Casa dos Contos Eróticos

Enterrar o passado. - Capitulo Final

Categoria: Homossexual
Data: 06/12/2017 11:12:31
Nota 10.00
Ler comentários (17) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Capitulo Final.

Respirei fundo, olhei pro Tavinho ele me deu a mão e juntos fomos ao microfone. As pessoas estavam em silencio, algumas posso dizer que estavam desconfortáveis.

- Enxergar quando é verbo transitivo direto predicativo e pronominal, significa: Ter em consideração, levar em conta.

- Muitas vezes olhamos para nossos filhos e pensamos: ele é meu filho eu tenho que ter consideração por ele, eu tenho que levar em conta o que ele pensa, quem ele é.

- Alguns pais sei que pensam assim, mas na realidade todos deveriam.

- Muitos quando passam por meninos que não tem ninguém, que estão por sua própria conta e risco na rua, logo imaginam, marginais, ladroes, pedintes. Vou fazer uma pergunta a vocês, quantos aqui presentes hoje já pensaram....

- Hoje eu vou parar, eu vou ter consideração por essa criança, eu vou levar em conta o que aconteceu com ela.

- Quantos dizem: Eu quero saber, eu quero ouvir, eu quero ajudar.

Foi um silencio geral.

- Infelizmente pouquíssimas pessoas conseguem levantar a mão e dizer .....Eu.

- Quando olhamos uma criança, seja ela menino, menina de rua quantos de vocês param para pensar: O que aconteceu com ela? Por que ela está assim? Por que ela se droga? Por que está suja?

- E quantos aqui já pensaram: Ela está assim por que quer. – algumas pessoas baixaram a cabeça. -

- E eu pergunto a vocês. Quem quer estar assim? Quem realmente está na rua à mercê do tempo e dos "Humanos", por quer...

- Você quer? Ou você? Ou quem sabe você? – apontei paras pessoas que estavam me olhando. -

- Por que achamos que somos melhores? Por que somos cultos, estudamos, temos dinheiro. Quem disse que somos melhores que qualquer outra pessoa? Quem falou isso pra gente? Nossos pais?

- Que tipo de humanos nós somos, se nós não conseguimos sequer, enxergar. E isso não está ligado a uma deficiência visual, e sim ligado a uma deficiência moral.

- Moralmente nós temos que saber. Nossa obrigação é essa.

- Nós temos que enxergar, temos que parar e perguntar: O que aconteceu contigo?

- De que adianta eu rezar todo dia a Deus, dar uma doação a minha igreja, seja ela qual for, adianta dizer em frente ao espelho, eu sou bom, eu sou honesto, eu faço o bem. Se eu só faço o bem quando isso me interessa. Ou quando alguém está vendo. Pra quem eu estou mentindo?

- Que falsa moral é essa.

- Enxergar senhoras e senhores, é antes de tudo um ato de amor, é parar para saber, é se interessar por outro ser humano.

- Afinal somos todos humanos aqui, ou não?

Parei para que todos pensassem sobre isso.

- Temos que olhar nossos meninos e meninas na rua e saber que....se eles estão ali, não é porque eles querem......é porque um adulto como todos vocês que estão aqui na minha frente..... Obrigaram essas crianças a sair de casa, do seu lar.

- A culpa é nossa, de todos nós.... nós precisamos assumir a culpa, e mudar, a mudança é essencial,.....todos nós precisamos parar de ver..... E finalmente conseguir enxergar.

Parei para observar a reação de todos, estavam prestando atenção em mim.

- Eu gostaria que viesse aqui pra cima do palco, aqueles que entre vocês já passaram fome. – o Lucas, o Igor, o Afonso, alguns outros dos nossos meninos ficaram em pé do meu lado. Alguns pais da vila e as crianças e pais da linha do trem. -

- Subam aqui todos os que dormiram no frio, ao relento em uma calçada. – outros levantaram, o Renato ficou do meu lado. -

- Todos que já apanharam, já foram violentados, já foram humilhados. – Outros ficaram lado a lado conosco, o Marcelo e o Michel ficaram junto comigo. -

- Quantos de vocês podem subir aqui e já terem passado por essas situações que nenhum ser humano deveria ter passado.

- Quantos de vocês já pensaram ou ouviram: eu não sou nada, eu não sou ninguém, pra gente como eu coisas boas não acontecem.

Pois bem senhores meus meninos já ouviram, já pensaram, já passaram por tudo isso. – olhei pra cada um deles com um imenso carinho e amor. –

- Todas essas indagações, que agora não tem resposta por parte dos senhores precisam ser pensadas, não queremos respostas, queremos ação.

Tinha muita gente desconfortável me ouvindo, e isso era bomdia senhores, um dia uma mulher quis enxergar, essa mesma mulher pensou:

- Isso é meu problema, eles são meus meninos, são seres humanos.

- Essa mulher foi o nosso guia, nos deu a direção, e se hoje estamos aqui com esses meninos lindos, educados, gentis, meninos que enxergam os outros, que ajudam os outros, é por que essa mulher parou e disse: Eu vou enxergar, eu vou mudar. – olhei pros meus rapazes que estavam emocionados como eu. -

Me veio na cabeça meus meninos ajudando na chuva em um dia de temporal, na mansão, no ginásio, levando comida, carinho, uma palavra de conforto, brincando no asilo com senhores também esquecidos pela família. -

- Estamos aqui hoje para celebrar uma vida, a vida de uma mulher que não passou pela vida.... Ela mudou e continua mudando VIDAS.

- Gostaria que vocês enxergassem minha tia.

O Tavinho puxou o tecido e deixou o busto de bronze da minha tia descoberto, era uma linda imagem que ficaria na entrada da fundação. Cada vez que chegássemos na casa dela, saberíamos que ela protegia a todos que entrassem por aquela porta.

Como num dia de chuva ela me protegeu e mudou minha vidaEu estava andando com o Vini pelo gramado, tinha tanta gente conhecida, alguns das aulas na fundação, da comunidade, da escola, mas muita gente que estava ali pela primeira vez, parávamos de grupo em grupo, todos estavam falando sobre a campanha, "enxergar", estava no assunto de todos, fiquei feliz era hora das pessoas pararem pra pensar.

Fiquei olhando o Tavinho ele era a felicidade em pessoa, ele e os cinco mosqueteiros estavam brincando com as crianças da linha do trem, o Tavinho tava pensando em um nome pro grupo, o Luquinhas e o Michel sorrindo, isso eu via pela primeira vez feliz também, isso me encheu o coração de alegria.

O Claudio estava conversando com aqueles meninos que eu tinha visto com ele antes, andavam pela mansão, se for importante depois ele me conta, eles eram um grupo engraçado, tinha dois mais falantes e dois mais sérios atrás, esses mais sérios eram grandes e fortes e um deles de longe parecia ser maior que eu, fiquei intrigado, depois eu ia perguntar pro Claudio.

Paramos na frente de uma menininha que estava tentando amarar o cadarço do tênis, o Vini se abaixou para amarrar pra ela, quando me virei o Claudio estava vindo com o grupo de rapazes, quando eles chegaram perto, fiquei realmente impressionado, os mais sérios realmente eram grandes e fortes, mas o maior deles dava medo, tinha um expressão séria, mesmo pra mim que sou tão grande como ele o menino realmente impressionava, o menino do lado dele, também sério, já era mais amistoso esboçava o que era pra ser um sorriso, comecei a achar engraçado.

O menino da frente a esquerda era sorridente, um fofo, parecia um ursinho, cabelos cacheados que balançavam ao vento, e o outro menino bem, ele era outra estória o menino era encantador, meu Vini e ele eram incrivelmente bonitos, ele era sério, mas sem ser agressivo.

- Gus esses rapazes vieram da Capital para conhecer a fundação.

O Vini estava levantando e quando se virou, vi que os rapazes tiveram a mesma reação que quase todo mundo, trancaram a respiração, meu marido realmente impressionava.

- Olá prazer em conhece-los esse é o Vini, eu sou o Gustavo. – era engraçado o grupo, os dois grandões ficaram olhando meu marido, mas eles ficaram meio constrangidos rapidamente olharam para baixo, mas o menino que parecia um ursinho, estendeu a mão.

- Oi prazer eu sou o Juliano, mas pode me chamar de Bear, esse aqui do lado é o Léo e os mal encarados atrás são o Gui e o Monte. – ele era muito sorridente, eles juntos eram um grupo muito diferente. -

Estendi a mão para os meninos, o que se chamava Léo era realmente incrível, mas ele parecia ser igual ao meu Vini, não gosta que fiquem parados encarando eles, o que tava atrás que se chamava Guilherme ficava atento a tudo, mas acho que não gostava quando seguravam a mão do Léo, quando cumprimentei o Bear, o grandão chegou a rosnar, achei engraçado.

- Bem meninos me falem o que os trouxe até aqui, e que bom que chegaram a tempo da inauguração.

- O Claudio nos convidou, ai achamos bom vir até aqui e ver tudo funcionando.

Levamos eles pra perto das arvores e sentamos nas grandes mesas.

Os meninos contaram que queriam abrir uma fundação parecida com a nossa, estavam procurando algo similar ao que eles queriam. Conheceram a tia Nika, por causa das franquias, o menino grandão Monte, soube depois que era de Montanha, também tinha algumas academias e queria criar uma franquia também, pelo mesmo motivo que eu, ter mais tempo livre. Quando explicaram pra tia Nika ela colocou eles em contato com o Claudio

- Fico feliz em ver que estamos servindo de referência pra vocês, mas bem, o Claudio já falou como funcionam as coisas aqui?

- Sim já estamos conversando a algum tempo, ficamos impressionados e queríamos seguir os mesmos moldes de administração que vocês. O Claudio já nos explicou como era a questão financeira, inclusive falou com os nossos administradores e mostrou o caminho.

Eles me explicaram que também eram donos de algumas empresas, eu fiquei impressionado, eram tão jovens, mas pelo que vi muito unidos, uns cuidavam das coisas dos outros, já que o menino Léo estava estudando medicina, outra coincidência?? E o ursinho tinha uma empresa de paisagismo.

- Que lindo, meninos novos como vocês se importarem com essa causa, mas me falem um pouco de vocês.

Me explicaram que eram dois casais, o que achei muito interessante, e contaram por cima como se conheceram. Realmente nada é fácil na vida.

- Bem pelo visto temos muitas coisas em comum, acho que vieram ao local certo, meu marido e eu podemos ajuda-los com certeza.

Notei que os grandões ficaram mais aliviados quando viram que o Vini e eu éramos casados. Ai a coisa começou a fluir melhor, os dois começaram a participar da conversa, no final já estávamos amigos. Eles eram uns queridos também, só que superprotetores pelo que vi. Eles tinham uma ideia linda pra fundação deles.

- Paieee – Vi o Tavinho me chamando fiz sinal pra ele se aproximar. Ele veio devagarinho do jeito dele, eu sabia que ele estava avaliando o grupo já entendia como era o processo dele, e isso pra mim era importante, eu conhecia meu filho.

Quando ele chegou perto, se encostou em mim e ficou olhando os meninos.

- Oi meu nome é Tavinho. - e sorriu, até o Claudio riu aliviado.

- Oi meu nome é Bear. – ele apresentou os outros meninos pro Tavinho –

Ele ficou olhando pro Léo, o menino parece que ficou um pouco incomodado. –

- Sabe, tu é muito parecido com meu papai, mas não se preocupa não, todo mundo aqui tá acostumado com meu papai, ninguém vai ficar te olhando não, é só a primeira vez, depois todo mundo acostuma. – o meu filhote tinha entendido o rapaz, ele como meu marido não gostava que ficassem olhando fixamente pra ele. –

- Que bom Tavinho, meu Léo não gosta muito disso. – o menino Guilherme falou, foi a primeira vez que vi o menino sorrir. –

- Eu sei, papai também não gosta. – ele levantou e chegou perto do grandão, ele não aguentou e sorriu pro meu filho, vi que era uma montanha derretida que nem eu. –

- Tu é grandão que nem meu pai, tu faz muito exercício? Meu pai tá me ensinando, quero ser grande que nem vocês. –

- Sim eu faço, eu tinha tua idade quando comecei a lutar e fazer exercícios, então tu vai ter bastante tempo pra ficar assim quando chegar na minha idade. Também tenho um filho, o nome dele é Josias acho que quase da tua idade, vocês são bem parecidos, ele também quer ser grande como eu. –

- Que bom traz ele pra brincar com a gente, aqui eu tenho um monte de irmãos e ele vai gostar de todos eles.

- Tenho certeza que vai. – ele e o Bear ficaram se olhando, era uma graça ver o amor que um tinha pelo outro. -

- Nunca tinha visto vocês por aqui, vieram conhecer meus pais? – meu filho estava falante, eu aprendi a deixar ele conduzir a conversa e ficar observando as pessoas reagirem a ele, eu geralmente aprendia muito, o Vini segurou minha mão, isso não passou despercebido aos meninos, acho que ficaram mais à vontade ainda.

- Meninos não se preocupem, todos aqui sabem sobre nós, e ninguém vai constranger vocês. – vi que os grandões seguraram seus namorados, maridos, não sei bem o que eram e começaram a sorrir mais, -

- Que bom, não é sempre assim, e esses dois aí atrás vivem se metendo em encrenca por causa disso. – o menino Bear falou, ele era a simpatia em pessoa. -

- Ei, não é assim, as pessoas é que tem que parar de ficar reparando na gente. - O Grandão falou. -

Começamos todos a rir, eu entendia eles.

- Bem para te responder, estamos montando uma fundação e queríamos conhecer a de vocês. – ele falou pro Tavinho. -

- Que bom quanto mais melhor, as pessoas estão precisando, eu tô pensando em abrir uma também, pros meninos da linha, mas eu quero outro nome, não gosto desse. Viu papai eu pedi e tá aparecendo mais gente boa. – era verdade ele sempre pedia de noite quando rezava que mais gente cuidasse das pessoas abandonadas pela rua, mas tinha uma novidade aí, ele queria uma nova fundação, vamos ver até onde ele vai. –

- Que bom, e de que vai ser? – o menino Léo perguntou. Esse menino era engraçado, ele não era o mais falante, mas eu percebia que ele era quem, vamos dizer dirigia todos, com o olhar eles se conheciam, e todos olhavam pra ele antes de falar alguma coisa importante. Realmente grupo interessante. -

Era o suficiente pro Tavinho falar dos meninos dele, era o assunto preferido do Tavinho, os meninos ficaram prestando atenção nele, meu filho tinha as ideias dele sobre o assunto. –

- Mas eu vou ter que esperar ser mais velho, o tio Claudio disse que vai me ajudar. – ele olhou pro Claudio, que sorria -

- Pai convida eles pra irem pra fazenda depois, daí eu mostro pra eles meu projeto. – eles ficaram encarando o Tavinho acho que não acreditavam. Mas era verdade, ele estava conversando com o Lucas e o Renato e tinha pedido pra escrever tudo que ele pensava em fazer. –

- Pai, pode ficar tranquilo, os meninos são bons, eu tenho que ir lá pra ajudar os meus irmãos a arrumar tudo. – pode parecer ingênuo da minha parte, mas eu levava realmente as impressões do Tavinho sobre as pessoas em conta, ele beijou o Vini e eu. –

- Tio Claudio o senhor pode me ajudar, tá na hora de colocar as crianças no ônibus, tem aquelas coisinhas que tem que dar pra eles. – meu filhote tinha pedido cestas de alimentos para as famílias, e precisavam ser colocadas no ônibus. –

"No natal eles precisam de uma ceia né pai.", esse foi o pedido de natal dele.

O Claudio pegou ele pela mão e saíram os dois.

- Ele é impressionante. – o Léo comentou. –

- Sim, nosso filho vive a fundação todos os dias, ele é que nos conduz nessas questões pessoais dos meninos, ele sabe de tudo o que acontece com eles, nossos jovens falam tudo pra ele. –

- Sim eu entendo por que, eu poderia ficar horas conversando com ele – o Grandão falou. –

Ficamos conversando um bom tempo, convidei os meninos pra ir pra fazenda tínhamos vários quartos lá, eles queriam ficar num hotel, mas o Vini convenceu eles.

Nós tínhamos muitas coisas pra resolver ainda, as pessoas estavam comendo e bebendo, e tínhamos que ver como estava tudo, disse pros meninos ficarem a vontade e olharem tudo, o Renato e o Lucas estavam perto, chamei os dois. Eles vieram em nossa direção.

- Queridos, esses rapazes aqui querem conhecer a fundação, por favor vocês podem mostrar tudo pra eles. Eles vão dormir na fazenda e amanhã quero mostrar a clínica.

- Clinica!! - o menino que estava estudando medicina perguntou??-

- Sim Léo, esse é meu papel na fundação, montamos um clínica para atender nossos meninos e a comunidade, eu sou médico. – era um dos papeis do Vini, o maior papel dele era ser meu amor. -

- Cara preciso muito conversar contigo. – eles começaram a rir, até o Guilherme e o Montanha, acho que eles estavam mais tranquilos com a gente, mas eu entendo bem eles, nunca se sabe. -

- Claro seu Gus mostramos tudo, vamos lá gente, tem muita coisa para olhar.

- Meninos vocês estão em excelentes mãos, o Renato e o Lucas são meus administradores de tudo, na realidade sabem mais que eu sobre a fundação, são meu braço direito e esquerdo, vocês podem perguntar o que quiser. – os dois ficaram vermelhos, mas os dois eram mesmo. –

Eles saíram todos juntos.

- Achei eles uma graça Gus, são tão jovens e tão interessados em ajudar.

- Sim, mas acho que por baixo disso tudo teve um caminho longo, ninguém tem a seriedade desses meninos nessa idade e não viram muitas coisas, mesmo se notando que tem boas condições financeiras, isso não subiu pra cabeça deles.

- Sim amor nós dois somos a prova viva disso, nosso caminho foi longo, mas estamos juntos. – Percebi uma nuvem de tristeza ali, beijei meu amor hoje não era dia pra tristeza.

....

Eu estava sozinho e não tinha nenhuma idéia do que fazer, bem nem iam me deixar fazer nada, parece que eles tinham combinado, ninguém me pedia nada, nem me preocupavam com nada, a vida está ficando chata, ainda bem que daqui a pouco já ia poder dar minhas aulas.

Procurei um canto pra sentar, sabia exatamente onde, o velho carvalho, quando cheguei perto coloquei a mão naquela grande arvore, era uma sensação tão boa, eu e o Vini passamos parte da nossa infância subindo e descendo daquela arvore, fiz a volta e encontrei o que procurava, ali estava letra do meu nome e a do Vini juntas.

- Oi velho companheiro. – sentei em baixo da sombra dele, o carvalho sabia muito de nós dois e estaria ali ainda quando todos nós já estivéssemos no passado, guardava muitos dos nossos segredos. -

Fiquei olhando a mansão, mesmo com todo o movimento eu podia imaginar que ela estaria descendo aquelas escadas que davam no pátio e me abriria os braços, eu iria sair correndo e me aconchegaria no colo dela, tia Dafne, tenho tantas saudades.

Eu queria sentar com a senhora e agradecer por tudo, eu sei que minha felicidade sempre foi importante pra senhora, mas quero que saiba que conseguiu tia, sou imensamente feliz, graças a senhora eu voltei, pela senhora eu fiquei, e pelo seu sonho eu estou aqui tia, quero que a senhora olhe tudo que foi feito, onde chegamos, tudo foi pela senhora tia, sei que um dia nós vamos conversar sobre tudo, hoje tia eu tenho uma família, uma família muito maior do que eu podia imaginar, meu grande amor, meu filho, meus amigos, todos que estão na nossa volta, eles são minha família, meu amor é imenso tia, como o seu, sei que não sou seu filho de sangue, mas sou seu filho do coração.

Às vezes eu penso nisso sabe tia, de que adianta ser filho de sangue, olha quantas crianças, jovens, e adultos que são filhos de sangue de alguém, foram abandonados, soltos no mundo, machucados e feridos, eu, o Vini, o Claudio e tantos outros tínhamos e temos pais, e o que adiantou.

Seu coração é que juntou todos nós tia, seu coração é imenso, pode abrigar a todos, só quero tia que saiba, que não vou desistir e vou conseguir tia, vou abraçar todos que vierem a minha porta, como um dia a senhora abraçou um menino, como um dia a senhora abraçou vários meninos, como hoje sua casa abraça tantos quantos vierem até aqui.

Tenho tanta saudade tia....

O vento corria refrescando aquele dia quente, eu estava muito emocionado precisava me controlar, senti o carinho dela, eu sabia que ela estava do meu lado, sentia o perfume dela junto comigo, tive uma visão, e essa visão foi andando pelo gramado e chegou na minha frente, por um instante achei que era ela, não, não poderia ser, mas era como se fosse..... a tia Berta estava na minha frente e passou a mão no meu rosto.

- Filho tudo bem? – era uma sensação de felicidade, parece que as duas estacam me fazendo carinho juntas. -

- Tudo Berta senta aqui, saudades só Berta, saudades. – ela se sentou do meu lado. –

- Eu também filho, olha me conta de ti, como tu está? – ela sabia que eu estava pensando na tia Dafne, ficamos conversando. -

- Bem Berta, feliz, amando, amado, não poderia estar melhor.

- E o coração filho? – ela também se preocupou muito comigo, eu sabia o que ela tinha perguntado. -

- Tudo bem tia, o médico disse que tô pronto pra outra, mas pelo que vejo ninguém entendeu isso. Ninguém me chama pra ajudar em nada, tô me sentindo imprestável. –

- É amor filho, daqui a pouco eles esquecem.

- E tu Berta?

- Estou bem filho, o Vini está cuidando bem dessa velha aqui, aquele dia eu não fazia ideia do que essas crianças realmente tinham passado, tua tia nunca me falava, mas agora que eu sei filho ninguém me tira daqui, nem penso em me aposentar, agora eu vou ser mãe de novo, avó, tia, o que eles quiserem, mas amor não me falta filho.

- Nunca faltou Berta tu sempre nos amou e ama, e eles só precisam disso. – ficamos abraçados olhando os meninos que corriam pra lá e pra cá, meu marido passou andando com o Claudio e me abanou. –

- Filho tu tá bem mesmo?

- Sim Berta, porque?? – será que ela precisava de algo?? -

- Bem filho, quero que leia essa carta, mas se não se sentir bem deixa pra depois. – fiquei olhando pra ela, a Berta me estendeu um envelope. -

- Berta? – segurei o envelope, senti o cheiro da minha tia. –

- Fica bem filho, vou te deixar ler em paz. – ela me beijou e saiu.

Fiquei tremendo, abri o envelope com todo cuidado.

A letra dela, segurei o choro.

"Amor da minha vida.

Se hoje tu estas lendo essa carta eu estou muito feliz, sei que é um dia muito especial, é o dia em que nossa querida Berta resolveu te entregar meu amor por ti, ela sabia que tinha que ser no dia certo, conversamos muito sobre isso.

Filho da minha alma, sei que deve ter passado por muitas mudanças, e elas são necessárias filho, posso não saber pelo que passou mas sei que venceu, se não a Berta não teria te entregue essa carta.

Ela só chegaria na tua mão se tu estivesse feliz, estivesse realizado como homem, marido e pai. Sim filho eu sabia que esse dia chegaria, sabia do teu amor pelo Vini, e claro que esse amor se estenderia para o filho dele. A vida as vezes dá muitas voltas, e muitas pessoas se perdem nesse caminho, e tu passou perto disso filho, mas eu sabia que venceria.

Conheço o imenso coração que tu tens meu amor, perdoa filho, perdoa teus pais, e todos aqueles que te fizeram mal, esquece filho, a mágoa e o rancor só fazem mal a quem sente, não deixa que esses sentimentos inferiores cheguem ao teu coração.

Sei que o caminho é longo, difícil, mas sei que tem condições pra isso, o fardo que te deixei meu amor para muitos homens seria quase impossível, mas pra ti filho do coração, é mais um passo em direção a luz filho.

Posso não estar presente em corpo querido, mas quero que saiba que se me deixarem eu sempre estarei por perto se me chamar, meu coração vai estar pra sempre contigo amor.

Saiba que onde eu estiver estou muito feliz filho, por que sei que se está lendo essa carta tu estas feliz, não deixe que nada impeça tua alegria e teu amor, por que eu sei que estando feliz isso vai se espalhar por todos filho, a felicidade é contagiosa, o bem se espalha muito mais que o mal, o bem fica filho, ele persevera, as pessoas boas são em maior quantidade, elas só não sabem disso.

É essa tua função na terra amor da minha vida, tua função na terra filho é fazer com que essas pessoas boas se juntem, juntas elas têm força, e juntas elas podem mudar o mundo.

Amor da minha alma, saiba que sempre estarei contigo, e um dia sentaremos juntos embaixo de uma arvore e conversaremos sobre tudo que aconteceu.

Quando chegar a tua vez de fazer essa viagem eu estarei te esperando amor, como uma mãe ansiosa que espera seu filho chegar em casa de novo.

Grata por tudo amor, da tua...

Dafne"Amor tu tá bem?? – o Vini estava parado na minha frente. -

Eu não sei quanto tempo eu estava ali chorando abraçado a carta da tia Dafne, olhei pro Vini, as lagrimas teimavam em escorrer pelo meu rosto. Ele me olhava com tanto carinho e amor. Eu não conseguia falar.

- Eu sei amor a Berta me falou, eu fiquei aqui te olhando, não queria te atrapalhar, mas precisava ficar te cuidando. – estendi a mão pro Vini, ele sentou do meu lado. Entreguei a carta pra ele.

- Lê Vini, ela sabia de tudo, ela estava comigo o tempo todo.

- Tem certeza que quer que eu leia, essa carta é pra ti.

- Amor, não existe pra mim.

Existe pra nós, ele começou a ler a carta, eu estava emocionado, meu coração acelerado, mas eu sabia que não tinha nada errado eu estava feliz, ela me ouvia e sabia o que eu pensava. Algumas pessoas podem dizer que é loucura minha, mas não importa, eu sabia que ela estava ali, eu sentia ela, eu sentia o perfume dela.

Vi ao longe o Tavinho com os avós dele, não se desgrudavam, o Antonio estava com alguém também, o Tavinho me olhou e veio correndo para nós.

- Pai o senhor tá bem?? – ele sabia que tinha algo acontecendo, parou na minha frente e ficou me olhando daquele jeitinho dele puxei o Tavinho pra mim, ele olhou pro Vini que também chorava. Eu não conseguia falar. -

- Sim filho nós estamos felizes, só isso. Tá tudo bem contigo? – O Vini acalmou ele que ficou nervoso, eu só conseguia ficar abraçado com meu filho. -

- Tá sim tá quase tudo pronto papai. Os meninos estão arrumando tudo. Algumas pessoas já estão indo embora. Pai o senhor tá bem mesmo?? – eu não gostava de ver ele preocupado. -

- Sim filho o pai tá bem, recebemos notícias de alguém muito querido, por isso estamos assim. – acalmei ele, o Tavinho ficou olhando pro grande carvalho. –

- Papai, sabe a tia que morava aqui, daquele tempo que a gente morou aqui também e que depois eu visitava as vezes com o senhor. – o Vini olhou pra ele. Ele lembrava de tudo. -

- Sei filho. – eles moraram na mansão quando foram expulsos de casa pelos pais do Vini. Isso tudo que eles passaram ainda me doía. -

- Pai um dia a gente tava brincando aqui na rua e ela me disse que quando eu fosse maior eu ia adorar subir nessa arvore, ela me mostrou e disse que era um carvalho, ela falou que era a "Arvore das arvores", e disse que um dia nós três íamos subir nele juntos.

- Eu não entendia muito bem eu não conhecia o pai, ela disse que um dia eu ia conhecer, ela falou que ele era teu melhor amigo e que vocês juntos viviam em cima dos galhos do carvalho, ela falou que era uma das arvores mais forte e que podia viver 1000 anos, pai, será que a gente pode subir?

- Vem filho me dá a mão, conheço todos os galhos dessa arvore. – segurei a mão dele. -

- Gus? – o Vini ficou olhando pra mim e sorrindo, eu sei que ele lembrava que ficávamos escondidos nos beijando em cima grande carvalho, nosso vida agora estava completa nosso filho estava com a gente. -

- Bem a tia disse pra ele que íamos subir juntos, ela não ia errar nisso não é? – ele soltou uma risada gostosa e começou a subir. -

Juntos alcançamos os galhos mais grossos no grande carvalho. Me encostei no grande tronco onde eu e o Vini ficávamos abraçados por horas a noite, hoje estávamos juntos com nosso filho, era o certo, ficamos olhando nossos meninos arrumando as coisas, eles estavam felizes, foi um dia longo e emocionante para todos.

A Paula estava com o Murilo sentada conversando com os filhos dela e alguns meninos, eles eram minha rocha, o Claudio com o Fabricio conversando com o Pedro, o menino estava tão feliz, acho que uma nova família estava se formando, o Claudio era o amor da minha vida, eu precisava que ele estivesse feliz pra eu também estar, ele era minha ancora, de Longe vi o Renato e o Lucas com o Matheus e o Michel conversando sentados nas grande mesas. Esses dois seriam meu esteio a vida toda se algo acontecesse.

O Luquinhas como sempre, sentado cuidando todo mundo ele era o meu vigia, a Berta e os avós do Tavinho estavam conversando com ele, tinham se dado muito bem.

Vi todos, todos os meninos que eu amava, todos estavam bem, vi lá de cima aquele grupo interessante de meninos que chegaram até nós, sei que não era por acaso, os quatro estavam sentados em uma das mesa de pedra, todos que estava ali eram importantes pra mim, todos eram importantes pra vida, a vida tinha seus meios, seus caminhos. Tinha nos unido e nos transformado em uma grande família, se isso era acaso, coincidência, não importa, eu nunca creditei em coincidências.

Hoje vejo que tudo estava certo, tudo aconteceu como deveria acontecer, tudo nos levou a esse dia, nossa estória estava começando. Nossa estória teria novos galhos como meu querido carvalho, pensei nos meus meninos, fortes e sólidos galhos.

Um vento quente soprou no meu rosto. Eu sorri.

FIM

Epilogo

Estávamos todos sentados em silencio, a viagem tinha sido incrível, ônibus lotado, tínhamos conseguido chegar cedo, meus meninos ficaram impressionados com o tamanho do Rio Guaíba, a chaminé do Gasômetro, os quatro meninos nos encontrara, íamos conhecer o espaço deles no outro dia, quando entramos naquele lindo Teatro, todos os rapazes ficaram fascinados com o grande lustre.

Estávamos sentados, o Tavinho estava com os mosqueteiros não se largavam, as luzes se apagaram.

Quando começou a música, o silencio reinou.

Quando ele entrou no palco meu coração acelerou, meu amor me deu a mão, ele sabia que eu estava emocionado.

Ele estava lindo, meu menino bailarino, Afonso.

Estávamos todos ali pra ver que com trabalho e empenho tudo acontecia.

Hoje ele era um dos principais bailarinos da Cia. de Dança. Viajava o mundo. Mas sempre voltava para nós.

Hoje estávamos ali por ele, como sabíamos que ele estaria por nós.

Essa era a vida, quando ela te dá uma chance, ela abre uma porta.

Quando a porta se abrir, vai lá....Atravesse por ela.

AGORA É O FIM.....E UM NOVO COMEÇO.

_______________________________

Gente hora da despedida desses amigos, tenho certeza que um dia eu volto e falo mais sobre eles, por mais "humanos como meus amigos,eu levanto um brinde.

Meu muito obrigado do coração por deixarem eu contar essa linda estória de vocês.

Desejo a todos um lindo fim de anos e que o papai Noel seja o portador de grandes realizações para todos.

CarlosGente agora tiro um tempo de férias, acho que viajo umas duas semanas, preciso relaxar um pouco.

nayara - sim eles merecem tudo de bom da vida.....grande abraço queri ...obrigaduuu pela companhia.

Geomateus - Querido sempre palavras lindas, Todos precisam de amor. Grande beijo

Valter - Sim querido é uma corrente, que ela se espalhe, que de frutos... e galhos.... e flores. Grande beijo querido...e quero um ano novo só com o Valter ...sem o só....até uma próxima estória.....abraços

Guigo - menino obrigado pela caminhada juntos...grande abraço

Sharon Martins - Eles com certeza vão aparecer com o CLaudio, só vai demorar um pouquinho o CLaudio pra fazer uma revisão de texto...vou dizer...mas não reclamo ele corre muito...bjao bom fim de ano pra ti guria.

pandinha67 - amor como está?? - As vezes chorar é tão bom não é mesmo....então como tu mesmo disse, que tenhamos mais pessoas NORMAIS nesse mundo, que 2018 seja repleto de gente NORMAL, é o que desejo...quem sabe se realiza....grande beijo e um forte abraço meu ursinho...bye

Garota metaleira - O Prefeito esta bem ativo viu, acho que ele ta precionado de tudo que é lado...rsrsrsr...outra longa estória.....Acho que respondi tua indagação, hoje o Vini e o Léo se conhecem sim quando os meninos foram criar a fundação nos moldes que eles tem hoje visitaram nossos amigos é dai que eles se conhecem e de onde eu conheço eles, assim como hoje o Edu e o Caco também conhecem todos.....

Hoje o Gus ta bem viu, ta as aulas dele e ta feliz na fundação. Mas o médico particular sempre em cima.

Bom eu vou explicar melhor a questão do Tavinho pelo Claudio mas .....bom...

Quando tudo começou eu ia falar do tavinho, como ele cresce junto com dois pais gays...mas a coisa tomou outro rumo.

O Tavinho é um pouco diferente dos outros meninos, como vou dizer ....ele tem um cérebro privilegiado, passou por alguns psicologos, pedagogos, terapeutas o que tu imaginar.... e muiiittoooss testes e ele tem um QI diferente....a mente dele não funciona numa faixa normal vamos dizer assim. Ele guarda todas as informações e processa de uma forma diferente...depois explico melhor.

Ele passou por muitas formas de agressão inclusive pelos avos, mas ele não entende isso dessa forma, hoje ele tem uma cabeça de alguem muito mais velho que as pessoas da idade dele, vamos dizer que ele releva por achar que os outros são infantis. Não sei se consegui me explicar sem falar muito...rsrsrsr

Espero que eu tenha conseguido passar essa linda estoria pra voces de uma forma que todo mundo tenha entendido o proposito...grande beijo queri e até a proxima viagem

Sonhadora 19 - Oi querida pela frente tem muita coisa....mas tem outras estórias pedindo passagem.....mas aos pouco vou atualizando tudo e voces vão entender que todas as estorias tem algum ponto em comum.....grande abraço querida ...continue sonhando...isso é que move o mundo...até a proxima

Comentários

14/12/2017 17:55:05
Meu qrdo, desculpe não ter comentado nos últimos capítulos, mas fiquei impossibilitada de digitar (tendinite atacou muito forte e estava sendo vigiada, como o Gus, 24 Hs), mais li todos com muita emoção... Como não se apaixonar pelos protagonistas, como não se apaixonar pelos meninos e com não querer levar o anjinho do Tavinho pra casa... Que final emocionante... Gus, pode ter certeza que sua tia, aonde ela estiver ( com certeza é do seu lado) ela está radiante de felicidade com os homens que vc e o Vini se tornaram. Obrigado por compartilhar a história de vcs conosco... Espero que vc, Carlos, descanse nessa suas pq férias e q volte com outra história tão linda e emocionante como essa do Gus, do Vini e do Tavinho e como todas as outras que vc já nos brindou. " SÓ SE VÊ BEM COM O CORAÇÃO. O ESSENCIAL É INVÍSIVEL AOS OLHOS. TU TE TORNAS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CATIVAS". Bjs meu qrdos e BOAS FESTAS. Até a próxima...
08/12/2017 17:10:28
08/12/2017 17:10:25
Vc foi um genio trazendo os personagens de outras história pra sua historia. Vc sentir saudades.
07/12/2017 06:46:04
Como assim já acabou? Estava adorando acompanhar essa estória assim como vou adorar as próximas que vão vir. Quando sai a próxima? Sobre quem será? Pode ter certeza que vou continuar sonhado. Um abraço , que seu fim de ano seja repleto de alegria, amor é que vc seja muito feliz. Até a próxima. Bjs.
07/12/2017 04:02:04
So quero agradecer por esse conto maravilhoso e pedir que vc nao pare de escrever ok, quero deixar uma mensagem pra vc e pra todos aqueles compartilharm comigo esse conto maravilhoso, que Deus abençoe a cada um que de uma maneira compartilhou tudo aqui. 1 Coríntios 13 Ouvir 1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; 10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. 11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. 13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
07/12/2017 01:38:57
Estou aqui em lágrimas,estava esperando o fim,mais confesso que não estou preparada vc nos pegou totalmente de surpresa. Quero aqui agradecer por ter me proporcionado momentos maravilhosos de alegrias e emoções por tão linda estórias e cada um tem um lugarzinho no meu 💝 coração com muito carinho.Que Deus abençoe vcs e um feliz Natal e um próspero ano novo que 2018 seja repleto de bênçãos e realizações boas na sua vida e de toda a sua família e de todos aqueles que fazem parte da sua vida.
07/12/2017 00:18:20
O amor vence,une se adapta e cura,simplesmente amor...
06/12/2017 23:57:00
Amei esse conto do começo ao fim. Foi uma lição de vida como pessoa pra mim também, onde penso nos velhinhos do asilo e nas crianças do orfanato, emas que a qualquer tempo eu irei tocar música pra eles e brincar com as crianças. Foi tudo lindo, quanto amor, quanto calor humano. Parabéns por tudo!
06/12/2017 23:37:30
Nao faz assim, Carlos. Terminar assim, sem avisar, acaba comigo . hehehe Voce é um lindp, a historia totalmente maravilhosa. Brigadão e volta logo Beijos
06/12/2017 20:53:45
SUA TIA ESTÁ RADIANTE DE FELICIDADE, SÃO PEDRO O GUARDIÃO DAS CHAVES DOS CÉUS TAMBÉM. TODOS OS ANJOS ESTÃO DIZENDO "AMÉM".
06/12/2017 20:52:39
INFELIZMENTE É O FIM DESSE CONTO. MAS FELIZMENTE VEJO QUE APENAS O AMOR PODE CONSTRUIR, UNIR, MELHORAR, CAPACITAR, AJEITAR, REVELAR, MODIFICAR. E QUANDO DIGO SÓ O AMOR, QUERO DIZER COM ISSO NÃO APENAS O AMOR CARNAL, MAS O AMOR EM TODAS AS SUAS FORMAS, EM TODA SUA PLENITUDE. COM CERTEZA FOI ISSO QUE ENXERGUEI NESSE CONTO. TODA A PLENITUDE DO AMOR FAZENDO TODA A DIFERENÇA. PARABÉNS E NÃO TEM JEITO MESMO DE NÃO SE EMOCIONAR. CREIO QUE NÃO PODERIA SER DIFERENTE. FOI GENIAL O ENCONTRO DE MONTE , BEAR, LEO E GUILHERME. FOI UMA SACADA MARAVILHOSA. DE NOVO PARABÉNS E VEJA SE PREPARA UM OUTRO CONTO TÃO OU MAIS EOCIONANTE QUE ESETE. FORTE ABRAÇO, BOM DESCANSO. FELIZ NATAL E ANO NOVO CHEIO DE SUAS REALIZAÇÕES. SERIA NOTA MIL... E ATÉ DISPENSARIA COMENTÁRIOS, MAS FOI IMPOSSÍVEL. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
06/12/2017 19:09:09
COMO ASSIM FOI O ULTIMO CAPÍTULO? 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭Own querido, eu que agradeço por permitir seguir junto contigo. Eu achei a história incrível, umas das melhores que já li aqui. Forte abraço e até a próxima.
06/12/2017 18:51:23
Carlos achei que essa história não me faria chorar novamente mas aqui estou eu em lágrimas, de alegria por ver que há um caminho preparado pra seguir e que as pessoas estão abrindo os olhos e enxergando essas crianças e jovens abandonados (são poucos ainda mas tudo precisa de um começo certo?). Adorei a presença dos meninos na inauguração. Saudades deles.Bem, só me resta agradecer ao Gus e ao Vini que dividiram essa história conosco, esse amor tão forte e puro que não diminuiu nada em 10 anos. Por ter nos permitido conhecer a Paula, Murilo, Claudio, Renato, Lucas e Luquinhas, Marcelo e Rafael (amo esse casal e queria saber se o Gustavão foi o padrinho rsrs), o Matheus, enfim todos, mas principalmente o Tavinho que no meu entender foi o verdadeiro protagonista dessa história e que parece que encarnou nessa vida pra iluminar os caminhos de quem está sem perspectivas e unir à todos pelo amor. Choro de saudades dele. Quanto a vc, Carlos, agradeço por contar essa história de forma perfeita. Vc nos fez estar presentes em cada cenário, rir com as situações engraçadas, chorar muito com as histórias dos rapazes, nos preocuparmos com o Gus e com o Vini no temporal tb. Nos fez amar o casal e amar mais ainda a família, o trio. Te desejo um ótimo descanso pois vc merece demais. Boas festas pra ti e tua família e pra essa família enorme e linda que vc nos apresentou. Estou esperando ansiosamente teu retorno com o Claudio. Bjs
M/A
06/12/2017 15:16:23
Naoooooo fim já, amei o fim e triste por acabar a história.
06/12/2017 15:03:45
Meus parabéns que história de vida maravilhosa muito emocionante, que essa união possa aumentar a cada dia mais.......escreva mais não nos abandone......
06/12/2017 13:32:30
sem fim so um recomeço
06/12/2017 12:57:02
Ótimo final, só por favor não deixe de nos escrever. Que seu natal e de todos os meninos e família seja iluminado e cheio de alegria, ficarei no aguardo de novas histórias =) muitos abraços para todos e se precisar de algo é só me comunicar que entro em contato! Um ótimo fim de 2017 e início de 2018!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.