Casa dos Contos Eróticos

Mel e a loja de biquínis

Autor: Gramrules
Categoria: Grupal
Data: 07/06/2017 10:32:22
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

(Leia os contos anteriores para entender a história)

Os três, Sr. Klimer, Melissa e Telma almoçaram a comida que estava sendo reaquecida no fogão de quatro bocas modesto da humilde casa. Mas o velho Klimer parecia não se importar, comia com gosto, Melissa achava que tudo era apenas uma maneira de conquista-la, tentando parecer que ele era como elas. Telma olhava curiosa para o homem, os olhos enormes e redondos da morena escura somado a boca entreaberta em um disfarçado sorriso denunciavam os pensamentos luxuriosos que ali passavam, obviamente que Melissa os percebeu, mas não disse nada, manteve-se zelosa com a visita inesperada.

Curiosas queriam saber da vida do homem rico que comia ali como um trabalhador qualquer, mesmo estando vestido de roupas finas. O Sr. Klimer se riu, e disse que como todo trabalhador ele também ia no banheiro e esporrava! Melissa soltou um sonoro "E como!" é isso fez Telma e Klimer rirem ainda mais. Ele falou da infância difícil em país de origem e que começou a ganhar dinheiro como garoto de programa. As meninas se olharam abismadas, e Klimer sabendo que ela duvidavam mostrou a foto gasta de um rapaz muito bonito que estava na sua carteira, era ele quando jovem, um homem que fazia bucetas melarem-se. Os olhos ainda eram os mesmos, distantes e azuis. Disse também que se casou com uma mulher rica, que usava ele de antidepressivo, já que o marido nunca a fudia e um dia, quando eles se divorciaram ela ofertou o casamento para ele, que aceitou na hora. Esperto fez os investimentos certo, na indústria da beleza, da tecnologia e seu capital cresceu imensamente, comprando ações a baixos custos e revendendo-as quando atingiam altíssimos valores. Era dono de 4 empresa de cosméticos que funcionam na Ásia e na Europa, uma empresa de internet. Melissa perguntou que tipo de empresa de internet, e o Sr. Klimer como se esperasse pela pergunta ansioso respondeu que era uma empresa dona de alguns sites pornográficos. Telma olhava para o homem com muito mais curiosidade agora, estava explicada sua taradice! Era ex-prostituto e agora dono de sites pornográficos.

Finalmente revelou as moças o motivo de sua visita, queria convidar Melissa para um passei em um pequeno barco que ia alugar no fim de semana. Melissa prontamente disse que sim! A ruiva não é a vontade de se divertir com o gringo, Telma fez cara de carente e perguntou se ela também não estava convidada, e o Sr. Klimer lhe fez um elogio falando que com certeza não perderia a chance de ver a bunda de dela com um biquininho. Ficaram animadas, mas logo a morena se reclamou de não ter um biquíni decente para usar num barco chique, Melissa deu-lhe um beliscão na coxa, e Telma disse que era verdade, que não podia ir mal vestida, a ruiva disse que tinha o que precisava em casa, mas o Sr. Klimer comentou que tinha em mente levar a sua jovem namoradinha para comprar biquínis novos, seria bom se Telma também fosse para ajudar a comprar.

Saíram de lá quando o pai de Melissa chegava, não parecia bêbado dessa vez, tinha um olhar sóbrio e questionou onde a filha ia, ela disse que ia sair com os amigos, o seu pai a segurou no braço e perguntou se agora ela estava se prostituindo para os estrangeiros, Melissa ficou furiosa, e puxou o próprio braço com força, se desvencilhando do pai, Telma fez uma cara de que esperava por uma explosão, o Sr. Klimer deu um passo a frente, mas antes de dizer qualquer coisa a ruiva linda irrompeu na sua fala, dizendo que ele não podia exigir nada dela, que se ela quisesse daria pra trinta mendigos ou gringos, não importava o que ele pensava. Melissa olhava feroz para o pai, este engoliu a seco o tom de voz da filha. Melissa ainda mandou ele ir pra dentro de casa, em um ar de mãe que briga com o filho mal criado e o Sr. Klimer entendeu qual era a explosão que Telma esperava.

Depois do rompante, os três se foram. O carro andava nas ruas da cidade graças ao GPS e o fato das moças conhecerem a cidade, foram até uma área que tem lojas mais caras, uma delas vendia apenas biquínis, todos muito bonitos e caros, as duas ficaram encantadas com tudo que viam.

Na loja pegaram vários biquínis diferentes para experimentar, levaram até o provador e se trocaram várias vezes, Telma escolheu biquínis que eram pequeninos para o tamanho de sua bunda, sempre engolia o fio dental, Melissa gostou dos maiôs, eram sensuais e elegantes. Klimer estava de pau duro, porque elas estavam se trocando na frente dele. A visão do corpo nu das duas garotas era tentadora, nunca tinha visto um rabão como o de Telma, mas a Melissa ainda era mais bonita que a amiga. Telma viu os olhares do Sr. Klimer e foi até ele, andando decidida em um biquíni minúsculo que mal protegia a visão dos seus seios, se ajoelhou e disse que o o gringo parecia precisar de ajuda "aqui embaixo", safada pós o cacete dele pra fora e começou a mamar no pau duro. Melissa mordeu o lábio quando viu a cena, primeiro pensou em ir até lá brincar com a amiga e seu benfeitor, mas resolveu deixar os dois se divertirem sozinhos. A ruiva afastou a parte de baixo do maio que usava e passou os dedos no grelo e começou a se masturbar vendo a amiga chupar o pênis do homem. Logo, Telma subiu e montou de costas na pica sedenta por buceta, entrou facinho, já que morena também estava louca pra levar rola. O Sr. Kilmer comia a jovem e massageava seus peitos, a gostosa cavalgava, rebolando, subindo e descendo, gemendo forte enquanto sua amiga brincava com a própria xota, assistindo a fodelância dos dois.

E os gemidos tomaram a loja até que uma da vendedoras foi ver o que acontecia ali, mas voltou envergonhada ao ver o senhor sentado com a morena rabuda pulando sobre sua pica e os peitos dela pulavam junto, pra cima e para baixo, enquanto as pontas dos dedos do velho brincavam com seus mamilos, do outro lado uma menina lindíssima, de pernas arqueadas, vestida com um maio, usava as duas mãos para se masturbar, uma mexendo no clitóris e outra com dois dedos dentro da cona, os se gemiam e chamaram atenção de todos na loja, que estava vazia, para a sorte deles. Envergonhada com cena que viu, deu meia volta e deixou eles continuarem.

No ouvido de Telma, Klimer disse que queria comer seu rabão, lambendo os lábio, com um sorriso de quenga, como uma profissional entre um salto e outro trocou os buracos! Ela mesma arreganhou as nádegas para o caralho entrar mais, entre os gritinhos da penetração, Telma abria a bunda e saltitava, deixando o velho Klimer ainda mais louco. Os olhos dela cruzaram com os de Melissa que estava louca de tesão, principalmente vendo amiga sendo enrabada, perdendo o controle da siririca Melissa acelerou seus movimentos e gozou antes dos dois sacanas. O cu da morena apertava o cacete do velho fudedor, e Telma chamou Melissa com os dedos, abrindo as pernas, queria que a amiga a chupasse enquanto ela tomava na bunda, e como uma cadelinha a bela garota engatinhou e ficou entre as pernas da outra, o suco da buceta molhada embebedava a chupadora e deixada o cu meladinha ajudando na penetração. Poucos segundo naquela posição fizeram o Sr. Klimer encher a entrada traseira de Telma de porra, que ouvindo o velho gemer forte no gozo e sentindo o pau vibrar dentro do seu ânus, ela também gozou, um orgasmo exagerado como ela mesma, gritou e se tremeu toda enquanto agarrou os cabelos sedosos de Melissa enfiando a cara da amiga sua pepeca.

Exaustos da foda eles sentiram um pouco de vergonha, já que eles chamaram atenção de todos na loja. Saíram com sorrisos amarelos, enquanto todas as vendedoras as olhavam. O Sr. Klimer comprou todos os biquínis que as garotas haviam gostado, era uma forma de pedir desculpa pelo ocorrido. Melissa estava muito feliz, imaginava como seria essa viagem de barco no fim de semana.

Comentários

10/01/2018 22:03:41
volto a postar essa semana
30/11/2017 11:45:16
continuaaaaaaaa
26/09/2017 16:15:55
Estou amando essa história... mal posso esperar pra ler o próximo...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.