Casa dos Contos Eróticos

A Testemunha de Jeová casada

Autor: frank
Categoria: Heterossexual
Data: 10/06/2015 08:36:30
Nota 9.50
Ler comentários (9) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

A Testemunha de Jeová casada

eu sou moreno claro, 1.65alt, olhos castanhos escuros, cabelo preto curto, magro, mas corpo definido devido a umas malhações.

Um dia de domingo como sempre, eu estava em casa, tranquilo, e ainda até dormia, quando bateram na minha porta, não levantei, esperei que a pessoa fosse embora, pois, pensei que fosse algum amigo já que não esperava ninguém; daí a pessoa insistiu tanto que resolvi levantar do jeito que estava, cueca box, e fui até a porta e abri apenas a veneziana da porta e vi que era uma testemunha de jeová de cara, no tradicional traje típico deles/delas, ela uma mulher morena clara, cabelo preto, cumprido até pouco abaixo dos ombros, olhos castanhos claros, lábios carnudos e uma boca muito linda, seios de médios para fartos, apesar de estar naquele vestido cumprido até os pés, se via que era uma mulher gostosa, de coxas grossas, pernas bem torneadas e uma bunda também de média para grande e pelo que notei também, empinada. Comi aquela mulher maravilhosa com os olhos, até perceber que eu estava apenas de cueca box e sem camisa, então relutei em deixá-la entrar, mas ela insistiu, mesmo eu avisando que estava praticamente nu, falei para ela esperar que eu iria por uma roupa, mas ela falou que não precisaria, ela seria bastante direta, então, meio constrangido e excitado ao mesmo tempo pela situação, deixei que ela entrasse. Ela então falou da sua religião e da sua igreja realmente de forma bem resumida e me convidou para fazer um estudo bíblico – como eu havia notado que ela discretamente olhava para o meu corpo de cima à baixo, principalmente para o volume na minha cueca, percebi que seria uma chance boa para eu pegar aquela coroa, já que eu adoro coroas e ela deveria ter entre seus 40 e 45 anos – então aceitei e combinamos, ela falou que poderia ser na casa dela, e me deu o seu endereço e falou o dia para que eu fosse lá. Chegando o tão sonhado dia, não perdi tempo, poucos minutos antes da hora combinado eu já estava lá em sua porta, então, ela sai para me atender e eu realmente tenho a confirmação do que os meus pensamentos haviam imaginado... a mulher realmente era uma beldade, uma coroa esbelta, muita linda, gostosa, estava de short curto, pouco acima da metade das coxas, tinha uma bunda realmente pouco grande, muito gostosa e empinada, seios médios firmes, de biquinhos grandes e duros, se via também que tinha uma buceta grande, pois notei o tamanho do volume no meio de suas pernas. Minha reação de imediata foi o meu pau ficar duro como pedra e ela pelo jeito notou, pois não tirou os olhos dele, dessa vez não discretamente e sim descaradamente. Entramos, me ofereceu um suco, e fomos para a mesa de sua sala de jantar e lá ficamos fazendo o tal estudo, só que ela falou que tinha umas perguntas a fazer e começou a perguntar coisas que eu notei que não tinham nada haver com o estudo, mas que levavam para outro campo, mas o interessante era que estava me deixando cada vez mais excitado, então ela foi mais direta e perguntou se eu já havia ficado com alguma mulher mais velha e casada, respondi que não, mas que era meu maior fetiche, foi aí que ela perguntou: porque “era”? Não é mais? E eu disse, porque hoje mesmo eu realizarei, nisso encostei mais perto dela e dei-lhe um beijo na sua boca que ela simplesmente correspondeu sem hesitar, nisso, já fui logo levando uma mão ao seus seios e tirei-os para faro da blusa e comecei a apalpa-los com força enquanto ainda beijava sua boca gostosa, chupando com vontade a sua língua. Então passei a mamar gostoso nos seus seios, sempre revesando entre um e outro e ela por sua vez, começou a alisar meu pau bem devagar, depois fui descendo, lambendo sua barriga até chegar a sua buceta, retirei seu short e a safada já estava sem calcinha, então caí de cara naquela grutinha enxarcada e chupei gostoso, ela gemia e pedia para não parar, que tava gostoso; então enfiei 2 dedos em sua buceta e a masturbei com meus dedos e minha língua até ela se derramar em gozo gostoso na minha boca e eu bebi tudinho... depois disso, mandei a safada crentinha chupar meu pau, e ela sem demora começou a fazer um boquete maravilhoso, o melhor que já recebi na minha vida, a vadia chupava a cabeça do meu pau, lambia, lambia o tronco, passava os lábios subindo e descendo, masturbando o meu pau, chupava as bolas, e pedia que eu batesse com o pau eu seu rosto e chamá-la de puta crente casada... e eu obedecia, batia em seu rosto lindo com minha pica e chamava ela de puta crente casada, vadia, cachorra, safada, a mulher ia a loucura com isso tudo e quando eu estava para gozar, ela me pedi para gozar fazendo uma espanhola, e eu obedeço, coloco meu pau no meio de seus seios médios, mas muito firmes e gostosos e começo a socar com força e ela a apertá-los contra meu pau até eu encher seu rosto de esperma, uma grande quantidade de gala mela todo seu rosto, boca, e escorrega para seus seios... então, me deito, e mando ela sentar de costas para mim em cima do meu pau e galopar, a puta já experiente faz direitinho e começar a subir e descer bem devagarzinho e a rebolar também, vira o rosto para trás e me beija gostoso, enquanto rebola tranquilamente, depois começa a cavalgar com força, me dando uma surra de buceta, pedindo para enche-la de porra, já que o corninho dela não a satisfaz, e eu digo que vou enche-la de porra, comê-la bem gostoso, depois disso que chamo ela de vadia, puta casada e ainda por cima crente, chifrando o marido a mulher fica louca e se treme todinha em cima de mim num gozo maravilhoso, chega escorre o seu mel por entre suas pernas melando todo o meu pau e as minhas coxas, depois viro-a de quatro e começo novamente a fude-la, e a bater no seu rabo gostoso, dando tapas e chamando de piranha, de coroa casada puta, de crente safada, e ela fica jogando o quadril para trás ajudando na foda, pede para eu encher a sua buceta com meu leite e eu obedeço, soco com mais força ainda e rapidez e dou um grito gostoso acompanhando os seus gritos também, e nós dois gozamos juntos, e eu encho a sua buceta de porra que escorre pelas suas coxas, depois disso a gente desengata e se vira um para o outro e começamos a nos abraçar e a nos beijar gostoso, então deitamos abraçadinhos como um casal e descansamos um pouco... então, ela começa a alisar meu pau novamente e a chupá-lo, e fazemos um 69, ela chupando meu pau deliciosamente e eu a sua buceta deliciosa, mas também começo a lamber e enfiar minha língua no seu cuzinho gostoso e rosadinho, a safada olha para mim e diz que no cuzinho não, é virgem ainda, ninguém nuca comeu, nem o corninho... então eu abro um sorriso dum canto a outro da boca e digo então eu serie o primeiro a deflorar essa gostosura... ela fica nervosa e inquieta, mas eu a tranquilizo dizendo que serei carinhoso, farei com calma, ela então fica pensativa, mas eu volto a me deliciar no seu cuzinho, lambendo, passando o dedo na entradinha, enfiando a língua dentro, ela geme e se derrete em prazer tendo outro orgasmo gostoso, então pergunto se ela tem algum creme, ela diz que não, que nunca fez anal, então eu peço para ela lambuzar todo o meu pau novamente e ficar tranquila que vai ser prazeroso, ela me obedece e faz o que eu mando, então, depois de um bom tempo nisso, mando ela ficar de quatro e empinar bem o rabo, assim ela faz, ficando com a bunda bem empinada e o rosto apoiado num travesseiro, então começo a forçar a entradinha e ela tenta escapar, reclama que tá doendo, mas eu a seguro pelo seu quadril e digo para ficar calma, então vou forçando mais ainda e a vara começa a ir entrando, rasgando todas as suas pregas, mando ela ir acompanhado a entrada do meu pau com reboladas de leve e sincronizadas, assim sem que ela percebesse tanto, a vara em pouco tempo já estava todinha engolida pelo seu cuzinho, e eu já estava socando com força e rapidamente, a vadia entre gritos de prazer e de dor, pedia mais rola, que não parasse, manda socar com mais força, me chamando de cachorro, safado, deflorador de cuzinho virgem de crente casada, e eu amando tudo isso, enquanto comia com vontade o seu rabo, comecei a masturbá-la com 3 dedos na buceta, em questão de mais alguns poucos minutos estávamos os 2 caindo num gozo delicioso, enchendo todo o seu cú com muita porra e ela enchendo a minha mão com sua porra, uma delícia e caímos os 2 desfalecidos no colchão que ela havia colocado no chão... então descansamos mais um pouco e ela toda assada e arrombada, vai tomar um banho e eu vou junto com ela, mas dessa vez ficamos só no beijo e boquete que ela me pagou embaixo do chuveiro. Depois nos despedimos e me comprometi em voltar para continuar fazendo o acompanhamento do curso bíblico que ela havia me oferecido... é isso galera, espero que tenham gostado... depois relatarei como a empregada dela nos flagrou trepando e eu acabei comendo as 2.

OBS: CONTO FICTÍCIO

Comentários

30/06/2016 11:10:42
Sou tarado por evangélicas principalmente as casadas não importa a idade se tiver alguma entre em contato moro em são Paulo SP donemagrao@Gmail.com
05/04/2016 06:55:14
Adorei sempre tive tara por mulher casada principalmente se for evangélicas adoro o proibido conheço uma deve ser uma delícia
10/02/2016 20:07:08
tudo isso é mentira.????mais ligal
10/02/2016 14:07:00
Testemunhas de Jeová...até uns 25 aninhos....que delicia...
04/08/2015 22:28:33
Muito.. Muito bom!
15/07/2015 20:20:31
gozei . foi bacana nota
10/06/2015 11:01:47
Muito bom, marido não come tem quem coma.
10/06/2015 10:36:18
Porra cara foi muito bom, eu tbm tenho esse fetiche de comer uma testemunhs de Jeová, se tiver alguma intetesada meu wat
10/06/2015 10:32:35
Muito bom, escreva a continuação.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.