Casa dos Contos Eróticos

As amigas de Naty - Paulinha e Juju, duas nifentas de acabar com qualquer macho

Autor: Alemão 70
Categoria: Heterossexual
Data: 05/05/2016 00:36:29
Nota 9.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Depois que Naty foi para sua casa, fiquei um tempo sem vê-la, pois apesar de morarmos próximo, as tarefas do dia a dia não propiciavam nosso encontro.

Num domingo de muito sol, Ricardo pai de Naty me convidou para ir a um Clube que apenas pessoas credenciadas e amigos poderiam entrar. Fiquei empolgado por novamente ter a chance de encontrar aquela deusa. No dia marcado, me arrumei e fui em direção a casa desse meu amigo, pois devíamos todos ir nos carros dos sócios, por um contingenciamento de veículos no local. Quando cheguei a casa dele, fui recebido por Marta sua esposa que estava muito linda e gostosa. Ela estava com essa saída de praia e por baixo um maiô que delineava todo seu corpão, e não consegui disfarçar um olhar conferindo suas curvas, mas me portei normal, não deixando perceber minha encarada. Perguntei pelo meu amigo Ricardo e ela disse que ele tinha saído com a Naty pra comprar umas coisas e que estávamos esperando umas amigas de Naty para irmos nos carros pro Clube.

Depois de uns 20 minutos eles chegaram, e com eles, as amigas de Naty que estavam muito gostosas de biquíni com saídas de praia cobrindo seus deliciosos corpos. Ricardo veio me cumprimentar e disse que eu teria que ir dirigindo um dos carros, junto com as meninas e ele iriam com sua esposa no outro. Naty sentou na frente junto comigo, e as meninas foram pro banco de trás. Saímos e fomos atrás do carro de Ricardo por não saber onde ficava o tal clube. Depois de uns minutos, as meninas me pediram pra colocar uma música e começamos a conversar. Nossa conversa era descontraída, mas logo Juju disse sorrindo: Pare com esse papinho que nós sabemos o que você e Naty fizeram na semana que ela ficou em sua casa. Ela disse que vocês transaram de todos os jeitos e ela disse que você é muito gostoso, e adorou dar o cuzinho pra você. Fiquei um pouco sem jeito com o que ela disse e as meninas também, mas logo a Naty disse: ele é muito gostoso mesmo e acho que ele comerá uma xana hoje, e todos caíram na gargalhada dentro do carro.

Finalmente chegamos ao clube, fomos para um quiosque um pouco afastado do público e colocamos uns petiscos na mesa junto com uns pratos pra almoçar. As meninas foram tomar um bando na piscina mas não demoraram. Depois de almoçar, elas mais Marta foram dar uma volta e fiquei tomando uma gelada com meu amigo, relembrando nossas farras e as mulheres que pegamos. Perguntei a ele se Naty tinha gostado de ter ficado em casa, e ele disse que você tratou muito bem dela. Perguntei como tinham sido suas férias, e ele disse que a esposa adorou, e reataram o velho e bom relacionamento, e ela estava pensando em sair do Banco que trabalhava, e ele largar o seu emprego, pra montarem uma gráfica de grande porte.

Depois de uma hora, as meninas voltaram e queriam que eu fosse com elas na piscina pois tinham alguns homens tarados e elas estavam com medo, Naty me puxou pelas mãos e fomos para lá. Quando chegamos não tinha praticamente ninguém na piscina que era enorme, e logo entramos para tomar banho num local raso porque a Paulinha não sabia nadar. Sentamos-nos, e começamos a bater papo, e Naty se sentou na minha frente com aquele biquíni rosa bem gostoso, fiquei fazendo sombra pra ela não se queimar muito no sol. Com a conversa chegando no item sexo, sentia a mão de Naty deslizando sobre minha perna, e tocando no meu pau por cima do short. Com aquela conversa e com a situação que me encontrava, meu pau começou a querer sair do short, e vi que Juju e Paulinha me olhavam com mais malícia, e suas expressões ficavam cada vez mais safadas. Naty disse que queria dar uma chupada em meu pau ali mesmo. As meninas se aproximaram de nós um pouco mais, e ficamos observando se ninguém vinha em nossa direção e quando ninguém estava vendo, ela tirou meu pau pra fora, e começou um delicioso boquete num ritmo acelerado e forte, parecendo uma bezerra mamando. Juju foi com a mão no meu pau e começou uma punheta pra acelerar meu gozo, e depois de uns 3 minutos disse que iria gozar, mas não queria jogar esperma na água que estávamos tomando banho, ela tirou rapidinho meu pau e disse, goza na minha boca, e foi o que fiz. Jorrei muito esperma em sua garganta, e a ninfeta não deixou cair uma gota.

Depois disso, fomos para nossa mesa e ficamos até o final da tarde, como estava de carro e iria levar as meninas embora, não quis beber. Ricardo disse que se eu pudesse levar as Juju e Paulinha em suas casas para se arrumar, porque elas queriam ir numa festa junto com Naty, às 22 horas. Disse que sim, e que eu esperaria as duas para trazê-las no carro. Juju e Paulinha entraram no carro juntas comigo e saímos, Paulinha sentou na frente e saímos. Juju disse: Não precisa ir em casa pra gente se arrumar, disse: porque não? E Paulinha disse: Trouxemos nossas roupas dentro de uma mochila que está na porta malas do carro. E aonde vocês vão se arrumar? - Juju: em sua casa bobinho kkkkkkkkkkkkk

Chegamos em casa, e elas saíram do carro saltitantes e foram direto para casa, fui deixar o carro na garagem e entrei por uma porta que dá acesso a casa, e logo peguei uma garrafa de cerveja para refrescar no calor, e elas se assustaram ao me ver e perguntaram por onde entrei. Por esta porta que dá acesso a garagem suas bobinhas kkkkkkkkk. Perguntei se não queriam tomar um banho e elas disseram que era apenas pra tirar o cloro da piscina que estava em seu corpo. Juju foi primeiro e fiquei com Paulinha no meu quarto, ela pegou a cerveja que estava em minhas mãos, e bebeu se afogando com a cerveja, com isso, me aproximei dela, e lhe dei um beijo passando as mãos em seu corpo. Paulinha se assustou um pouco com minhas mãos passando em seu corpo, mas depois se aconchegou em meus braços, ficamos nos roçando e ela suspirava quando beijava seu pescoço e mordia seu queixo. Paulinha, 18 anos, uma loirinha gostosinha, de medidas normais, com uma cinturinha de violão, e um bundinha empinada, com seios durinhos e médios, ainda com um ar de inocente, mas que de inocente não tinha nada, se derretia cada vez mais com minhas carícias e meus beijos quentes, dizendo que ela era uma delícia, e que ela ia experimentar um macho de verdade. Ficamos nessa quente e gostosa sarração e nem vimos quando Juju saiu do banheiro e ficou nos olhando só de toalha na porta do quarto, e quando vimos que ela estava lá ficamos um pouco assustados, e Paulinha se desfazendo de meus braços disse, agora é minha vez de ir tomar banho. Juju disse, tem uma camisa pra eu vestir até chegar a hora de me arrumar? Sim, dei uma camisa a ela que tirou a toalha na minha frente sem vergonha alguma. Juju, uma safadinha de 18 anos que parecia ter mais, principalmente com seu corpo delicioso, seios grandes de bicos avantajados e suculentos, uma barriguinha chapada, uma bunda grande e coxas lisinhas. Ela pediu uma cerveja e eu fui até a cozinha, como ainda estava cedo, por volta de 19:30 h, ficamos conversando no quarto e ela disse pra deitar um pouco na minha cama, claro linda, pode ficar a vontade, é todinha sua essa cama se você quiser. Ela disse: olha que eu quero! kkkkkkk

Deitei com ela, começamos a conversar mas logo nos beijamos e começamos uma gostosa sarração, ela começou a suspirar e beijei seus seios por cima da camisa, e ela gemeu dizendo que sentia muito tesão quando alguém beijava seus seios. Tirei-os pra fora da camisa e comecei a passar a língua neles, enquanto chupava o direito, minha mão apertava o outro, e assim fui revezando, depois de um tempo, desci pela sua barriga, e fui em direção a sua xana que estava ultra melada e quando comecei a chupar ela parecia que tomava um choque com espasmos de prazer. Chupei bastante sua buceta e senti quando ela gozou pela primeira vez, e me pediu pra inverter, deitei na cama e vi Paulinha peladinha na porta se tocando e gemendo baixinho na porta. Disse: vem Paulinha deixa te dar o mesmo prazer que dei Juju, ela veio por cima, e Juju começava um delicioso boquete como sua amiga Naty, e mesmo com duas gostosas na minha cama, não deixava de pensar nela, que era muito mais linda que suas amigas.

Juju depois de mais de 10 minutos chupando meu pau, perguntou onde estavam as camisinhas, e eu disse> dentro daquela segunda gaveta, e ela foi pegar e trouxe junto meu KY, e não perdeu tempo, colocou a camisinha em meu pau, e sentou em cima galopando freneticamente e com a boca chupava os seios de sua amiga que começava a delirar sentada em meu rosto. Juju virou ao contrário, deixando aquela bunda em minha direção, e coloquei meu dedo em seu cuzinho que já não era mais virgem, meu dedo indicador foi sumindo em seu rabinho e logo ela deu um grito chegando novamente ao prazer máximo, e quase ao mesmo tempo, sua amiga também gozava deliciosamente. Juju saiu momentaneamente de meu pau pra dar lugar para Paulinha, troquei de camisinha e ela sentou em meu pau, com a lubrificação entrou todinho de uma vez, e ela começou a galopar mais forte que sua amiga, mas logo ela pediu pra trocar de posição ficou de 4 dizendo que era a posição que ela mais gostava, coloquei meu pau em sua bucetinha e ela começou a gemer como uma cadelinha, ai mete gostoso, mete, isso vai, vai meu macho, mete. Juju ficou na mesma posição que sua amiga, e eu voltei a colocar o dedo em seu cuzinho, mas agora preparando pro que viria. Dei umas estocadas com muita força em Paulinha que logo gemia bem alto e se jogou na cama.

Agora seria o cuzinho de Juju estaria a mercê de meu pau, e me posicionei atrás de sua bunda pincelando seu anel com um pouco mais de lubrificante para facilitar a metida e fui colocando devagarinho para ela se acostumar, ela colocou a cabeça em um travesseiro e disse: vai com calma amor, eu já dei meu cuzinho, mas essa dor nunca é boa. Ao passo que ia cada vez mais colocando meu pau, ela gemia cada vez mais alto e pedia vai meu gostoso, vai meu homem, coloca nessa putinha que adora da o cu. Fui intensificando meus movimentos e ela já delirando de prazer, olhou para sua amiga deitada do nosso lado e disse: quer experimentar pra ver como é? - Paulinha disse: Agora não, ainda quero ir pra festa e seu der o cu não vou conseguir andar rsrsrs. Pedi pra Paulinha de levantar e ficar de pé na cama que queria chupar seus seios, e ela fez. Comecei a chupar os lindos seios de Paulinha e socava bem fundo na Juju, e depois de uns 10 minutos agora seria eu que iria gozar e disse, vem meninas, receber meu leitinho na boca, tirei o pau do cu de Juju, e senti o primeiro jato se aproximando, as duas se posicionaram na minha frente, e não demorou pra maior quantidade de esperma até então sair de meu pau. uuuuuuuuuuuuuuuuuuhhhhhhhhhhhhhhhhhhhuuuuuuuuuuu! que gostoso, e as duas com a cara cheia de porra, lamberam a cabeça e misturaram as linguas num beijo gostoso.

Elas foram pro banheiro e logo meu telefone tocou, era Naty perguntando pelas meninas, se elas já estavam prontas e pra não se atrasarem. Disse: tô chegando na casa de Juju... Ela disse: mentiroso, você tava pegando elas suas que eu sei kkkkkkkkkkkkk. Sim, elas foram pro banheiro, e já vamos te buscar aí. Decidi que também irei a essa festinha.

Essa foi a continuação de: em contagem regressiva para ela completar 18 anos.

Espero que gostem.

Comentários

14/12/2016 13:43:56
Entre amigas é tudo de bom. E com 2 então.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.