Casa dos Contos Eróticos

Justiça para dois - Cap. V

Autor: Cami2394
Categoria: Heterossexual
Data: 19/05/2017 00:31:13
Nota 10.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Boa noite/dia/tarde/madrugada pessoas. Tudo bem com vocês? Bom, os próximos três capítulos começarão a dar ganchos para o final da história, o qual pretendo fazê-lo em 10 capítulos. Vamos então à 5ª parte desta história que, já adianto, dará muitas reviravoltas.

====×====×====×====×====×====×====×====×====

"Não será possível! Ele me deixará depois de tudo que passamos e fizemos. Minha vida esteve com ele, minha identidade é dele! Como ele foi capaz de fazer isso comigo?"

— Você esqueceu da nossa história? Quer que sua família e o Brasil inteiro saiba quem é você?

— Vai embora daqui antes que alguém chegue! Vá embora! — ouço Rui dizer por detrás da porta.

Abro a porta e me deparei com Rui discutindo com uma mulher alta, quadris largos, usando um óculos fundo de garrafa, no meio da nossa sala de estar.

— Rui! Quem é esta mulher?!? — pergunto passando por ela, com um olhar de estranhamento que depois o direciono para Rui.

— Não é ninguém, meu amor! É só uma desequilibrada que acha que teve alguma história comigo, mas eu nem sei quem é ela! Por favor, meu amor, acredite em mim! — Rui diz isso com a voz um pouco alterada pelo nervosismo. Sei que ele estava preocupado com alguma coisa.

— Aaaaah! Então a senhora é a venerada e intocável senhora Roater?!? É um prazer conhecê-la! — diz ela ajoelhando-se em um joelho só é pegando minha mão para beijar. Limpo a mão logo em seguida. — Não precisa ter nojo não, madame! Eu "sô" pobre, mas sou limpinha! Hahahaha. — diz às gargalhadas, parecendo uma bruxa misturado a um alto falante com defeito. — Agora eu não sirvo mais pro seu marido, mas há muitos anos atrás, ele destruiu minha vida. Meu nome é An…

— Sai daqui sua porca nojenta e imunda. Nunca tive nada com você! — interrompe Rui a expulsando da casa aos empurrões.

— Você sabe quem eu sou; você sabe, seu canalha! — diz ela esbofeteando o rosto de Rui e correndo pela casa igual uma doida desvairada. A cena que presencio é até cômica. Ela correndo pela casa e gritando que Rui, meu marido, havia feito algo pra ela no passado e ele correndo atrás dela, para expulsá-la de casa.

Ela pára de correr em frente à uma janela de vidro do chão até o teto e tira da bolsa algo que parece um gravador.

— Está aqui a prova de tudo que você fez. Está aqui! — diz ela apontando o gravador para mim e para Rui. — Acredite em mim, madame! Salve-se desse canalha enquanto há tempo. Além de politico corrupto, ele é um estuprador e te trai. Vou provar isso agora!

— Sua… — Rui parte para cima da mulher.

— RUI! Deixe-a! Quero ouvir o que ela tem aí.

— Amor, não acredi…

— Rui! Eu quero ouvir!

A mulher com muita dificuldade aperta o botão para tocar a gravação:

"Três ovos. Manteiga para untar. Primeiro você mistura tod…"

— Ai, meu Deus!

Não consigo controlar o riso e caio às mil gargalhadas. Rui também ri muito, mas ainda percebo que ele ainda estava bastante preocupado com a situação. Talvez exista um pouco de verdade no que a mulher dizia e Rui estivesse me enganando. Após rirmos muito, Rui diz à mulher:

— Pronto! Deu seu showzinho, agora pode se retirar, por favor! — diz ele mostrando a porta da saída.

— Não encosta em mim! Seu cafajeste! — a mulher lhe dá um tapa no rosto de Rui, que revida empurrando-a e fazendo com que ela caia da janela de nossa cobertura. A mulher despencou de uma altura de quinze andares.

— Ai, meu Deus, Rui! O que você fez? — digo colocando a mão sobre a testa, pondo fim ao clima de humor que havia no ambiente para dar lugar ao desespero.

— MEU DEUS! MEU DEUS! E AGORA O QUE EU FAÇO? O QUE EU FAÇO CAMILA?

— Rui! Foge! Foge daqui, agora, Rui! Vai! — digo o tocando para fora de casa.

— Não! Eu sou inocente, Camila! Eu não fiz nada! Foi um acidente!

— Rui! Foge! Eu vou explicar tudo para a polícia e depois você volta com seu advogado. Você é um político, a oposição vai pintar isso como se fosse queima de arquivo. Mas com o tanto de testemunhas lá embaixo você passará uns dias preso. Foge, e eu vou explicar para a polícia e amanhã ou depois você vai com seu advogado para prestar depoimento, mas agora com certeza eles vão te prender.

— Tá bom! Explica pra eles, amor! Eu te amo! — Rui me dá um beijo e sai batendo a porta às pressas.

====×====×====×====×====×====×====×====×====

Comentários

19/05/2017 18:49:03
Nossa...😱 Leia os meus tbm.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.