Casa dos Contos Eróticos

Levadinha e safadinha

Autor: Glaube
Categoria: Heterossexual
Data: 18/06/2017 14:38:56
Nota 9.25
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Apresentação,:

Gláuber,19 anos

Niterói RJ.

Este conto é de um amigo, que me

Contou umas de suas

Aventuras apois umas doses de wiski.

Irei preserva os personagens envolvidos, com nomes

E lugares fictícios.

Era uma tarde de sexta feira, 14:30

Alguém bate a porta.

Era Dayane,

Prima de terceiro grau dá minha irmã Júlia,

Abrir a porta, fiquei espantado, como ela havia crescido rápido

Mas ainda continuava levadinha e safadinha.

- oi marcos, a Júlia está ?

- sim está no quarto dela , ( entre )

Dayane era bem mas Nova que minha irmã

E a Júlia achava ela chatinha , por ser imperativa de mais

E com algumas atitudes infantis.

Mas logo estavam brincando de gravar vídeos para YouTube

Fazendo desafios, danças , e etc.

Meu hobbie era jogar

Games de luta, futebol, corrida ..

Enquanto elas gravavam eu jogava na tv dá sala.

E como Dayane está de férias,

Passou uns dias em nossa casa.

Eu não tinha muito intimidade com ela

Pós fazia. Tempo que havia se mudado

E ae em algumas horas do dia ela ficava conversando comigo

Ela meio que se apegou a mim por devido a atenção e paciência que eu tinha ,

Que na verdade era mal intencionada,

Sabe quando o cara fala que ama para comer a garota,

Tipo isso.

Mas nunca disse que amava ela.

Alguns dias depois

Ela já tava tão acostumada comigo

Que mechia no meu cel

Tirava fotos,

Jogava games comigo

Só que as vezes ela me irritava por ser muito inquieta , mechia em tudo . Era indecisa.

Só que eu queria comer aquela putinha

Do nordeste.

Então tinha que aturar o jeito dela.

Minha irmã tinha saído para shopping com as amigas dela

Dayane ficou comigo em casa.

Então fiquei pensando como vou fazer para comer essa menina.

Nenhum momento ela tinha me dado mole

Nem demonstrado querer algo,

Chamei ela para jogar game de luta .

Ela topou.

Ae no meio do jogo

Propôs uma brincadeira, quem perdesse tinha que pagar uma consequência. Escolhida por quem ganhou.

Ela se empolgou e disse que sim.

Ela não sabia jogar apertava todos os botões do controle

Eu que deixava ela ganhar algumas vezes

Para ela se empolgar

E continuar jogando

Eu disse a ela

Você tá jogando

Muito vai me ganhar toda hora .

(Risos)

Deixei ela ganhar o primeiro jogo.

Para ver o que a mente astuta dela me pediria como consequência.

Se qualquer constrangimento ela disse fica de cueca e rebola até o chão.

Que putinha, ela só podia estar querendo me zuar,

Deixa ela ganhar outra vez, para entender, que tipo de jogo ela queria jogar,

- coloca um vestido e imita uma puta,

Crlh , essa menina era sem limites, mas mau ela esperava, o que eu tinha guardado para ela, mas para isso cumprir minhas consequências, sem falhas.

Dessa vez ganhei,

Colocando um pouco de dificuldade, para ela se sentir bem confiante,

Como combinado​, ela teve que cumprir, suas consequências,

-desfila de calcinha fio dental, para mim

Eu sou o júri e vou dizer se você será a miss Brasil,

Ela caprichou, no requebrado e no sorriso simpático e safado, mas o que me importava era ver ela enfiando, aquela calcinha larga dentro do rabo, suas nádegas morenas com marcas do sol, que delícia, meu pau ficou duro, que como estava só que cueca, era de se notar.

Dei a ela nota dez

E disse que ela era a mmiss Brasil, mas linda do mundo, e é claro que ela gostou.

Deixei ela ganhar de novo com pouco de resistência,para ela não perceber que eu estava manipulando o jogo,

Ela me pediu para

Vestir uma roupa,

Colocar uma música dance, e ir tirando toda roupa bem devagar e de forma sensual,

Meu pau já estava igual um pedra, cheio dde tesão naquela vadiasinha,

Então fiz o combinado

Fiz um Streep Dance,

E ela curtia cada momento,

Persebi a mãozinha dela esfregando a xotinha por cima da calcinha discretamente.

Meu pau estava pulsando,

Fui com sensualidade para cima dela, quase esfregando minha piroca na cara dela,

Quando tirei a cueca

Ela olhou com espanto

Minnha rola bem dura

Com a boquinha aberta

Que em um único movimento, minha rola entrou em sua boca,

Ela curtiu e começou

A chupar de formar desageitada e tímida

Quase gozo na boquinha dela,

Deitei ela no chão , arranquei sua calcinha de forma violenta, desesperado

Para chupar aquela lidinha, magrelinha e molhadinha ,

Ela endoidecia com língua, pedia mais

Mais,

Não podia comer ela mas fiquei brincando na portinha da xaninha da Dayane, até ela dá um suspiro de alívio, como já estava segurando,

Três batida no pau

Eu gosei na barriguinha e na bocetinha dela,

Não tirei sua virgindade ainda,

Quando acontece eu conto.

Comentários

22/06/2017 11:15:07
Meu caro escritor, esse Glauber é bem danado, ein. Envolveu bem a garota e mandou ver mesmo. Eu também sou levada e safadinha, com certeza iria cair nessa. Adorei e dou nota 10. Te convido a ler os meus. Desde já agradeço. Bezitos.
20/06/2017 10:38:16
Muito bom este conto, garoto. Foi genial a artimanha manipulando o jogo e levando essa safadinha a entrar na sua. Pela minha experiência, ela já está no papo. Principalmente depois do banho de língua na xoxotinha. Nota 10. Na medida do possível vou ler os outros. Muito obrigado pela visita. Abs.
18/06/2017 18:45:50
Leiam os outros contos, obgg
18/06/2017 15:22:16
Um bom conto.
18/06/2017 15:14:10
Descreve mais a foda.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.