Casa dos Contos Eróticos

Minha versão de como fudi completamente minha melhor amiga (VERÍDICO)

Categoria: Homossexual
Data: 11/02/2017 21:14:26
Última revisão: 12/02/2017 23:11:02
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá a todos, meu nome é Leticia Soares. Mariana me disse que tinha contado nossa historia juntas pra um site erótico e eu não acreditei, ela me perguntou se eu não queria contar a minha versão da historia e ela disse que isso aliviaria nosso stress, ela passou o email dela e a senha desse login e disse que essa conta era nossa e que se eu lembrasse de alguma histotia intetessante eu podia falar.

Bem, vou tentar. Como Mariana disse, estavamos no 7° ano e sim, eu vou nos descrever ao contrario dela que tem medinho dos pervertidos, eu tinha 13 anos e eu era ruiva, com sardas e com cabelos longos, meus peitos ainda estavam crescendo e por isso adorava apalpa-los, eu tinha um porte mediano (nem magra e nem gorda) e sim, eu me sentia atraida por garotas, pois é, eu gostava de ver cabelos compridos, olhar mais meigo e pele mais macia, eu comecei a gostar de garotas aos 8 anos quando eu tomei banho com minha prima e ficamos nos acariciando de brincadeira mas o site nao permite contar historias infantis. Droga

Ja Mariana, ela é japonesa, asiatica de cabelos pretos, usava óculos e era toda tímida, seu corpo era um pouco menor que o meu e ela ainda não aparentava ter seios, ela sempre foi doce e meiga desde quando eu a conheci. Quando eu cheguei na escola dela eu vi ela lá toda tímida e quietinha e sentei atrás dela, e senti um perfume delicioso e eu estava meio zonza pois era muito gostoso e eu me apresentei pra ela e perguntei qual era o perfume dela, ela sorriu toda vermelha e disse que tinha usado um perfume escondido da mãe dela, aquele cheiro adocicado nunca me saiu da mente.

Bom, como Mari disse, nós tínhamos um trabalho de Geografia pra fazer e eu sugeri fazermos na minha casa pois além de não ter ninguém, meu computador não tinha trava de senha, o dela tinha pois os pais dela eram bem rígidos.

Eu montei na garupa dela e senti aquele cheiro doce de novo, eu queria muito cheira-la mas eu só a abracei pra poder ficar mais perto dela e ela ficou vermelha.

Chegando na minha casa, nós fomos pro quarto dos meus pais pois eles monitoravam quando eu mexia (hj eu uso um laptop somente meu e pessoal). Chegamos lá e eu liguei e Mariana estava do meu lado toda tímida e eu pedi pra ela pegar uma cadeira pra sentar e ela pegou e sentou do meu lado, de novo, aquele perfume me fazia delirar, o cheiro dele era tão bom que eu parei de digitar um pouco pra apreciar o cheiro. Eu nos imaginei na minha sala nos beijando abraçadas e logo a Mari me disse:

-Leticia? Você está bem?

Eu sorri e disse:

-Bem melhor agora

Pesquisei sobre o clima, cultura entre outras coisas do sul enquanto a Mari escrevia tudo no caderno dela (Por ser japonesa ela tinha um caderno da Pucca, eu nunca tinha visto esse desenho antes e achei bem fraquinho). Depois de terminarmos nossa pesquisa nós descemos e eu fui no banheiro e peguei umas revistas velhas da minha mãe e levei pra sala (Minha mãe nem lia mais, ela lia quando era mais jovem).

Começamos a recortar e eu não conseguia tirar meus olhos da Mari, aquele cheiro me despertou algo por ela, comecei a reparar no corpo e no rosto dela, aquela pele branquinha, aqueles olhinhos levemente puxados, aqueles lábios pequenos e doces, eu estava com muita vontade de beija-la e fazer que nem nas novelas aonde tudo começa com beijo e depois terminava na cama kkkkk eu só queria algo com ela e por isso perguntei:

-Mari, você já beijou alguém?

Ela ficou vermelha com a pergunta e era isso que eu queria mesmo, Mariana tinha um pouco de desejo senão não ficaria espantada com a pergunta. Ela disse virando o rosto:

-Olha Le, eu nunca beijei ninguém não, mas pq a pergunta??

Eu sorri e comecei a sentir um calor muito grande dentro de mim e me aproximei dela e eu perguntei pra ela:

-Quer experimentar?

Ela arregalou os olhos e eu dei uma piscadinha pra ela e ela tentou se fazer de desentendida e disse:

-M-Mas....não têm nenhum garoto aqui.

Eu acariciei seu rosto e disse:

-Quer me beijar? É gostoso. Ela umideceu os labios e estava tremula, admito que eu tbm estava kkkk e ela me disse:

-Eu...eu não curto garotas

Mas parecia que sua cara estava dizendo outra coisa kkk eu queria tanto sentir o gosto dela e na hora, juro que eu pensei "Quero sentir o gostinho japones na minha boca" e eu disse:

-Ninguem precisa saber, vai ser nosso segredinho, vamos Mari, só um beijo.

Ela virou o rosto vernelha e eu senti que seria agora e ela fala:

-Ta bom, mas só um beijo rapido

Meu coração parecia que ia sair do meu peito quando eu ouvi isso, pedi pra ela fechar os olhos dela e ela fechou, a mào dela tremia e eu fui me aproximando dela e na hora eu pensei "Meu primeiro beijo vai ser com a Mari, estamos sozinhas em casa, esse vai ser o melhor dia da minha vida".

Eu encostei meus lábios nos dela e ela deu uma gemidinha fraca, o gosto era delicioso, tão docinha, tão quentinha. Ai decidi fazer aqueles movimentos que eu via nas novelas, comecei a beija-la e o estalo de cada beijo me deixava muito excitada. Eu dei uma leve empurrada nela e deitei em cima dela e eu sentia o gosto dela e eu sabia que ela estava gostando e quando eu separei nossas bocas ela estava com os olhos arregalados e ofegante e eu sorri e disse:

-Foi bom não foi?

Mari parecia muito confusa e eu não consegui resistir e voltei a beija-la, era uma sensação deliciosa beija-la, mas ela não fazia nada, não mexia a boca, não deixava eu sentir a lingua dela, e ela ficar com aquela cara não era nada excitante então eu disse:

-Poxa Mari, me beija de volta, se nós duas não fazermos o beijo não tem graça

Ela deu uma risadinha e eu voltei a beija-la, ela me abraçou e eu comecri a beijar o pescoço dela e eu sentia aquele perfume delicioso que ela usava e eu tirei minha blusa e ela apalpou meu sutiã e eu dei uma gemida e eu fui pra tirar a blusa dela mas do nada ela arregalou os olhos e deu um pulo pro sofá e eu fiquei muito confusa e ela disse:

-O que...mas...

Eu queria tanto aquilo e senti que ela também queria e falei

-Mari, tanto eu quanto você queremos isso, por favor

Ela balançou a cabeça negativamente e eu disse:

-Eu também nunca beijei ninguém, eu era BV como vc, não acha melhor terminarmos de tirar nossas virgindades

Ela ficou atônita e pegou ia blusa e sua bolsa e saiu correndo de casa e eu nem consegui falar com ela, eu na hora só tinha uma explicação na minha cabeça "Ela não gostou".

No jantar meus pais perguntavam sobre o trabalho e eu respondia automaticamente, eu não conseguia parar de pensar pq a Mari saiu correndo daquele jeito. Seria minha abordagem? Seria meu hálito? Seria pq ela não gostava de mim? Eu não conseguia entender o pq dela ter fugido assim.

No dia seguinte eu cheguei triste e Mari me olhou vermelha e foi pra sala, eu sentei no banco da quadra e comecei a imaginar que nossa amizade tinha se desmanchado e do nada ela chega perto de mim com uma cara de pena e eu falei bem brava pra ela:

-NÃO GOSTOU....É ISSO....

Mar ficou vermelha e disse sem graça que ela estava confusa e assustada na hora, a cabeça dela estava cheias de duvidas mas com uma certeza, que ela tinha adorado a experiência comigo, ao ouvir isso eu senti aquele calor voltando a reacender e eu só queria pega-la e fazer tudo que eu queria com ela. Eu puxei ela e nós saímos da quadra e fomos pra trás dela e lá tinha um banheiro que quase ninguém usava mesmo, provavelmente muita gente não sabia da existência dele, foi Mariana que me mostrou ele e ela tinha descoberto ele quando estava no primário e usava de esconderijo.

Entramos no banheiro e eu coloquei a trava toda enferrujada e o banheiro estava bem velho, mas por incrível que pareça (acreditem se quiserem) ele estava bem conservado e só um pouco empoeirado, Mari estava com um sorriso de orelha a orelha e me disse um pouco ofegante:

-Le, e se alguém nos pegar

Nessa hora eu a empurrei contra parede e comecei com um selinho, Mari me olhou apaixonada e começamos a nos beijar, Mari me abraçou e nós duas começamos a gemer, eu puxei a perna dela com minha mão e Mari estava se entregando a mim, dessa vez, consegui aproveitar a língua dela. Eu tirei a blusa dela e ela tirou a minha e jogamos em cima das nossas bolsas e voltamos a nos beijar, eu sentia nosso calor aumentando cada vez mais e ouvir Mari gemendo com meus beijos me deixava muito excitada e nós tiramos nossos sutiãs e quando eu vi o seio ainda pequenos da Mari, tão suculentos e tão atraentes eu disse:

-Gostei de ver eles.

Dei uma lambida no peito dela e levei minha língua pra boca dela e voltei a beija-la apaixonadamente e nossos peitos estavam se esfregando, senti meu shorts ficar úmido e Mari estava tão gostosa, comecei a chupar seu pescoço como uma vampira e ela gemeu e estava em êxtase e logo ouvimos os sinal bater e eu sorri e disse pra ela:

-Quer matar aula??

Ela estava com os olhos moles e com a boca um pouco aberta e balançou a cabeça positivamente, eu tirei meu shorts e tirei minha calcinha toda úmida e a Mari pegou ela e deu uma cheirada nela e suspirou e eu a prensei de novo e disse bem perto do rosto dela sussurrando:

-Vamos fazer isso sempre, sabe Mari, eu realmente gosto de você, estou perdidamente apaixonada por você

Mari me deu um selinho e sorriu dizendo:

-Eu também estou apaixonada por você

Eu abaixei o shorts dela e comecei a mamar a bucetinha dela, ela colocou suas mãos na minha cabeça e eu estava beijando a buceta dela como se fosse na boca e ela gemia alto e eu disse com a minha boca úmida com o mel dela:

-Se controla doida, geme mais baixo

Eu dei uma cuspidinha na buceta dela e ela disse:

-Que nojo Le.

Eu sorri e falei que já tínhamos nos beijado e por isso não devia ter nojo da minha saliva. Voltei a beijar a buceta dela e ela urrava bem baixo e ela gozou na minha boca e eu me levantei e ela estava muito ofegante e eu a beijei com gozo dela e tudo e ela me abraçou e caímos no chão uma em cima da outra, ela em cima de mim e ela começou a chupar meus peitos (nem tão grandes) e eu comecei a gemer pq estava tão gostoso, ela mordia o biquinho de leve e ela babou muito no meu seio e ela acariciava minha buceta e eu revirei os olhos de tesão.

Depois eu e ela fizemos o 69, melhor posição EVER, eu e ela sentíamos orgasmos múltiplos juntas e cada uma chupando a buceta uma da outra era delicioso. Eu não queria que aquilo acabasse, eu tinha 13 e ela 12 mas parecíamos mulheres adultas pornôs kkkk aposto que se alguém nos visse com certeza iria ficar muito excitado....não importa se você é homem ou mulher, se você visse o que fizemos naquele dia, você com certeza ia se masturbar muito....arrisco dizer que deixaríamos varias atrizes pornôs no chinelo kkkk

Depois do 69 eu e ela cruzamos as penas e nos abraçamos nos beijando e começamos a esfregar nossas bucetas uma na outra, a famosa posição tesoura com tesoura kkkk amo essa tbm, sentia o chão aonde a gente estava ficando cada vez mais úmido e enquanto nos beijávamos eu a puxava pq eu queria ser a dominante na relação e por isso ela dava uns gemidos agudos.

Quando gozamos (e muito por sinal) deitamos no chão bem molhado e nos abraçamos e ficamos em êxtase nos olhando acariciando nossos rostos (eu acariciava o dela e ela o meu) e ela sorriu e eu estava muito apaixonada pela minha japinha e disse:

-Mari....quer namorar comigo?? Ninguém precisa saber, vai ser nosso segredo

E pra minha surpresa ela aceitou:

-Quero sim, hoje vamos fazer na cama dos seus pais

Eu sorri e fiquei surpresa que aquela japinha tímida era no fundo uma bela duma putinha e eu concordei com ela e ficamos nos beijando um pouco mais deitadas no chão bem agarradinhas.....foi delicioso esse dia...nunca vou esquecer

Comentários

20/02/2017 21:05:10
Ótimo
12/02/2017 13:57:34
Ótimo😍😍😍

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.