Casa dos Contos Eróticos

Como virei mulher na cama

Autor: Carla Cross
Categoria: Grupal
Data: 07/06/2015 10:49:42
Nota 9.50
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fui morar sozinho em uma cidade pequena do interior, trabalhava e chegava cedo em casa, ficava muito tempo sozinho. Sempre sonhei em virar mulher, vejo muitos filmes pornôs e fico imaginando ser a mulher da cena, sendo conduzida e dominada por homens, muitas vezes dois ou mais de uma só vez.

Não sou assumido, então sempre mantive a descrição no dia a dia. Tenho 1,92m de altura e 75kg, meu bumbum é pequeno com um volume visível, meu jeito é de uma menininha inocente delicada, Comprei algumas calcinhas e usava com frequência, tudo bem discretamente, em casa me soltava mais, andava como menina, agia como menina, tentava explorar o quanto mais esse meu lado feminino.

Comecei frequentar uma academia, o instrutor era o Fernando que aparentava ter uns 55 anos com um corpo bem definido. Como no horário que eu frequentava a academia não tinha mais ninguém, nenhum aluno, passamos a conversar bastante todos os dias durante meu treino.

Depois de alguns meses, em uma de nossas conversas entramos em um assunto bem pessoal, Fernando me disse que era Bissexual ativo, que tinha experiência e que já havia transado com outros garotos e realizado o sonho deles. Sem perceber onde ele queria chegar com a conversa fui demonstrando interesse no assunto, até porque eu me senti atraído por ele. Depois de alguns dias, ele me convidou para ir à casa dele, disse que gostava de receber visitas e que também queria que eu me envolvesse mais com pessoas da cidade.

Quando cheguei na sua casa, descobri que estava sozinho, eu fiquei com um pouco de medo, pois qualquer coisa poderia acontecer. Entre varias conversas voltamos ao assunto sexual de cada um, ele me pergunto se eu já havia transado com homens, eu respondi que não, me perguntou se eu sentia vontade, fiquei quieto, novamente me fez uma pergunta fatal, perguntou se eu tinha vontade de ser ativo ou passivo e eu novamente sem saber o que responder fiquei quieto. Ele percebeu minha insegurança no momento e comentou que certo dia, por um descuido meu deixei transparecer que eu estava usando calcinha na academia. Eu fiquei sem reação e ele se aproveitou para começar a me seduzir.

Disse que se sentiu atraído com meu corpo, que ficou muito afim de me realizar, me fazer virar mulher na cama, falou que queria proporcionar um momento maravilhoso pra mim, e que era pra eu aproveitar meu desejo e viver aquilo que é muito especial pra mim. Fernando me tocou no corpo e no rosto, falou perto do meu ouvido que estava disposto a me fazer muito feliz naquela noite e que era pra eu deixar rolar que as coisas iam acontecer naturalmente, perguntou se eu estava afim, e eu ainda com medo aceitei.

Ele começou tirando toda minha roupa, me pôs de joelhos e me fez chupar sua rola, era grande e fina. Comecei a chupar ainda tímido e com medo, não ia muito fundo com o pênis na minha boca, engasgava toda hora, eu percebia que só conseguia ir até a metade, quando achei que estava pegando a pratica, engasguei e comecei a tossir, voltei a chupar mais devagar. Fernando forçava para que eu fosse mais fundo, e quanto mais eu engasgava, mais ele empurrava pra dentro de minha garganta. Aquilo foi me deixando cada vez mais com tesão, ele percebendo começou a passar a mão no meu corpo, acariciava meu rosto e dizia bem baixinho perto de mim pra eu chupar mais, a baba começou a descer pelo meu queixo, meu corpo.

Chegou a hora de ele ir pro meu cuzinho, começou a massageá-lo, primeiro com a língua umedecendo bastante o local e depois começou a penetrar um dedo, até ai tudo bem, não senti nenhuma dor, apenas incomodo. Só que depois de um tempo eram dois dedos forçando a entrada o que começou a doer, a penetração começou a ficar mais difícil, ele passou um gel e voltou a massagear meu cuzinho e penetrar aos poucos, pediu para que eu me deitasse de bruços, voltou a penetrar os dedos com bastante gel e bem devagar, quando ouviu minha voz meiga soltar gemido de prazer ele disse que já era hora de testar, pra ver se eu já estava no ponto para ser fodido.

Apoiando minha barriga em um dos travesseiros da cama e curvando-se para continuar beijando meu pescoço, foi penetrando a cabeça que abriu meu cú e me fez sentir uma dor aguda da qual me impulsionou a empurra-lo com as mãos, mas ele segurou forte no meu quadril, senti uma dor muito forte e gritei para ele tirar, o que ele fez tranquilamente sem reclamar, daí ele tentou de novo bem devagarzinho e quando ele começou a penetrar, mordi o lábio para suportar a dor, eu agarrava no colchão e no lençol da cama, gemia e gritava ao mesmo tempo, não queria gritar tão alto, pois achava que algum vizinho pudesse escutar, ele me pediu pra ficar calmo, disse que ia deixar eu me acostumar com a dor.

Seu pau foi deslizando devagar para dentro de mim, a cada forçada era mais um pedacinho que entrava, me abraçando ele começou a movimentar lentamente num vai e vem bem devagar. Disse para eu apertar o pau dele com meu cuzinho, eu dizia que não dava que estava doendo muito, pedi para que ele ficasse parado um pouco. Comecei a apertar com força e já sentia a pica toda no meu bumbum, ele me disse que quando eu apertasse ele tiraria o pau e colocaria de novo quando eu relaxasse, a dor forte foi amenizando e cada vez que contraía a musculatura em torno de seu pau, mais sentia ele dentro de mim e mais gostoso ia ficando, ele foi tirando aquele pênis de dentro do meu bumbuzinho e em seguida penetrava novamente. Eu apertava o pau e ele ia tirando devagar, relaxava ele punha tudo de novo, sentia cada centímetro entrando ou saindo eu estava completamente fora de mim em vez de dor, gemi alto de prazer, o que fez com que ele se sentisse seguro a continuar a estocar dentro do meu cuzinho e com mais algumas penetrações explodi um gozo intenso, do qual tive a sensação que estava perdendo o sentido.

Colocando-me de quatro, continuou a penetração, com bombadas fortes, ele me arrancava fortes gemidos e me fez ficar de pau duro de novamente. Mudou minha posição, me pôs pra cavalgar em sua rola, Fernando me pedia pra pular e rebolar, percebi que ele também estava louco pra gozar, pois também gemia alto, dizia que iria acabar comigo naquela noite. Quando eu já estava me acostumando com a dor e o incomodo, Fernando me pediu para parar de pular em sua rola, sai de cima dele e ele me perguntou se eu estava gostando, se estava curtindo aquilo tudo. Eu ainda inseguro respondi que sim, ele disse que também estava curtindo muito e queria me dar mais, perguntou se eu também queria mais, eu inocente na pergunta respondi que sim. Ele me disse que havia mais dois amigos dele na sala esperando e que também queria participar da brincadeira, fiquei quieto sem saber o que dizer. Fernando me perguntou se eu tinha vontade de transar com três homens, de realizar meu desejo. Eu disse a ele que vontade eu tinha, mas talvez não aguentasse por ser iniciante e ter pouca experiência, ele disse que aquilo não era problema algum e que resolveria fácil.

Fernando abriu a porta e chamou os dois rapazes, eles entraram no quarto, na hora fiquei assustado, não sabia o que fazer, eles logo foram deitando na cama junto comigo, Fernando ficou em pé, parado observando minha reação, eu estava quieto esperando o que ia acontecer, eles se apresentaram como Carlos e Nelson, aparentavam ter a mesma idade do Fernando, pareciam bem íntimos, bem próximos uns dos outros, eram muito amigos.

Fizeram algumas perguntas, perguntaram minha idade, se eu já havia transado em grupo alguma vez, eu respondi que não e fiz a mesma pergunta e eles, disseram que sim, que já havia transado em grupo os três e até outros amigos, sempre sendo ativos para alguns passivos que conheciam através da internet, era de rotina deles fazer aquilo, me asseguraram que tudo sempre correu bem, que iam me tratar bem, fazer bem gostoso para que curtisse bastante.

Eu disse a eles que estava com medo, não sabia como eu iria me portar naquela situação, Nelson disse para eu ficar tranquila, era só eu continuar o que estava fazendo com o Fernando e deixar que eles me conduzissem, e que desse jeito eu nem iria perceber que tinha diferença entre dar pra um homem ou pra vários ao mesmo tempo, disse que não tinha problema de eu estar assustado, era só eu deixar aparecer o que havia dentro de mim que a coisa ia rolar naturalmente.

Aquilo foi me acalmando, Fernando disse que se eu pudesse, era pra ser o mais bizarro possível, para eu beijar na boca de todos, rebolar, me soltar e ser a mulher que tanto desejei ser. Carlos e Nelson abriram um espaço por entre os dois para que eu me deitasse ao meio, assim que me posicionei, Carlos virou meu rosto e começou a beijar minha boca, fechei os olhos e senti sua mão passando em meu corpo, quando abri, já estava com o pau do Nelson bem próximo do meu rosto, comecei a chupar enquanto Carlos tirava a roupa, Fernando também veio à cama e colocou seu pau para eu chupar, Carlos abriu minhas pernas e começou a lamber meu cuzinho que já estava fechadinho de novo.

O pau de Fernando endureceu rapidamente e ele logo se pós a me penetrar de novo, na posição que eu estava de pernas aberta, trocou de lugar com o Carlos e penetrando levemente, socou todo o seu caralho na minha bunda, não senti a mesma dor que da primeira vez, mas um incômodo na penetração e uma dorzinha suportável quando seu pau fino e grande tocava meu cú lá no fundo voltou a aparecer. Voltei a soltar gemidos de prazer, agora com mais dois pintos na boca para calar meus gritos quando a dor aumentava Quando me dei conta, Nelson já comia meu cu, eu de quatro para ele, enquanto chupava o pau de Carlos e Fernando que estavam deitados na cama, nessa altura, Nelson estava me conduzindo com bombadas fortes, meus gemidos eram só de prazer.

O pau do Nelson era grosso e pequeno, percebi que Carlos tinha um pau bem maior e mais grosso. Seu pinto também ficou duro e sem perder tempo, se pôs atrás de mim, enquanto Fernando ficou em pé bem na minha frente e Nelson voltou para onde estava deitado. Quando voltei a chupar o pau de Nelson, senti o caralho de Carlos penetrando meu cuzinho, bem maior que o de Fernando, me fez sentir uma dor imensa novamente, na hora parei de chupar o pau do Nelson e gritei de dor, jogando meu corpo pra frente tentando me esquivar da penetração. Fernando me segurou e evitou que eu fugisse, Carlos mais ligeiro, agarrou minha cintura e me puxou de volta pra ele, penetrando de uma só vez e colocando sua rola inteira na minha bunda, rapidamente começou a bombar e novamente comecei a soltar gemidos de dor, Fernando disse para eu não parar de chupar e colocou seu pau na minha boca, só conseguia gemer quando era pra trocar de pinto na minha boca.

Tudo dava indícios de que eles não iam se saciar tão cedo e a madrugada seria quente, cheguei a perder a noção do tempo e de onde eu estava, sempre sonhava e ter um momento como aquele, mais achava impossível isso acontecer. Depois que os três me enrabaram de quatro, Fernando sugeriu a Carlos que me pegasse por cima dele. Carlos se colocou por baixo de mim, Nelson na minha frente colocou seu pinto na minha boca, enquanto eu pulava no caralho de Carlos, senti as mãos de Fernando em minhas costas, empurrando meu corpo para frente me fazendo grudar no de Carlos, que aproveitou e me abraçou bem forte e começou a me beijar na boca, eu comecei a delirar com tudo aquilo, percebi se colocou por cima do meu corpo, na hora achei estranho, mas logo veio a resposta, seu pinto também tocou meu cuzinho, fiquei sem reação, pois estava sendo abraçado forte por Carlos e tinha todo corpo de Fernando em cima do meu. Pedi para que não fizessem aquilo, pois eu não estava preparado e não iria aguentar duas rolas no meu cú.

Fernando disse para eu ficar calmo, tranquilo, que aquilo fazia parte da noite, e que era só mais uma experiência que eu estaria provando, disse que eu iria gostar e que a dor não iria tirar todo prazer que eu estava pra sentir. Eu ainda tentei resistir, mas a penetração começou a invadir minha bunda, foi uma dor muito grande, naquele momento não houve prazer, apenas dor, comecei a gritar e pedir para que fossem devagar, Fernando me pediu para ficar calmo e relaxado, pediu pra eu me ajeitar e empinar o bumbum, empinei a bunda o quanto pude para tentar evitar aquela dor imensa, quando Fernando havia colocado todo seu caralho no meu cú, ele e o Carlos começaram a movimentar seus pintos, aos poucos eles foram bombando com mais força e eu gemendo mais alto, eles me pediram para ficar mais relaxado para aliviar a dor. Eu tentava fazer o que eles me pediam, mas a dor era insuportável, não resisti, joguei o meu corpo todo pra trás como que se estivesse me entregando, Fernando me abraçou bem forte, e passando a mão em todo meu corpo, perguntou se eu estava me sentindo realizado, se era esse meu sonho, meu desejo de virar mulher, e eu gemendo respondi que sim.

Enquanto Carlos e Fernando comiam minha bunda, Nelson ia tentando colocar seu pau em minha boca sempre que podia, depois de um tempo assim, chegou a hora de Nelson também participar da brincadeira, Fernando saiu de trás de mim e Carlos me pediu para que eu virasse meu corpo, ficando de costas para ele. Eu sem sair de cima de seu pinto, me virei, ele me puxou por trás e me fez ficar deitado em cima do seu corpo, Nelson colocou minhas pernas em seu ombro e foi enfiando seu pau no meu cuzinho que já estava preenchido com o caralho do Carlos. Dessa vez as bombadas fortes já começaram logo e eu voltei a gemer e a gritar como uma putinha no cio. Fernando ficou observando aquele meu momento de dor e prazer. Gozei como nunca tinha gozado antes na minha vida, eles percebendo não pararam de me comer.

Nelson me agarrou forte e me pegou no colo, ficou em pé comigo abraçado segurando em minhas pernas, ajeitou seu pinto no meu cú, enquanto Fernando chegou por trás e também penetrou na minha bundinha, começaram a movimentar os dois e eu no meio abraçado com o Nelson, à posição era desconfortável para mim, e toda hora o pau do Fernando escapava da minha bunda.

Colocaram-me de novo na cama onde o Carlos estava deitado observando e punhetando seu pinto, fiquei deitado de lado, ele me abraçou por trás e me penetrou, depois, Fernando me fez cavalgar na sua pica até sentir vontade de gozar, ele me pôs de frente e gozou na minha boca, engoli tudo que pude, mas ainda sobrou para escorrer por meus lábios. Nelson me colocou de quatro e depois de algumas bombadas fortes tirou o pau da minha bunda e jogou toda porra em meu rosto. Carlos se posicionou por baixo de mim e fez com que eu voltasse a cavalgar em seu caralho. Sem dor e apenas com prazer no cú, eu comecei a pular e gemer bem gostoso. Me abraçando com força e me segurando, ele se levantou e sem tirar o pau de dentro de mim, me posicionou de frango assado, deitado na cama e começou a bombar, foi o tempo suficiente para que ele enchesse meu cuzinho de porra. Tive o prazer de sentir seu esperma escorrer por minha bunda.

Depois que os três gozaram, disseram eu tinha um corpo muito bonito e que me comeriam o dia todo sem pressa, falaram que eu deveria seguir meu instinto feminino, sugeriram que eu me montasse como mulher, para que minha imaginação fosse mais além no momento da transa. Eu já cansado, me deitei no meio de Carlos e Nelson, que passaram a acariciar meu corpo. Fernando saiu do quarto, disse que era pra eu descansar, que ele iria buscar algumas lingeries e roupas de mulher que tinha guardado, falou que era pra eu vestir e que nós iriamos continuar a madrugada na mesma diversão.

Meu nome é Carla, sou CrossDresser, tenho 29 anos, Alto, moreno claro. Sou de São Paulo

Comentários

04/07/2015 14:47:38
Delicia de contoque inveja rsss senvergonha@hotmail.com
08/06/2015 04:18:05
Adorei teu conto!!!
07/06/2015 15:27:04
Tenho vontade de conhecer uma CD, meu contato jobsbilljobs@gmail.com
07/06/2015 15:25:22
Se realizou né colega. Boa sorte.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.