Casa dos Contos Eróticos

04. Minha irmã me descobriu

Autor: CD Sandra
Categoria: Homossexual
Data: 18/06/2017 22:24:11
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

“Você está louca? Eu e Toni somos amigos!” eu falei, “aham... e esse cheiro de porra saindo do seu quarto?” gelei de novo “você acha que eu não conheço o cheiro de sexo? Ou você também usa sutiã toda vez que sai com os amigos?” o tecido da minha camisa era fino, nem tinha percebido que dava para ver. Fiquei morrendo de vergonha. “Eu não dei para ele” assumi então... “hm, se for dar use camisinha! E outra coisa, esse sutiã é meu?”, falei que não “é... meu... presente dele...” eu estava morrendo de vergonha, minha irmã sabia do meu segredo. “Então você só rouba minhas calcinhas? Sim, achou que eu não ia perceber que uma sumiu do chuveiro?” novamente fiquei calada e falei “desculpa... vou te devolver”, “não, pode ficar... eu sempre suspeitei que você se masturbava com elas, achava que você era um depravado, mas parece que você na verdade gosta de usar roupas de mulheres? E também agora percebi que gosta de macho, isso explica porque nunca te vi com uma mulher, alias, você já esteve com alguma mulher?” ela continuou “não, nunca...” eu respondi “então você sempre curtiu rapazes?” eu desabafei “não sei! É tudo novo para mim! Para de me pressionar que eu mesmo estou confuso!”. “Ta bom, vou te dar espaço, mas quero o seu bem, então use camisinha e outra coisa, homem finge que te ama até te comer depois disso, ele te larga” ela falou “por que está me dizendo isso?” eu perguntei “porque me preocupo com você e não quero te ver machucado, o Toni parece um cara legal, mas vai com calma... eu agradeci a preocupação mas falei que sabia me cuidar, me tranquei no quarto e fiquei lá até o dia seguinte. No dia seguinte fui tomar café da manhã com minha irmã, “deixa eu te perguntar uma coisa” ela disse, eu pensei (lá vem...) “eu sei que isso não é da minha conta e não vou ficar fazendo perguntas, eu vou trabalhar e quando voltar vou pegar uma mala que está no meu quarto e levar para doação, são roupas minhas que não uso mais ou não servem, se por acaso alguma coisa sair de lá eu nem vou dar falta, ok? Beijinho e bom dia!” ela saiu para trabalhar, eu fiquei lá sentado parado pensando no que havia acabado de acontecer. Tentei terminar o café da manhã, mas minha curiosidade estava me matando. Fui para o quarto dela, peguei a mala, coloquei na cama e abri. Nossa, tinha coisa demais lá! Não sabia nem por onde começar. Eu me despi e experimentei um conjunto de calcinha e sutiã pretos de renda, me olhei no espelho e pensei “esse é meu!”, tinha muita coisa ali, principalmente vestidos, eu nunca havia colocado nada mais além de lingerie, mas a curiosidade bateu, tinha um preto de alcinha que eu quis vestir, sentir o tecido no corpo parecia tão certo e errado ao mesmo tempo, vestiu direitinho fiquei admirando na frente do espelho “uau, você foi rápido hein!?” tomei um susto, minha irmã estava parada na porta “esquece o computador... ficou bem em você esse! Deixa eu ver melhor!” era tão estranho me vestir com as roupas dela na frente dela, mas eu fiz o que ela pediu “tá ótimo! Colocou enchimento no sutiã?” ela perguntou, “ah.. não!” eu respondi, ela veio até mim e tocou no meu peito “nossa! Desde quando você tem peitos? Isso explica as roupas largas horríveis que você usa... você não tinha ido no médico para isso?”, “tinha, mas eu esqueço de tomar os remédios...” eu respondi, “esqueceu sem querer ou por querer?” ela disse, “sem querer, lógico!” falei com raíva “ta, desculpa não é da minha conta!” ela falou “não, desculpa por estar sendo agressivo com você” eu falei. Ela mexeu na mala e pegou um vestido de festa vermelho tomara que caia “experimenta esse, vai ficar ótimo!” ela disse, “você não tinha que ir trabalhar?” eu perguntei. Nesse momento o telefone dela vibrou, ela leu a mensagem “falou certo, tinha, meu aluno cancelou... vou ficar aqui vendo você experimentar e dar minha opinião! Sempre quis uma irmã!!” ela falou “sou seu irmão! Não sua irmã!” fiquei bravo “ta bom, tá bom! Não tá aqui quem falou, agora ou você fica brigando comigo ou aproveita meu presente! Vai, coloca esse vestido!” eu peguei o vestido na mão dela, comecei a tirar o que usava para colocá-lo, “não! Não! Esse usa sem sutiã!” ela falou, com dificudade e ajuda dela, tirei o sutiã “tem que aprender a por e tirar sozinha!” ela disse, quando ela viu o tamanho dos meus peitos ela falou “nossa, tá maior que eu esperava! Tá quase do tamanho do meu!” ela tirou a camisa e o sutiã e ficou do meu lado na frente do espelho “olha isso! O seu é um pouco menor que o meu!” tentei desconversar e vesti o vestido dela, “uau, é incrível como que ficou bom em você!” ela disse. “Eu sei que você não quer ouvir isso, mas eu tenho que falar, nunca vi o quão feminino você é até agora, olha como que isso fica bem em você!” eu parei de me irritar com ela e deixei ela falar. Até o meio dia eu experimentei metade da mala dela, “bom, eu tenho que ir trabalhar, sabe de uma coisa? Pode ficar com a mala toda, vai ficar ótimo em você!” eu não sabia o que dizer... “sério??? obrigado!!” e ela disse “de nada, mas com uma condição, você vai parar de ficar brava quando eu te tratar como mulher!” eu concordei feliz! Eu peguei a mala e levei para o meu quarto e comecei a esvaziar no meu guarda roupa, mas não tinha muito espaço, então tive que me desfazer de algumas roupas antigas minhas, quando acabei meu guarda roupas estava meio a meio. Nossa, nem acreditava que tudo aquilo era meu e que eu poderia usar quando quisesse. Quando minha irmã chegou em casa eu estava vendo TV no sofá de camiseta e short “ue, não gostou das roupas?” ela perguntou, “lógico que gostei!” eu respondi “então por que não tá usando?” eu fiquei sem resposta ia falar que era coisa de mulher, mas eu não tinha muita moral para isso levando em consideração que passamos a manhã toda me vestindo na frente dela. “anda, vai colocar algo confortável!” fui então e voltei com um vestidinho “isso, bem melhor!” ficamos assistindo TV juntas, e ficamos muito amigas, ela me contou sobre o cara com quem estava saindo e me perguntou sobre Toni, se realmente não tinhamos transado ainda, eu disse que não, mas que foi quase... ela novamente me falou para tomar cuidado que homem quando tava com tesão era uma coisa, depois era outra. Eu não entendia o que ela queria dizer com isso, mas disse que teria cuidado, “amanhã vou dormir fora, então a casa é sua... mas se comporte!” ela falou comigo. Quando ela dormiu liguei para o Toni e falei que estaria sozinha no dia seguinte, se ele não queria vir para cá, ele ficou todo animado. No dia seguinte minha irmã saiu cedo, deixou um bilhete “se comporte! E use proteção!” junto tinha um pacote de camisinhas.

Comentários

20/06/2017 02:10:48
Uaaaau!!!! Arrasou! Melhor irmã!!! Continue logo!!!
20/06/2017 02:06:17
Nossa, que delícia!!! Só faltou deixar o lubrificante. Aguardo ansioso a continuação!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.