Casa dos Contos Eróticos

O Clube Fênix: Alex - Ele Não Pode Estar Com Você - Capitulo 18

Autor: Alex/Derrick
Categoria: Homossexual
Data: 18/06/2017 16:00:09
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Capítulo Dezoito

"Zona de Conforto"AlexVocê tem certeza que está pronto para voltar? - Max sentou no final do bar, um uísque antes dele. Ele distraidamente torceu o vidro para frente e para trás.

Havia dois dias desde o retrocesso de Savannah e eu dizendo a Devlin em branco que não queria outro encontro com ele — uma mentira, mas necessária, apesar do quão ruim doía. Eu mal sentia a pulsação nas minhas costas, e a dor direta se foi. Eu não podia ficar sentado no apartamento mais um dia, meus pensamentos torturando-me em tantos níveis que um punhado de pílulas para dormir estava começando a soar mais e mais atraente.

Retornar ao trabalho parecia a opção preferida, eu tinha decidido.

Era bom estar em “casa”. De volta à minha zona de conforto. Mas meu alívio e alegria foram ofuscados pela reunião de amanhã com o Dr. Jacobs. Ele havia me dito ontem que os resultados dos testes estariam prontos e ele queria discuti-los comigo — então juntos, conversariam com Savannah. O tratamento para o PCP estava ajudando, e ela parecia estar se recuperando de isso... Mas era apenas um sintoma de uma condição muito pior. Os resultados dos testes indicariam o pior.

Gabe e Cole já haviam insistido em estar comigo quando o médico discutir os resultados. Não fazia sentido combatê-los e, na verdade, sentia-me aliviado por eles estarem lá. Se tratando do pior cenário, eu tinha certeza de que iria quebrar — e precisava de Cole e Gabe para pegar as peças quando isso acontecesse.

- Sim.- Eu disse a Max agora. - Estou pronto para ir.

O homem acenou com a cabeça e tomou um gole de seu scotch. - Tudo certo. É bom tê-lo de volta. - Ele pôs o copo para baixo, a preocupação apertando sua sobrancelha. - Como está Savannah?

- Bem... por enquanto. - eu disse calmamente. - Os resultados do teste sairão amanhã.

-

Max assentiu com a cabeça. - Sim, foi o que Cole disse. - Ele murmurou. - Ele e Gabe vão com você?

Assentiu com a cabeça.

- Bom. - Ele suspirou. - Você não deveria ter que ir sozinho. - Seus lábios apertaram. - Eu realmente espero que as notícias sejam boas, Alex. Tão boas quanto poderem ser, de qualquer maneira. Savannah é uma boa criança. É uma merda que isso tenha acontecido.

Olhei para o chão, com a garganta apertada, apenas querendo encontrar um cliente para distrair meus pensamentos.

- Você já pensou mais sobre a oferta de Kaplan? - Max murmurou. - Ele está perguntando.

-

Sacudindo a cabeça, encolhi os ombros. - Eu não posso pensar sobre isso ainda. - Eu disse calmamente. - Talvez depois de eu falar com o médico amanhã... - Mas, independentemente do que os resultados do teste foram, Savannah ainda precisaria de tratamento e medicação — para o resto de sua vida. Se eu pudesse fazer o suficiente de Kaplan para pagar antecipadamente, talvez pudesse começar a descobrir um caminho onde não precisasse do dinheiro do homem.

- Tudo bem. - Max assentiu lentamente. - Como eu disse, cabe a você decidir.

-

Certo, eu pensei azedo. Não havia escolha. - Eu vou deixar você saber. – eu resmunguei e saí do bar, fazendo o meu caminho de volta para os vestiários.

Eu me despi e estava puxando um cordão vermelho brilhante quando Cole entrou. Um assobio baixo trouxe um sorriso ao meu rosto, apesar de meus pensamentos distorcidos. - Não é como se você não tivesse visto esse olhar mil vezes.

- Verdade. - Cole riu. - Mas você esteve fora, e eu perdi isso.

-

Eu sacudi a cabeça. - Você passou as últimas três noites em minha cama. O que, exatamente, você está perdendo?

- Bem, seja justo agora. - Cole sorriu. - Duas dessas três noites... eu simplesmente dormi em sua cama. E você não estava com a bunda nua — o que, por sinal, foi extremamente cruel. Dando-nos um sabor de sua doçura celeste, em seguida, levando-a embora. - Ele estalou a língua, e sorriu. - Você é uma provocação malvada.

Rolando os olhos, eu ri suavemente. - Você tem o suficiente de Gabe. Por que você precisa de mim?

- Talvez você me viciou em amor de anjo. - Ele piscou.

- Que seja. - Ri novamente. Eu sabia que Cole estava apenas brincando comigo. Ele compreendia por que eu não tinha feito amor com eles novamente desde aquela primeira vez. Não era fácil dormir na mesma cama com eles — entre eles, não menos — sabendo agora como me sentia ser amado por eles. No segundo em que todos se arrastavam sob os cobertores, eu estava instantaneamente duro, o tempo todo, e não diminuía a cada noite, seus corpos quentes se aconchegavam perto do meu. Eu não tive que explorar suas virilhas para saber que eles estavam cada bocado tão duro como eu estava.

Mas aquela primeira noite com eles tinha sido esmagadora, tudo consumindo. Eu tinha dito o que eu havia dito a eles — eu não queria que fosse mais do que era. Se eu fizesse amor com eles de novo... Eu não tinha certeza se poderia deixá-los sair de minha cama. E entre outras razões, eu não queria isso porque tinha medo que eles podem eventualmente querer sair, mas se sentirem obrigados a ficar.

********************************************************************************************************************************************DerrickNão foi uma verdadeira surpresa quando Alex apareceu no hospital com Cole e Gabe nos calcanhares. Ultimamente, parecia que os dois homens eram um elemento permanente na vida do menino. Quando entraram no escritório, eu me vi estudando os homens mais de perto. Seus requisitos físicos eram compreensíveis — agora que eu estava ciente de sua... “Profissão”. Eu não sabia exatamente o que era O Clube Fênix quando encontrei a caixa de fósforos, mas o logotipo na frente era bastante autoexplicativo, e um rápido passeio pelo clube tinha confirmado. Então eu tinha ido para a negação, insistindo que Gabe poderia ter apenas visitado o clube e pegado a caixa de fósforos, enquanto esteve lá.

Mas o fato deles terem mentido sobre o Zodíaco e o óbvio mal-estar de Alex na primeira vez que eu lhe perguntara em qual clube ele trabalhava — tudo isso apontou para a Fênix.

Enquanto os três se sentavam, a pedido do Dr. Jacobs — Alex sentado na cadeira central entre os dois homens — era Alex que eu tinha dificuldade em imaginar trabalhar em tal lugar. Talvez ele não esteja — “Savannah disse que ele trabalhava como um garoto de estoque”. Esse foi o raciocínio que manteve minha mente de soprar uma junta. Eu simplesmente não conseguia visualizar o menino em um palco, quase nu, dançando para os gostos de homens que frequentavam esses lugares.

Como ele poderia estar perto de um clube de strip-tease — e hordas de homens excitados que não pensariam duas vezes antes de foder o garoto na primeira chance que tivessem — depois do que ele suportou em seu passado? Não fazia muito sentido para mim e eu estava tendo um tempo infernal envolvendo minha mente em torno dele.

Eu afastei os pensamentos quando Jacobs começou a explicar os resultados dos testes a Alex. Minha preocupação, agora, não deve ser se Alex tirar a roupa por dinheiro — mas o bem-estar de Savannah.

- Eu acho que o Dr. Grant explicou-lhe sobre os níveis de CD4? - Dr. Jacobs perguntou Alex. O garoto acenou com a cabeça, o rosto apertado, ansioso. Ele agarrou os braços de sua cadeira, e como sua tensão construiu, Cole e Gabe cobriram suas mãos com deles. - Então você sabe que um nível de CD4 de duzentos ou abaixo é um indicador importante de que o vírus HIV tinha transição para a AIDS.

Alex assentiu lentamente, sua garganta trabalhando. Ele parecia estar à beira de uma crise nervosa, ou de um ataque de ansiedade. E era de admirar? Por quanto tempo Savannah estava sob seus cuidados? Onde estavam seus pais?

- A contagem de CD4 de Savannah é de trezentos. - Dr. Jacobs disse. - Mas isso é perigosamente perto. Muito perto para o conforto.

Uma mistura de medo e esperança se agitou nos olhos de Alex. - Você está dizendo que ela não tem... - Sua voz se apagou.

- Não. - confirmou Jacobs. - A doença ainda não passou para a AIDS. Mas, - acrescentou ele com ênfase, - o PCP é tipicamente uma condição definidora de AIDS, e a contagem de CD4 extremamente baixa a coloca em risco extremo. Ela precisa começar o tratamento imediatamente ou ela se tornará suscetível a outras doenças perigosas, porque seu sistema imunológico não será capaz de combatê-los. - Ele esfregou a mão sobre a boca. Eu observei Alex. O garoto parecia entorpecido com a informação que estava sendo empurrada para ele. - O câncer é um grande risco. Tumores cerebrais.

A cabeça de Alex se abaixou lentamente, as lágrimas brotando e escorrendo por suas bochechas. Cole deslizou um braço em torno de seu ombro e ele se virou para o homem, enterrando seu rosto em seu peito. A minha reação inicial ao modo de vida desses homens havia sido, em algum nível, aversão. Mas observando Cole confortar Alex, detectando a profundidade da preocupação sincera para o menino em ambos os homens... Eu não podia deixar de admirar a sua lealdade para Alex.

Se eu aprovava ou não o que faziam para viver — eram bons amigos para o menino. E agora, ele precisava de todo o apoio que poderia obter.

********************************************************************************************************************************************Alex"Câncer. Tumores cerebrais".

O pesadelo inchou e pulsou ao meu redor como uma criatura viva, respirando. Será que eu acordaria do horror? Ou seria apenas um dia finalmente me consumir?

- Vou marcar um encontro para você encontrar um médico especializado no tratamento do HIV e AIDS, - disse o Dr. Jacobs. - Mais testes serão feitos para determinar o regime de medicação Savannah que será colocado. E podem explicar os detalhes finos do cuidado que necessitará — sua dieta e assim por diante. Mas será muito importante que ela adere ao regime. Não tomar a medicação corretamente poderia muito bem resultar em graves contratempos. Você não vai quer isso.

Assenti devagar, entorpecido. Os dedos de Gabe passaram por meu cabelo na parte de trás de minha cabeça, em seguida, descansou na nuca de meu pescoço. Eu não queria mais estar aqui, não queria ouvir que minha irmã nunca mais estaria bem de novo. Meus olhos se dirigiram para Derrick, que estava em silêncio perto da janela, apenas observando, não oferecendo nenhuma entrada. A tensão endureceu a postura do homem e seu rosto estava tenso com preocupação.

“Seja gentil com o Dr. Grant... Ele é um bom homem. Um bom homem”. As palavras de Savannah do outro dia passaram pela minha mente. Derrick era um bom homem, eu sabia disso. Mas ainda não mudava o fato de que seu toque incitava pânico. E eul não sabia como alterar isso.

“Apenas esqueça o homem. Você sabe o que você tem que fazer para cuidar de Savannah — isso e não deixa espaço para um relacionamento pessoal”.

Derrick pegou meu olhar antes que eu desviasse o olhar. A dor nos olhos azuis do homem era inconfundível, seu desejo de estar perto de mim. “Se você soubesse o que eu sou, o que eu faço... O que eu estarei fazendo... Você não ia me querer de qualquer maneira. Você pode fazer melhor do que eu”.

Puxando os olhos para longe quando começaram a picar, eu olhei para o Dr. Jacobs enquanto continuava a me informar dos passos que poderia tomar para os cuidados de Savannah. - Há programas estaduais e federais que podem ajudar no custo de sua medicação. O médico de referência pode ajudá-lo a decidir qual é o melhor para Savannah e colocá-la no programa.

Eu apenas acenava com a cabeça, embora eu não a colocasse em nenhum programa. Meu trabalho com Kaplan cuidaria do custo.

- Podemos conversar com Savannah juntos, explicar sua condição, - disse ele. - Deixe ela saber o quanto é importante que ela receba tratamento o mais rápido possível.

As minhas mãos apertaram os punhos em meu colo. - Eu vou dizer a ela. - Eu sussurrou. - É... Minha responsabilidade.

- Eu acho que ajudaria se eu estivesse lá para explicar tudo. - Dr. Jacobs disse.

Eu sacudi a cabeça. - Eu... Quero lhe dizer... Sozinho. - Eu disse grosso. - Então você pode... Explicar as coisas depois. Mas... Eu preciso fazer isso sozinho.

Cole apertou o braço ao redor do meu ombro. - Tem certeza? - Ele perguntou calmamente. - Vamos com você.

- Não. - eu sacudi a cabeça. - Eu sempre fui direto com ela. Deve ser... Apenas eu primeiro. - Minha voz caiu. - É minha culpa.

Comentários

24/07/2017 04:10:21
Que conto maravilhosoo!
18/06/2017 18:48:45
QUANDO VC VAI DEIXAR DE SER BABACA E ACEITAR O DR GRANT? ISSO TÁ IRRITANDO. CERTEZA Q ELE PODERIA T AJUDAR MUITO. ENTÃO PARA DE ESNOBAR, DE REJEITAR. TÁ CANSATIVO ISSO.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.