Casa dos Contos Eróticos

VIREI PUTINHA DO MEU CUNHADO BEM DOTADO! Parte 2 (Conto do TETE) Postado 08-06-2017

Autor: TETE
Categoria: Grupal
Data: 08/06/2017 08:07:02
Última revisão: 18/07/2017 08:38:07
Nota 9.78
Ler comentários (10) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Assim que meu cunhado tarado saiu de casa após arrombar sem dó minha bucetinha e meu cuzinho com seu pauzão cavalar fui para o chuveiro tomar um refrescante banho para tentar dar uma acalmada nas sensações loucas que meu corpo sentira após ter gozado deliciosamente com um macho de verdade que toda putinha tarada precisa pra se sentir uma fêmea por inteira ao sentir a água fria escorrendo pela minha pele sensivel tive a certeza absoluta que aquilo que havia acontecido tinha sido apenas a descoberta de uma vida sexual bastante diferente e com novas experiências que eu iria querer vivê-las intensamente.

Em nenhum momento me passou pela cabeça qualquer tipo de arrependimento por ter traído meu maridinho maravilhoso com o seu próprio irmão e ter gozado como uma cadela no cio tinha sido uma aventura inesquecível.

Após o refrescante banho minha bucetinha e meu cuzinho apesar de ainda estarem um pouquinho inchados me senti totalmente pronta para novas batalhas sexuais e com certeza adoraria ser completamente subjugada pelo meu cunhado pauzudo.

Naquela noite eu iria me transformar na “garçonete” putinha do torneio de pôquer que acontecia toda semana na casa vizinha do meu cunhado safado e tive a certeza que iria rolar uma safadeza bem mais quente e só de pensar sobre isso o tesão começava a tomar conta da minha mente fértil... dava pra sentir que a temperatura da minha buceta estava muito acima da normal... eu só imaginava o pauzão do meu cunhado tarado me penetrando bem gostoso.

A minha única preocupação era o receio que algum dos amigos de jogo do meu cunhado comentasse sobre a “garçonete putinha” e meu maridinho corno ficasse sabendo e com certeza eu deveria ter bastante cuidado com minhas aventuras sexuais com outros machos e após ter preparado um bolo de aniversário e os salgadinhos para serem servidos naquela noite fui para o meu quarto e me deitei peladinha na cama pra tirar uma bela soneca... dormi quase a tarde inteira repondo todas as energias e ficar prontinha pra tudo.

Era quase 6 da tarde quando senti uma sensação deliciosa de prazer e ainda sonolenta fui despertada por uma boca quente lambendo e sugando meu grelo sensível com ardor e ao abrir meus olhos vi que era cunhado pauzudo que com seu rosto no meio das minhas pernas e toda putinha sussurrei:

-Aiiii... que delicia ser acordada assim desse jeito... vou querer isso sempre... ahhhh... gostoso... mas... como você entrou aqui seu tarado safado... eu tenho certeza que fechei o portão... será que você tem uma copia da chave?

Meu cunhado tarado já estava peladão também e logo seu corpão forte se enfiou entre minhas coxas e seu pauzão cabeçudo com a cabeçona toda babada deslizava gostoso entre os lábios de minha bucetinha tesuda meladinha e ele disse:

-Agora que minha cunhadinha se revelou de vez uma putinha completa pode ter certeza que sempre que meu querido irmão corninho viajar vou te comer inteirinha... eu não preciso de chave tolinha... o muro que separa nossas casas é baixo... coloquei uma escada do lado e pulei o muro... como a putinha estava peladinha aproveitei pra brincar um pouco antes da nossa festa! Agora cala essa boca e rebola sua vagabunda... quero sentir essa buceta quente e meladinha gozando na minha pica grossa... ahhhh... adoro comer puta na cama que dorme com o mariddo... ahhh... vadia!

Toda tesuda me entreguei ao prazer sussurrando:

-Me fode meu taradão gostoso... adorei esse pauzão na minha buceta apertadinha de manhã e já tava louquinha de vontade querendo de novo... me fode todinha cunhado... quero gozar nessa pica de cavalo... ahhh... fode gostoso a buceta da esposa putinha do teu irmão... me come do jeito que você quiser... sou todinha sua meu tarado safado... ahhhh!

Enfiei a mão entre nossos corpos segurando a cabeçona bem na entradinha da minha bucetinha gulosa e meu cunhado enfiou tudo até o talo... minha bucetinha se sentiu totalmente preenchida pela segunda vez naquele dia e gemendo alto rebolei debaixo daquele macho que levantando minhas pernas segurando-as contra seu peito passou a me foder forte... o barulho de nossos corpos se tocando era inebriante e rapidinho tive meu primeiro orgasmo... aquele pauzão entrava e saia da minha bucetinha gulosa me levando a loucura e logo em seguida meu cunhado saiu de cima de mim se deitando de costas na cama e fui por cima dele sentando naquela pica majestosa... passei a cavalgar deliciosamente naquele macho gostoso e o safado colocou dois dedos na minha boca me fazendo chupá-los como se fosse uma rola e quando gritei gozando o taradão sádico meu deu uns tapas não muito fortes na minha cara e aquilo acendeu ainda mais o meu tesão... de manhã eu tinha apanhado na bunda e no começo da noite eu apanhava na cara e toda tesuda sussurrei:

-Aiiii meu macho gostoso... ahhh... safado... gosta de bater nas putinhas né seu taradão safado... nunca apanhei do teu irmão... mas... adorei ter apanhado na bunda de você de manhã... e agora to adorando levar uns tapinhas na cara... hummm... deliciaaaa... aiiii... fode... fode sua cadelinha no cio... quero gozar... aiiiiii deliciaaaa!

Acelerei a cavalgada rebolando e engolindo tudinho aquele pauzão enorme com minha buceta tesuda e quando gemendo comecei a gozar levei mais dois tapinhas na cara... um de cada lado... me mijei todinha na pica grossa do taradão sádico.

Meu cunhado era um macho dominador e o safado sabia como fazer isso e assim que parei de tremer ele me tirou de cima dele e se levantando disse:

-Chega por enquanto sua cadelinha no cio... eu quis te comer de novo agora a tardezinha pra te testar se iria agüentar o tranco essa noite... vou abrir o jogo com você sua vadia... toda semana contrato duas garotas de programa pra divertir eu e meus amigos de jogos em minha casa... o cachê é muito bom... mas as putas tem que fazer por merecer... só que tem algumas vagabundas que dizem topar tudo em sacanagem... mas quando a putaria começa pra valer a maioria das vadias não aguentam... meus amigos além de gostar de jogar pesado no baralho... adoram putaria da pesada... sem frescura... então... quero saber se minha cunhadinha puta safada vai querer ser uma das duas participantes da festinha sexual de hoje à noite ou vai correr do pau?

Dei um sorrisinho sacana e pegando no pauzão dele que continuava duro como uma rocha, o taradão não tinha gozado e disse:

-É... pelo que to entendendo... é um jogo de baralho misturado com orgia total né... bem... pra saber se eu vou agüentar dar a buceta e o cu pra esse bando de tarados só tem um jeito... é topando a proposta indecente do meu cunhado taradão sádico... que adora fazer as putinhas sofrerem nessa rola de cavalo e na sua mão pesada espancando a bunda das vadias... mas... será que não tem perigo de alguém comentar que sua cunhadinha tarada virou uma garota de programa... o único receio que eu tenho é do meu maridinho corno ficar sabendo e ficar ruim pra mim!

Meu cunhado todo safado me pegando pela nuca puxou minha cabeça em direção a sua rola enorme dizendo:

-Mama cadelinha... adoro essa boca de lábios grossos mamando na minha pica grossa... vai treinando pra essa noite... não se preocupe com meu amigos... quase todos são bem casados e não saem por ai comentando sobre as putarias que acontece nas noites de jogos em minha casa... as garotas que contrato sabem ser discretas... agora... quanto ao seu maridinho corno... acho que talvez você não deva se preocupar muito que ele descubra que tem uma esposa putinha... antes dele se casar contigo teve duas namoradas e as vagavas encheram a cabeça dele de chifres... ele vivia reclamando que só arrumava namorada puta... queria casar com uma virgem e acabou se casando com uma ainda mais puta... não vai demorar a se acostumar a ser um corno bem manso!

Tirei aquele pauzão da boca e toda safada disse:

-Seu tarado safado... não perde a chance de me chamar de puta né... mas garanto que adorou me comer... na verdade quem tirou meu cabaço de verdade foi você... o pintinho do meu maridinho é bem pequeno perto do teu... nossa... nem o pauzão do marido da minha amiga vizinha de sitio era tão grande quanto o teu... quando ela dizia que quando eu experimentasse um grandão iria gozar que nem uma doida... hoje descobri que ela tava coberta de razão... ahhh... quer gozar na minha boca meu taradão gostoso... adoro leitinho quente na garganta!

Heitor todo safado não me deixou continuar chupando seu pauzão... disse que não queria gozar... já tinha gozado duas vezes de manhã, na buceta e no meu cuzinho... e me fez contar detalhadamente tudo que havia acontecido entre eu e minha amiga Lucia e o safado adorou saber que eu já tinha sido chupada por outra mulher e disse que iria querer ver isso acontecendo naquela noite com a garota de programa que havia sido contratada... acho que ele nem precisaria pedir isso... com certeza eu iria adorar experimentar tudo e mais um pouco!

Heitor vestiu sua roupa, fiz o mesmo colocando um vestidinho e ele me ajudou a levar o bolo e os salgadinhos da festa para a varanda dos fundos da casa dele onde havia uma mesa redonda enorme de madeira com varias cadeiras e algumas poltronas bem confortáveis e então resolvi perguntar como deveria me vestir para servir ele e seus amigos e o safado então sorrindo bem sacana disse que quando chegasse a hora iria me revelar o que havia preparado para mim e logo em seguida voltei pra minha casa para tomar banho e fazer um lanche antes de vir em definitivo para a minha primeira “festinha sexual” na casa do meu cunhado tarado.

Faltavam 20 minutos para as 8 da noite que era o horário combinado pra começar a “festinha” quando meu cunhado ligou dizendo que precisava falar comigo antes que algum dos convidados chegassem e então coloquei um vestidinho por cima do corpo e nos pés a sandália de salto mais alta que possuia e rapidinho estava na sala da casa dele que parecendo um pouco sério disse:

-Valeria minha putinha querida... aconteceu um grande problema agora a pouco... a putinha que eu havia contratado estava vindo de taxi quando sofreu um acidente... não foi nada grave... mas ela sofreu algumas escoriações e foi levada para o pronto socorro pra ficar em observação e por esse motivo ela não vai poder vir divertir os meus amigos junto contigo... liguei pra outra garota que já participou de outras festinhas, mas ela não atende ao telefone então queria perguntar se a minha cunhada taradinha topa ser a única putinha da noite... mas, antes de me responder quero que saiba que se resolver ficar não vai ter como desistir no meio da festa... e nem me pedir ajuda porque não vou revelar para meus amigos que você é a esposa do meu irmão mais novo... a única coisa que comentei com eles sobre você é que eu havia conseguido uma putinha tarada de apenas 19 anos que tinha sido descabaçada há pouco tempo e que além de ser muito gostosa tinha uma bunda maravilhosa do jeito que todo brasileiro tarado gosta!

Na hora pensei que talvez devesse desistir daquela “festinha”, mas a minha mente completamente dominada pelo prazer sexual me atiçava querendo participar daquela orgia sem limites que prometia orgasmos incríveis e sorrindo bem safada disse:

-Heitor... apesar de um pouquinho de medo do que vai rolar aqui na tua casa... você e seus amigos devem ser um bando de tarados pervertidos... eu também sou muito taradinha... só que depois do que aconteceu hoje de manhã... descobri que sou muito mais taradinha do que imaginei... passei o dia inteiro só pensando em meter... e o culpado disso é você meu cunhado safado... seu pauzão grosso fodendo minha buceta e meu cu despertaram a ninfomaniaca que existia dentro de mim! Então pode ter certeza que vou topar ser a única putinha da festa... mas... espero que meu cunhado safado seja e também faça com que seus amigos sejam bem generosos com garçonete putinha da noite... com certeza vou fazer por merecer!

Meu cunhado com um sorriso safado nos labios disse que tinha certeza que eu iria topar ser a única e principal puta da festa e que não iria me arrepender por isso e então me levou até um pequeno quarto no fim do corredor dos quartos e abrindo a porta me mandou entrar e logo vi que naquele lugar havia diversos tipos de brinquedos eróticos, desde algemas até chicotinhos de couro e então ele sorrindo sacana... tirou a bermuda que estava usando ficando peladão... sua rola enorme repousava tranqüilo pendurado entre suas coxas fortes... e então me mandou tirar o vestidinho e ficar só com a sandália e pegando uma coleira de couro com uma corrente de prata presa na argola colocou no meu pescoço e disse:

-Pronto minha cunhada putinha... agora não tem mais volta... esse vai ser o seu uniforme dessa noite... uma cadelinha no cio pronta pra satisfazer um bando de cachorros loucos tarados... quando eles quiserem te foder... vão te puxar pela corrente e você vai fazer tudo que eles mandarem... sem frescura... senão eu como chefe dessa alcateia de lobos famintos vou pegar uma cinta de couro e bater na sua bunda sem um pingo de dó! Se prepare porque não vai demorar mais que alguns minutos pra que os lobos tarados cheguem pra “devorar” a chapeuzinho vermelho.

Naquela sala de fetiches tinha tanta coisa que fiquei curiosa dando uma olhada em tudo e em seguida vi meu cunhado colocando sobre seu corpo nu um roupão de saída de banho curto vermelho e reparei que tinha vários outros pendurados, mas todos de cor branca e certamente quem vestia o vermelho era o chefe daquela gang de tarados pervertidos... meu cunhado nem amarrou o cinto do roupão deixando-o aberto deixando a mostra aquele pauzão de cavalo que mesmo em repouso se mostrava muito imponente!

Meu cunhado pervertido tinha reservado mais uma surpresa pra mim e mandou que eu ficasse de 4 em uma poltrona e até achei que o safado ia comer meu cuzinho antes da chegada dos outros convidados, mas logo vi que seria algo bem diferente e então pegou um plug anal de bom tamanho e depois de lubrificá-lo com ky-gel socou no meu rabo e todo tarado disse:

-Agora ta perfeita... quando meus amigos quiserem te enrabar eles vão tirar e socar a rola nesse rabo gostoso... esse plug vai deixar o cuzinho da cadelinha bem laceado... do jeito que você é tarada quando começar andar pela casa com o plug entrerrado nesse cuzinho guloso vai sentir mais tesão ainda... e não se preocupe que o plug não pula pra fora sozinho... alguém vai ter que puxá-lo!

Dei um sorrisinho sacana e sai desfilando bem devagar pelo corredor e conforme eu dava os passos senti que meu corpo estava adorando a sensação daquele plug perfeitamente preso no meu rabo e meu cunhado tarado veio atrás de mim e assim que voltamos pra sala a campainha tocou e os convidados da festa começaram a chegar... tudo parecia cronometrado porque os sete amigos praticamente chegaram juntos... e assim que entravam davam de cara comigo nuazinha ao lado da porta com uma coleira no pescoço dando beijinhos de boas vindas... todos eram homens na faixa de 40 anos de muita boa aparência e assim que entravam já iam até o quartinho de fetiches no fundo do corredor tiravam a roupa e voltavam com o roupão branco e como meu cunhado nenhum deles amarrou o cinto pra fechar o roupão e diante de meus olhos ávidos e curiosos passei a ver rolas de todos os tipos e tamanhos e para o meu deleite apenas dois deles tinha rolas “normais”, todos eram bem dotados e foram se sentando no sofá e nas poltronas comigo de pé no meio da sala em pé só apreciando aquele desfile de machos tarados e logo um deles disse:

-Heitor... quando você comentou que tinha conseguido arrumar uma puta novinha muito gostosa com um corpo perfeito e maravilhoso pra divertir a gente nessa noite achei que você poderia estar fantasiando um pouco, mas agora ta dando pra ver que você se superou meu amigo... que gatinha deliciosa... você tem certeza que ela tem 19 anos... a putinha parece ter menos que isso... tem corpo de mulher... mas... rostinho de adolescente!

Meu cunhado se levantando da poltrona veio até o meio da sala e me pegando pela corrente fez com que eu desse uma voltinha bem devagar me exibindo diante dos olhos sedentos daqueles machos tarados e disse bem safado:

-É... com certeza é a puta mais linda e gostosa que tivemos aqui até hoje... realmente essa gata parece mesmo ter menos de 19 anos... mas a putinha já é casada... e a safadinha me contou o marido tem um pintinho de merda e ela descobriu que adora rola grande e grossa... portanto vamos dar a vadia o que ela gosta... mas... eu só queria pedir pra vocês pra não deixá-la muito marcada porque o maridinho corno ta viajando e deve chegar amanhã... ela agora esta inteirinha a disposição dos meus amigos tarados... divirtam-se com a vagabunda novinha... gozem e façam a vadiazinha gozar gostoso antes de começarmos o nosso jogo!

Em instantes me colocaram de joelhos no tapete da sala e passei a mamar na rola de todos eles... o tesão tomou conta do meu corpo... eu estava adorando sentir em minha boca aquele monte de rolas babadas... chupava como uma louca engolindo bem fundo na garganta... meu cunhado tarado sentado numa poltrona mais distante era o único que não participava... só olhava... logo senti alguem atrás de mim retirando o plug do meu cuzinho que foi substituído por uma rola grossa e cabeçuda... percebi que meu cuzinho iria sofrer bem mais que minha bucetinha tesuda... eu chupava um deles e era enrabada por outro... os safados enchiam minha bunda de tapas... meu cunhado ter pedido pra não judiarem muito de mim não estava sendo atendido... todos me enrabaram e gozei que nem louca... e meu cuzinho logo foi inundado de porra... alguns daqueles machos não conseguiam resistir e gozavam gostoso... era uma delicia ter um bando de machos prontos para me comer... eu gemia alto de prazer... logo fui colocada em uma poltrona de 4 e passaram a comer minha bucetinha com vontade... minha bunda continuava sendo estapeada e estava todinha vermelha... era um pau na boca e outro na buceta e entrei em transe... meus orgasmos se suscediam e eram intensos... foi então que meu cunhado me chamou e me fez sentar em seu colo de costas e seu pauzão cavalar foi engolido pelo meu cuzinho guloso e não demorou muito pra que outro macho viesse de frente e seu pauzão foi engolido pela minha buceta tesuda... eu sofri uma dupla penetração violenta e deliciosa... meu gozos eram incríveis... eu me mijava toda... pra tornar a putaria ainda mais gostosa... os safados se alternavam enfiando suas rolas na minha boca e quando gozavam eu engolia até a ultima gota... durante uma hora fui comida de todo quanto foi jeito... perdi a conta de quantos orgasmos tive... e depois de abusarem de mim os safados após um banho se sentaram à mesa grande da varanda dos fundos pra começarem o jogo de poquer e então foi a minha vez de tomar um banho refrescante e reparador... meu corpo estava dolorido... minha buceta e meu cuzinho totalmente inchados... minha bunda parecia estar em carne viva de tão vermelha dos tapas que levei... mas logo depois da água gelada escorrer pelo meu corpo... senti que não iria demorar pra pronta pra continuar a putaria... realmente eu era uma ninfomaníaca... pau na buceta, no cu e na boca seria minha vida daquele dia pra frente... gozar gostoso era o que meu corpo mais queria... quase nem dava pra acreditar que até na noite anterior eu só tinha sido a putinha do meu maridinho... com certeza ser a fêmea de vários machos era muito mais delicioso.

Após o banho continuei como antes... no meu corpo só a coleira no pescoço... nos pés a sandália de salto... no cuzinho inchado recoloquei o plug... adorei a sensação de desfilar nua com aquele brinquedo socado no rabo e quando cheguei à varanda o jogo já havia começado e então fiquei de pé ao lado do meu cunhado que sorrindo disse que era pra ficar por perto para servir seus amigos quando eles pedirem algo pra beber e comer e fiquei por ali aguardando ordens dos jogadores.

Fiquei prestando atenção no jogo e apesar de não entender nada de jogo de baralho percebi que as apostas ali eram bem altas, rolava muita grana no jogo e dava pra notar perfeitamente que todos aqueles homens eram caras cheios da grana.

De vez em quando algum deles me pedia uma latinha de cerveja e salgadinhos e já era quase meia noite quando o jogo deu uma parada para cantarem parabéns para o aniversariante e após comeram uma pequena fatia de bolo eles voltaram a jogar.

Achei que depois do bolo iriam continuar a festinha comigo, mas apenas dois dos machos que sem sorte no jogo já tinham perdido um monte foram descansar na sala e me chamaram pedindo para relaxá-los e então fiz o que sabia fazer de melhor e chupei os dois bem gostoso até gozarem na minha boquinha sedenta e então voltaram mais animados para a mesa de jogos.

O jogo foi encerrado as 2 da manhã e logo todos se arrumaram e foram embora se despedindo de mim com beijinhos no rosto e praticamente todos me pediram que gostariam me ver novamente na semana seguinte e claro que sorrindo safada disse que se fosse possivel estaria pronta pra diverti-los outras vezes.

Assim que todos foram embora meu cunhado tarado safado me levou até a sala e me colocou de 4 em uma poltrona encaixando o pauzão cabeçudo na entrada toda inchada da minha bucetinha e cravou firme sem tirar o plug do meu cuzinho guloso e passou a me foder forte dizendo:

-Que delicia de buceta minha cunhadinha puta tem... quanto mais leva pica mais apertadinha fica... safada... realmente você é uma vadia novinha que sabe como dar prazer aos machos... ahhhh... agora... vou dar uma surra de pica grossa nessa buceta gostosa... rebola sua cadelinha... que teu macho alfa vai te deixar molinha de tanto gozar... ahhhh... safada... vadia... gostosaaaaaaaaa!

O taradão me deu uns tapas bem fortes na bunda e dei uns gritinhos sacanas dizendo que estava ardendo muito... já tinha apanhado bastante e quando imaginei que o safado não ia mais me bater... ledo engano... o taradão sádico decidira explorar os meus limites e senti uma cintada estalando forte e então gritei de verdade... ardeu demais... mas isso só atiçou o sadismo do meu cunhado pervertido e levei varias cintadas... os vergões eclodiram em minha pele e o pauzão do meu cunhado entrava e saia fundo da minha buceta... a dor se misturou com o prazer e senti o xixi jorrando forte... tive um orgasmo muito louco quando meu cunhado pervertido dando um urro ejaculou um monte de porra fervente inundando minha buceta.

Meu cunhado tirou seu pauzão de dentro de mim e em seguida fui para o chuveiro e ao deslizar o sabonete pela minha bunda senti que ardeu pra cacete e quando virei o rosto pra trás é que percebi o tamanho do estrago nas minhas nadegas... tinha vários vergões... eu tinha apanhado como uma cadela de rua... a cinta de couro entrou fundo na minha pele... e tinha até algumas gotículas de sangue saindo e na hora fiquei muito preocupada pensando na justificativa que teria que dar pro meu maridinho e assim que terminei o banho fui até um espelho e olhando em detalhes vi que estava fodida e mal paga com a bunda completamente marcada... meu maridinho iria voltar de viagem dali a dois dias e não tinha como aqueles vergões e as manchas roxas que iriam surgir desaparecessem nesse pequeno intervalo de tempo e assim que sai do quarto meu cunhado tarado sádico estava limpando a mesa de jogos e chegando ao lado dele disse:

-Cunhado... você pediu para os teus amigos não deixarem marcas no meu corpo, mas você mesmo não fez isso né seu tarado sádico... olha como me deixou... esses vergões não vão sumir em dois dias... não sei como vou arrumar desculpas para o teu irmãozinho corno... seu maluco pervertido!

Heitor terminou de guardas as fichas e os baralhos em uma caixa e sorrindo bem sacana me pegando pela mão me fez dar uma voltinha no corpo dando uma olhada demorada em meu corpo e então me abraçou puxando meu corpo contra o dele e sussurrou nos meus ouvidos:

-Acho que a minha cunhada putinha devia ter pensado nisso antes de ter aceitado o convite para essa orgia... eu te avisei que a putaria era pesada... agora não adianta a vadiazinha reclamar... e além do mais... você gozou como uma louca... adorou ser a puta de um monte de machos... agora se a putinha começar a reclamar enchendo meu o saco... pego a cinta de novo e te deixo bem mais marcada do que ficou... e não pense que tenho dó de você... eu sei que você além de completamente tarada é uma puta masoquista... goza muito mais gostoso quando apanha de macho... tenho certeza que ainda vou escutar você pedindo pra bater mais forte sua cadelinha de rua... agora... quanto a desculpa que você vai arrumar quando meu irmãozinho corno ver essa bunda toda marcada eu não sei... você vai ter que colocar a cabeça pra funcionar... mas... acho que a putinha vai conseguir arrumar uma boa historinha pra contar pra ele!

Dei um sorrisinho sacana e percebi na hora que não adiantaria ficar fazendo cu doce diante de meu cunhado taradão e toda submissa disse:

-Heitor... eu não to reclamando de ter apanhado de você meu sádico gostoso... realmente eu gozei loucamente levando tapas e cintadas na bunda... eu só to um pouco preocupada em conseguir arrumar uma desculpa... ainda bem que ele não volta amanhã... só depois de amanhã!

Meu cunhado então pegou um sacola de mercado com algo dentro e me entregou dizendo:

-Bem... acho que a minha cunhadinha putinha vai adorar o que tem nessa sacola... com certeza não vai reclamar nem um pouco!

Toda curiosa quando abri a sacola levei um belo susto, dentro dela tinha um monte de notas de 100 e 50 reais... realmente fiquei muito feliz... aqueles tarados tinham sido extremamente generosos comigo e brinquei dizendo:

-Nossa... adorei mesmo... mas... acho que fiz por merecer... só que agora tenho mais um problema... vou ter que esconder esse dinheiro... acho que dizer que achei na rua não será uma boa desculpa! RSS.

Meu cunhado sorrindo safado disse:

-Bem... para as marcas das cintadas na tua bunda não consigo pensar numa boa desculpa... a não ser você inventar que foi estuprada por uma meia duzia de tarados... agora pra essa grana que você ganhou trabalhando como puta... é bem mais facil... vá ao banco e abra uma poupança... vai ficar bem guardado e ninguem fica sabendo!

Já passava das 3h da manhã quando voltei pra casa... com certeza eu iria acordar bem tarde no outro dia e quando entrei no meu quarto joguei a sacola com o dinheiro na cama, tirei o vestidinho ficando nuazinha... minha buceta e meu cuzinho bem inchados... minha bunda então completamente cheia de vergões... descobri que tinha sido transformada em escrava sexual e constatei que em nenhum momento pensei em desistir... eu queria é mais... lembrei-me da minha amiga Lucia me chamando de crentinha safada e realmente desde que me conheceu ela já sabia que eu viraria uma putinha ninfomaníaca como ela também era.

Liguei o ar condicionado... deitei-me de bruços para refrescar o quarto e principalmente meu bumbum empinado que parecia queimar de tão quente das cintadas e então virei a sacola e o dinheiro caiu em cima do lençol e junto veio o plug anal que peguei como um troféu e em segundos decidi que iria dormir com aquele incrivel objeto de prazer enterrado no meu cuzinho e foi o que fiz... eu já havia me acostumado com o tamanho e entrou facinho!

Mesmo depois de tanta rola na buceta, no cu e ter apanhado como uma cadelinha sem dono meu corpo ainda sentia tesão e se tivesse um macho do meu lado eu iria dar gostoso pra ele... que loucura estava acontecendo em minha vida.

Contei o dinheiro e vi que realmente ganhei uma bela grana... eu havia sido regiamente recompensada por aquele bando de tarados sádicos.

Só então é que me lembrei de pegar meu celular que havia deixado pra carregar antes de ir “trabalhar” de garçonete puta e vi que meu maridinho havia ligado duas vezes e havia caído na caixa postal e com certeza no dia seguinte teria que colocar minha cabecinha sacana pra funcionar pra conseguir escapar daquela situação louca que havia me metido.

Acordei no dia seguinte as 10h e como tinha deixado o celular desligado pra não precisar atender sem saber ainda o que iria dizer e ao me sentar na cama pra levantar senti o plug atolado no meu rabo e adorei a sensação que aquilo me proporcionava e com certeza iria querer comprar outro um pouco menor pra pode sair pra rua rebolando com aquele brinquedo delicioso socado no meu cuzinho guloso.

Durante o banho minha mente fértil logo percebeu que só havia uma história que poderia justificar o estado deplorável do meu corpo e seria mesmo um estupro e não demorei pra criar um roteiro maluco na minha cabecinha safada para contar para o meu maridinho corno... se ele iria acreditar ou não eu só iria saber depois, mas não tinha outra opção plausivel pra mim e depois de tomar um café reforçado para repor minhas energias peguei o celular me deitei nuazinha no sofá e liguei pro meu maridinho e assim que ele atendeu tive que me transformar em uma atriz bem dramática e foi assim que a coisa rolou:

-Ai Marquinhos... nem sei como te contar o que aconteceu comigo ontem a noite meu amor... foi uma tragédia!

-O que foi querida... você parece que ta chorando... fique calma e me conta o que aconteceu?

-Tô com medo de te contar e você querer se separar de mim... eu não tive culpa... mas... nossa... foi uma noite muito louca!

-Calma meu amor... porque iria me separar da esposa mais linda e maravilhosa do planeta... para de chorar e me conta tudo... bem devagar!

-Jura que você não vai ficar muito bravo comigo... depois que te contar... foi uma coisa muito séria... tenho medo de você ficar com raiva de mim!

-Valéria deixa de ser boba... eu te amo... pode me contar tudo... prometo que não vou ficar com raiva... agora fala... você ta me deixando preocupado!

-Espera um pouquinho amor... vou tomar um gole d’agua... tô tremendo até agora!Então... ontem depois que você saiu de viagem logo cedo fiquei assistindo TV e depois limpei a casa e após o almoço me deu um sono danado... tinha acordado muito cedo... bem... quando despertei já era quase 7 da noite e então resolvi ir ao shopping perto de nossa casa como sempre faço quando você viaja pra fazer um lanche e foi o que fiz... depois que comi o lanche... fui ver as vitrines, entrei em varias lojas e quando passei em frente as salas de cinema estava passando um filme romantico do jeito que eu gosto... resolvi assistir... só que o filme terminou quase meia-noite e então voltei pra casa andando bem devagar sem pressa... por causa do calor eu tinha colocado um vestidinho de malha bem curtinho com uma sandália de salto... você sabe que eu adoro usar esse tipo de roupa... duas quadras antes da nossa casa... tem um quarteirão que é bem escuro e ai meu amor aconteceu a tragédia... uma van escura parou do meu lado na calçada e quando virei o rosto pra olhar desceram dois caras grandões e bem fortes... me agarraram e me jogaram dentro da perua e me levando junto com eles... tentei gritar... mas levei uns tapas na cara e eles disseram que se não ficasse quietinha iriam me espancar de verdade... o motorista então me mostrou um revolver e disse que iriam me encher de bala se ficasse dando piti... eram três mulatos enormes... todos fortes e mal encarados... na hora percebi que se não fizesssem o que eles queriam eles iam acabar comigo... até achei que eles queriam ir até um caixa eletrônico sacar dinheiro... pensei que era um assalto... mas... não era isso que os safados queriam amor... a perua rodou alguns quilômetros e eles então chegaram a uma chácara onde havia uma casa com moveis velhos e assim que me mandaram descer do carro o motorista que parecia o chefe da gang me mandou tirar o vestido e ficar peladinha... eles disseram que eu seria a puta deles naquela noite... demorei pra me despir e tomei mais dois tapas na cara... tirei rapidinho meu vestido junto com a calcinha... eles entraram na casa e me colocaram de 4 em um sofá velho... e passaram a foder minha bucetinha enquanto outro enfiou um pauzão na minha boca e tive que chupar... Marquinhos... eu pensei que minha buceta ia ser rasgada ao meio... eles tinham paus grossos e cabeçudos... os safados me fodiam e enchiam minha bunda de tapas... um na boca e outro na buceta... aqueles tarados metiam como loucos dizendo que eu tinha sido a puta mais gostosa que eles ja tinham pegado nas ruas... me mandavam rebolar e diziam que se não fizesse tudo do jeito que eles queriam iriam me matar... achei que devia satisfazer todas as vontades deles... não demorou e meu cuzinho apertadinho foi arrombado também... nossa... cada pauzão maior que o outro... acho que os tarados não transavam há alguns dias porque as rolas deles pareciam de pedra de tão duros... o motorista ainda não tinha me comido... eu só tinha chupado a rola dele... era a mais cabeçuda... quase não cabia na minha boca... nossa... eu só tinha visto rolas daquele tamanho nos filmes pornos que eu e você assistimos juntos... foi ai que vi que ia sofrer mais ainda... o motorista se sentou no sofá e me fez sentar no colo dele de costas e o pauzão de cavalo dele entrou todinho no meu cuzinho... ele já estava inchado dos outros terem me enrabado... mas aquele pauzão tinha uma cabeçona ainda mais grossa... ai os outros dois caras passaram a enfiar também na minha buceta... era um pauzão no cu... outro na buceta... e quando eles iam gozar gozavam na minha boca... engoli um monte de porra... achei que tinha terminado meu estupro... mas... o motorista era o mais tarado e sádico deles e então me colocou de 4 e passou a foder meu cuzinho arrombado sem dó e foi então que ele pegou uma cinta e encheu minha bunda de cintadas... eu gritava de dor e ele batia mais forte me mandando rebolar... até que ele deu um grito e gozou como um cavalo... encheu meu cuzinho inchado de porra! Fui estuprada por três mulatos tarados durante umas duas horas... eles eram insaciáveis... todos gozaram mais de uma vez... quando eles se saciaram me colocaram dentro da perua e me levaram até quase em frente da nossa casa com os olhos vendados... e antes de me libertar disseram que se tentasse denunciá-los iriam me matar e também iria fazer isso com o meu marido... os safados disseram que já estavam de olho em mim há algum tempo... eles tinham me visto algumas vezes passendo no shopping... sabiam onde era nossa casa e o pior é que eles também sabem quem é o meu marido... comentaram que sou casada com um loirinho de família rica.

Meu maridinho ficou completamente mudo durante quase um minuto e então pra forçar a barra fingi soluçar bem alto sussurrando:

-Ai Marquinhos... você deve ta com raiva porque deixei isso acontecer comigo né... fala comigo amor... me perdoa!

-Não Valéria... não tô com raiva não... tenho certeza que você não tem culpa de nada querida... eu só estou muito preocupado com o que fizeram com minha esposa maravilhosa... eles te machucaram muito?

-Aiii amor... quando você voltar de viajem você vai ver... minha bunda ta cheia de vergões das cintadas do motorista sádico... o meu rosto ficou um pouco vermelho dos tapas, mas já ta sumindo... acho que meu bumbum vai ficar vários dias cheios de manchas roxas... mas... só doeu bastante na hora... acho que senti mais medo que dor... minha buceta e meu cuzinho ficaram bastante inchados... mas agora a pouco quando tomei banho parece que já estão quase normais... ainda bem né... achei que ia ficar completamente arrombada por aquelas rolas grossas e cabeçudas!

-Mas... me fala uma coisa querida... você foi a policia denunciar que foi estuprada por esses tarados?

-Marquinhos... na hora que os tarados me libertaram e entrei na nossa casa e até peguei o telefone pra ligar pra policia... mas... na hora comecei a pensar nas ameaças que eles haviam feito e quando me olhei no espelho do quarto e vi minha bunda completamente marcada... meu rosto pegando fogo de tantos tapas que levei... ai achei que talvez fosse melhor ficar bem quietinha... já pensou eu chegando na delegacia com um vestidinho super curto... sem calcinha porque os tarados não me devolveram... uma sandália de salto... se o delegado que tivesse de plantão fosse um daqueles machistas era perigoso achar que eu era uma putinha de rua que tinha apanhado de algum cliente... então... decidi que não ia fazer nada disso... tomei meu banho e depois disso deitei e desmaiei... só acordei agora a pouco... tenho certeza que foi a melhor opção não ter denunciado meu estupro... mas... quando você voltar de viagem e quiser tomar alguma outra atitude a gente resolve juntos!

-É Valeria... apesar de errado acho que talvez você tenha razão... do jeito que você falou sobre os tarados estupradores... eles devem ser bandidos da pesada... pra eles resolverem perseguir a gente é muito facil!

Senti que eu havia feito a coisa certa, meu maridinho corno tinha acreditado na historinha maluca de meu estupro e toda safada disse:

-Volta logo amor... to tão carente do meu maridinho depois que aconteceu isso comigo... tive pesadelos horríveis essa noite... acordei várias vezes achando que os mulatos tarados pauzudos estavam arrombando a porta de nossa casa pra me pegar de novo... nossa... passei um sufoco danado!

-Pode deixar querida... vou dar uma agilizada aqui no serviço e assim que terminar pego o carro e volto pra casa... la pelas 10 da noite to chegando!

Quase nem acreditei que estava conseguindo me safar daquela situação com tanta facilidade... realmente fui uma ótima atriz ao telefone e com certeza quando meu maridinho corno se deparasse com meu corpinho todo violado iria ficar com mais dó de mim e então me deitei no sofá e fiquei pensando em tudo que estava acontecendo e resolvi tirar mais um cochilo antes de fazer o que meu cunhado havia me recomendado que seria ir até um banco abrir uma conta poupança pra depositar a grana que eu ganhara merecidamente com o suor e muitas cintadas na bunda.

Não muito distante de casa havia agencia da caixa e rapidinho abri minha poupança e em seguida resolvi almoçar no shopping... estava vestida com uma saia jeans bem curtinha e uma camiseta regata bem justinha que deixava meus seios bem sensuais e nem pensei em colocar calcinha ou sutiã... o que eu gostaria ter feito e não pude fazer foi socar aquele plug delicioso no meu cuzinho guloso... ele era muito grande... eu me sentia uma putinha prontinha para alçar novos vôos... meu corpo fervia em chamas... o tesão tinha se instalado de vez em todos os poros de minha pele sensível... definitivamente eu era uma ninfomaníaca... eu só pensava em sexo e dava pra sentir minha bucetinha bem molhadinha.

Pra não ter perigo de cair na mentira, após o almoço fui até as salas de exibição dos cinemas e vi o cartaz de um filme romântico e resolvi assistir... vai que meu maridinho corno perguntasse qual o filme que havia assistido no dia do meu “estrupo fictício” e saberia contar em detalhes... ainda bem que as poltronas do cinema eram bem macias porque meu bumbum ainda estava muito dolorido das cintadas... os vergões ainda ardiam bastante... meu cunhado gostosão não teve um pingo de complacência comigo... ele era um sádico tarado.

Já estava escurecendo quando resolvi voltar pra casa... meu maridinho corno havia dito que chegaria às 10h e assim que estava chegando vi o portão da casa do meu cunhado tarado aberto e em seguida seu carro saindo bem devagar e quando o safado me viu deu uma buzinadinha e abrindo o vidro do carro assim que me encostei na porta disse sorrindo:

-Pelo jeito que a minha cunhadinha puta esta vestida acho que já ta prontinha pra participar de outra festinha como a de ontem... com essa roupa você tá parecendo uma garota de programa fazendo ponto... garanto que deve ter levado um monte de cantadas andando assim pela rua!

Toda safada dei uma olhada pros lados pra ver se não estava vindo nenhuma pessoa e levantei a frente da minissaia mostrando minha bucetinha toda de fora e sorrindo sacana disse:

-Meu cunhado tarado sabe que adoro andar sem calcinha... claro que muitos homens mexeram comigo... mas como meu maridinho corno ta chegando de viagem daqui a pouco... não pude aceitar nenhum convite... mas... quem sabe... quando ele viajar de novo... eu vou poder me divertir como ontem a noite... ahhh... e só para meu cunhado ficar sabendo... as duas idéias que você me deu ontem à noite coloquei-as em pratica hoje... abri uma poupança pra guardar a grana e hoje ao acordar decidi que a única desculpa justificável para as marcas das cintadas e dos tapas no meu bumbum seria dizer para o meu maridinho que havia sido estuprada... liguei pro corninho de manhã e interpretei o papel de uma mulher casada honesta sendo totalmente abusada... chorei... solucei... gaguejei e acho que meu maridinho corno acreditou na minha historinha... ele ia voltar de viagem amanhã... mas com pena de mim disse que ia voltar ainda hoje pra cuidar da esposinha violentada e arrombada.

Meu cunhado caiu em risos e então me disse pra dar a volta e sentar no banco do passageiro pra gente conversar mais um pouco... queria saber detalhes da minha historia e fiz o que ele mandou e assim que me sentei o safado já enfiou a mão no meio das minhas coxas e bolinou meu grelo sensível e toda putinha abri totalmente as pernas e deslizei o corpono banco pra facilitar a safadeza e bem sacana já levei minha mão entre as pernas dele pegando no seu pauzão que ainda estava mole, mas bastaram umas apalpadas pra que ele crescesse ficando enorme do tamanho que eu gosto... meu cunhado todo safado resolveu tornar a sacanagem mais quente e ligando o carro voltou de ré um pouquinho e fechou o portão... em seguida mandou que eu decesse do carro e rapidinho me colocou de bruços sobre o capô do porta malas e levantando minha minissaia encaixou seu pauzão na portinha da minha bucetinha tesuda e cravou tudo até o talo... gemi alto e passei a rebolar... que pauzão gostoso era aquele entrando e saindo forte da minha bucetinha apertadinha... ahhh... meu cunhado todo taradão disse:

-Sua puta vagabunda tarada... viciou na minha rola né sua cadelinha de rua... vai ser minha escrava sexual até quando eu quiser... rebola na minha pica grossa sua vagabunda... ahh... gostosa... vou deixar essa buceta bem inchada pra quando meu irmãozinho corno chegar... ahhhh... safada... puta!

-Aiiiii... mete... mete com força meu taradão gostoso... ahhh... fode seu cunhada putinha... eu to adorando ser tua escrava sexual... ahhh... eu quero é mais... ahhh... come meu cu... ahhh... adoro gozar pelo cu... mete esse pauzão no meu cuzinho guloso... deixa ele todo inchado... ahhhhhhhhh!

Quando aquele pauzão cavalar entrou rasgando no meu cuzinho guloso gritei de dor e prazer... que delicia ser enrabada por um macho de verdade... meu cunhado todo taradão me segurando pelos quadris socava até o talo e o safado mesmo sabendo que meu maridinho corno iria chegar dentro de umas duas horas ou menos não deixou de me aplicar uns tapas no meu bumbum já todo marcado... a ardência era muita, mas o tesão mais ainda e gozei copiosamente com aquele pauzão atolado no meu rabo... meu cunhado também não aguentou e encheu meu cuzinho de porra fervente.

Ficamos engatados durante alguns minutos até que aquele membro cavalar deu uma amolecida escapando de dentro de mim... a porra escorreu pelas minhas coxas e continuei debruçada sobre o capo do porta-malas me refazendo das emoções.

Meu cunhado então mostrou que era mesmo um macho dominador e me fazendo ajoelhar no chão ficou batendo com o pauzão todo melecado de porra na minha cara dizendo:

-Lambe minha pica cadelinha de rua... como gosta de dar o rabo hein vagabunda... mesmo sabendo que o maridinho corno ta chegando não agüenta ver uma pica grossa que quer dar... você é uma vadia deliciosa completamente safada... pena que eu estava com uma bermuda de elástico na cintura... se eu tivesse de calça com cinto... eu ia dar mais uma meia dúzia de cintadas nessa bunda empinada só pra deixar mais marcada ainda... adoro ouvir gritinhos de puta quando apanha do macho dela sua puta safada!

Depois da surra de pica na cara me levantei e toda putinha disse:

-Você é um tarado pervertido... meteu chifres na cabeça do próprio irmão... comeu e abusou da cunhadinha quase virgem... eu só era uma taradinha sem juizo... mas quando você me comeu com esse pauzão de cavalo e gozei como nunca havia gozado... transformei-me em sua escrava sexual... virei garota de programa para todos seus amigos tarados... e depois disso... você ainda encheu minha bunda de cintadas... me bateu como se eu fosse uma cadelinha sem dono... e mesmo sabendo que seu irmão vai chegar daqui a pouco comeu meu cu e minha buceta me deixando toda inchada... seu tarado sádico!

-Valéria... quase não da pra acreditar que se casou virgem com meu irmão... deve ser porque morava em uma cidade pequena e tinha uma família evangelica... você é completamente tarada e já mostrou que nasceu pra ser puta... se você tivesse nascido na cidade grande... certamente quando surgissem os primeiros pelinhos na tua buceta você daria pro primeiro macho que mostrasse uma rola grande pra você... sua vadia safada!

Dei uma risadinha sacana dizendo que estava adorando tudo que estava acontecendo comigo e então pedi que meu cunhado falasse mais sobre o meu maridinho corno já que ele já havia comentado que o irmão teve duas namoradas antes de mim e que elas também tinham colocado chifres nele e achei que deveria saber mais sobre isso... afinal eu era mais uma a encher a cabecinha dele de chifres e meu cunhado todo sacana disse:

-É verdade... tenho quase certeza que meu irmãozinho tem vocação pra corno manso... quando ele começou a trabalhar na nossa transportadora arrumou uma namoradinha que morava quase em frente do escritório... era uma morena gostosinha... até lembrava você... vivia com roupas curtinhas, shortinhos socados no rabo e blusinhas sem sutiã... e segundo as, más linguas dava mais que xuxu na cerca... depois de uns dois meses de namoro... ele comentou que tinha brigado com a moreninha por que quando ele viajou a serviço da transportadora ela tinha ido a um baile e contaram pra ele que a gostosinha tinha dançado o baile inteiro agarradinha com outro macho... depois de alguns dias meu irmãozinho voltou a desfilar com a vizinha putinha e assumiu o chifre sem reclamar até que ela terminou o namoro... com a segunda namoradinha foi pior... Vera era uma loira de olhos azuis que trabalhava no escritório da transportadora já fazia alguns meses... meu irmão se encantou pela vadia... ela era muito competente no serviço... mas também era uma tremenda galinha... todo cara bonitão que aparecia por la ela dava pro sujeito... vagabunda por inteira... na segunda vez que ela entrou na minha sala pra me levar uns relatórios a safada sentou na cadeira abrindo as pernas e mostrando a calcinha... ai já viu... tirei o pica grossa pra fora e mandei mamar... não dava pra fazer muita coisa no escritório... sempre tinha gente batendo na porta e só gozei na boca dela... a safada queria ser comida em cima da escrivaninha... isso eu nunca fiz... mas de vez em quando eu a mandava chupar minha pica e enchia a boca da vadia de porra... e ela engolia tudo sem deixar uma gota escapar... bem... meu irmão e a putinha passaram a namorar sério... só que pra ela tudo era apenas divertimento e interesse... meu irmãozinho corno dava vida boa pra ela... roupas... restaurantes... presentes... só que um dia ele foi até a casa dela sem avisar e flagrou a namorada vagabunda dando pra um negão roludo no sofá da casa dela... ficou alguns dias amuado quase sem conversar com ninguém... ele só confidenciava essas coisas para o Jorge seu melhor amigo que trabalhava na expedição de mercadorias e o como o amigo dele também era meu amigo acabava me contando tudo... só que o corninho depois de umas duas semanas reatou o romance com a puta loira... o safado tinha perdoado o chifre e voltou a desfilar em todos os lugares com a loira vagabunda... corno de um negão roludo!

Fiquei de cara escutando tudo que meu cunhado safado contou sobre o irmão corno e certamente aquelas informações eram muito interessantes.

Despedi-me de meu cunhado com um beijo na boca daqueles de fazer os pelinhos do cu se eriçarem e toda safada brinquei dizendo:

-Agora que me comeu e fez sua cunhadinha puta gozar loucamente... esta liberado pra sair... adorei transar assim... e principalmente gostei de saber em detalhes sobre as ex-namoradas do meu maridinho corno... deixa-me ir pra casa e tomar um belo banho pra tirar a porra da minha cara e do meu cuzinho que ta escorrendo pelas pernas... antes que meu corninho manso chegue!

Fui pra casa e assim que entrei tirei a roupa entrando debaixo do chuveiro e deixei a água escorrer deliciosamente pelo meu corpo... a porra do meu cunhado tarado ainda escorria do meu cuzinho inchado... o safado gozava que nem um cavalo... lavei bem lavadinho e foi então que ouvi o barulho inconfundivel do escapamento do carro do meu marido entrando na garagem... me deu até um arrepio imaginando que ele pudesse ter chegado 15 minutos antes não me encontrando em casa... mas... isso não tinha acontecido e toda safada decidi que ia fingir que não tinha escutado ele chegando e fiquei de costas no box ensaboando todo meu corpo... quando ele entrasse no nosso quarto iria se deparar com minha bunda completamente marcada... e me preparei para o que iria rolar e quando isso aconteceu senti que ele ficou de pé na porta do box sem falar nada com certeza vendo meu estado e então me virei de frente pra ele e toda dramática sai do chuveiro e abrindo a porta abracei-o toda molhada dizendo:

-Ai meu amor... que bom que você chegou... me abraça forte... nossa amor... sua esposinha sofreu tanto na mão daqueles tarados... olha como fiquei!

Meu maridinho me abraçava carinhosamente e então me afastei dele pra que ele pudesse ver meu corpo por inteiro e ele beijando meu rosto disse:

-É querida... ta dando pra ver que os estupradores judiaram muito de você... tua bunda ta cheia de vergões... os tarados bateram forte mesmo!

Continuei abraçada ao meu marido beijando seu rosto e por estar toda molhada acabei deixando a roupa que ele vestia também toda úmida e disse:

-Nossa amor... estou molhando você todinho... tira a roupa... entra comigo no banho... por favor... quero sentir o corpo do meu maridinho bem apertadinho no meu... nossa... ontem quando os tarados me largaram aqui perto de casa e entrei em casa quando olhei no espelho deu até medo... meu rosto estava bem vermelho... tomei um monte de tapas na cara... os vergões da bunda então escorriam pinguinhos de sangue... nossa!

Enquanto conversava já fui ajudando ele a tirar a roupa e rapidinho puxei-o para dentro do box debaixo do chuveiro e continuei falando toda dengosa:

-Marquinhos meu amor... aqueles mulatos além de muito tarados... tinham pauzões enormes e grossos... minha bucetinha e meu cuzinho ficaram super inchados... eles me chamavam de putinha... vagabunda... safada gostosa... um monte de nomes... e fodiam sem dó minha bucetinha e meu cuzinho... até minha garganta ficou dolorida... eles fodiam minha boca como se fosse uma buceta... pega na minha buceta e no meu cuzinho pra você sentir... tão inchados até agora!

Toda sacana fiz meu maridinho deslizaros dedos na minha rachinha inchada... não fazia meia hora que meu cunhado tinha socado aquele pauzão cavalar dentro dela... e em seguida levei a mão dele na minha bunda e fiz com que ele enfiasse os dedos no meu cuzinho arrombado... e foi incrivel perceber que meu maridinho era um taradinho porque vi que seu pinto já estava durinho como uma rocha e toda safada disse:

-Aiii amor... fico tão feliz de ver e sentir que você ta sentindo tesão pela sua esposa estuprada... achei que você não ia mais me querer depois de saber que outros machos me comeram inteirinha... os tarados abusaram da tua esposinha sem um pingo de dó... aiii amor... mostra pra tua esposa putinha que você tá me querendo... come meu cuzinho... eu sei que você adora me enrabar... ahhh... quero gozar gostoso com meu maridinho... me come!

Foi incrivel perceber que tudo tinha sido bem mais facil do que imaginei... empinei meu rabo e meu maridinho corno encaixou o pintinho duro na porta do meu cuzinho inchado e socou forte... bastaram meia dúzia de fincadas pra ele gozar gemendo alto... gozei junto com o corninho sentindo um prazer muito louco por ter conseguido realizar com êxito o que havia imaginado na minha mente pervertida.

Após um demorado banho repleto de beijos e carinhos saimos do box e fomos pra cama... meu corninho tarado continuava de pinto duro... e fiz com que ele metesse na minha bucetinha... o inchaço dela fazia com que eu ficasse bem apertadinha e o safado gemeu gostoso me fodendo até gozar novamente!

Depois do sexo pedimos uma pizza gigante pra saciar a nossa fome e percebi que depois do que havia acontecido a coisa iria esquentar ainda mais, mas isso os taradinhos que adoram historinhas de sacanagens só irão saber na terceira parte desse relato erótico muito louco e a safadeza vai pegar mais forte!!!

As outras parte desse conto esta no setor dos mais lidos em 9º/ 11º / 35º lugares!

skype: tete-cp1

se quiserem ler outros contos do TETE acessem meu perfil e divirtam-se!

http://www.casadoscontos.com.br/perfil/150463

Conto recomendado pelo autor:

Minha filha sentou no meu colo de minissaia e sem calcinha Parteddddddddddddrer

Comentários

11/06/2017 02:09:39
Nossa!!! Conto perfeito!
08/06/2017 21:11:31
Posta logo a continuação.
08/06/2017 18:59:35
sou louca de vontade de participar de uma suruba igual a essa, um bando de tarados me pegando, só que ainda não realizei porque tenho medo de ser muito machucada, mas quando penso nisso minha buceta fica molhadinha, quem sabe um dia eu consiga fazer essa safadeza deliciosa
g7p
08/06/2017 18:55:57
tesão do começo ao fim me deixou molhadinha e louca pra dar!
g7p
08/06/2017 18:54:48
Que delicia de conto, adoro sacanagens entre parentes, me deixa ligada e com vontade de realizar minha fantasia que é transar com o meu cunhado gostosão, minha irmã vai acabar levando um par de chifres! rssssssssss
08/06/2017 12:32:23
Tirei a hora do almoço pra ler esse conto delicioso! Adoraria ter uma esposa tão putinha como essa! Adoroooooo putassssss!
08/06/2017 12:28:54
TETE você me inspira a ser mais puta do que já sou!adoro seus contos cheios de detalhes e sem um pingo de pressa, espero que poste logo a terceira parte. Bjjjjssssssss
08/06/2017 12:18:31
Ótimo conto pena que você demora muito para postar a continuação dos contos
08/06/2017 10:40:00
.
08/06/2017 08:27:37
Conto muito bem escrito, aliás, vc tem uma maneira bem peculiar de escrever. Mas o conto ficou massante, com poucas variações, e praticamente com uma personagem feminina. Contos longos assim necessitam uma trama com maior número de participantes e maior quantidade de mulheres, afinal, um corno como esse deve ser enganado por uma rede de pessoas. Valeu!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.