Casa dos Contos Eróticos

Eu e Mamãe (O Inicio)

Categoria: Heterossexual
Data: 06/04/2017 20:05:43
Nota 10.00
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Minha vida mudou de vez depois que voltei da casa da minha tia, não sabia que aquele final de semana iria influenciar tanto na minha vida.

Vou contar essa parte da história primeiro, porque foi o que me impactou mais e em uma próxima oportunidade eu conto como tudo começou.

Depois que perdi o emprego e me divorciei, acabei voltando a morar com meus pais até a situação se estabilizar e enquanto procurava emprego fazia alguns trabalhos de freelancer em informática.

Estava eu no Domingo à tarde de verão escutando musica no computador quando escutei o telefone tocar, minha mãe foi atender, não liguei muito, como o som dos fones estava baixo pude escutar algumas perguntas da minha mãe,

- E como foi o final de semana? Sério? o que aconteceu? Nossa, é mesmo? Conta como foi?

Sem saber quem estava do outro lado, tirei os fones para tentar escutar melhor a conversa e o assunto continuava...

- Não acredito que vocês fizeram, me conta os detalhes, foi gostoso? Nossa que delicia....humm....ele vai encontrar você de novo? faz tempo que não sei o que é isso...Tá bom outro dia conversamos mais....beijos.

Minha mãe desligou e veio em direção da cozinha, passando pelo meu quarto ela parou na porta e olhou pra mim, eu sem saber quem era perguntei.

- Quem era no telefone mãe?

- Era sua tia Noêmia.

- Está tudo bem lá?, perguntei..

- Tudo bem ela estava me falando que ficou muito contente com sua estádia na casa dela, que você levou ela pra jantar fora.

- Ela falou mais alguma coisa, mãe?

- Não disse mais nada, não.

Então ela virou as costas e saiu em direção da cozinha, eu fiquei meio desconfiado com a conversa, porque eu e minha tia passamos uma noite excelente.

O resto do domingo caminhou normalmente, jantamos e assistimos ao programa de reportagem que passa todo final de domingo. Quando meu pai e minha mãe foram dormir ainda fiquei mais um tempo assistindo televisão na sala e por volta das 23:00hs fui para meu quarto.

Já era madrugada, a porta do quarto sempre ficava entreaberta para a luz do corredor entrar um pouco e o quarto não ficar totalmente escuro, quando acordei assustado e vi mamãe de pé curvada na minha frente acariciando meu pênis, ela fez um sinal com o dedo na boca “Psiu” veio em minha direção bem pertinho do meu ouvido e me disse:

- Silêncio para não acordar seu pai, deu-me um selinho e foi embora para o quarto dela que ficava ao lado do meu, nesse momento fiquei sem reação pela situação que acabará de acontecer, passei quase o resto da noite pensando no que havia acontecido.

Acordei na segunda-feira cedo, fui até a cozinha e na mesa estavam meu pai e minha mãe tomando café, sentei a mesa e como sempre meu pai só disse “Bom Dia” mais nada, minha mãe me perguntou com um sorriso de leve no rosto:

- Como passou a noite?, dormiu bem?

- Dormi sim mãe e a senhora?

- Fazia anos que não dormia assim, ela respondeu.

Não houve mais assunto durante o café, meu pai terminou o café dele e se retirou, minha mãe também levantou e foi lavar as louças , nisso pude perceber que ela estava com um shortinho verde bem apertado e nessa hora comecei a observar que apesar dela estar próximo dos 60 anos ainda estava com uma bunda atraente.

Como ela não havia feito menção sobre o ocorrido na noite anterior pensei em fazer um teste para ver o que aconteceria, levantei e fui em direção dela, fiquei a pouco centímetro de encostar nela e falei:

- Posso pegar um copo d’água, mãe?

- Claro filho...

Peguei o copo no escorredor de louças e me curvei um pouco para pegar a água no filtro e com isso meu corpo começou a roçar no nela, mas para minha surpresa ela não demonstrou nenhuma reação, então agradeci e me afastei e fui para meu quarto trabalhar.

O dia passou normalmente como nada tive acontecido e na noite a mesma rotina, jantar, assistir televisão e depois dormir. Deitado na cama pensei que ela devia ter se arrependido do que vez e decidiu acabar naquilo, mas para minha surpresa percebo que a porta começa a se abrir e quanto olho vejo minha mãe e pela luz passando pelo seu corpo consigo observar que ela está com uma camisola fina, dava para ver perfeitamente seu corpo. Ela entrou e encostou um pouco a porta, veio em direção a cama e sentou perto da minha cintura e começou a acariciar meu pênis, então ela enfiou a mão por baixo do lençol e continuou as caricias, não tive dúvida, levei minha mão em direção do short e o abaixei-o deixando meu pênis para fora e mamãe sem falar nada começou um movimento de vai e vem, em alguns momentos mais rápidos, em outro diminuía o ritmo, passava a mão pela cabeça dele e continuava os movimentos. Quando me atrevi em falar com ela fui censurado “- Fica quieto, senão sei pai acorda” com aqueles movimentos não agüentei muito tempo:

- Mãe, vou gozar;

- Goza no lençol que amanhã dou um jeito.

Nesse momento foi uma explosão de esperma no lençol, ela aproveitou e limpou a mão que estava molhada e depois jogou o corpo em cima do meu, ficamos rosto com rosto quando ela me disse:

- Isso é só o começo, durante o dia não falei nada para você porque seu pai estava sempre por perto.

- Quero um beijo seu mãe!

Ela sem pensar também me beijou, foi um beijo quente e delicioso, enquanto estava-nos beijando minha mão começou a correr por todo seu corpo, então ela me disse:

- Preciso ir antes que seu pai sinta minha falta.

Levantou-se e foi para seu quarto e eu fiquei ali, pensando e curtindo o momento.

Terça-Feira, levantei e já pude escutar na cozinha uma discussão entre meu pai e minha mãe, cheguei na cozinha e disse “Bom Dia”, a discussão parou e os dois me responderam com um simples “Bom Dia” também. Comecei a tomar meu café quando meu pai me questionou:

- Me responde uma coisa?

- Claro pai, pode dizer!

- Você acha certo sua mãe usar uma roupa dessas?

Mamãe se chama Thais é uma mulher comum, sua bunda é média, atualmente tem os cabelos pretos curtos na direção do ombro, pintados porque a maioria já são grisalhos, olhos castanhos, sua cintura, pernas e os seios médios já apresentam certa flacidez.

Dei uma boa reparada nela que estava com um short jeans curto e uma regata branca sem sutiã.

Antes que eu me abrisse à boca ela retrucou:

- Não sei por que você está falando das minhas roupas, se só vivemos de aparências já faz anos e outra, estou dentro da minha casa não vou sair na rua assim.

- Faça o que quiser, disse meu pai, vou cuidar do meu carro que eu ganho mais.

Nesse momento ele se levantou e saiu em direção da garagem e minha mãe se virou pra mim e me falou:

- Não liga pra isso é normal dele.

Ela levantou e foi em direção da pia para colocar os copos do café para lavar.

Nesse momento eu levantei e fui em direção dela:

- Você é muito bonita e sexy ainda mãe;

- Obrigado filho, você me acha sexy?

- Muito mesmo mãe.

- Então me prove disse ela.

Não tive dúvida, já a agarrei pela cintura e comecei a beijá-la, coloquei a mão por baixo da camiseta e comecei a acariciar os seus seios, que delicia de peitos ela tem, muito macios, ela por sua vez começou a acariciar meu pênis por cima da bermuda e não demorou para ela tirar ele para fora e começar a me masturbar, ela gemia me falando que estava com muito tesão, desci minha mão até a buceta dela e estava acariciando por cima do short, quando ela se abaixou e sem falar nada começou a chupar meu pênis, que loucura, ela chupava a cabeça e no mesmo momento enfiava todo ele em sua boca, quando escuto a porta do corredor se abrir, era meu pai voltando da garagem, minha se levantou apressada e saiu em direção ao quarto e eu ali tentando me recompor, puxei a bermuda pra cima e encostei na pia fingindo que estava lavando louça, meu pai entrou na cozinha e perguntou:

- Onde está sua mãe?

- Acho que está no quarto;

- Tá bom respondeu ele.

Nisso minha mãe aparece já com uma bermuda maior, quase até os joelhos e uma blusa florida com mangas e sutiã.

- Preciso ir ao banco e depois resolver mais algumas coisas, você vem comigo Thais? Perguntou meu pai

- Claro, vou sim. Respondeu ela.

- Então vou me arrumar e já saímos.

Ele foi em direção ao quarto e ela chegou mais próxima de mim e me disse:

- Vou com ele, porque ele está muito desconfiado ultimamente.

- Ok, mãe! Depois continuamos nossa conversa.

- Com certeza, não vejo a hora.

Em seguida eles saíram, eu tive que acabar de arrumar a cozinha e sai também para atender um chamado de um cliente.

Acabei ficando fora o dia todo e só voltei para a casa no final do dia.

Quando cheguei em casa eles já estavam assistindo TV, fui jantar e depois sentei na sala para assistir TV também, por volta das 22:30 meu pai falou que iria dormir, minha mãe ficou mais uns 15 minutos e também falou que iria dormir, chegou perto de mim e me disse:

- Espera um pouquinho aqui que já venho de dar um beijo de boa noite.

Entrou no quarto dela e depois de alguns minutos ela saiu com a camisola que vi no meu quarto na noite passada, era uma camisola transparente, podia ver o corpo dela todo, os seios ficavam totalmente a vista e dava para ver a calcinha que não era nada sexy, mas transparente também, possível ver que a buceta dela era bem cabeluda. Chegou bem perto e me deu uma mordidinha na orelha, pegou minha mão e colocou entre suas pernas, pude sentir o calor da sua vagina e me falou:

- Não vai dormir até eu fazer minha visita no seu quarto.

Saiu, foi ao banheiro e entrou no quarto dela, fiquei louco de tesão com aquela situação pensando o que poderia acontecer em breve.

Fui me deitar e não conseguia parar de pensar na minha mãe, foram algumas horas de excitação até que via porta se abrir, minha mãe entrou e encostou um pouco à porta, veio em minha direção, nesse momento já estava a ponto de explodir de tanto tensão.

Sem falar nada ela se deitou por cima de mim e começou a me beijar intensamente, puxei a camisola para cima e comecei a tirar a calcinha, ela segurou minha mão:

- Não podemos fazer hoje, seu pai está dormindo no quarto do lado e ele não pode desconfiar de nós.

Ela abaixou as alças da camisola deixando seus seios à mostra e pediu para que eu os chupasse, atendi de imediato, enquanto isso ela ficava esfregando a buceta no meu pênis, só que estava de calcinha, foram momento de delírio, quando ela parou e me disse:

- Preciso ir. Se seu pegar nós dois assim ele nos mata, você sabe que ele é capaz disso.

- Estou com muito tensão mãe, quero você.

- Eu também estou, mas temos que esperar o momento certo, para você não ficar assim vou te ajudar.

- Só me avisa quando for gozar, hein!

Começou a chupar meu pênis como nunca havia visto, colocava ele totalmente dentro da boca e tirava, fiquei louco:

- Mãe vou gozar, ela tirou ele da boca e colocou o lençol por cima, vou uma explosão de esperma, ela continuou segurando ele até sair a ultima gota.

Com uma mão ela puxou a calcinha de lado e com a outra e pegou minha mão e colocou na buceta dela.

- Olha como estou molhada, isso é tesão por você.

Comecei a passar a mão e percebi que ela não estava molhada estava ensopada, meus dedos começaram a passar na entrada da gruta dela quando ela soltou um gemido e segurou minha mão:

- Para, senão vamos acabar fazendo besteira;

- Preciso me acalmar te vejo amanhã cedo.

Ela me deu um beijo bem gostoso e saiu foi direto para o banheiro, quase fui atrás, mas pensei no que ela me falou sobre meu pai.

No dia seguinte, quarta-feira quando acordei escutei minha mãe conversando com meu pai, sobre algum assunto de sair:

- Mas você volta para o almoço?

- Não sei Thais pode ser que sim ou não.

- Tá bom, vou deixar o almoço preparado.

Depois de um tempo percebi que meu pai havia saído e a casa ficou em silêncio, bom ela deve vir aqui no quarto daqui a pouco, passou um tempo e nada, será que ela saiu também?

Levantei e fui até a porta do quarto, parecia que a casa estava vazia, onde poderia enxergar não tinha ninguém, cozinha, banheiro e sala, fui até o quarto da mamãe, olhei e vi que a luz estava acessa, foi quando ouvi a voz:

- Estou aqui, vem...

Entrei no quarto e ela estava deitada na cama coberta com um lençol.

- Estava esperando você, filho;

- Não sabia que você estava aqui;

- Vem pra mamãe, hoje é o dia.

Nesse momento ela puxou o lençol e para minha surpresa ela estava totalmente nua, não esperei ela terminar de falar, já tirei minha roupa e deitei por cima dela.

Olhando nos meus olhos ela me falou:

- Envia devagar que faz tempo que eu não faço sexo.

Comecei beijando ela, depois minha boca desceu até os peitos dela, mamei nos dois:

- Mama filho igual você mamava quando era pequeno;

- Vou chupar sua buceta agora mãe;

- Não ela disse, enfia dentro dela, quero sentir sua pica dentro dela.

Obedeci e coloquei a cabeça e fui empurrando devagar, senti ele entrando até os meus pelos encostarem nos dela e comecei a bombar ela começou a pedir:

- Enfia, enfia...quero que você goze dentro, quero sentir sua porra dentro de mim.

- Fica de quatro mãe, quero te comer de quatro.

- Não, quero que primeiro você goze assim, depois vamos transar de todas as formas e jeitos, mas agora preciso de você dentro de mim.

Então empurrei os braços dela para cima e comecei um vai e vem frenético, ela gemia e pedia para eu enfiar com mais força, bombava cada vez mais forte e fundo, até que:

- Vou gozar mãe...

- Olha pra mim, que ver seu rosto e sentir seu gozo.

Fiquei olhando para ela e gozei, fiquei com meu corpo em cima dela:

- De agora em diante seu lugar e aqui dentro de mim, ela falou;

- Claro, e beijei-a;

Ficamos ali nos acariciando por alguns minutos:

- Vamos tomar um banho meu homem;

- Vamos mãe;

Tomamos um banho demorado com muitos beijos e caricias:

- Vamos para meu quarto agora mãe?

- Quando seu pai não estiver, nosso ninho de amor e muito sexo é na minha cama.

Voltamos para cama, fiquei ali acariciando seus seios e sua buceta e ela acariciando meu pênis:

- Mãe! vamos fazer um meia nove;

- Lógico, quero tudo com você;

Ela chupava meu pau loucamente e eu chupava a buceta e comecei a enfiar um dedo no cuzinho dela, vi que estava muito apertado, cada enfia de dedo era um gemido que ela soltava, ela se virou pra mim:

- Agora que ele já acordou, vou cavalgar...

Subiu em cima de mim e começou o vai e vem rápido, algumas vezes ela parava na portinha e ficava rebolando, depois enfiava tudo , enquanto isso eu mexia muito com seus seios, em um certo momento ela começou a tremer :

- Vou gozar filho, vou gozar...

Senti um liquido quente encharcando meu pênis, isso aumentou meu tensão de uma forma que também não agüentei

- Vou gozar também, mãe...

Gozamos praticamente juntos e ficamos ali, ela deitada em cima de mim exausta e eu também acabado. Depois de um tempo ela me falou que:

- Preciso fazer o almoço, seu pai deve chegar logo.

Fomos ao banheiro para tomar um outro banho e nos compor, meu pai chegou por volta as 13:00hs almoçamos como nada tivesse acontecido e acabei dormindo a tarde toda, no final da noite meu pai foi para cama, fiquei eu e mamãe na sala, quando ela sentou colada comigo e me perguntou:

- Já está pronta pra outra?

- Você já sabe, a noite tem visita no seu quarto.

Depois desta quarta-feira inesquecível muita coisa mudou, mas vou contar em uma próxima história as loucuras que fizemos e o início desta aventura.

Comentários

13/10/2017 23:08:01
Tesao puro.
03/08/2017 17:25:27
Delicia de conto maravilha
12/05/2017 08:07:07
BOM PRA DANAR ESTE CONTO, MY FRIEND. FURUNFAR AMÓITA COM A MÃE É A COISA MAIS GOSTOSA DO MUNDO. QUE SORTE A TUA DELA ESTAR DANDO À VONTADE. JÁ COMI A MINHA, MAS, FOI SÓ UMA VEZ. QUANDO DER, LEIA COMO FOI. NOTA MIL!
23/04/2017 08:39:40
Estreou bem aqui na casa. O conto está ótimo, muito excitante. O que me deixou curiosa foi a tal noite excelente com a tia Noêmia. IEscreva logo com foi. Iniciei um sobrinho, caso que virou um conto meu. Beijos.
22/04/2017 06:58:17
Muito bom o conto, bem narrado e envolvente. Afinal, quem pode fazer sexo com mais amor do que uma mãe? Meu garoto estava necessitando e eu fui quem iniciei ele nos prazeres do sexo. Quando der, dê uma lida como foi. Para este, nota dez e beijocas.
Ner
10/04/2017 11:15:17
Muito bom!!!!!!!!!!!!
07/04/2017 14:43:07
Parabéns conto top... dá uma olhada nos meus tbm e deixa seu voto La 10
06/04/2017 21:40:10
Conto delicioso, menino. Sou suspeita de comentar contos assim, porque tive uma história com meu filho e narrei aqui em dois relatos. Se quiser ler, basta clicar em ¨Coroa Libertina¨ aí em cima que você acha. Com certeza a continuação vai ser ainda mais excitante. Beijos da Vanessa.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.