Casa dos Contos Eróticos

Punheta no sofá da sala com meu filho

Autor: Alex
Categoria: Homossexual
Data: 17/05/2017 01:46:27
Última revisão: 18/05/2017 15:38:54
Nota 9.90
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Alexandre, tenho 45 anos de idade e nunca me casei. Saí de casa muito jovem, com apenas 23 anos eu deixei de morar com meus pais para trabalhar e cursar a faculdade de Educação Física em outra cidade. Depois de formado, comecei a trabalhar como preparador físico, em pequenos clubes de futebol. Tive algumas namoradas, mas nenhuma conseguiu me amarrar. Minha felicidade estava nas noitadas com os amigos e em curtir a vida de solteiro que eu tanto amava.

Mas a vida de solteiro não me impediu de realizar meu sonho de ser pai. Tenho um filho, Iago, de 17 anos . Eu o adotei quando era criança, desde então ele é a razão da minha vida. Mesmo não tendo o meu sangue ele acabou adquirindo algumas das minhas manias, acho que pela convivência. As vezes ele sai do banho sem se enrolar na toalha, balançando o pinto pela casa enquanto anda.

Vergonha é uma palavra que nós desconhecemos aqui. Para algumas pessoas pode parecer depravação, falta de respeito ou pudor, mas para nós é natural. Nunca tive vergonha do meu corpo, nem mesmo quando era um pirralho magrelo. Depois de adulto gostava de exibir o corpo sarado adquirido durante anos de musculação na adolescência. Procurei criar meu filho da mesma maneira, tendo orgulho de seus corpo, independente de estar em forma ou não.

E assim ele cresceu, andando só de cueca pela casa, tomando banho de mangueira no quintal ou banhando junto comigo no banheiro.

Certo dia, depois que ele foi dormir, eu liguei a TV e comecei a procurar um filme para assistir, pois estava sem sono. Mudando os canais da TV, acabei encontrando um canal pornô, que eu nem sabia que estava no pacote.

O filme me pareceu interessante, diminui o volume, para não acordar o garoto e comecei a apreciar a cena. Uma morena espetacular, com uma lingerie preta super provocante, desabotoava os botões da camisa de um cara branco, sarado e careca. Após tirar a camisa ela começou a apalpar o volume na calça dele, deixando-o ainda mais excitado. Ela tirou o cinto, desabotoou a calça e foi abrindo o zíper aos pouquinhos enquanto beijava o volume imenso por cima do jeans.

Naquela altura do campeonato eu já estava em ponto de bala, com o pau duro feito pedra, quase estourando a cueca. Como o Iago já estava dormindo achei que não faria mal tocar uma punheta ali mesmo, no sofá da sala. Tirei a cueca e deixei o pau livre, reto como uma lança, ele apontava pro teto deixando a grande cabeça rosada a mostra.

Na cena, a morena começava um belo boquete, enfiando o pau do cara todinho na boca e tirando bem devagar. A cada vez que ela repetia movimento a velocidade aumentava. Como um verdadeiro macho, o cara juntou os longos cabelos pretos dela e segurou em forma de rabo de cavalo, enquanto forçava a cabeça dela. Ele começou a socar. O pau entrava e saía todo babado da boca da vadia.

Lubrifiquei meu cacete com algumas cuspidas e já estava começando a acelerar a punheta, quando ouvi um barulho de alguma coisa caindo na cozinha.

Pelado e com a tromba lá em cima, fui ver o que era. Para minha surpresa, vi o Iago juntando um copo de plástico do chão. Ele estava só de samba canção e com um volume imenso guardado nela.

- Porra Iago, que susto. Você quase mata o pai do coração.

- Desculpa pai. Eu vim só beber água. Já tô voltando pro quarto.

Ele tentou esconder a ereção de mim, mas já era tarde demais.

- Você tava me espiando né?

- Tava - disse ele.

Eu só queria voltar pro meu filme e pra minha punheta. O Iago não ia conseguir dormir de pau duro e com certeza ia tocar uma também, no banheiro ou até mesmo no quarto.

- Quer assistir o filme comigo?

Ele pareceu surpreso.

- Eu posso?

- Claro que pode. Vem logo.

Voltamos os dois para a sala, antes de sentar no sofá o Iago foi logo tirando a samba canção, deixando o pau duro a mostra. A pica dele media uns 17 centímetros, era quase tão grossa quanto a minha, meio curvada para baixo e cercada por pentelhos lisos e finos. Ele lubrificou a piroca com uma cuspida na cabeça e iniciamos uma bela punheta juntos.

No filme, a morena gemia loucamente enquanto o cara chupava e beijava sua buceta lisinha. Ele passava a língua bem devagar entre os lábios, enfiava um ou dois dedinhos de leve. Chupava e mordia o clitóris enquanto ela enlouquecia de tesão. Nossa punheta já estava em ritmo acelerado. O Iago revesava as mãos, uma hora batia com a direita, outra hora batia com a esquerda. A habilidade do moleque me deixou impressionado. Ele soltava gemidos leves e começava a suar.

A morena agora estava de quatro, enquanto o cara penetrava de leve seu cuzinho. Ela gemia e rebolava pedindo rola. Ele começou a bombar com mais força enquanto puxava o cabelo dela e dava tapas em sua bunda enorme. Quanto mais rápidas as bombadas, mais alto ela gemia.

Eu e meu filho, ambos suados e acelerados na punheta, gemiamos vendo aquela puta gostosa tomando rola no cu.

- Pai, acho que eu vou gozar - disse ele, ofegante.

- Eu também filhão.

Conforme o momento do gozo se aproximava nós aceleravamos ainda mais, gemendo, ofegando e suando juntos. Um dos lado do outro. Gozamos. O Iago soltou várias jatadas de gala em cima da barriga e do peito, mas uma delas acabou atingindo a boca dele enquanto ela estava aberta. Para minha surpresa ele engoliu e ainda lambeu um pouquinho que tinha ficado nos dedos. Ficamos algum tempo ali, sentados lado a lado, sem falar nada. Os dois pelados e melados. Desliguei a TV. Tomamos banho juntos e fomos dormir, cada um em seu quarto.

Mesmo com toda a intimidade que eu já tinha com meu filho, aquela punheta transformou nossa relação. Foi a primeira de muitas outras experiências sexualmente prazerosas que tivemos juntos.

Comentários

19/05/2017 14:36:40
Por favor, não pare de escrever esses contos, já quero o próximo e o próximo e o próximo rsrsrsrs
19/05/2017 14:35:26
isso contou foi muito excitante, cacete >>>>>>10
19/05/2017 13:33:56
Delícia em
18/05/2017 15:41:43
Que bom que estão gostando. Hoje a noite publicarei mais um relato
17/05/2017 21:34:51
GOSTO MUITO DESSA TEMÁTICA (INCESTO) DE PAI E FILHO. PENA QUE FOI CURTO E NÃO CONTINUOU. CONTINUE LOGO. VC NÃO DESCREVEU MUITO BEM FISICAMENTE O IAGO.
17/05/2017 21:22:18
Muito bom
17/05/2017 12:09:34
Porra parça, fikei com a rola pulsando. Se fosse filho de sangue seria mais gostoso ainda, mas essa putaria ai tah muito fileh, sacaninha. Se meu pai fosse assim eu faria putaria com ele todo dia. Coroão todo fileh, todo gostoso ele eh
17/05/2017 09:40:43
Tesão demais meu pau pulou aqui!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.