Casa dos Contos Eróticos

QUANDO UM MENINO SE TORNA UM HOMEM. 10

Categoria: Homossexual
Data: 03/11/2017 02:31:54
Última revisão: 13/11/2017 03:55:50
Nota 10.00
Ler comentários (13) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Quase um ano se passou, Gabriel agora tinha completado 20 anos, e eu... Bem eu já poderia me considerar amando ele. Ainda em vez ou outra me pegava pensando em Gendson, sentia alguma falta dele, mas definitivamente Gabriel esta suprindo todo amor que eu precisava sentir. Estávamos muito felizes juntos. Entrou o novo ano e Gabriel recomeçou suas aulas, e também a fazer estágios nos hospitais. Ele estava super empolgado, quando chegava tarde dos meus plantões ou mesmo o dia em que estava em casa e ele chegava no finzinho da tarde, ele logo me beijava e me contava sobre seus estágios. Das coisas que via no hospitais, do que eles tinham que fazer... Aquilo não era novidade nenhuma pra mim, eu ao longo de minha carreira já tinha visto coisas muito piores do que ele me relatava, mas me mostrava interessado e feliz pela empolgação dele. Via ele se esforçando muito e de verdade, e sabia que ele seria um excelente enfermeiro no futuro.

No fim da noite, depois da novela resolvemos nos deitar, pra dormirmos mais cedo, afinal no outro dia tinha que trabalhar e ele ir pra faculdade bem cedo. Mas deitados, Gabriel em silencio ficou alisando minha barriga, eu sabia o que ele queria. Acariciar minha barriga e meu peito era a deixa pra transarmos, ele sempre tinha essa mania de ficar fazendo carinho na minha barriga quando queria sexo. Me virei e sem dizer nada apenas beijei ele e comecei acariciar seus cabelos, com minha outra mão fui passando pela bundinha dele e puxando a cueca para baixo enquanto sentia a mão que acariciava minha barriga descer e entrar dentro da minha cueca pegando meu pau duro e tocando uma de leve. Em poucos minutos estava na cama de pernas abertas e Gabriel no meio engolindo meu pau. Eu gemia gosto e dizia:

-Isso minha putinha, engole até o talo, meu moreno gostoso.

Gabriel tirando meu pau da boca disse com voz safada: -Quer colocar ele todo dentro da minha garganta? -Quer?

Olhando pra ele com olhar de um lobo faminto respondi: -Quero putinho; engole logo meu viadinho gostoso...

Ele sorriu e colocou tudo passando de leve a ponta da língua no meu saco, me fazendo arrepiar e delirar sentindo a língua no saco e meu pau pulsando dentro da garganta dele. Ele então não aguentando ficar muito tempo com minha pica dentro da garganta tirou ela da boca quase tossindo, olhei pra ele vendo minha pica babada na mão dele e ordenei:

-Empina o cu! -Quero meter...

Ele se ajeitou no meio da cama de quatro com o cuzinho empinado piscando pra mim; não pensei duas vezes; ajeitei a cabeça na portinha do cuzinho e meti com força, ele soltou um gemido fraquinho e fino enquanto minha rola invadia ele com força até o fim. Nem dei tempo dele se acostumar e já fui metendo com força, estava com muito tesão naquela noite, Gabriel me enlouquecia com as mamadas dele. Ele tinha se tornado um profissional do boquete. Ele me aguentava e eu dava tapa na sua bunda dizendo:

-Toma rola seu filho da puta, não quer pica, agora aguenta viado...

Ele gemendo me instigava: -Vai meu gostoso, soca com força, me rasga ao meio meu safado.

Outro tapa mas forte no cuzinho magrelo dele e mais metidas sem dó, dizendo:

-Tu gosta né safado, gosta de levar piru nesse cu arrombado.

-Quem arrombou ele?

-Eu seu puto! Eu que tirei o cabaço desse rabinho virgem, agora vai levar minha rola pro resto da vida. Toma puto! Sente minha pica te estourando. Outro tapa...

-Haaaiii!!! Caralhoooo! Tu ta me rasgando ao meio, que dor ...

-Ta sentindo dorzinha nênem... Foda-se... Não ta doendo em mim... Disse rindo dele.

-Porra... Ta doendo, mas ta muito bom...

-Calma que já vou encher teu rabinho de leite...

-Não! -Me da na boca...

-Implora...

-Por favor me da seu leite na boca...

-Ainda não me convenceu to quase gozando já...

-Não amor, deixa beber seu leite, por favo? -Eu te imploro, me da seu leite...

Sorri e puxei meu pau de uma vez só, Gabriel urrou de dor caindo no colchão, mas na mesma hora catei ele pelos cabelos e puxei ele de encontro com minha piroca enterrando ela na boca dele fundo e dizendo:

-Toma leite cachorra... E gemendo alto e forte, gozei como nunca, vários jatos fortes de esperma pela garganta adentro. Ele ia tirando a boca, mas segurei ele pela cabeça e olhando pro teto fechei os olhos e disse:

-Tomou o leite agora bebe mijo...

E despejei uns três jatos de mijo na garganta a dentro dele. Me levantei pois tava cheio de vontade de mijar e não ia mijar tudo dentro do Gabriel, fui ao banheiro e comecei a mijar com força no vaso Gabriel apareceu na porta meio cambaleante da foda e com um sorriso no rosto feliz, sua boquinha brilhava lambuzada de leite e mijo. Sorri de volta pra ele e entrei no boxe, ele veio atrás seu pau ainda estava duro tortinho pro lado colei meu corpo atrás do dele debaixo do chuveiro e passando sabonete nas minhas mãos meti a mão na pica dele e comecei a tocar uma pra ele que gemia baixinho.

-Quando tiver perto de gozar me avisa... Falei no ouvido dele, metendo minha língua dentro da orelha dele e fazendo ele arrepiar de tesão, eu puxei ele mais pra debaixo do chuveiro a água descia pelo corpo dele tirando toda espuma do sabonete deixando só minha mão na rola dele dura enquanto tocava pra ele. Meu pau começava dar sinal de vida novamente e cutucar o rabinho dele. Ele já enlouquecendo disse tremendo de tesão bem baixinho:

-Ta vindo...

Me abaixei correndo e engoli o pau dele e aproveitei pra meter meu dedo por debaixo dele bem dentro do buraquinho recém arrombado. E comecei chupando ele freneticamente e socando o dedo com força dentro do rabinho dele. Gabriel não conseguiu segurar nem mais um segundo deu um grito forte de desespero e gozou feito um cavalo dentro da minha boca. Os jatos viam com força e quente dentro da minha boca, tão quente como o corpo dele que estava quente de desejo e tremia de tesão, suas pernas flexcionaram, e seus joelhos dobraram, parecia que ele ia cair não se aguentando, eu segurei com a minha mão apoiando ele pela bunda com meu dedo todo atolado dentro do cu dele enquanto ele despejava leitada com força dentro da minha boca... Quando acabou e ele se recuperou um pouco eu me levantei engolindo todo o leite que ainda estava na minha boca, abracei ele bem forte e ele molinho nos meus braços e com seus pés subiu em cima dos meus se apoiando em mim, eu aguentando o corpo dele apoiado em mim e beijando ele debaixo da água que caia sobre nos dois, meu pau duro novamente sentia o dele já meio mole roçando e soltando jatos quentinhos de mijo por sobre meu pau que escorriam pelas minhas pernas, tirei minha boca da dele olhei pra baixo e depois pra ele e comecei a rir, ele rindo disse:

-Que foi? -To mijando...

-Bobo, não é nada; ta até gostoso seu mijo quente em mim...

Ele riu e disse: -Ta animadinho de novo?

-Quer mais???

-Não! -Deus me livre... Temos que levantar cedo, já deu por hoje...

Nos dois rimos e depois de nos lavarmos dormimos como anjos apagados e exaustos pela deliciosa foda que demos...

Pela manhã fui pro trabalho atrasadíssimo e Gabriel pra faculdade também.

Soltei do meu carro as pressas e já fui entrando hospital a dentro vestindo o meu jaleco no desespero. Quando entrei na sala comuniquei a Enfermeira Chefe que tinha pegado um trânsito horrível.

Mentira que eu não peguei porra de trânsito nenhum, mas tinha que da o "caô da galinha morta", pra não tomar advertência...

Depois mais calmo, sentei na minha mesa pra ficar supervisionando as técnicas e passei a mão pelos bolsos da calsa procurando o celular e na mesma hora falei baixinho pra mim mesmo:

-Buceta... Perdi o celular! -Há meu Deus.. Tomara que tenha caído no carro, preciso voltar lá rápido. Olhei pra técnica mas próxima e disse:

-Alcione! -Vou no banheiro rapidinho!

-Ta bom... Ela me respondeu.

Sai da sala feito um desabestado e corri mais do que puta de zona atrás de cliente pro estacionamento, nem o corredor Usain Bolt, me ganharia nessa corrida...

No carro revirei tudo e nada... Xiganva meio mundo desesperado e a mim mesmo... Puta que pariu, perdi meu celuar... Caralhoooo!!! Fudeu a porra toda... Esse caralho dos infernos caiu do meu bolso. É hoje que to fudido do meu cu laranja...

Voltei pra sala com cara de Madalena arrependida, liguei do telefone de uma menina técnica que tinha mesma operadora que eu pra cancelar a porra do meu chip. Trabalhei só na parte da manhã, depois do almoço pedi licença e voltei pra casa puto, quase no mesmo instante Gabriel chegou em casa comigo. Eu sentei na sala ele me perguntou o que houve, contei tudo pra ele.

Ele deixou a mochila em cima do sofá e foi indo pro banheiro falando:

-Deu mole! -Tava com a cabeça onde?

-Em você, no teu cu...

Escutei ele falando lá de dentro do banheiro: -Bobão, agora se ferrou...

-Me ferrei nada, não me chamo Renato se eu não for comprar outro hoje ainda melhor só de raiva, deixa eu ligar pra Dani que eu lembrei agora que ela ia no shopping comprar alguma porra pro filho dela la... Me empresta o seu celular...

Ele gritou do banheiro: -Pega no bolso da frente da minha mochila...

Eu peguei e vi que estava com senha, eu sabia qual era e fui colocar, mas não entrou... Estranhei e disse:

-Mudou a senha Gabriel?

Ele me respondeu com um tom de voz sem graça: -Mudei, depois te falo, espera ai que já abro ele pra você usar.

Fiquei esperando um pouco olhando o cel, vi o quadrado com os pontinhos sumirem e o cel apagar escurecendo a tela, ai olhei e vi o desenho riscado pelo dedo dele na tela acompanhei o desenho e o celular abriu. De cara uma mensagem do mesenger com a foto de um rapaz branquinho que deveria ter a idade dele.

Como Satanáz atenta, eu cliquei e tava escrito me atende amor, to mandando msg no teu zap, caceteeee... Gelei na hora e abri o zap automaticamente...

Tinha algumas msgs mas nem vi nada meus olhos só bateram no zap do garoto que estava escrito o nome Marcelo. Abri e tinha muita coisa escrita, queria ler tudo mas tava atento e ouvi que ele tinha desligado o chuveiro já, então li só as três ultimas frases que ele dizia:

-Adoro seus beijos, meu gostoso.

-Quero falar com vc..

-Amor me responde, já chegou em casa?

Minhas mãos tremeram desliguei o cel e joguei ele no sofá atordoado e fiquei estatalado no sofá sem ação...

Gabriel chegou enrolado na toalha pegou o celular no sofá, mexeu nele, e eu queto pensando... Deve ta vendo a mensagem do Marcelo primeiro. Ele escreveu alguma coisa, estava dando alguma resposta a alguém, provávelmente ao Marcelo depois ligou pra Dani e disse:

-Tia, Renato quer falar com você.

peguei o telefone, ele foi pro quarto.

-Dani preciso te ver agora..

-O que foi? To saindo agora; tenho que ir no shopping, eu te falei...

-Não me espera to saindo daqui e indo pra sua casa agora, to sem celular perdi o meu, me espera... É rapido...

-Tá! -Tá bom, só não demora...

Me despedi e me levantei indo rápido. Gabriel voltou, viu e disse:

-Já vai sair amor?

-Vou no shopping com Dani.

-Almoça primeiro...

-Eu almoço lá...

-Beijo né...

Olhei pra ele e não fui da o beijo nele só bati a porta e sai.

Deixei meu carro na garagem do prédio da Dani e dentro do carro dela, contei tudo o que aconteceu naquele fatídico dia... Incluindo a putaria do Gabriel que acabava de descobrir, ela me escutou calada e depois disse:

-Misericórdia amigo! -Não! -Deve ta tendo algum engano. -Qualquer um, menos o Gabriel... O Gabriel não, ele não seria capaz de fazer uma sacanagem dessas contigo.

-Eu já não sei de mais nada, só sei que um cara dizendo que gosta dos beijos dele, que chama ele de amor, que porra é essa Dani? Me fala se essa porra não é traição...

-Calma amigo! Você tem que ter muita calma nessa hora! -Espera, não vai tomar alguma decisão errada e nem precipitada, conversa com ele primeiro.

-Dani, eu acho que você cheirou um pó hoje de manhã... Só pode... E tu acha que se eu for conversar com ele, por acaso ele vai dizer que ta me traindo? Ele vai inventar uma historinha da carochinha pra me engrupir. Aonde, que Gabriel vai admitir que tá me pondo chifre...

-Ué; mas você tem que descobrir isso! -Então vai atrás dele, da uma incertas na faculdade, sem que ele te veja. Procura ver com quem ele ta andando... Sei lá amigo, alguma coisa você tem que fazer...

-É isso mesmo, eu hoje vou pensar com calma e vou seguir esse conselho, mas o foda é que se eu for de carro ele vai reconhecer meu carro...

-Vai com o meu filho! -Eu te empresto amanhã, vai lá na clínica pega comigo e depois me devolve porque tenho que ir pra casa com ele né amigo...

-Não dá Dani, ele conhece o seu também... Tinha que ser um bem desconhecido...

-Porra é foda né amigo, cara eu to chocada, sabe o que é ta chocada... O Gabriel... Não! -Eu não consigo acreditar nisso...

Andamos pelo shopping, lanchamos, Dani tentou me ajudar a esparecer a minha cabeça um pouco, comprei outra merda de celular e outro chip e voltei pra casa decidido a manter a pose como se nada tivesse acontecendo, tinha que ser frio nessa hora, não podia dar bandeira...

Quando cheguei com meu carro que peguei no prédio da Dani o seu Zé um porteiro baiano estava na minha frente entrando com o carrinho dele uma Basília antiga vermelha, fiquei olhando e na mesma hora pensei: "Obrigado Deus, ai está minha resposta".

Soltei do meu carro e fui de encontro ao seu Zé que saia do dele e falei:

-Seu zé eu to com um problema no meu carro, ele morreu duas vezes hoje e amanhã de manhã preciso ir num congresso urgente. Teria como o senhor me emprestar seu carro pela manhã? (Falei já dando o truque certeiro).

O homem franziu a testa e disse espantado: -Meu carro???

-É seu Zé, se o senhor me emprestar eu lhe dou 100 reais e encho o tanque do seu carro de gasolina, trago ele cheio.

Isso mexeu com o homem, ele já abriu um sorriso e disse: 100 paus...

-Sim seu Zé e o tanque cheio, é um caso de muita urgência..

-Ta bom! -Mas que horas isso?

-Umas 10:30 saio com ele daqui...

-Tá bom, o senhor me procura lá na portaria e trás o dinheiro.

-Pode deixar...

Subi e entrei em casa Gabriel veio do quarto deve ter escutado a porta, veio me beijar na entrada. Não queria mas pensei comigo mesmo: "Calma Renato, seja esperto porra"; então correspondi o beijo e ele disse:

-Ta tudo bem? (Parecia está meio desconfiado e eu fazendo o truque da vida, respondi calmamente:)

-Ta sim amor... Olha comprei outro celular... Não disse que não me chamava Renato se não comprasse outro ainda melhor... Eu sou foda... Pode falar... Sou foda pra tudo até pra descobrir o que ta encoberto! (Joguei a letra pra ver a reação dele) Ele me olhou e arregalou os olhos pequenos dele e disse:

-Ta falando isso porque?

-Por nada amor, eu hein! -Você hoje parece que ta excabriado com tudo, valha me Deus Gabriel...

-Impressão sua Renato.

-Então deixa eu tomar um bom banho, que to morrendo de dor de cabeça, depois vou deitar e dormir, porque o dia hoje foi pesado. Larguei tudo na sala e fui pelo corredor adentro, ainda dei uma olhadinha pra trás e vi Gabriel fitando o nada parado no meio da sala, pensando em algo.

Pela manhã como combinado dei o dinheiro entrei no carro na garagem, ai notei que apesar daquele carro ter uns 120 milhões de anos, ele estava bem conservadinho, tudo bonitinho, os bancos de couro preto e o interior pareciam todos novinhos como se o carro tivesse saído da fábrica. Seu Zé era caprichoso mesmo repousei minhas mãos no volante pensando, no que tava fazendo e disse pra mim mesmo: "Agora não tem como voltar atrás, segue em frente Renato e seja o que Deus quiser"... Só então eu me liguei no volante e disse: -Mas que caralho de volante gigante é esse? Misericredo, minha mão vai ficar doendo de dirigir isso! -Uma porra fina e grande, vai ser uó dirigir essa merda...

Liguei o carro, fui passar a marcha e o carro pulou e morreu...

-Mas meu pai do céu que porra de marcha dura é essa do demônio? -Tô fudidinho hoje com essa banheira...

-Calma Renato, calma... Você já dirige a anos, se concentra que você consegue... Eu falava pra mim mesmo. Na verdade eu sou meio panguado da mente e converso muito comigo mesmo, principalmente quando fico nervo como nesse momento tentando sair com o carro...

Enfim... Respirei fundo liguei o carro, e devagar sai... Ebaaa consegui, Gloria a Deus nas alturas... Um milagre se fez presente na terra... A anta estava conseguindo dirigir a banheira...

Cheguei e estacionei o carro bem próximo da faculdade dele quase de frente ao ponto de ônibus que ele ficava pra pegar condução pra casa. Esperei por cerca de 20 minutos, o carro com vidros fumê não me deixaria ser visto por ele pelo lado de fora, já por dentro eu veria ele muito bem... O problema é que tinha que manter o vidro fechado e o calor tava de rachar dentro do carro,afinal esse carro de trocentos anos atrás não tinha ar condicionado; foi ai que tive a brilhante ideia de abrir o vidro do lado do carona assim entraria ar eu não morreria cozido dentro da banheira e o meu vidro ficaria fechado sem que ele pudesse me ver, então fui no painel e nada de botão fui na porta e nada de botão ai é que percebi a manivela, estiquei meu braço pra rodar a manivela e falava comigo mesmo dentro do carro: "Isso renato roda a manivelinha, roda infeliz pro vidrinho descer; roda essa porra do satanás antigo. Hoje tu ta sofrendo bonitinho aqui dentro dessa merda Renato Davidson!"

De repente vejo ele vindo caminhando ao lado do tal Marcelo, estavam os dois no ponto conversando um de frente pro outro, a conversa parecia ta boa e animada, pois eles riam muito. O tal Marcelo em um dado momento vendo que os dois se encontravam a sóis no ponto puxou o rosto de Gabriel com delicadeza e começou a beijar ele na boca...

Parecia não está acreditando dentro daquela Brasília eu via meu amor aos beijos com outro rapaz, depois de tudo que eu passei por ele. Dei uma parte de mim pra ele, e ele me retribui com traição...

Porque? -Porque eu tinha que passar por isso?

Fiquei revoltado, liguei o carro já me preparando pra sair mas antes abri o vidro do carro pus meu braço repousado sobre a porta do carro encima de onde saia o vidro metia acara pra fora a vista deles e buzinei, uma, duas e na terceira eles se deram conta se largando e olharam me vendo, fui saindo com o carro quando ainda vi pelo retrovisor o Gabriel tentando dar uma corrida atrás do carro pela calsada e gritando Renaaatttooo!!!!

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Tai queridos leitores, outro capítulo pra vocês. Muito obrigado pelo carinho e pelos comentários de vocês... Estou respondendo a todos com muito carinho. Vocês são a razão de eu continuar aqui escrevendo e trazendo cada vez mais historias legais pra vocês. beijos em todos com carinho...

Renatinho....

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

"Quando Pedro conheceu Luis, não sabia que ele tinha um irmão gêmeo idêntico.

Quando viu ele vindo a cavalo da fazenda pela estrada gritou seu nome, ele chegando mais perto sorriu e disse:

-Oi eu sou o Lucas, Luis é meu irmão gêmeo...

Fiquei parada vendo ele encima do cavalo assustado e custando acreditar nisso..."

Dois irmãos iguais...

Dois destinos diferentes...

Um amor revelado no tempo...

Tudo isso em REVELAÇÃO, o seu próximo conto diário, aqui na CDC.

%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%

Comentários

03/12/2017 17:15:21
https://kxcontos.blogspot.com.br/ novo site galera! Visitem! contos e muita putaria
04/11/2017 16:35:22
kitty: sua bruxinha, acertou quase tdu. Veja o final dabhistoria. Kkkk
04/11/2017 04:03:36
Torcendo pra não ter tido sexo entre Gabriel e Marcelo so uma pulada de cerca com beijos.Eu ainda acho que tem conserto acho que no fim Gabriel vai confessar que queria ser o ativo da relação pois ele sempre foi mandão seco e todo hominho.Acho que haverá sim uma grande explicação que fará Renato perdoar e se tornar o passivo.Sempre achei o Renato mais delicado frágil sensível adoraria ver ele de passivo para um Gabriel dominante e realizado sexualmente e emocionalmente. Amo este conto.
04/11/2017 00:19:34
nayarah: Pois é amiga, foi tenso... Você ainda nem imagina o quanto...
04/11/2017 00:16:42
R.Ribeiro: KKKKK Na minha terra, panguado é uma giria que vem de pangaré ou lesado, retardado, maluco da cabeça... Essas coisas, kkkkk Obrigado pelos seus comentário, to adorando e vou responder todos eles daqui pra frente. bjs com carinho...
04/11/2017 00:14:31
vinicius: amado ja mandei um e-mail pra vc com meu numero de zap, é so me chamar... bjs
03/11/2017 13:22:50
Esse é o amor que o Gabriel diz ter vc ......também não perdoou traição de jeito nenhum, pois é algo que vc faz sabendo que não devia......
03/11/2017 11:55:07
Mais que merda em como o Gabriel pode fazer isso com você baita sacanagem...o que significa a palavra Panguado?
03/11/2017 11:20:38
O que e o Gabriel eu achei q ele ia te ajudar não piorar
03/11/2017 08:33:14
VALTERSÓ: amigo querido, eu fiz isso e vc vai ver no proximo capítulo querido.
03/11/2017 08:30:27
Anjo Sedutora: ninguem esperava. Foi horrivel ver essa cena. Obrigado por comentar. Continuei sempre comentando. Bjs querida...
03/11/2017 06:53:14
Nossa... Eu n esperava isso do gabriel, eu estou chocadaaa.
03/11/2017 04:28:53
EITA NEM POSSO ACREDITAR QUE GABRIEL TENHA FEITO TAL TIPO DE COISA. TRAIÇÃO É ALGO QUE NÃO PERDOO NEM APÓS A MORTE. MAS CREIO QUE VC AO INVÉS DE SEGUIR JÁ DEVERIA TER PEDIDO EXPLICAÇÕES LOGO QUE VIU A MENSAGEM NO CELULAR DE GABRIEL. E MAIS VC TEM QUE DAR A CHANCE DE GABRIEL SE EXPLICAR E DEPOIS DISSO TOMAR SUAS DECISÕES. TODA HISTÓRIA TEM SEMPRE DOIS LADOS.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.