Casa dos Contos Eróticos

Meu tio era o macho da minha tia, da minha mãe e o meu também!

Autor: TETE
Categoria: Homossexual
Data: 10/01/2016 23:14:46
Última revisão: 22/08/2016 23:27:36
Nota 10.00
Ler comentários (10) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Com o tesão sempre a flor da pele, hormônios em ebulição e uma vontade louca de transar vivia me masturbando constantemente.

Eu tinha um amigo no colégio e sempre estávamos juntos jogando bola, nadando nas lagoas e Gustavo, esse era o nome dele, também era bem safadinho e um belo dia quando ele me propôs fazermos “troca-troca” acabei aceitando sem medo.

No começo rolou certo constrangimento e aquela frescura de quem ia comer o outro primeiro, mas depois que começou a coisa descambou pra safadeza total e como tínhamos tesão quase o dia inteiro sempre que surgia uma chance um comia a bundinha do outro.

Meu pinto tinha 12 cm e o de Gustavo só 11 cm, mas o tesão sempre à flor da pele fazia com que perdêssemos a noção do perigo e várias vezes quase fomos surpreendidos por outros meninos do nosso time de futebol.

Como minha mãe trabalhava em uma fabrica de doces na parte da tarde e meu pai era motorista de caminhão e só voltava pra casa a cada 10/15 dias eu e meu amigo íamos pra minha casa e fazíamos nosso troca-troca tranqüilo sem ninguém para nos incomodar.

Minha pele era bem branquinha, cabelos pretos não muito curtos e por tem um bumbum bem redondo e arrebitado era sempre convidado pelos meninos do futebol para também fazer troca-troca com eles, mas até então só tinha feito isso com meu amigo Gustavo.

No grupo dos meninos do futebol todos tinham pintinhos parecidos no tamanho, porém existia um que era o bem dotado da turma.

Thiago era o nome desse garoto tarado que apesar de ser mais novo que a gente já tinha um pinto de 15 cm e era bem grossinho e o safadinho vivia batendo punheta perto da gente exibindo seu “documento” grande. Um dia que a gente estava pegando umas goiabas pra comer no boque ao lado do campinho de futebol e Thiago chegou de repente e todo safado me deu uma encoxada forte com seu pinto já duraço e me chamou pra fazer troca-troca e como era mais forte que eu quando fiquei de costas pra ele o safado me segurou firme pelos quadris e com o pau pra fora dizia que era doido pelo meu bumbum. Naquela brincadeira de safadeza ele abaixou meu short e ficou deslizando seu pau todo babado no meu reguinho e quando me dei conta percebi que estava gostando do calor daquele pau tocando no meu anelzinho e na hora resolvi que ia deixar ele me comer, apesar de achar que ia doer por causa do tamanho avantajado.

Foi então que escutei varias vozes vindo na nossa direção e rapidinho me soltei e disfarçamos pra ninguém desconfiar e fui embora.

Depois desse acontecimento Thiago toda hora me chamava querendo continuar aquela brincadeira, mas acho que por ficar com medo nunca mais topei e evitava ficar sozinho com ele, mas com Gustavo toda hora eu queria brincar de comer e ser comido.

Quase no fim da rua onde eu morava com meus pais também residia meu tio Bene, casado com tia Hilda, irmã da minha mãe e ele era um sujeito muito legal e super carinhoso comigo e vivia me enchendo de sorvetes e guloseimas quando ia à casa dele.

Tio Bene era um mulato forte de 35 anos e tinha sido sargento do exercito e por esse motivo era chamado pelos amigos de “sargento” e quando ele me deu um flagra fazendo troca-troca com Gustavo é que tudo mudou da água pro vinho.

Eu e Gustavo estávamos fazendo troca-troca na cama do meu quarto, com ele deitado sobre minhas costas gemendo e comendo meu cuzinho foi que escutei a voz forte de tio Bene dizendo:

-bonito hein... meu sobrinho então virou viadinho... sendo enrabado pelo amiguinho... seus safados... vou pegar a cinta e bater na bunda dos dois para virarem homens!

Quase morri de susto quando olhei e vi tio Bene ao lado da cama já dando um tapão na bunda do Gustavo que gritou assustado e pegando o short caído ao lado da cama saiu correndo me deixando ali sozinho e então ele também me segurou de bruços e aplicou dois tapas bem fortes no meu bumbum branquinho me fazendo gritar de dor e tentei me explicar, mas com certeza não tinha muito o que dizer e meu tio continuou dizendo:

-seu viadinho safado... todo garoto bonito que nem você... acaba sendo comido pelos amigos né seu safado... pode deixar que vou contar pra tua mãe e quanto teu pai chegar vou conversar com ele pra te dar uns corretivos... seu viadinho safado!

Cai no choro na hora quando ele disse que ia contar pro meu pai e pra minha mãe e soluçando implorei pra ele não fazer isso e que iria prometer que nunca mais iria fazer aquilo de novo com o Gustavo... apesar do choro eu conseguia raciocinar e menti dizendo que só tinha feito aquilo duas vezes e foi então que meu tio me deu mais dois tapas fortes na bunda e todo macho disse:

-deixa de ser mentiroso garoto... do jeito que você rebolava debaixo do teu amiguinho... você já fez muitas vezes isso... quando eu era sargento no exercito cansei de ver garotos tipo você virando menina pros outros... tenho certeza que você não vai parar de dar a bundinha pro teu amigo seu safado... se não parar de mentir pra mim... vou te bater de verdade seu safado!

Percebi que não iria conseguir enrolar tio Bene e então escorreguei da cama e me ajoelhei diante dele e sussurrei todo choroso:

-tiooo... por favor... não conte nada pra minha mãe e principalmente pro meu pai... nossa... ele vai me matar se souber disso... não faça isso comigo... eu faço tudo que o senhor quiser se não contar nada pra eles... por favor tio... você sempre foi super legal comigo... por favor!

Tio Bene estava sentado recostado na cabeceira da minha cama e estava com uma bermuda larga e uma camiseta regata e dando um sorriso bem safado disse:

-É... eu já tinha percebido que você levava jeito de viadinho... principalmente com essa bunda gostosa arrebitada... até parece bumbum de menina... e depois que vi hoje aqui é que me lembrei que até pouco tempo atrás quando você chegava em casa e todo dengoso se sentava no meu colo... você não parava quieto vivia se mexendo e se esfregando na minha rola... era difícil você querer sair do meu colo... você gostava de colo de macho seu viadinho safado! Hoje quando tava vindo pela rua e vi você e seu amiguinho entrando na casa olhando pros lados com medo de serem vistos... resolvi conferir o que os dois estavam fazendo e não deu outra... te peguei dando a bundinha pro outro safadinho!

Na hora lembrei que realmente ele tinha razão em falar aquilo pra mim, apesar de ainda muito inocente adorava mesmo sentar no colo dele e sentir ele me abraçando e fazendo cócegas na minha nuca e no meu pescoço com sua barba por fazer que me provocando arrepios e apesar de ter parado de chorar continuei todo dengoso tentando convencê-lo a se calar sobre meu deslize dizendo:

-tio por favor... promete que vai guardar segredo sobre o que aconteceu aqui hoje... juro que você não vai se arrepender... não conta não tio!

Foi ai que senti que a coisa ia mudar de figura quando ele todo safado deu uma apertada na frente da bermuda e percebi que ele estava com a “barraca armada” e disse:

-bem... já que você disse que se ficar de bico fechado você faz faria tudo que eu quisesse... vou te propor uma coisa então... se meu sobrinho viadinho fizer tudo que eu quiser... do jeito que eu mandar... prometo que não conto sua safadeza pro teu pai e pra tua mãe!

Tio Bene já me puxou entre suas coxas e em segundos ele abaixou a frente da bermuda e bem diante dos meus olhos surgiu um pauzão enorme quase negro e ele todo tarado continuou dizendo:

-a primeira coisa que quero que meu sobrinho viadinho faça é chupar meu pau... quero essa boquinha linda mamando na minha rola... chupa bem gostoso... mama no meu caralho viadinho safado!

Fiquei completamente sem ação ali diante do meu tio, ajoelhado completamente peladinho e todo medroso sussurrei:

-nossa tio Bene... eu... eu... nunca fiz isso... eu... eu... só fiz troca-troca com o Gustavo... nunca fiz nada com homem... juro... eu... eu...

Tio Bene todo macho me segurou pela nuca com uma mão e com a outra me deu um tapa não muito forte no meu rosto dizendo todo macho:

-não gosto de viadinho indeciso... faz o que tô mandando... chupa meu pau agora... senão vou embora e mais tarde volto pra contar tudo pra tua mãe... você escolhe viado!

Na hora percebi que ia ter que fazer tudo que meu tio taradão queria e então peguei seu pauzão grossão em minha mão e timidamente comecei a passar a língua naquela cabeçona brilhante e ele então me segurando pela nuca deu um sorrisinho sacana e disse:

-põe na boca meu viadinho safado... quero você mamando... eu sei que você sabe o que tem que fazer... põe na boca e chupa viadinho!

Quando senti a cabeçona dentro da minha boca e comecei meio sem jeito a mamar tio Bene forçou minha nuca e a glande daquele pauzão foi até o fundo da minha garganta e apesar de ter dado uma engasgada não senti nenhuma repugnância com o gosto da baba que escorria em minha língua e segurando o corpo do pauzão em uma das mãos comecei a chupar timidamente e o safado então sussurrou:

-isso... ahhh... que boquinha gostosa tem meu sobrinho viadinho... que delicia... engole minha rola... eu gosto assim... vai... deixa o tio enfiar bem fundo... ahhh... isso... abre bem a boca... deixa o tio foder sua boquinha viadinho gostoso!

Foi incrível perceber que meu pau estava duro chupando a rola enorme quase negra do meu tio mulato que todo safado ia enfiando bem devagar até o fundo da minha garganta e então todo tesudo segurava minha nuca até me faltar o ar deixando meu rosto todo vermelho e então tirava o pau pra fora e mandando eu colocar a língua pra fora batia nela e todo tarado dizia:

-isso... se continuar fazendo assim... do jeito que eu gosto... pode ter certeza que o tio vai ficar bem calado seu viadinho safado!

Depois de alguns minutos tio Bene fodia minha boca deliciosamente e meu pau denunciava todo meu tesão e foi então que senti sua mão deslizando pelas minhas costas e em segundos seu braço longo encontrou meu reguinho e mais rapidinho ainda tinha um dedo bem grosso enterrado no meu cuzinho e gemi alto de prazer quando ele passou a me dedar e o safado passou a foder minha boca com mais vontade.

Nem me dei conta que tio Bene todo tarado me colocou de bruços na cama com um travesseiro por baixo do meu ventre e se deitou sobre minhas costas e seu pauzão cabeçudo todo babado deslizava firme no rego da minha bundinha que ao sentir o calor daquela cabeçona babada tocando meu anelzinho praticamente virgem denunciava todo meu tesão incontido e sem me dar tréguas o taradão encaixou na portinha do meu cuzinho e deu um fincada firme. Tentei gritar me sentindo rasgado ao meio, mas não consegui. Tio Bene todo safado tampou minha boca com sua mão forte e todo tarado sussurrou em meus ouvidos:

-não adianta gritar viadinho... eu sei que ta doendo... minha rola é muito grossa... relaxa viadinho... que logo vai parar de doer... ahhh... que cuzinho apertado você tem meu sobrinho... muito gostoso... ahhh... calma que a dor vai passar... teu cuzinho vai adorar minha rola... ahhh!

Depois de alguns segundos que pareciam horas, a dor foi cessando devagarzinho e tio Bene com era um tarado experiente sentiu isso e começou a tirar e enfiar de volta bem devagarinho e quase sem perceber eu estava sendo comido por aquele pauzão enorme e grosso.

O saco do meu tio batendo entre minhas coxas me provocava uma sensação que não conhecia com meu amiguinho Gustavo.

Meu pinto que antes da penetração estava durinho com a dor ele quase desapareceu e ficou murchinho, mas a sensação de ter meu tio colado em minhas costas metendo no meu cuzinho me levava a loucura e passei a rebolar debaixo dele que também sem conseguir se controlar deu um berro e começou a ejacular dentro de mim.

O mais louco foi que consegui sentir os primeiros jatos fortes que aquele tarado despejava no fundo do meu cuzinho arrombado e mais ainda quando senti o calor daquela porra inundando meu corpo meu pinto ficou duro em segundos e gemendo alto de prazer comecei a gozar sem controle e pensei que ia desmaiar e tio Bebe todo tesudo sussurrou:

-ahhh... que cuzinho delicioso meu sobrinho safado... ahhh... morde meu pau com teu cu safado... beija o pau do teu macho com esse cu guloso... ahhh... safado... viadinho... putinho do tio... ahhhhhhhhh!

Meu tio ficou dentro de mim durante vários minutos e todo carinhoso beijava minha nuca e sussurrava:

-que delicia de cu você tem meu sobrinho... desde que te vi tomando banho de porta aberta e vi essa bundinha arrebitada fiquei fissurado em te enrabar... realmente teu cuzinho é um dos mais gostosos que já comi... e olha que no exercito comi vários... o que tinha de recruta querendo sentir pau grosso no cu... mas você é tudo de bom... o tio vai querer te comer muito mais vezes meu viadinho!

Tio Bene se levantou e quando seu pauzão grosso saiu de dentro do meu cuzinho apesar de me sentir aliviado com certeza tinha sido maravilhoso e quando tio me levou ao banheiro pra tomarmos um banho nem dava pra acreditar que aquilo tudo tinha sido engolido pelo meu cuzinho tesudo.

Após tio Bene ter ido embora fiquei pensando naquela loucura e com o cuzinho todo ardido me deitei de bruços e tirei um longo cochilo.

Fiquei com o cuzinho ardido vários dias e quando durante o banho enfiava o dedinho com sabonete pra me lavar direitinho apesar de sentir que ainda tava dolorido não tinha com sentir um friozinho subir pela espinha e meu pinto ficava durinho.

Meu amigo Gustavo logo voltou a me procurar querendo saber o que tinha acontecido depois que meu tio havia dado aquele flagra, porém achei melhor nem comentar nada e disse que tomei um esporro dele, mas tinha ficado apenas nisso.

Por varias razões não fiquei sozinho perto do meu tio durante mais de semana até que ele me encontrou na rua voltando da escola e então me chamou e sorrindo bem safado disse:

-acho que tá na hora de dar gostoso pro teu tio de novo seu safadinho... tenho certeza que você deve estar com saudades da minha rola... tô te esperando depois do almoço... dessa vez vai ser muito mais gostoso... pode ter certeza!

Arrepiei até a alma com a voz grossa daquele macho safado que era meu tio Bene e quando cheguei na casa dele ele logo me levou pro banheiro e me deu um belo banho e então me levou pra sua cama e me colocando de 4 na beira da cama se ajoelhou atrás de mim e começou a linguar meu cuzinho. A sensação daquela língua deslizando pelo meu rego e a ponta dela penetrando de leve meu cuzinho me fez dar um gritinho e gozei copiosamente e tio Bene todo tarado aproveitou meu relaxamento natural e encaixou a cabeçona e sem frescura foi enfiando tudo até o talo. Lógico que dei um gritinho de dor, mas isso passou em segundos e mais rápido ainda passei a rebolar com vontade espetado naquela rola avantajada que me levava a locura. Tio Bene me comeu sem dó e quando encheu meu cuzinho de porra, gozei como da primeira vez sentindo o calor da porra no fundo do meu rabo e meu gozo era incontido e copioso.

Quando tio Bene gozou pela primeira vez em minha boca gozei junto com ele e percebi que o gozo de um macho no meu corpo provocava um prazer inexplicável e delicioso.

Viciei em ser sodomizado por aquele macho pauzudo tarado e o safado sempre tinha alguma novidade pra deixar a safadeza mais excitante e foi então que ele me pediu pra vir vestido com uma calcinha da minha mãe e quando ele me viu com aquela peça de lingerie ele já abaixou-a no meio das minhas coxas e me fodeu como um louco me chamando de putinha pela primeira vez e depois disso ele sempre me fazia colocar uma calcinha antes de me enrabar.

Durante um ano tio Bene me comia no mínimo uma vez por semana e nem me surpreendi tanto quando cai no colégio e cortei minha mão e depois de ser medicado me mandaram embora pra casa e quando entrei pelo corredor já escutei gemidos de gente fazendo sexo e até achei que era meu pai comendo minha mãe, mas quando entrei bem devagarinho dei de cara com mamãe de 4 no sofá da sala sendo comida sem dó pelo tio Bene que todo tarado enchia a bunda dela de tapas dizendo:

-vadia... safada... puta gostosa... rebola na rola do teu macho cunhada vagabunda... adoro foder sua bucetona... rebola mais que vou te encher de tapas... ahhhh... gostosa... vadiaaaaaaaa!

Tio Bene era o macho da minha tia, da minha mãe e também o meu e o tarado dava conta do recado até debaixo d'água.

Depois conto mais uma aventura muito louca que aconteceu!

Outros contos do TETE acessem meu perfil: http://www.casadoscontos.com.br/perfil/150463

Se quiserem entrar em contato:

skype: tete-cp1

e-mail: tete-cp1@r7.com

ggggggggggggggggg6554

Comentários

21/03/2016 21:31:16
muito bom
16/01/2016 14:01:41
Que tio guloso!!!
16/01/2016 13:04:16
Muito bom o seu conto, parabéns. Queria um tio assim também
12/01/2016 09:46:56
Como sempre , seus contos são maravilhosos. Quem dera eu tivesse um sobrinho assim.
11/01/2016 16:11:11
relato muito bom, excitante!!! parabéns.
11/01/2016 04:36:36
Bom demais!!!!
11/01/2016 04:31:11
Não gozei...mas fiquei louco de tesão....quero vc e sua mãe ao mesmo tempo, viadinho gostoso.
11/01/2016 03:24:41
Gozei muitooooooo viadoooo... ADOREI 😂😄❤
11/01/2016 02:18:36
MUITO BOM MESMO.
11/01/2016 00:20:37
Bem excitante

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.