Casa dos Contos Eróticos

Retângulo amoroso:o raio que caiu duas vezes no mesmo lugar - Final

Categoria: Heterossexual
Data: 20/02/2017 12:29:55
Última revisão: 04/12/2017 13:02:54
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fernanda passou a evitar a loja. Ela sabia o quanto arriscado era ela passar em frente aquela lojinha. Nesse interim, O negócio de Davi crescia e ele precisou de uma funcionária. Em meio aos currículos, aparece a foto de quem? Débora! Despertado o lado animal, Davi resolveu chamar os candidatos para uma entrevista, mas chamou Débora em um dia de sábado pela manhã. Apenas ela. Quando ela chegou, ela demonstrou surpresa.

- Davi!!! É você o dono da lojinha?

- Sou eu sim. Há quanto tempo né.

E fizeram a entrevista, mas sem tocar no passado. Débora havia saído da faculdade depois daquele episódio e passou a trabalhar como comerciária. Estava desempregada a mais de seis meses, sem dinheiro algum, sujeita a fazer de tudo para conseguir uma vaga.

- Débora, posso ficar com você na loja, o salário não é ruim, sempre rola comissão e como lhe conheço de longa data, posso lhe dar esta vaga.

Débora ficou contente e passou a trabalhar lá. Mas Davi passou a cortejar ela. Ela parecia querer esquecer aquele passado e não dava mole. Mas um dia conversando, Davi tocou naquele assunto, aquele amasso na faculdade.

- Débora, aquilo ficou mal resolvido... O que deu em sua cabeça ali? Você namorava com Aurélio, parecia estar bem e...

- Pode parar, Davi. Me arrependo muito daquilo e não gosto de lembrar. Sinto vergonha, eu era nova e estraguei meu namoro, amizade, destruí minha vida acadêmica. Por favor, não quero falar sobre isso.

- Eu só retomei esse papo porque agora que tudo passou, e não há impedimentos para a gente terminar o que havia começado ali.

Débora se assustou. Ela não nutria mais nada por Davi, até achou que não veria mais ele até precisar do emprego. Ela só estava ali porque necessitava sobreviver, mas temia que esse monstro do passado a atormentasse de alguma forma.

- Não, Davi, nada disso! Foi um erro aquilo, não deve rolar mais nada...

- Não vou forçar você a nada, mas agora eu lhe quero muito. Acho que você me deve aquela provocação. Saiba que aquilo tudo ainda está presente pra mim. Morei na África muitos anos depois daquele incidente e apesar de estar bem hoje, sinto que algo precisa se concretizar para deixar minha consciência em paz. A sua também

E Davi passou a dar beijinhos em Débora. Ela tentava escapar, mas um turbilhão de coisas passou pela cabeça dela, inclusive como ela era destrambelhada e jogou uma carreira de arquiteta fora para estar ali trabalhando numa loja e se envolvendo com um homem que ela já havia cobiçado. Como estava numa situação financeira ruim e não estava saindo com ninguém há muito tempo, ela passou a colaborar, sentindo que não poderia simplesmente deixar aquele buraco do passado mal tampado. A coisa foi se desenrolando e aquela Débora do passado ressurgindo em cada avanço de Davi.

Logo ela estava no maior boquete, mamando o pau de Davi. Ela achava ele lindo, gostosão e tratava ela mais como colega do que como patrão. Nesse tempo, nunca insinuou nada a ela o que deixava ela a vontade. Agora era ela quem estava desarmada e quando Davi puxou o gatilho ela tombou. Se rendeu a uma foda com um cara gente finíssima que ela queria conhecer o lado macho. Oportunidade então para isso.

Débora ajoelhada passou a mamar Davi que estava em pé, ele movimentava a cabeça dela pra frente e pra trás. Ela babava o pau dele e ele só incentivando.

- Coloca esses peitos pra fora, tesuda

E logo ele espanholava aqueles seios não tão grandes, mas chamativos. Débora sentia aquela carne pulsante ralando sua pele e batendo no seu queixo. Ela tentava enfiar tudo na boca, mas se engasgava. Ela se posicionou de quatro e Davi meteu sua jeba. E lá estava ele comendo mais uma mulher na sua loja.

- Ai, safado, que rola grossa! Sonhei tanto com essa pica!

- Uhhhhhhhh....geme ordinária! Pensou que eu não iria comer essa buceta que você tanto queria me dar?

E socava muito na sua funcionária. Ela se curvava submetendo sua bunda grande a tapas e enfiadas profundas. Logo estava mamando de novo aquela taca, chupando com gosto e barulho. Se deitou de costas pra receber o tarugo toda arreganhada no frango assado. E tome enfiada!!

- Ai, tesão, mete tudo, seu tesudo comedor!

- Toma, vadia!!!Era isso que você queria! Iria lhe esfolar toda naquela festa!

O ritmo era forte e ambos gemiam com muito tesão. Débora sentou naquela vara de costas para seu garanhão e subia e descia com olhinhos de putinha saciada totalmente fechados, viajando na foda. Ela segurava nos cabelos e sentava com força, gozando muito naquela vara. Davi segurava ela pela cintura para socar ainda mais, arrombando aquela gruta quente. A foda ficava intensa, com Davi se movimentando bastante. Mais uma sessão de chupadas e lambidas de porrete. A cavalgada agora era de frente. Debora só via o rosto de Davi se esforçar para meter até não poder mais. E ela com o corpo em tremeliques, e muito “ai” de puro tesão. Com uma gozada nos seios de Debora, finalizava-se ali aquele quiproquó iniciado quatro anos antes.

Eles passaram a namorar. Fernanda viu aquela moreninha andando de mãos dadas com Davi, mas nem se dava conta de quem se tratava. Foi aí que um dia que Aurélio foi buscar Fernanda e viu Davi e Debora de mãos dadas atravessando a rua. Ficou bastante surpreso. Notando isso, Fernanda perguntou o que havia para ele ficar apreensivo. Ele nada falou. Um dia então, Aurélio, bastante alcoolizado, resolveu falar que viu Davi de mãos dadas com Debora, a ex-namorada dele, do episódio da faculdade

- Só estou contando isso pra provar que os dois não prestam! Olha aí: os dois de mãos dadas, dois pombinhos! Tá na cara que ele passou a comer ela sempre. Ele voltou ao Brasil pra comer ela, ficarem juntos!

Fernanda não sabia o que dizer! Era Debora a tal namorada de Davi. Mas não era verdade aquilo que Aurélio falava. Como se deu a aproximação? Como ficaram juntos? O que houve? Ela realmente evitou passar pelo corredor do shopping esse tempo todo para não cruzar com Davi e fraquejar e até almoçava em outro local para não vê-lo na praça de alimentação, mas com aquela revelação ela passou a ficar bastante curiosa em saber o que de fato teria trazido Debora de volta a se encontrar com Davi depois de tanto tempo. Se viu aflita querendo saber de tudo!

Resolveu investigar. Passou pela lojinha e viu Debora atendendo clientes. Ela estava trabalhando na loja, primeira curiosidade desfeita. Mas como foi parar ali? Eles tinham contato? Em um dia em que Davi não estava, Fernanda resolveu entrar na loja. Como Debora não conhecia ela, atendeu como uma cliente qualquer. Fernanda passou a conversar, dizer que não havia visto ela ali, e se ela era funcionaria nova. Debora respondia tudo tranquilamente, mas percebia que ela estava curiosa demais. Fernanda saiu e no outro dia Debora avistou Fernanda saindo da Administração com a gerente de shopping. E indagou a Davi se conhecia uma mulher com tais características que trabalhava na administração. Davi falou que ela era uma antiga cliente e funcionária do shopping também. Foi Debora quem ficou curiosa e um dia viu Fernanda com Aurélio. Dai matou a charada! Ela era a namorada de seu ex. Mas por que aquela menina queria tanto saber da vida dela? Apertou Davi, que não revelou nada de imediato. Ela então mandou ver

- Você comeu ela???Você comeu ela, não foi?? Você comeu a namorada do Aurélio!! Por isso esse interesse dela, queria saber quem estava se relacionando com o amante dela!!

- Você tá louca!!??? Enlouqueceu? Não é nada disso – desconversava Davi

- Caramba, a história está se repetindo! Mais uma namorada do Aurélio dando mole pra você!O raio caiu duas vezes no mesmo lugar!!!!

- Já disse que não houve nada!

- Acha que sou idiota? Você comeu ela sim!! Tá na cara!! Se você não revelar, vou até ela saber de tudo!

Davi se viu sem saída. Disse que ela estava interessada nele sim, mas que não havia comido. Foi o estopim. Debora resolveu procurar Fernanda na administração

- Eu sei de tudo, Fernanda! Não é esse seu nome? Você sabe quem eu sou! Qual o interesse que você tem em mim? Tá com ciúme? Quer foder com meu namorado novamente, sua puta?

Fernanda se pegou surpresa com aquele ato. Pedia calma, mas Debora estava muito nervosa. As duas estavam sozinhas no escritório da administração. A discussão ganhou corpo e logo as duas batiam boca. Fernanda então falou algo no calor da discussão

- A puta aqui é você!!! Foi você a biscate que queria dar pra outro na cara do próprio namorado! Acha que não sei de tudo isso, sua vadia descarada?

E então as duas se engalfinharam. Tapas pra lá, tapas pra cá, puxões de cabelo, unhadas. As duas sangravam quando chegaram pessoas para separarem aquela briga. Fernanda teve seu contrato cancelado e totalmente possessa foi tirar satisfações com Debora. Quase as duas brigam novamente. Moral da história: esse fato todo chegou aos ouvidos de Aurélio que foi tirar satisfação com Davi. Debora reviu o ex-namorado e disse que ele era corno de novo pois Fernanda havia trepado com Davi. Davi queria amenizar a situação e dizer que Fernanda deu em cima dele. Aurélio saiu dali com uma raiva intensa. Quando Davi chegou ao estacionamento, Aurélio voou pra cima dele. Os dois brigaram, mas Aurélio passou a golpear Davi com uma barra de ferro. Só parou depois que os seguranças o seguraram para então se dar conta do que houvera: As pessoas atônitas ao redor presenciaram o corpo de Davi com o crânio esfacelado e os miolos espalhados pelo chão.

Cinco anos depois, Aurélio cumpria pena em um presidio de segurança máxima. O caso ganhou repercussão nacional, saiu nos jornais, foi capa de uma importante revista semanal. Ele foi a júri popular, quando o país todo parou para ver aquele julgamento. Pegou 22 anos de cadeia por homicídio duplamente qualificado. Passaria o resto de seus dias confinado com outros detentos de alta periculosidade.

Débora passou a desenvolver problemas psiquiátricos e passou a tomar remédios controlados. Tinha constantes distúrbios compulsivos e passou a ficar internada em manicômios com frequência

Fernanda foi acolhida por parentes que pertenciam a uma religião pentecostal. Passou a frequentar cultos e hoje é missionária e cantora gospel. Passou a dar palestras em uma TV evangélica, pois ficou conhecida por ser o pivô daquele caso sangrento.

Comentários

28/04/2017 09:12:10
Excelente, vc sabe escrever bem.
22/02/2017 10:17:24
Valeu, Rildo! Pq o conto foi retirado? Posta de novo, bicho!
21/02/2017 18:29:51
Cara, você se superou! Se o conto anterior estava ótimo, a continuação ficou melhor ainda. Tive um conto aqui na CDC (retirado há mais de um ano) que também provava e comprovava que os raios caem sim duas vezes no mesmo lugar. Concordo com você. Nota DEZZZZZZZ !!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.