIFERENTE DO QUE VC JÁ VIU..... AHH QUANTO AOS MISTÉRIOS, BANDIDOS OCULTUS, SERÃO REVELADO NA NOVA TEMPORADA.

E POR FAVOR AINDA NÃO TERMINOU. Falta o epílogo

E os agradecimentos é claro! Ou vocês acharam mesmo que vão se livrar de mim kkkkkkkkk

Fiquem ligado

Porque vem aí a segunda temporada...

O DELEGADO E MODELO

Lembrem-se

Vocês sabem que me amam...

Kaius Cruz

Comentários

07/12/2017 16:12:36
Pessoal muito obrigado, vocês moram no meu coração. Muito obrigado por cada comentário. São vocês que me inspiram. Ainda falta o epílogo e os agradecimentos dessa primeira temporada de "O DELEGADO E O PRISIONEIRO ".. MUITO, MUITO OBRIGADO MESMOE POR FAVOR CONTINUEM COMENTANDO. SEI QUE TEM ERROS. MAS FICO FELIZ EM SABER Que VOCÊ CONTINUAM AQUI... ABRAÇOS
07/12/2017 07:56:20
Comecei a ler os capítulos desse conto um pouco depois da metade. Fui acompanhando e tive que voltar no começo. Para se ter uma ideia, teve um dia que comecei às 20h00 e terminei às 4h00 da madrugada. Ri, chorei, me angustiei, me revoltei. Não concordei com as suas decisões como autor mas respeitei porque a história é sua. Incrível como os protagonistas, aliás todos os personagens parecem pessoas que a gente poderá ver a qualquer momento na rua. Isso confere sabor na sua escrita. Parabéns. Por outro lado, eu fico sinceramente angustiado com alguns erros (não sei se de português ou de digitação) que reiteradamente aparecem no seu texto. Aquilo me desconcentra e eu tenho que voltar no início do parágrafo. Mas afinal, quem não erra nessa língua complicada que é a desse país? Por outro lado me disponho a auxiliar se quiser. Em tempo. Só criei perfil nesse site para dizer isso para você, Kaiuss. Quando eu comecei a ler esse capitulo e vi seu desenvolvimento queria te dar um tiro: como assim, estão ficando pontas soltas. Ainda bem que você comentou no final. Gosto da sua verve, gosto do seu tom, gosto dessa novela afinal esse romantismo rocambolesco esta na nossa alma. Parabéns.
07/12/2017 06:55:44
Ai gente, não sei se choro ou se bato palmas cara, que capítulo arrasador.. parabéns msm kaius, realmente te amamos... E outra já não tenho mais unhas nas maos de tanta anciedade cara, que maravilhoso o Jojo e o Rafa, que casamento cara... Ainda bem q não houve nada demais no casório né... Só achei q o fato da explicação do sexo de Jojo faz a parte do casamento ficar sem alguns detalhes maiores né.. mais msm assim foi incrível,pensei que Lucas ia arrasar no funk em frente a mídia, mais msm assim vc lacra de qualquer jeito, obg por nos fazer tão próximos dessa história que de certa forma parece mt com meu relacionamento 👏💓, assim q lançar a segunda temporada nos avise ! Parabéns !!
07/12/2017 00:43:02
Novo site galera! Visitem! contos e muita putaria https://kxcontos.blogspot.com.br/
06/12/2017 22:06:49
AH. ISSO NÃO PODE SER O FIM. POR DEUS.
06/12/2017 19:45:02
Poxa pozzi38, muito obrigado por acompanhar essa história que é minha, sua e todos aqui.
06/12/2017 19:43:06
Muito obrigado meu querido peludo df, fico feliz que tenha gostado e não, não é o fim . Aguarde a segunda temporada e prometo grandes surpresa, grandes emoções, reviravolta incríveis... E novos personagens que vão marcar essa segunda temporada e um lucas como vc nunca viu ou melhor um Ángel.
06/12/2017 18:51:57
Acompanho tua história por outra plataforma, foi uma boa trazer ela para cá.
06/12/2017 18:15:44
Cara... Parabéns..... Curti muito seu conto! Mas realmente, ficou um gosto de quero mais!!!! Cadê a galera que fez mal ao Lucas presa? Poxa.... parece que não terminou..... mas mesmo assim, um grande abraço! PeludoDF

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.