Casa dos Contos Eróticos

Feed

Perdendo a virgindade de forma humilhante

Autor: Lucas
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 10/01/2017 18:06:11
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu sou lucas, tenho 18 anos anos e vou contar como perdi a minha virgindade no final do ano passado. Havia terminado o terceiro ano do ensino médio, particularmente eu era um aluno excluído que sofria muito bullying e era perseguido, o fim da escola para mim significava a saída do inferno. Tinha terminado a escola e estava no período de férias, mas tinha uma festa de despedida na casa de campo de um dos alunos, eu não pretendia ir mas a garota mais linda da sala me chamou e eu gostava dela, então aceitei. Afinal eu era um loser, fracassado e indefeso, mas era um cara bonito, magro, de olhos verdes e cabelo curto, talvez eu teria alguma chance com ela. A festa começaria a tarde e iria até o dia amanhecer, notei apenas duas mulheres que não eram da turma e não lembrava delas na escola, aparentavam ter uns 20 e poucos anos. Quando era umas 16h horas, um cara que sempre me sacaneou e infernizou na escola, chamado Douglas, chegou com o grupinho de amigos e me levou para o meio de todo mundo, eles pediram para eu dobrar meus braços e colocar dentro da manga da camisa. Eu não quis mas eles começaram a prender meu braço na manga da camisa a força, e quando conseguiram me colocaram em pé no meio de uma mesa de centro. Foi tudo muito rápido, Douglas chamou todo mundo e disse que eu tinha algo para mostrar, então ele desceu a minha calça junto com a cueca na frente de todo mundo.

Eu fiquei sem reação, só senti as minhas roupas descendo pelas minhas pernas e quando olhei para baixo vi os meus bagos, foi um segundo de silêncio até o mundo explodir em gargalhada e gritos. Olhei para todos os lados e via as garotas que estudaram comigo rindo até não se aguentarem, celulares apontados pra mim e o olhar de deboche de todo mundo. Cabe aqui uma descrição dos meus genitais, eu tenho pênis grande, grosso e cabeçudo, é daqueles que mesmo mole são grandes e cresce pouco quando endurece (ereto mede 18cm) e o meu saco é grande, murcho e pendurado, isso explica o "uau" de algumas na hora que viram. Mas ter bons genitais não me livrou da vergonha de mostrar eles para a minha turma de escola, foi vergonhoso, constrangedor e humilhante. Antes de ir eu havia depilado completamente toda a região íntima, como costumo fazer, mas senti falta dos pelos pubianos para me cobrir pelo menos um pouco. Com os braços presos, a única coisa que eu podia fazer é ficar parado mostrando, mas tudo piorou quando acabaram com a minha virilidade e masculinidade: me viraram de costas e abriram as nádegas da minha bunda para expor o meu cu. Me desceram de lá, tiraram a minha camisa e a calça e a cueca dos meus pés, eu não pensei usar a mão para tampar as minhas partes, eu fui brigar com o Douglas mas me seguraram: um segurou um braço, outro veio e segurou o outro braço, o mesmo as pernas, e então eu estava deitado no ar segurado por eles, e eles abriram as minhas pernas o máximo possível.

Depois do espetáculo da nudez, subiram comigo para um quarto e trancaram a porta, aquelas duas garotas desconhecidas estavam la, uma loira e uma morena. Douglas apenas disse que eu deveria agradece-lo e mandou elas começarem, e então elas começaram a tirar a roupa, o meu pau involuntariamente começou a endurecer quando os peitos da morena ficaram de fora, quando elas terminaram meu pau estava duro como um mastro. As duas eram bonitas e muito gostosas, tinham peitões grandes, coxas grossas e bundas grandes, malhadas e empinadas, fora que eu não conseguia parar de olhar a buceta delas. Perdi a vergonha, me soltaram e eu fui nelas, passei a mão nelas todinhas e elas pegavam na minha piroca e no meu saco, a morena ficou de joelhos e pagou um boquete rápido enquanto eu chupava ou peitões da loira.

E eu era virgem, era a primeira vez que eu sentia uma boca sugando a minha rola, a língua dela passando... e ela revesava, ora lambia as minhas bolas e ora chupava o meu pau. Boquete é a melhor coisa que existe. Deitei na cama, e a loira sentou com a xerecona dela na minha boca, dava pra sentir o cheiro de buceta no meu nariz, chupei ela com tudo enquanto a morena me punhetava de uma forma muito melhor do que eu mesmo e lambia a cabeça da minha piroca. Bem, um cara virgem experimentando tudo isso de uma vez e sem esperar não deu outra, soltei um jato de porra e continuei gozando, até hoje sonho com aquela gozada. Foi tanta porra que saiu que os caras ficaram impressionados, sujei a cara da gostosa morena. Ai foi aquela sensação boa de alívio enquanto o pau amolecia, e por outro lado ouvi zoações por ter gozado sem meter, mas uma coisa eles deixaram bem claro pra mim: elas eram putas pagas e aquilo tudo foi para eu transar, e eu só teria minhas roupas de volta e só poderia ir embora depois de meter nelas e gozar dentro. Eles filmaram tudo e colocaram na TV para todo mundo ver.

Só que agora eu estava diferente, fui para onde estava todo mundo, peladão e todo a vontade, como se estivesse sozinho em casa. O buraco da cabeça da rola ainda estava pingando sêmen, ouvi algumas zoações mas estava tudo bem, como eles já tinham visto tudo não tinha mais a gritaria e gargalhadas, apenas risinhos de vez em quando, fiz até um pirocoptero para as mulheres. Duas horas depois eu resolvi que iria transar com as putas, mas não no quarto e de portas fechadas, mas no meio sala e na frente de todo mundo. Elas tiraram a roupa e eu pedi a loira para me masturbar enquanto dava dedadas na xana dela e chupava a buceta da morena, e quando ficamos devidamente excitados partimos para o sexo. Agora todo mundo olhava surpreso e curioso, pareciam estar excitados com a cena, a sala estava em silêncio. Deixei a morena na posição frango assado, com as pernas abertas e coloquei a cabeça do pau. Fui entrando devagarzinho e sentindo aquela vagina quentinha engolindo a minha rola, que sensação deliciosa... enquanto metia nela eu chupava a rachada da loira que estava em pé quase sentada na minha boca. Comecei metendo bem devagar e demorou um pouco para a puta começar a gemer baixinho, então a velocidade foi aumentando, até que quando terminei de comer ela eu estava na potência total, cavalgando nela. Mas eu não gozei, ainda tinha para loira também. Sentei e coloquei ela no meu colo e fiz ela quicar, com ela eu já comecei um pouco acelerado, e minha boca grudou no mamilo dela enquanto isso, mamei naquelas tetas grandes com vontade. Então coloquei ela de quatro e continuei castigando o bucetão dela, metendo com força, e de curiosidade abri a bunda dela pra ver o cuzinho rosa dela. Como eu já tinha gozado e muito antes, demorei para gozar dessa vez, levando em consideração as duas eu fiquei uns quarenta minutos só metendo, mas enfim eu podia sentir os jatos de porra saindo, e gozei dentro mesmo, como haviam pedido.

Depois do sexo me entregaram a roupa mas não fazia diferença nenhuma, nem pra mim nem pra ninguém ali, então fiquei sentado desfrutando do relaxamento pós-sexo antes de me vestir. Depois dessa foda eu havia conquistado respeito onde não havia mais dignidade nenhuma, muitos caras me deram os parabéns e eu não sabia se partia pra dentro do Douglas e da turma dele ou agradecia. Acabei não fazendo nada, fui dormir para ir embora no dia seguinte de manha, ainda ganhei um boquete de despedida.

Comentários

11/01/2017 02:24:01
Tem continuação?
10/01/2017 18:12:44
Vou postar toda experiência sexual que eu tiver.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.