Casa dos Contos Eróticos

Passagem de Ano

Categoria: Heterossexual
Data: 07/01/2017 19:07:06
Última revisão: 20/08/2017 08:24:00
Nota 10.00
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fomos para o baile de reveillon no clube da cidade onde aproveitamos muito bem a noite, nos divertimos pra valer, reencontramos muitos amigos, dentre eles o Gilberto, amigo meu de longa data e ex-ficante da Cássia.

Como sempre ela estava uma delícia de morena: minivestido branco, contrastando com a pele super bronzeada, bem decotado, deixando parte dos seios a mostra, sandália de salto alto, que deixava sua bunda empinada, marcada levemente pelo contorno da calcinha pequenininha também branca.

Para quem não leu as nossas outras histórias, digo que ela é bem morena, cabelo preto, liso, fio reto, comprido até o meio das costas, 1m73, linda de rosto e de corpo, seios médios durinhos, um andar e um falar sensualíssimo, que sempre foi desejada por todos os caras da cidade, tanto os novos quanto os mais velhos. Era do "clube" das top´s da cidade. Todo mundo era louco por ela, mas acabou que fui eu que a conquistei e casamos depois de uns 4 anos de namoro.

Antes de mim ela ficou com muitos carinhas da cidade. Namoro mesmo foram poucos, mas ficou de "brincadeira" com muitos caras, muitos mesmos. Uma vez, ela e uma prima contaram com quantos ela já tinha ficado, e a lista deu bem mais de cem. Ainda guardamos essa lista como recordação dos tempos dela de solteira. Na verdade, a vida sexual dela não mudou muito depois de casada, pois somos liberais, mais eu que ela, e ela tem a liberdade de transar com quem ela quiser.

Assim que o baile acabou, já de manhã, nos despedimos dos amigos para irmos embora e o Gilberto nos perguntou se não queríamos tomar um champagne com ele. Já estávamos meio altos com as bebidas que tínhamos tomado durante o baile e, nessas horas, não dá para recusar um convite desses. Era um champagne verdadeiro e fomos para nossa casa degustar essa maravilha. Só não imaginava que nesse pacote de degustação entraria também a Cássia.

Já dentro de nosso carro a caminho de casa, o Gilberto era só elogios à Cássia. Que ela estava linda, que éramos um casal muito querido, que a Cássia não havia mudado nada, que continuava linda; que eu era um sortudo por ter casado com ela, etc. Chegou mesmo a dizer, meio alto pela bebida, que ela estava deliciosa. Rimos, ele pediu desculpas pela sinceridade, mas acabou deixando as desculpas de lado e reafirmou:

- Tá deliciosa mesmo!!! Vou mentir porquê? Me desculpem, já falei mesmo, agora não tenho como voltar atrás. – Vou falar o quê? Que ela tá feia?

Rimos do comentário e eu emendei:

- Bêbado não tem jeito mesmo, nem se toca do que tá falando...

- Posso estar bêbado sim, mas não falei mentira. Tinha alguma mulher no baile mais gata que ela? Tava todo mundo olhando pra ela. Vai dizer que você não notou!

- Notei sim, Gilberto, inclusive você...

- Eu não...

- Como não? Você sim; Se não, você não estava falando isso agora. Eu vi você secando ela o tempo todo...

- Tá bom, olhei sim, mas você queria o quê? Era a mulher mais gata do baile. Eu gosto de ver uma mulher bonita. Não estava olhando numa de sacanear, só admirando mesmo...

A Cássia, do meu lado, ria maliciosamente dos comentários do Gilberto. No fundo estava adorando ser elogiada e assediada daquela forma por ele. Na verdade, ela nunca deixou de sentir tesão por ele. Também não posso mentir que estava gostando de ver a minha mulher sendo cantada na minha frente.

Sabendo que eu gostando de ver ela sendo cantada, ainda mais por um amigo pelo qual ela ainda sentia tesão, falou:

- Vocês homens são todos iguais. Não podem ver uma mulher gostosa que ficam babando. Nem mulher de amigo vocês respeitam.

- Opa! Eu respeito, eu falei... O Gilberto é que tá se insinuando aí pro seu lado.

- Pô, Cláudio. Eu sou teu amigo, amigo de vocês, só estou falando a verdade...

Chegamos em casa, o Gilberto se estirou em um sofá, a Cássia em outro e eu fui pegar as taças pra bebermos o champagne. Aproveitei para botar uma música, enchemos as taças, brindamos mais uma vez o novo ano e bebemos o champagne delicioso.

Conversa vai, conversa vem, o Gilberto não tirava o olho da Cássia. Eu fingia não estar percebendo nada. Ora estava secando as coxas grossas e bem torneadas, ora os peitinhos, com os mamilos durinhos espetando o tecido do minivestido.

Começou uma música lenta e o Gilberto chamou-a para dançar. Enlaçou-a pela cintura, ela envolveu-o pelo pescoço e foram dançando pela sala. Ele falava alguma coisa no ouvido dela e os dois riam, dançando, se divertindo. Ela estava colada no corpo dele que era bem mais alto que ela. Acabada a música ele foi encher as taças e eu quis saber o que ele estava falando pra ela.

- Ele estava falando da vez que ficamos juntos no carnaval, como tinha sido gostoso, eu estava fantasiada de pirata, com um shortinho minúsculo de cetim preto, agarrado no corpo, deixando a popa da bunda de fora, bustiê vermelho que mal escondia os peitinhos, barriga e cintura a mostra e todo mundo querendo me pegar.

- Eu lembro desse dia, falei, mas não tive nem chance de chegar em você. Saía um, já chegava outro. Eu vi você de amasso com uns quatro caras diferentes naquela noite. Um deles foi o Gilberto. No dia seguinte, quando estávamos contando como tinha sido o baile, ele falou pra gente que tinha ficado com você e que você era deliciosa, que tinha deixado ele de pau duro, mas não quis sair do clube com ele (leiam o conto: Minha mulher de pirata no carnaval).

Ela emendou:

- Ele já está de pau duro, tá esfregando aquela pica dura na minha buceta e eu já estou com tesão. Se continuar assim vou acabar dando pra ele. Você não fala nada, fica aí só olhando ele se aproveitando de mim...

- Então se aproveita dele também. Só estamos nós aqui. Ele é de confiança. Vai fundo. Vou gostar de ver você com ele e acho que você merece ele também. Já que não saiu com ele naquele carnaval, chegou a hora de recuperar o tempo perdido.

- É isso que você quer, né? ela disse. Então eu vou dar pra ele, pra você ver. Eu quero aquela pica todinha em mim. Vou gozar que nem uma louca pra te deixar com muito tesão. Vou foder muito com aquela rola grande que ele tem...nossa! Só de falar já estou louca de tesão nele.

Nisso ele voltou, bebemos mais uma taça e eu provoquei:

- A Cassia está te esperando pra dançar. Vai fazer essa desfeita?

E fiz discretamente um sinal que era pra ele ir em frente e eles voltaram a dançar. Ela começou a se esfregar de leve nele, a olhar nos olhos dele de um jeito sensual, olhava pra boca dele, voltava a olhar nos olhos, chegava com a boca pertinho da boca dele, quase o beijando, abraçava-o forte, roçando a buceta naquela rola dura e grande. Ele não resistiu àquela provocação e beijou-a com o maior tesão. Que beijo gostoso que deram!!! Meu pau latejava de tão duro que estava, vendo eles se pegarem, apesar do ciúme que senti. Beijaram-se por muito tempo, viravam a cabeça de um lado para o outro, chupavam-se o pescoço, voltavam a se beijar e se esfregavam com um tesão incontrolável.

- Desculpe amor, ela disse pra mim, pendurada no pescoço dele. Eu não aguentei de tesão. Tudo bem pra você?

- Tudo bem, eu disse. Só vai ter que dar pra nós dois.

- Deixa comigo. Vai ser uma delícia meter com vocês.

Eles se beijaram de novo, a Cassia tirou a camisa dele, foi descendo, beijando o peito dele, a barriga sarada, enquanto massageava o pau por cima da calça. Abriu o zíper, meteu a mão por dentro da cueca e tirou aquela rola grande e grossa pra fora. Ela elogiou:

- Nossa! Que pau delicioso que você tem? Se eu soubesse disso, já tinha dado pra você à mais tempo! Já tinha visto, Cláudio?

- Já. Sempre jogamos juntos. Depois do jogo, no vestiário, estavam todos nus. Era um dos maiores...

- Quer dizer então que tem gente da turma de vocês com pau maior ainda? Quis saber, enquanto olhava admirada pra aquela pica e tocava uma punheta.

- Tem e é de alguém que você acha lindo também.

- Depois vou querer saber quem é. Nossa! fiquei curiosa.

- Você é uma putinha mesmo. Nem meteu com o Gilberto e já tá pensando em outro.

- Adoro um pau grande, grosso, bonito, que nem esse.

E meteu a boca naquela rola. Começou abocanhando a cabeça, descia, lambendo, até o saco, metia uma bola na boca e puxava a cabeça pra trás, devagar, até ela se soltar da sua boca, voltava lambendo o pau todo e engolia aquele caralho duro até sumir na sua boca. O Gilberto gemia de tesão e falava:

- Que delícia Cássia, você chupa gostoso demais. Que tesão! Que boca gostosa! Assim eu vou gozar na sua boca.

- Se você deixar ele duro depois, pode gozar, que eu vou querer sentir essa pica toda dentro de mim. Você me provocou, me deixou com tesão, agora vai ter que me comer.

Passei a comandar a chupada:

- Tá gostoso, amor? Tira da boca e lambe a cabeça. Isso!!! Não para de tocar a punheta não. Deixa ele bem duro; engole só a cabeça e toca a punheta pra ele crescer todo na sua boca. Tá gostando Gilberto? Ela chupa gostoso, né? - Isso puta, chupa essa rola com tesão, engole ela toda, vai!! Você não queria sentir o pau dele? Então engole tudo! Mete na boca que ele vai te encher de porra. Quero ver ele te dar um banho de leite na cara!!

Ela chupava com mais tesão ainda. O pau dele não tinha mais como crescer, a Cássia sentia as veias grossas na mão. Parecia que iam estourar de tão grossas que estavam. Ela tirou o minivestido, ficou de quatro no chão e pediu:

- Mete esse pica em mim, mete! Me come de quatro! Quero sentir esse pau me fodendo toda! Mete até o fundo, vai! Quero sentir as bolas batendo na minha bunda!! - Não era isso que você queria naquele carnaval? Me comer na rua, que nem uma puta? Então aproveita! Sou sua puta agora!

Quando vi ela de quatro, com aquela buceta lisinha e inchada de tesão, falei:

- Peraí Gilberto que eu vou deixar ela prontinha pra você meter. Meti a língua naquela buceta deliciosa enquanto massageava o grelinho já duro de tanto tesão. Ela gemia, rebolando na minha boca, eu subia até o cuzinho e metia e tirava a língua dele, voltava pra buceta e metia a língua bem fundo, naquela rachinha melada. Ela pediu:

- Sai amor; deixa o Gilberto meter em mim, deixa! Eu não aguento mais de tesão. Vem gostoso! Não era isso que você queria? Agora mete gostoso em mim. Mete com força que eu quero gozar no seu pau.

- É isso mesmo que eu quero, ele disse. Quero te foder muito, gozar gostoso nessa buceta pra você não se esquecer mais de mim. Nem você nem o Cláudio.

Falei pra ele: - Vou deixar seu pau bem duro pra meter nela. Peguei naquela pica tesuda e meti a boca. Chupei muito aquele pau até ele crescer e encher toda a minha boca. Batia com ele na minha cara, pra sentir o peso e voltava a chupar com tesão aquela rola. Que delicia de pau!

Ela, que gosta de me ver chupando o pau dos seus machos, delirava de tesão e falava: chupa gostoso, amor. Deixa ele bem duro pra mim. Eu quero ele bem duro. O pau dele é uma delícia, né?

Só pude concordar fazendo um - Hum-hum... já que eu estava com a boca ocupada com aquele pau lindo...

Quando achei que tava no ponto falei pro Gilberto meter nela. Ele posicionou a rola na entrada daquela buceta melada, deliciosa e foi empurrando devagarzinho. Ela gemia e rebolava que nem uma puta e falava:

- Que tesão de pau! Que delícia! Me fode, seu puto! Nossa, Cláudio, tô sentindo o pau dele me alargar todinha!!! Aiii... aiii... mete, mete forte, não para! Mete... vai, me come gostoso. Adoro sentir uma rola grande na buceta! Aiii... que tesão!!! Cláudio, ele tá me fodendo gostoso! Que pau gostoso que ele tem! Mete bem demais! Ele meteu tudo. Tô sentindo as bolas batendo na bunda.

Eu só estava esperando a hora certa de entrar naquela foda. Depois de levar muito pau de quatro, pediu pra ele se deitar porque queria cavalgar naquela rola. Ele se deitou, ela montou nele e encaixou o pau na entrada da buceta e foi descendo, rebolando até ele entrar todinho naquela buceta. Começou então a cavalgar no Gilberto. Gemia, rebolava, enterrava até o fundo aquela rola na buceta. Quando percebi que eles não iam aguentar mais muito tempo, me posicionei por trás e sem o Gilberto tirar o pau da buceta, meti a língua no cuzinho dela pra deixar ele preparado pra mim. Ela alucinou de tesão e pediu:

- Mete a rola na minha bunda, Cláudio! Eu quero sentir vocês dois dentro de mim. Come meu cuzinho. Quero sentir seu pau me fodendo junto com o do Gilberto.

Encostei a cabeça na entrada do cuzinho, ela ajeitou melhor com uma reboladinha e quando encaixou legal, fui metendo a rola nela. Sentia a pressão do cuzinho apertado e da pica do Gilberto preenchendo toda ela. Que delícia de DP. Ela começou a rebolar nas duas rolas e gemendo falou:

- Eu vou gozar no pau de vocês! Que tesão! Aiii... Aiii.... Quero vocês gozando muito em mim. Quero porra! Quero foder! Mete mais...mete forte. Bate na minha bunda, amor... me chama de puta! Tá gostando de me comer junto com o Gilberto, hein, meu corno gostoso? Eu tô adorando! Que rola gostosa que ele tem...

Não demorou muito e ela anunciou que ia gozar. Beijava o Gilberto na boca e depois pedia:

- Mete forte que eu vou gozar, Aiii... aiii... Que tesão! Vocês vão me foder toda! Mete mais, mete a pica em mim! Quero muito leitinho! Quem vai gozar na minha boca?

Começamos a gozar os três juntos. O tesão era demais, ela forçava a buceta e a bunda de encontro aos nossos paus e começou a gozar sem parar.

- Me fode! Me bate! Goza na minha buceta Gilberto! Enche ela de porra. Aiii... Que delicía! Que tesão que eu tô sentindo. Aiii.... aiii.... não para não, aiii... aiii...

O Gilberto não aguentou mais e gozou feito um louco, enterrando todo o pau na buceta dela. Eu também não aguentei mais e enchi o cuzinho dela de porra. Ela não parava de gozar e pedia mais rola. Quando terminamos ela reclamou:

- Ninguém gozou na minha boca. Fiquei sem tomar leitinho.

Falei:

- É isso que você quer? Deixa que eu resolvo isso.

Tirei o pau de dentro do cuzinho dela e deixei só o Gilberto com o pau ainda duro dentro dela. Dali a pouco peguei no pau dele e fui tirando devagarzinho. Quando saiu, começou a escorrer todo o gozo dele pra fora daquela bucetinha inchada de tanto levar pau, fazendo aquele fiozinho de leite. O pau dele ainda estava duro. Cai de boca naquela pica linda, grande e grossa, de novo, e chupei com vontade, até deixá-la sem uma gotinha de gozo. Com a Cassia ainda de quatro, meti a boca naquela buceta melada de porra e lambi todo o gozo do Gilberto. Quando ela estava limpinha e a minha boca cheia de porra, fui até ela e beijei-a com o maior tesão.

Nossas línguas escorregavam com tanto leite que tinha. Lambemos a língua um do outro até que não havia mais nada de gozo para tomarmos. O Gilberto não acreditou naquela trepada e nos agradecia e elogiava nossa performance. Foi demais aquela foda. Assim entramos no ano novo. Com muito sexo e felicidade.

Comentários

01/06/2017 22:03:24
MUITO BOM.
24/01/2017 20:33:45
Uma delícia de casal, liberal e pronto para os prazeres da vida. Nota 10!
10/01/2017 17:43:58
Tesão de mulher!
09/01/2017 16:01:18
sonho com um ou mais caras que deixem a minha esposa assim, bem putona, bem safada e viciada em outros cacetes! Pq puta ela já é, mas tem algumas ressalvas ainda.... cornobh@yahoo.com.br
07/01/2017 20:37:04
Casal perfeito!!!
07/01/2017 20:11:08
Delícia de putinha.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.