Casa dos Contos Eróticos

Preparando Meu Ex-Noivo Bem Dotado Para Presentear Mamãe

Autor: Sula_Fofinha
Categoria: Heterossexual
Data: 14/03/2017 11:45:16
Nota 8.33
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá amigos leitores. Há muito tempo venho pensando em voltar a narrar minhas experiências para vocês e curtir as mensagens de incentivo iguais aquelas que recebi a cada parte publicada da série “Feliz Como Eu Sou”. Aliás, quem leu aquela série sabe que eu não vivi apenas as experiências ali contadas. Eu também vivi bons momentos com outros rapazes, porém apenas curtindo o momento, sem me preocupar com envolvimento amoroso ou compromisso para o futuro. Essas experiências aconteceram geralmente com rapazes que eu só sabia o nome. Também fiquei com ex-namorados com o claro objetivo de apenas reviver bons momentos que tivemos na cama com eles fazendo comigo o que sabiam fazer de melhor. Uma aventura que vou contar para vocês envolveu o meu ex-noivo Roberto (cujo relacionamento foi narrado na parte 2 da série “Feliz Como Eu Sou”) e outra pessoa especial: minha mãe. Espero que vocês gostem.

Roberto demorou muito para aceitar o fim do nosso namoro. Na verdade, mesmo quando sabia que eu estava com outro namorado ele tentava ter algum contato. O que acontecia e eu não contei aqui é que algumas vezes eu voltei a me encontrar com ele e terminávamos esses encontros na cama. Roberto foi o homem mais bem dotado que eu conheci. Dono de um pau tão grosso que eu demorei muito para me acostumar e sofri muito para aguentar dentro do meu rabinho. Com um invejável autocontrole na cama, era capaz de manter a ereção durante todo tempo que mantinha o pau dentro de mim enquanto conversávamos sem se mexer ou seja, penetrava sem foder. Infelizmente faltou o autocontrole do ciúme e isso levou ao fim do nosso noivado.

Alguns anos e vários encontros depois do nosso relacionamento eu passei por uma situação inesperada. Meu pai faleceu justamente quando eu me preparava para morar sozinha. Em solidariedade à minha mãe eu adiei o meu plano e ficamos mais algum tempo morado juntas. Diferente do que eu imaginava, foi um muito bom conviver somente nós duas durante aquele período. Mais do que mãe e filha, ficamos amigas e confidentes. Nossos assuntos não tinham tabu. Eu me abri para ela sobre o complexo que eu tinha por ser gorda, sobre a minha primeira vez, sobre o Fábio e os namorados que eu tive até então. Mamãe, por sua vez, contou como foi o seu relacionamento com papai desde o começo. Contou que começaram o namoro quando ela tinha treze anos e ele fora o seu primeiro namorado e que a primeira vez que transaram foi quando eles estavam de férias na escola e papai foi até a casa dela sabendo que meus avós e a minha tia tinham saído. Então, começaram uns amassos e, com a velha desculpa de só por a cabecinha, papai desvirginou mamãe e os dois passaram a transar sempre que tinham oportunidade, às vezes três ou mais vezes por dia. Esse ritmo durou até mamãe ficar grávida de mim já com dezessete anos e papai com vinte. Foi, segundo mamãe um casamento feliz, apesar da situação financeira não ser das melhores. A felicidade de mamãe durou até papai não apresentar a mesma virilidade já próximo do sexto ano de casamento e mamãe desconfiar de que havia uma outra na vida de papai e acontecer a merda que eu flagrei como descrito em “Feliz Como Eu Sou (parte zero)”. Mamãe também teve coragem de contar como foi que começou o caso com o seu amante. Seu Jorge era bem mais velho do que ela (quase vinte anos). De pouca escolaridade, grosseiro, e quase sempre mal vestido porque fazia bicos como pedreiro, encanador ou eletricista nas vizinhanças. Mamãe, carente e se sentindo traída, achou que ninguém haveria de desconfiar dela, uma jovem bonita e bem casada ter um caso com um maltrapilho daqueles que era facilmente encontrado pelos botecos do bairro. Além disso, segundo ela, também não haveria risco de ela se apaixonar. Porém ela não imaginou que aquele mau caráter iria espalhar para os amigos de copo tudo o que acontecia na nossa casa durante a ausência minha e de papai e ainda acrescentar mais um pouco. Tudo começou quando a torneira da máquina de lavar não fechava direito (defeito antigo que foi usado como pretexto para chamar o Seu Jorge). Papai conhecia aquele homem, mas não imaginava como ele olhava para as pernas e a bunda de mamãe. Uma vez dentro de nossa casa, após fazer o conserto e receber pelo serviço, mamãe, que estava com uma roupa mais ousada, convidou-o para tomar um café e num momento oportuno foi agarrada por traz. A ousadia do Seu Jorge foi além do que mamãe esperava. Ela simulou uma certa resistência, mas não o convenceu. Ele quase rasgou a roupa de mamãe que quando virou-se para ele já o viu com o pinto fora das calças. Já não havia mais como mudar o rumo das coisas. Entre colaborar e sofrer um estupro mamãe preferiu a primeira alternativa, afinal foi ela quem provocou. Seu Jorge, segundo mamãe era insaciável. Não se contentou em transar várias vezes com mamãe na cozinha como também fez questão de transar na cama onde ela dormia “com aquele corno”, como ele se referia ao papai. Tanto nessa primeira vez como depois, ele fazia questão de deixar a cama dos meus pais toda lambuzada. Mamãe reservou duas mudas de roupa de cama que eram colocadas assim que papai saia para o trabalho e tiradas quando ele estava para chegar para usar só com o seu Jorge. A coisa saiu totalmente do controle de mamãe. A qualquer hora do dia ele aparecia lá em casa. Bastava ele ficar sabendo que nem eu nem papai estava. O fato de mamãe estar menstruada, por exemplo, não era problema para ele que a fazia chupar seu pau até gozar ou comia o rabinho dela cuspindo antes para lubrificar. Se mamãe quisesse que ele usasse camisinha ela tinha que comprar. Mesmo assim, por se sentir sexualmente satisfeita, mamãe nada fazia para tirar aquele homem da vida dela. As vizinhas passaram a olhar mamãe com desprezo, cochichando quando ela passava perto. Não eram raros os comentários grosseiros quando passava em frente aos botecos. A situação já não mais a agradava, mas ela não sabia o que fazer. Assim foram as coisas até o dia em que eu a flagrei e tentei fingir que nada tinha visto. Ele também percebeu. Infelizmente, teve que acontecer uma coisa tão traumática para mim para que finalmente mamãe parasse de trair papai e tirar aquele homem da vida dela. Mesmo assim a coisa não acabou bem. Papai ficou sabendo e brigou com mamãe em outro episódio traumático que eu tive a infelicidade de ver. Papai e mamãe se separaram e anos depois voltaram a viver juntos, mas nada voltou a ser como antes, por maior que tivesse sido o arrependimento de mamãe.

Tentamos com algum sucesso voltar a formar uma família feliz, mas mesmo assim, até eu sofri algumas consequências: por ter despertado a minha sexualidade tão cedo. Desde que vi mamãe transando com o amante, passei a me masturbar com frequência e, talvez por isso, fiquei mocinha antes de completar dez anos e também perdi o controle do meu peso o que foi terrível durante minha adolescência.

O que tudo isso tem a ver com o meu ex-noivo? Bem, depois da morte de papai e de ter fortalecido a amizade com mamãe, achei que seria justo ela aproveitar a vida e conhecer outros homens. Não sei bem por que, mas achei que ela deveria “experimentar” uma noite justamente com o Roberto e eu consegui. Infelizmente não será neste relato que já está muito longo e eu vou deixar para contar para vocês como aconteceu, do jeitinho que mamãe me contou e quis que eu publicasse numa próxima oportunidade. Até breve. Beijos.

Comentários

12/05/2017 08:15:38
BOM PRA DANAR ESTE CONTO, MY LOVE. ISSO QUE É BOA FILHA, ARRUMANDO UM BITELO PRA MAMÃE. O EX-NOIVO VAI TOPAR COM CERTEZA E O BREGUETE VAI SER BOM PRA DEDÉU. VAI DAR ATÉ FANIQUITO NELA. RSSS. NOTA MIL!
15/03/2017 00:53:05
Ótimo início. Ansioso aguardo a continuação; bjs gata
14/03/2017 20:11:04
Pois é, menina, narrando assim tantas passagens da sua vida, nota-se que ela teve vários altos e baixos. Como todas nós temos. Agora que são amigas e confidentes, acho justo que você tente aproximar esse ex-noivo com ela. Como adoro relatos de maduras com homens mais jovens, nem preciso dizer a expectativa de saber, se isso acontecer. Grata pela visita. Beijos da Vanessa.
14/03/2017 15:10:21
amei o conto, ninfetas que tenham fantasias escravam pra mim que passo meu zap zap anakin1939@gmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.