Casa dos Contos Eróticos

O Clube Fênix: Alex - Ele Não Pode Estar com Você - Capitulo 14

Autor: Alex/Cole
Categoria: Homossexual
Data: 19/05/2017 09:41:25
Nota 9.67
Assuntos: Oral, Sexo, Gay, Homossexual
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Capítulo Catorze

" Amigos & Amantes "AlexEu não olhei para cima quando Cole e Gabe entraram. Gabe caminhou até o lado oposto da cama e descansou no topo dos cobertores. Sentado ao lado dele, Cole tocou a minha parte inferior das costas. - Como estão suas costas? - Ele perguntou calmamente, preocupado. - Você tem certeza que quer fazer isso agora? Podemos esperar um par de dias.

- Não dói tanto quanto antes. - sussurrei.

Cole esfregou pequenos círculos nas minhas costas. - Não precisamos nos apressar em nada - ele murmurou. - Nós temos toda a noite... Nós podemos tomar nosso tempo.

Pressionando os lábios apertados, eu perguntei grosso: - E se... Eu surtar?

- Se você começar a sentir medo, em pânico, ou desconfortável de qualquer maneira, - disse ele. - Não tenha medo de nos dizer. Você pode parar isso a qualquer momento e apenas a pé. Você é o único que tem controle, Alex — do começo ao fim. - Ele beijou meu rosto. - OK, querido?

Olhei para ele. - OK.

Sorrindo, Cole puxou minha cabeça e beijou a têmpora, depois se levantou. - Por que você não se levanta aqui na cama entre nós e... Relaxa. - Ele piscou. - Mesmo se somos strippers... Podemos deixar nossas roupas por agora. Um conceito estranho para nós, mas ei... Nós podemos nos adaptar.

Eu ri suavemente quando Gabe riu. Ele tirou os sapatos e deslizou ao lado de Gabe enquanto Cole se estendia do outro lado dele. Nós três estávamos deitados de costas e olhávamos para o teto.

- Você sabe. - Gabe murmurou, sorrindo. - Se você olhar o tempo suficiente... Todas as pequenas manchas no teto começam a formar formas. - Ele torceu a cabeça e olhou para mim. - Você já notou isso antes?

- Não. - admiti enquanto os suaves olhos azuis do homem me bebiam.

- Você está cheio de merda. - Cole murmurou, então riu. - Não há nenhuma porra de formas.

- Você está ficando velho. - Gabe meditou. - Sua visão está falhando.

Cole riu novamente e murmurou: - Foda-se.

Rindo suavemente, Gabe deslizou sua cabeça mais perto de mim e tocou as sobrancelhas. - Aposto que você também os veem - murmurou. - Você está apenas dizendo que não deve ser bom com o velho feller. Eu ri suavemente, olhos trancados com os de Gabe — então os lábios de Gabe estavam tocando os meus, beijando calorosamente, lentamente aprofundando. Meu pulso se acelerou quando a paixão se infiltrou. Gabe se virou lentamente para o lado e agarrou a curva da minha mandíbula com a mão e examinou suavemente a minha boca com a língua, deixando que eu decidisse se queria deixá-lo entrar.

Um suave gemido se formou na minha garganta e eu abri os lábios, tomando Gabe dentro. Os lábios quentes de Cole tocaram a minha nuca e depois a orelha. - Vamos, agora. - Ele sussurrou. - Compartilhe o amor, não jogue favoritos. - Ele sorriu quando torci minha cabeça. - A menos que seja comigo... Então está tudo bem. - Ele piscou e beijou-me com tanta paixão e profundidade como Gabe.

- Como o inferno. - Gabe deu uma risada baixa e beijou o meu ombro, então seu pescoço, sugando suavemente.

Um instável - Mmmm - enrolou minha garganta na boca de Cole quando os dentes de Gabe puxaram levemente minha pele. As mãos de ambos os homens começaram a acariciar levemente a parte superior do meu corpo, afastando-se de minhas regiões mais baixas por enquanto.

Cole quebrou seu beijo e perguntou calmamente, - Como você está? Você está bem?

Olhei para ele com olhos pesados. - Mm-hmm. - Então tremia quando Gabe chupou duro em minha garganta. Cole sorriu e moveu-se pelo outro lado do meu pescoço, os dentes raspando ao longo do tendão, mordendo suavemente.

- Ahh. - Eu gemi mais alto, minha cabeça inclinada para trás, expondo mais de minha garganta. Ambos os homens pressionavam seus corpos contra mim sem força, mas não havia dúvida sobre a dureza de seus paus. Minha própria pulsação ferozmente, minha ereção esticando contra minhas calças.

Seus dentes beliscando o lóbulo da minha orelha, a voz de Gabe roncou quando ele perguntou: - Podemos tirar a sua camisa? - Eu mal conseguia respirar pelo intenso bater do meu coração, e simplesmente assenti, gemendo de minha conformidade. Os dois homens enfiaram as mãos sob a bainha da camisa e empurraram-na lentamente sobre o meu peito, depois a tiraram suavemente sobre a cabeça. Um grito suave e assustado estourou quando meus dois mamilos foram repentinamente engolidos pelas bocas quentes que mamavam, as línguas escorregadias provocando.

- Porra. - Eu ofeguei, então gemi firmemente, meus dedos escorregando em ambos os cabelos dos homens. Meus lábios apertaram. - Hum!

Cole sorriu e beijou meu duro mamilo. - Gosta assim, bebê? - Ele murmurou, deslizando a língua em torno do bico duro.

- Ah, ohh. - Eu estremeci, os olhos fechados. A mão de Cole lentamente acariciou meu estômago e eu tremi quando sua boca seguiu, lábios fortes agarrando meus magros músculos, língua molhada mergulhando em meu naval. - Merda.

Gabe recuou e tirou a sua camisa, e a minha mão foi instantaneamente para sua pele nua, esfregando seu tórax grosso e em volta de seu pescoço, puxando-o de volta para um beijo faminto. Gemendo, Gabe mergulhou no beijo, o desejo e querer no homem inegável. Quando ele lentamente se afastou, ele estendeu a mão e puxou a camisa de Cole por cima de sua cabeça, então beijou o homem antes de retornar toda a sua atenção para mim.

- Você está pronto para seguir em frente? - Cole perguntou suavemente enquanto beijava os meus lábios. - Se não, está tudo bem... não estamos com pressa. - Ele sorriu e mordiscou o meu lábio inferior. - Nós gostamos de tomar nosso tempo.

Meu pulso crescendo — e a virilha latejando e doendo — Eu estremecei. - Estou... Pronto.

Assentindo lentamente, Cole escovou seus lábios através da minha orelha enquanto sua mão tentativamente se moveu para baixo entre as minhas pernas. - Apenas relaxe, bebê. - Ele sussurrou. - Vamos cuidar bem de você. Você sabe que nós amamos você, certo?

Eu mordi o lábio, os olhos ardendo, e assenti. Meu pulso ficou estático quando a mão forte de Cole começou a massagear meu pau endurecido através de minhas calças. A mão de Gabe juntou-se a Cole enquanto esfregavam alternadamente, para frente e para trás. - Porra. - Sufoquei suavemente, os olhos apertando fechados. Meus quadris levantaram uma fração de seu toque.

Meus olhos permaneciam fechados, o peito engatando com uma respiração errática, enquanto dedos habilidosos desabotoavam minhas calças e lentamente as puxavam para baixo, deixando minha cueca no lugar. Gabe saiu da cama e puxou as minhas calças para baixo de meus pés. Então Cole deixou a cama também, e ej estava deitado, o corpo tremendo, doendo, desejando o retorno de seu toque, seus beijos. Eu ouviu-os remover suas próprias calças, em seguida, a cama afundou em ambos os lados de mim novamente quando eles voltaram para mim, mãos quentes esfregando as minhas pernas, lábios suaves nas coxas, beijos caindo ao longo de minhas coxas internas quando suas pernas foram gentilmente abertas.

Lábios tocaram meu membro duro através de minha cueca e eu me encolhi com força, um breve suspiro escapando, minhas mãos arranhando os cobertores. A boca quente se moveu por toda a minha virilha, língua provocando meu pau através da minha cueca, então — chupando forte.

- Po-rra! - Eu sufoquei com dificuldade, arrancando os cobertores. Os lábios de Gabe estavam sobre os meus de novo, dizendo a mim que era Cole dando a atenção à minha virilha. Eu agarrei Gabe em quase desespero, meu corpo começou a queimar fora de controle, beijando-o com urgência, faminto por tudo o que tinham para oferecer.

Gabe gemeu profundamente, sua língua se entrelaçou com a minha, seus braços deslizando ao redor de mim enquanto seu corpo se apertava, sua fome por mim empurrando meu quadril através da cueca dele. O nosso beijo quebrou com um duro suspiro de ambos. Gabe beijou e lambeu seu caminho de volta para baixo para Cole enquanto, juntos, eles lentamente tiraram minha cueca fora. Meu corpo se sacudiu quando uma mão forte envolveu meu pau duro e acariciou suavemente. - Deus. - eu choraminguei apertado, então gritei bruscamente quando os dois homens começaram a beijar e lamber meu pau para cima e para baixo.

Uma língua macia e de veludo arrastou-se pela cabeça molhada do meu pau e eu quase desmaiei. - Mmm, bebê. - Gabe murmurou. - Você tem um gosto celestial.

A boca de Cole subiu até a ponta, enquanto ambos sugavam minha carne sensível, beijando-se um ao outro. Eu finalmente abriu os olhos. Sentiram-se pesados, molhados, minha visão turva quando as bocas dos homens incitaram o êxtase puro em mim.

- Oh Porra! - Eu gritei quando fui, de repente, engolido pela boca de Cole, a minha cabeça girando enquanto o ele me chupava firmemente, acariciando lentamente, empurrando sua boca todo o caminho para baixo sobre mim, tendo em cada centímetro do meu pau amplo. - Santa porra! Oh deus... Oh meu deus!

Quando Cole finalmente me puxou, eu mal tive tempo de recuperar o fôlego antes de Gabe tomar sua vez, sua boca quente e apertada acariciando meu pau um pouco mais rápido, empurrando-me para a perto de gozar. Justo quando eu tinha certeza de que não podia mais ficar sem perder a cabeça, Gabe me soltou e afastou-se da cama novamente. Eu assistiu com olhos nebulosos enquanto o homem tirava sua cueca. Cole seguiu o exemplo, então se inclinou e me beijou na boca. - Vire-se - murmurou. - Eu prometo... Nós não vamos te machucar.

Eu me movi devagar, as costas protestando, mas meu corpo também se intensificou sexualmente para focar no desconforto. Deitei-me com o estômago para a cama, puxando o travesseiro sob a cabeça, como fizera ontem à noite, quando os homens haviam esfregado as minhas costas. Minha respiração estremeceu em minha garganta e eu fechei os olhos novamente quando as mãos macias esfregaram sobre minhas bochechas da bunda firme.

Quando eu fiquei tenso, Cole beijou a pequena das minhas costas. - Apenas relaxe, bebê. - Ele sussurrou. - E confie em nós.

Soltei uma respiração trêmula e assenti. Os dedos gentis me abriram quando mais beijos foram colocados contra a dobra interna de minhas bochechas. Mordi o travesseiro quando a ponta de uma língua lisa cutucou minha entrada apertada. Eu gemi e estremeci de novo. Enquanto o único amante continuava a me sondar e me provocar, o outro lentamente arrastou a língua até o centro de minhas costas, em seguida, beijou a nuca de meu pescoço. - Você está se sentindo bem com tudo isso? - Cole sussurrou contra meu ombro.

Engolindo em seco, assenti.

Cole sorriu e beijou minha pele aquecida. - Talvez até... melhor do que ok?

- Sim. - Todo meu corpo estremeceu quando Gabe empurrou a ponta de sua língua através de seu apertado buraco.

- Isso é bom. - Cole murmurou e beijou a parte de trás de minha cabeça. - Apenas aprecie... Esta noite é toda sobre você, bebê. - Ele riu suavemente e beijou meu pescoço. - Não que nós não estamos desfrutando imensamente também, mas... Nosso prazer é incidental.

Eu sorri. – Não, para mim não é. – eu sussurrei. O fato de que eles estavam tomando tanto prazer em que eu foi feito muito melhor.

- Você é muito doce. - Cole sorriu e esfregou as mãos ao longo das minhas costas. - Suas costas não estão doendo demais, não é?

- Não, está tudo bem.

- Tudo bem. - Cole disse suavemente. - Apenas deixe-nos saber se isso muda.

Voltei a assentir e pressionei o rosto no travesseiro enquanto Cole voltava a descer o corpo até onde Gabe estava me dando vislumbres de um paraíso celestial do qual nada sabia.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *ColeA minha língua deslizou contra a de Gabe quando ambos tocaram na entrada de Alex. Gabe se moveu e tocou seus lábios na minha orelha, sussurrando, quase sem se ouvir: - Ele está muito apertado... Eu não quero machucá-lo.

O cuidado total que Gabe mostrou para Alex aqueceu meu coração. - Não vamos - murmurei. - Enquanto o prepararmos. - Eu deslizei meu dedo indicador na boca de Gabe e o homem sugou-o, alisando-o com saliva. Eu sorri, deixei alguns cuspi cair no buraco da bunda de Alex, manchou-o com meu dedo molhado então introduzi lentamente o dedo dentro do buraco apertado do menino.

Alex sugou uma respiração aguda, mas não resistiu ou tentou se afastar. Eu cuidadosamente trabalhei meu dedo ao redor, empurrando um pouco mais profundo, encontrando esse botão especial dentro e massageando-o.

- Uuh! – Alex choramingou alto, em seguida, sufocou em um grito, segurando o travesseiro. O garoto era tão quente e macio por dentro. o meu próprio pau pulava e latejava, vazando gotas de porra, doendo para entrar em Alex, mas sabendo que isso não poderia ser apressado. Deixei cair mais saliva no dedo médio, depois trabalhei cuidadosamente com o outro e finalmente consegui três.

O corpo de Alex começou a mover-se contra meus dedos quando o menino gemeu suavemente. Gabe massageou suavemente as bolas apertadas do garoto. Quando Alex começou a empurrar um pouco mais forte contra meus dedos, seus gemidos se transformando em pequenos gritos, inclinou-me e beijei Gabe. - Agora ele está pronto. - Eu o beijei novamente. - Você quer fazer as honras? Ele acenou com a cabeça, e eu retirei os dedos e me movi ao lado de Alex, beijando seu rosto. Alex abriu os olhos. - Eu quero que você relaxe, bebê. – Eu disse suavemente. - Gabe te ama e ele será gentil.

Gabe se inclinou sobre o corpo tremendo de Alex e beijou seu ombro. - Sempre que você quiser que eu pare, diga isso. - ele sussurrou. - Está bem.

Alex assentiu com a cabeça, um brilho de incerteza em seus lindos olhos. Eu beijei seus lábios e acariciei meus dedos através de seu cabelo, segurando seu olhar enquanto Gabe revestia seu membro duro com cuspi, então lentamente começou a empurrar dentro do corpo apertado do garoto.

Comentários

20/05/2017 00:40:09
HUMMMMMMMMMMMMMM. UM CAPÍTULO INTEIRO PRAS PRELIMINARES. MAS FOI TUDO SEM PRESERVATIVOS?
19/05/2017 12:08:50
Ui!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.