Casa dos Contos Eróticos

Meu Padrasto (Parte - 15)

Autor: ∞ Alex ∞
Categoria: Homossexual
Data: 10/05/2015 21:24:19
Última revisão: 10/05/2015 22:21:07
Nota 9.88
Ler comentários (20) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Estava no hospital esperando noticias dele quando um médico veio me dizer que ele já estava bem, mas se houvessem passado mais alguns minutos sem ar ele havia morrido.

Fui vê-lo, ele estava dormindo com uma máscara no rosto...

Me aproximei da cama, ele foi abrindo os olhos aos poucos, me viu... - Como é bom respirar novamente!

Eu: O que aconteceu?

Ele: Esqueci minha bombinha na minha casa, mas não voltaria lá para pegar, sei que ele me mataria!

Eu: Mas porque havia sumido assim? Te encontrei com a mala e no chão desmaiado!

Ele: Eu não quero te dar trabalho, não quero ser um problema, você tem sua vida e não tem nenhuma obrigação comigo!

Eu: Que história é essa?

Ele: Você tem sua vida, seus encontros, é solteiro, gosta de se divertir... Não quero estregar isso tudo que você já conquistou na sua vida!

Eu: Você não estragou nada, de onde tirou isso? Você não é nenhum problema para mim, já disse que não faço por obrigação, só sinto carinho por você!

Ele: Não. Você sente pena, mas não se preocupe, vou ficar bem, pode voltar a sua vida, não vou mais atrapalhar!

Eu: De onde você tirou isso tudo caralho? Eu já disse que faço porque quero!

Ele: Não tirei de nenhum lugar, você mesmo falou. Desculpa, só não quero te forçar a nada, não precisa se preocupar ou sentir pena de mim, eu me viro, vou ficar bem!

Eu: Como assim eu falei?

Ele: Você disse quando aquela mulher bonita apareceu não? Disse que iria resolver um problema, que ela não podia entrar porque tinha alguém que você estava ajudando lá... Disse que resolveria este problema e depois teria sua vida de volta! Não precisa, não quero ser estorvo para ninguém!

Eu: Yago...

Ele: Não precisa se explicar, eu te entendo, minha vida é um verdadeiro problema, eu sou um problema, meu irmão mesmo fala isso sempre, que desde que nasci sua vida é um verdadeiro inferno!

Eu: Para de se fazer de vitima!

Ele me olhou surpreso... - Não estou me fazendo de vitima! Não estou...

Suspirou e olhou para baixo. - Só estou cansado sabe? Gostaria de encontrar alguém que realmente me amasse e não me visse como um problema! As únicas pessoas que realmente me amaram foram meus pais, desde que morreram não recebi mais carinho de ninguém. Não quero te forçar a isso tá?

Ele realmente tinha uma baixa-estima muito grande...

Ele continuou. - Pode ir, eu já estou bem. Vou ver para onde ir, se não encontrar outro lugar volto para casa!

Eu: Para seu irmão? Pirou?

Ele: E daí? Já vivi até hoje neste inferno... Posso continuar!

Eu: Você vai para minha casa!

Ele: Eu não vou ficar na sua casa atrapalhando sua vida! Você ontem levou aquela mulher sabe-se lá para onde porque eu estava atrapalhando!

Eu: VAI VOLTAR PARA MINHA CASA EU JÁ DISSE CARALHO!

Tinha muita pouca paciência, ele arregalou os olhos para mim e começou a chorar...

Eu: Porque está chorando?

Ele: Porque será que eu nasci? Minha vida é um inferno! Queria morrer...

Eu o abracei...

Ele: Sou uma porcaria que ninguém quer.

Eu: Você não é uma porcaria!

Ele: Porque você não me deixou morrer? Porque me salvou?

Eu: Você é importante para mim!

Ele riu triste. - Eu sei que não sou, mas não se preocupe, vou achar um lugar para ficar e deixo sua vida.

Longe dalí...

Doug narrando.

Estava comendo algo quando Rick aparece com o tel na mão, estava no viva-voz e chamando.

Ele: Não fala nada, só escuta.

Uma mulher atendeu. - Rick, o que foi? Já disse que não quero te ver! Você me agarra e depois começa a chorar falando de um garoto! Agora tá me ligando, para quê? Para falar o quanto está apaixonado por esse tal de Doug? Ah pelo amor de Deus tenha santa paciência!

Desligou na cara dele!

Eu: O que foi isso?

Ele: Te provei que falei a verdade.

Rick narrando...

Havia acabado de provar que sinto algo por ele e ele ficou mudo, não disse nada, só me olhava, fiquei nervoso.

Eu: Você sabe como é difícil para mim falar "eu te amo" para alguém? Responde caralho!

Simplesmente saiu e foi subindo para o seu quarto... O segui, adentrei, puxei em seu braço e o joguei na parede, olhava seus olhos mel, sua boca vermelha. Eu estava extremamente zangado e excitado...

Avancei em sua boca com selvageria, ele desviou, me olhou logo após, li em seus olhos que ele queria mais calma, menos raiva. Fui devagar, fechei os olhos e ele aceitou, fomos andando até a cama sem nos soltar.

Tirei a camisa dele e ele deitou, abriu as pernas e fiquei entre elas, beijava seu pescoço, desci direto para sua barriga, ele apertou meu pênis, gemi...

Me empurrou e ficou por coma, desabotoou minha calça, o ajudei a tirar, ele pegou meu pênis e o masturbou umas 5 vezes, mordia o lábio enquanto fazia, nossa ele era lindo, e com aquela cara de safado me fazia ficar mais louco ainda, aproximou seu rosto, deu uma lambidinha na cabeça, depois uma lambida da base a cabeça, depois começou a socar fundo em sua garganta. Eu gemia, urrava, delíciaaaa...

Longe dalí...

Yago narrando.

Acordei, ele estava na poltrona dormindo, observei como era lindo, seus olhos verdes, seu cabelo escuro, sua pele morena, seu corpão musculoso...

Pensei: Para Yago fica na sua, Fer não é para você, ele nunca vai te olhar assim...

Virei para o outro lado e fechei os olhos, senti uma mão no meu cabelo e virei, ele havia acordado...

Ele: E então? Está melhor? Falei com o médico e ele disse que você terá alta amanhã!

Eu: Que bom. - Baixei a cabeça.

Ele: O que foi?

Eu: Olha, não precisa me abrigar na sua casa, sério.

Ele: Esse assunto de novo.

Eu: Ok, não está mais aqui quem falou.

Longe dalí...

Rick narrando.

O peguei pelos braços e o joguei na cama de costas para mim, beijei sua nuca, cuspi em um dedo e enfiei em seu ânus, ele só gemia baixinho, depois coloquei o outro...

Ele: Coloca!

Eu: Seu desejo é uma ordem!

Coloquei a cabaça na entrada e comecei a empurrar. Ele apertou a colcha da cama e gemeu. Delicia, apertadinho e quentinho, eu estava louco para me movimentar, mas tinha que respeita-lo!

Ele: Me fode!

Aquelas palavras foram um verdadeiro alivio... Comecei a ir rápido, socava com vontade, nunca desejei ninguém como a ele, era uma loucura, era um sentimento muito poderoso!

Ele gemia roquinho, eu adorava...

O virei de frente, queria ver seu rosto, era maravilhoso, ele revirava os olhos, puxava o lábio mordendo-o, apertava a colcha da cama, eu pirava e ficava cada vez mais louco!

Ele gozou, se tremeu inteiro, sentia seu ânus se contraindo, era uma delicia, me rendi e gozei também...

Caí na cama de lado, ele continuou na mesma posição.

Ele: Rick, eu vou acreditar em você, mas se você me enganar mais uma vez eu vou, eu juro por Deus que vou no mesmo instante!

Adorava aquele jeito estouradinho dele, puxei ele para mim e dei um beijo gostoso!

Passou-se alguns dias, estávamos em verdadeira lua de mel, namorávamos demais, dei uns dias de folga a Barbara e a casa ficou só nossa.

Longe dalí...

Yago narrando.

Passaram-se 15 dias, eu realmente tinha ido para a casa dele, estava muito sem graça, sabia que ele tinha mudado sua rotina por minha causa...

Quanto mais os dias se passavam, mais apaixonado eu ficava, sempre pegava ele com pouca roupa ou só de cueca era impossível não pirar.

Dormia sentindo o seu cheiro, todo o AP era sua cara, não sabia mais o que fazer.

Fer narrando...

Eu não transava a dias, estava literalmente na seca, e ver o garoto na minha casa de roupas casuais ou até mesmo de cueca, era um castigo!

Yago era loirinho, cabelo encaracolado, olhos azuis céu, pele branquinha, e corpo lindo.

Houve um dia que levantei, escovei meus dentes e saí do meu quarto, quando dou de cara com ele, ajudando Claudia a fazer um bolo, estava todo sujo de farinha, ri demais...

Eu: O que é isso?

Claudia: Estamos fazendo um bolo!

Sentei em um banco do balcão e o chamei. - Vem aqui.

Ele veio até mim, ficou em pé entre minhas pernas e comecei a tirar a farinha de suas bochechas...

Seu rosto lindo e delicado, parecia um daqueles anjinhos de desenho animado com seu cabelinho enrolado e seus olhos azuis... Seus olhos, enquanto tirava a farinha olhava neles, me sentia voar no céu, seus lindos olhos azuis me fazia sentir flutuar...

Eu: Vai tomar um banho!

Ele foi...

Cláudia: Fer não brinca com esse garoto não ok? Ele não merece e você sabe!

Fui até o quarto, ele estava em frente ao armário escolhendo uma roupa, havia aberto um espaço para ele. Me aproximei e o abracei, olhei nos seus olhos novamente, não sabia explicar, seus olhos me deixavam louco.

Ele baixou a cabeça mas eu a subi...

Eu: Qual o problema? Hum?

Ele: Nenhum.

Eu: Estou achando você um pouco triste.

Ele: Não.

Se soltou dos meus braços e foi para o banheiro. Coloquei a mão na minha cabeça e caí na cama. Como seria minha vida dalí para frente? Não fazia ideia.

Com um tempinho ele saiu do quarto de cabelo molhado, short folgadinho de elástico azul bebê e uma regata branca, parecia um menininho.

Ele veio até a cama, deitou do meu lado e ficou me olhando.

Eu: O que foi?

Ele: Estou pensando.

Eu: Em quê?

Ele: Não posso passar o resto da vida aqui atrapalhando sua vida!

Eu: Você não atrapalha minha vida.

Ele: Como não? Você não trás mais ninguém aqui!

Eu: Não vou querer jamais que você vá embora correndo perigo.

Desde que ele estava aqui não saia sozinho para nada, apenas ficava aqui no meu AP, comigo, não permitia dar um passo sem mim, era meu e só meu (Ops! Como assim?)

Estava vendo com meus advogados o que fazer para tirá-lo do irmão, pois o irmão tinha toda a responsabilidade e o poder sobre ele e seus bens.

Yago tinha acabado de completar 17, faziam apenas semanas e quando completasse 18 que ele estaria livre e ainda faltava um ano, queria ele livre daquele bandido imediatamente! Mas pelo visto não seria fácil.

Enquanto pensava nisso tudo ele olhava para mim com aquela carinha linda até que escondeu o rosto com vergonha me tirando dos meus pensamentos...

Eu: O que foi?

Ele: Você estava me olhando de um jeito...

Eu: Estava admirando sua beleza.

Ele me olhou com uma cara de interrogação.

Eu: Você é lindo.

Ele: Para. - Virou de costas.

Eu: O que foi?

Ele: Não faz isso tá, eu sei que é mentira, que você gostaria de estar com outras pessoas, mas eu juro que vou arranjar algum lugar para ficar.

Eu: Yago, você tem que cuidar um pouco da sua auto-estima, acho que você sofreu tanto que a perdeu. Estou falando sério. Você acha que nunca poderia te amar?

Ele: Me amar? Você? - Ele ria e lágrimas caíam dos seus olhos. - Eu, um garoto sozinho, ridículo, que já passou pelas mãos de meu irmão e seus amigos, amigos esses que até ele mesmo já esqueceu, nas mãos de traficantes quando meu irmão não tinha grana para pagá-los. Você é rico, poderoso, pode ter a pessoa que quiser...

Eu: PARA COM ISSO!

Ele se assustou.

Continuei: Eu não permito que você se fira assim jamais, que essa seja a última vez, pelo menos na minha frente!

Ele baixou a cabeça chorando. - Ninguém nunca me amou fora meus pais.

Eu: Será que é porque você não permite? Se acha pouca coisa para todos?

Ele deu de ombros.

Eu: Vou te dizer o que acho de você. Você é um garoto maravilhoso, lindo, muito lindo. Inteligente e com todo um futuro pela frente. E principalmente apaixonante! Muito apaixonante.

Ele: Mentira!

Eu: Não é mentira, é a mais pura verdade!

Ele chorou mais. - Porque você está fazendo isso comigo? Me iludindo desse jeito? Quer brincar com meus sentimentos para rir de mim depois? - Baixou a cabeça. - Só porque já percebeu que estou apaixonado por você?

Eu levei um susto! - O que?

Ele me olhou assustado...

Eu: O que você disse?

Yago deu um pulo da cama e saiu correndo.

Yago narrando...

Estava morrendo de vergonha, queria sair dalí o mais rápido possível...

Saí do AP dele, quando o elevador abriu dei de cara com meu irmão.

Ele: Hora, hora, hora nos encontramos maninho!

Longe dalí...

Doug narrando.

Eu estava completamente apaixonado e em uma epifania total, estava muito feliz, Rick estava perfeito, aqueles dias não fizemos outra coisa se não se amar, ele era muito gostoso e perfeito e eu estava me sentindo realizado.

Estávamos juntinhos, quando a campainha toca...

Rick: Vou atender.

Eu: Tá.

Demos um selinho.

Escuto os filhos dele conversando...

Ótimo, estava bom demais para ser verdade, e a realidade cai na minha cara, estou "namorando" meu padrasto e seus filhos acabaram de chegar, daqui a alguns dias seria minha mãe.

Como iria ser?

••••••••••••••••••••••••••••

Obrigado pelos comment's.

Comentários

11/04/2016 00:18:36
Alegria de pobre dura pouco
01/01/2016 22:28:36
Tava muito bom!
11/05/2015 13:37:01
Não liiphë, mas o fato de Fer estar dormindo naquele momento não significa que Yago não saiba a cor dos seus olhos e que não possa lembrar... Afinal existe a memória para lembrarmos do de mais agradável ao mais desagradável não? Yago já conhecia Fer a tempos e estava completamente apaixonado. Mesmo não estando alí Yago lembraria de Fer nos minimos detalhes, creio que você já se apaixonou e sabe bem como é. Beijos e continue acompanhando.
11/05/2015 11:29:19
*Ops:Mais ele dorme de olhos aberto...
11/05/2015 11:28:28
caralho que loucuraaa continua logo !!
11/05/2015 11:26:32
Meu dorme de olhos aberto...
11/05/2015 08:00:14
Sensacional, adorei.
11/05/2015 06:24:49
Seria bom Fernando socar esse cara agora que está sã...
11/05/2015 05:41:50
iiiiiiiihhhh
11/05/2015 00:36:34
Perfeito ...
10/05/2015 23:23:52
O amor está no ar (he, he, he)!
10/05/2015 23:14:05
Perfeito como sempre e esse irmão do Yago não morre mesmo :D
10/05/2015 23:04:15
Muito bom!!
10/05/2015 23:02:34
Estou APAIXONADA pelo seu CONTO. Espero que o Yago selivre do irmão e que Doug se livre dos filhos do Rick!!!!!!!!!! Seu CONTO e 1000
10/05/2015 22:20:19
Ixxiiiii... Realmente nem tudo são flores... Espero que o Yago saia desse com a ajuda do Fer... Não seio o porquê mais acho que estou me apegando a este personagem ele é muito sofrido da vontade de ajudá-lo, mesmo eu sabendo que é um personagem(kkk's)... Parabéns Alex isso só mostra que vc é um ótimo escritor.
10/05/2015 22:18:08
Perfeito \o/
10/05/2015 22:05:20
Maravilhoso.
10/05/2015 22:00:25
Otimo! não paro de amor esses casais, não sinto raiva desse jeito coitado de Yago porque sei que ele tem motivos para ser assim, espero que Fer ajude ele a sair dessa, (Tomara que Ygor dê logo uma overdose e morra aff que cara chato da poha) e agora evem mais dois chatos para estragar a Utopia de Doug... tadinho não tem paz, Bjs e até o próximo!
10/05/2015 21:49:05
iiiii deu merda, para os dois!
M/A
10/05/2015 21:34:54
Bom.so demorou muito a postar

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.