Casa dos Contos Eróticos

O Videozinho da minha filha

Categoria: Heterossexual
Data: 07/05/2015 15:42:28
Última revisão: 12/10/2015 02:46:34
Nota 9.95
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Ricardo, tenho 44 anos, sou casado há 22 anos e tenho uma filha, Amanda, de 18 anos. Amanda é uma mulher muito bonita, alta, loira, pele bronzeada, uma cintura fina, barriga trincada de academia, seios bastante volumosos e uma bunda enorme, condizentes com suas coxas. Ela malha desde os 12 anos e tem um corpo que não perde pra nenhuma panicat.

Ela sempre me trouxe muitos problemas com os rapazes, ela começou a namorar bem cedo e desde então, sempre faz questão de usar roupas extremamente sensuais e provocantes, dançar bem provocante. Inclusive já me trouxe problemas com alguns amigos que lhe ofereceram caronas que mais tarde descobri que renderam bem mais que uma carona à filha de um amigo e até já fez várias festinhas em casa, sendo ela filha única, eu trabalho de representante comercial e a sua mãe é enfermeira e às vezes precisa cobrir alguns plantões e ela sempre se aproveita de qualquer oportunidade de estar sozinha em casa.

O fato que vou contar aconteceu justamente no ultimo feriado, um cliente desmarcou uma visita que o faria e por conta disso reajustei minha agenda e voltei para casa alguns dias mais cedo para passar o feriado prolongado em casa. Passei a madrugada viajando para poder chegar em casa antes do almoço. Quando chego, deixo meu carro num lava-jato próximo à minha casa e sigo a pé para casa; há umas 3 casas já ouço o som ligado num funk no ultimo volume, logo pensei que só poderia ser a Amanda... Entrei pela porta da cozinha gritando avisando que cheguei e nada de ela ouvir, foi quando eu cheguei sem fazer nenhuma questão de a surpreender, mas eu que acabei surpreendido. Ela não me viu quando encostei no portal da cozinha, que ficava numa posição em diagonal à sala, a sala estava com as luzes apagadas e ela ajeitava uma câmera digital em cima de um móvel, ela estava com um short branco mínimo, com toda sua bunda exposta, uma regata cortada que mal cobria os seus mamilos, usava uma bandana na cabeça e foi quando começou a dançar, naquela posição eu a veria de lado, mas veria tudo que ela exibia à câmera, e eu resolvi ficar ali e observar a performance da minha filhota...

Minha filhinha, primeiro andou em direção à câmera que estava posicionada à altura da sua virilha, e ficou acariciando as suas pernas, a barriga e se alisando, puxou o short como se quisesse mostrar como a costura do short revelava a sua buceta carnuda, depois ela se afastou e começou a dançar, ficou bem onde me daria visão completa do espetáculo, sem nenhum móvel impedindo minha visão, ela rebolava e descia devagar e subia remexendo seu corpo, fazendo questão de exibir seus seios empinados por baixo daquele minúsculo pedacinho de pano que os cobriam... Uma pequena fresta na janela deixava passar um facho de luz que brilhava em sua pele bronzeada... na sua coxa, na sua barriga esculpida, quando ela ergueu os braços, revelou parte dos seus seios abaixo dos mamilos que ficaram a mostra quando ela erguia os braços. Ela sempre abusou da sensualidade, talvez por sempre estar espantando os gaviões do pedaço nunca havia reparado nela dessa forma... Ver ela dançando e rebolando daquela maneira, seu cabelo loiro, liso parecendo uma cachoeira dourada balançando enquanto ela rebolava... A casa toda fechada e a minha camisa social e a sensualidade da cena me fizeram suar, e eu só imaginava que ela também estivesse ficando com o corpo suado, logo senti uma ereção muito forte. Foi quando ela desceu ate o chão e ficou com a bunda toda aberta e rebolando, nessa hora me peguei com a mão no meu pau duro, muito duro... Me senti louco, como poderia estar tão excitado com a minha filha, mas ela era uma mulher muito gostosa, não parava de lembrar o cheiro do hidratante de cereja que sentia toda manha que eu a acordava pra ir para o colégio, e imaginei o sabor pela sua pele, imaginei o cheiro por baixo daquele short, ela molhada, os mamilos durinhos... foi quando ela se virou de frente para a câmera, e desceu até o chão, dessa vez exibindo a bucetinha... ela levou as mãos aos seios e os apertou e nesse momento, notei seus lábios mexendo como se houvesse dado um gemido baixinho, depois ela desceu as mãos pela barriga e passava pela sua xoxota como se estivesse convidando quem estivesse vendo o vídeo para saboreá-la, e foi fazendo esse movimento, passava a mão pelas coxas, passava pela buceta e subia pela barriga, depois refazia o caminho de volta, foi fazendo assim e me hipnotizando.

Nesse momento eu não aguentei, me esqueci de tudo à minha volta e abaixei o zíper da calça, pus meu pau pra fora e comecei a punhetar, a cabeça já estava melada por causa do tesão que eu sentia, perdi a noção de onde estava, do que estava fazendo, de tudo... foi quando olhei para frente e vi a Amanda, de pé, parada à minha frente, observando seu próprio pai punhetando observando ela dançando... Na hora meu coração gelou, ficamos nos encarando, eu com o pau duro na mão por alguns segundos nem consegui parar aquele movimento automático da punheta, só me dei conta quando ela desviou o olhar para o meu pau e eu às pressas o guardei na calça e fiquei ali com a cara no chão, sai as pressas da cozinha, ela me chamou e eu só a mandei abaixar o som e fui subindo para o meu quarto tomar um banho pra aliviar todo aquele tesão e pensar em como eu faria com aquele constrangimento todo. Tirei a roupa, peguei uma toalha limpa e entrei no chuveiro, fiquei lá por uns 15 minutos, e ainda sai bem constrangido sem saber o que fazer comigo mesmo, foi quando eu sai do chuveiro e ainda ouvi o som no ultimo volume, mas não tive coragem de chamar a Amanda pra conversar.

Foi então que vejo a Amanda na porta do quarto meu e de sua mãe, com a câmera na mão e pedindo pra conversar, eu fiquei imóvel e ela veio com um andar tão sensual quanto ela estava fazendo no vídeo, fiquei sem saber se a aquele andar era o normal dela ou ela estava tentando me provocar... Minha primeira ação foi tentar desconversar:

-Amanda, já pedi pra você abaixar o som!

-Ta pai, vou abaixar quando descer, mas eu vim aqui para saber o que aconteceu.

-Há, filha, não sei explicar, hoje você já é uma mulher crescida e dançando daquele jeito, eu tenho meus instintos de homem, sei que o de pai deveria ser maior mas aconteceu, quero que me perdoe pela cena que você viu, mas tem que entender...

-Só estava dançando pai, não tinha nada demais.

-Mas daquele jeito, com essas roupas?

-Há, pai, todas as meninas fazem isso, é só de zueira mesmo, não tem nada demais... Mas papai, sei que você é homem e tal, mas o vídeo não tem nada demais.

-Filha, tem, você é mulher...

-E sobre o que eu vi, não tem nada demais, vamos esquecer isso tá bom?

-Ta bom.

-Obrigada papai lindo!

Nisso ela me deu um abraço e pude sentir o cheiro do hidratante de cereja que ela usa, aquilo já trouxe todas aquelas fantasias de novo:

-Olha papai, vou te mostrar o vídeo pra você ver que não tem nada demais.

Ela se sentou bem perto de mim, encostada mesmo, eu apenas com a toalha, pois não havia vestido nada depois do banho. Quando ela deu o play, vi tudo desde o começo de novo, ela exibindo a xotinha de pertinho, ela se afastando e rebolando, exibindo a bunda na câmera, e eu tentando me conter, mas não conseguia, foi que notei que a respiração dela do meu lado estava mais ofegante, mais profunda... até que chegou a hora que ela abaixou-se de frente pra câmera, apertou os seios e pude ler seus lábios soltando um gemido, nesse momento meu pau simplesmente se ergueu por baixo da toalha:

-Eita papai, gostou mesmo do vídeo hein...

-Amanda, saia daqui agora!

-há para pai, acha que nunca vi um homem de pau duro pra mim, curte ai o vídeo...

Na parte que ela rebolava de frente pra câmera ela veio e falou baixinho no meu ouvido:

-Nessa hora do vídeo eu fiquei molhadinha...

Só respirei fundo, e ela falou pra mim:

-Pai, me mostra aquilo que vi na porta da cozinha?

Ela disse já tirando a toalha e deixando meu pau para fora, nesse momento eu fiquei imóvel, e ela pegou e começou a me punhetar:

-Seu pau é delicioso, grande e grosso – E ela começou a chupar meu pau sem eu nem falar nada, fiquei sem ação, apenas curti a mamada da minha filha, sugando meu pau com vontade, passando a língua por toda sua extensão, pegando no meu saco enquanto lambia a cabeça do meu pau. Ela segurou no meu pau e olhou fixamente nos meus olhos, minha única reação foi agarrá-la pelos cabelos e puxar seu rosto até o meu para beijá-la. Eu e minha filha demos um beijo muito gostoso, longo, molhado, tanto que sentia a nossa saliva escorrendo pelos cantos de nossas bocas. Deslizei minha mão pelo seu pescoço e desci por todo seu corpo, pelos seios, barriga, coxas e subi novamente para encaixar minha mão na sua buceta, dá pra sentir que seu short estava molhado, ela agarrou minha cabeça e levou a minha boca para seu pescoço e eu comecei a morder aquele pescoço que estava começando a ficar suado, estava extasiado, ela gemia baixinho enquanto eu coloquei a mão em um de seus seios e apertei, e ela gemia mais. Foi quando ela me afastou, ficou de pé na minha frente, ficou de costas pra mim:

-Tira meu short

E eu a obedeci, tirei devagar revelando aquela bunda com uma marquinha de biquíni feita por uma calcinha fio dental, aquela bunda bronzeada, com o entorno do cuzinho mais escurinho, assim como sua bucetinha, abri sua bunda e a mordia com vontade:

-Ai não papai, não tomei banho hoje ainda, só ontem...

Ela falar isso, sentir o seu cheiro do jeito que ela tinha acordado só me deu mais tesão, e comecei a lamber o cuzinho dela, que cuzinho delicioso, um cheiro de leve de quem não se preocupou muito em enxugar a buceta depois de fazer o xixi da manha só me deixou mais doido, eu chupava e lambia seu cu enquanto ela rebolava bem pouquinho pra minha língua não parar de contornar seu lindo cuzinho, eu pus as mãos nas suas costas pra abaixar seu corpo e revelar aquela buceta cheirosa pra eu chupar ela, logo eu virava ela pra ver aquela bucetinha de frente, era linda, meio escurinha por fora, mas era só puxar seu grelho um pouquinho que se revelava uma buceta rosada e molhada por dentro, com um fino caminho de pelos castanhos levando ao seu grelhinho, aquilo me dava agua na boca e eu chupava, sugava aquele grelho até minha filha se contorcer na minha boca. Fiquei uns 30 minutos só saboreando aquele rabo lindo. Foi quando ela se deitou de bruços na cama, eu me levantei e fui me posicionando, foi quando eu comecei a enfiar meu pau na sua buceta, ela me chamou com o dedinho para que eu pusesse meu ouvido do lado da sua boca:

-Papai, deixei o som alto ligado porque adoro gritar muito quando sou fudida por um macho gostoso.

Nessa hora eu meti com vontade, aquela buceta já estava muito molhada e eu empurrava meu pau para dentro dela com força e com vontade:

-Mete fundo safado, mete, vai mete, mete filho da puta, mete, me faz gozar vai, mete...

Ela gritava sem parar, a coloquei de 4 e continuei a bombar aquela puta, segurei com uma mão nos seus cabelos e outra na sua cintura, e ela continuava a gritar:

-Delícia, mete delícia, vai, mete, aiii, aiii, gostoso, mete...

A comi de 4 ate que ela gozou, mas eu ainda não havia gozado, então decidi comer o seu cuzinho, fui cuspindo e mandei ela levar a mão até um móvel do lado da nossa cama e pegar um lubrificante que eu usava coma mãe dela.

-Hummmmm mamãe é safada, quem diria...

Fui melando seu cuzinho com o dedo e cuspindo nele, depois lambuzei meu pau e comecei a enfiar naquele cuzinho lindo:

-Aiiiiiiii ta doendo caralho, fode meu cuzinho, você me fez te dar o meu cuzinho sujo, ai, come, come, gostoso, continua, não para....

Ela gritava essas coisas sem parar, e eu não queria parar de meter naquela bunda deliciosa, nunca havia comido uma mulher tão gostosa, ver aquele corpo perfeito suado e disposto a qualquer sacanagem só me deixava com mais excitação, levava a mão na sua buceta, e ela estava ensopada, quase a ponto de escorrer, e ela mexendo aquela bunda com meu pau inteiro dentro não deu outra, ela estava prestes a gozar enquanto comia seu rabo:

-Ai delicia, vou gozar dando o cuzinho, seu safado, ele ta sujo e você me comeu assim mesmo, delicia, ai, delicia, esse pau ta me arrombando, me fode toda...

Dentro, logo eu gozei dentro daquele cuzinho lindo, sentia ele contraindo no meu pau a cada jato de porra que eu soltava... Logo cai deitado na cama ofegante, com o pau mole mas ainda com muita vontade de continuar fudendo aquela putinha, ela sem cerimonia já se posicionou deitada com as pernas viradas para meu rosto e foi chupar o meu pau... O pau que acabei de tirar melado de porra do seu cuzinho, e ela sugava com muita vontade, chupava, lambia, brincava com as mãos e a boca para fazê-lo ficar ereto de novo. Ver aquela bunda pra cima, assistir a minha porra sendo expulsa do cuzinho dela e melando toda a sua bunda e ainda com a boquete dela meu pau não demorou a ficar duro.

Logo a peguei, a virei na cama , abrir suas pernas, e empurrei meu pau fundo naquela buceta, e ela rebolava do jeito que deva com meu corpo por cima dela, ela remexia, se agarrava e arranhava minhas costas, e continuava a gritar:

-Que pau gostoso meu Deus, que delicia, mete papai, mete seu safado, mete, come sua filha seu safado, nossa que pau delicioso...

Eu viajava enquanto comia aquela buceta molhada e quente, foi quando olhei para seu corpo e vi a pequena regatinha cortada que ela estava usando ensopada de suor e saliva que havíamos babado durante a transa, vi que um dos seus seios estava com metade do mamilo à mostra, foi quando eu percebi que não podia deixar de me saborear naqueles seios perfeitos, foi ai que comecei a chupar os mamilos dela, eles eram marronzinhos, pequenos, durinhos, eu sugava e ela gritava, gemia, eu apertava aqueles seios, ela puxava meus cabelos, lambia meu corpo suado e eu também lambia o suor dela espalhado no seu corpo, sua pele inteira tinha um sabor delicioso que me viciou... Ela começou a tremer e me apertar, estava gozando novamente...não aguentei e gozei novamente dentro daquela buceta gozada, até esse momento nem havia me tocado sobre usar camisinha, mas nossa, não me arrependi hora nenhuma, nada foi tão gostoso como gozar naquela buceta quente.

-Goza safado, goza na sua filha, enche ela de porra, agora na bucetinha, goza vai...

Novamente gozei e fiquei deitado na cama, e novamente ele chupava meu pau, mas dessa vez com muito mais vontade,

-Hummm, minha buceta é muito gostosa neh, fala verdade, olha que melado mais gostoso de chupar...

Nunca me senti daquele jeito, não queria que aquilo acabasse nunca, logo meu pau voltou a dar sinal de vida e ficou novamente duro dentro daquela boca quente, nisso ela se pôs com a buceta em cima da minha boca, e vi aquela buceta escorrendo minha própria porra, e a bunda acima já lambuzada dela, sem falar o quanto ela estava suada por inteiro, quando eu ouvi a sua ordem:

-Me chupa!

Eu não podia negar, comecei a chupar, chupar com vontade, sentia aquele caldo quente dos nossos gozos invadindo minha boca, e com mais força quando eu sugava, mas nem pensei nisso quando minha língua estava entre os lábios da sua buceta, quando o cheiro do cu aberto dela invadia meu nariz, aquilo me dava mais tesão, e eu chupava com mais força, quando eu ouvi ela dar um alto gemido:

-Vou gozar na sua boca caralho

E novamente vi ela se estremecer, apertar minhas coxas e gozar como uma louca, mas dessa vez não falou nada, mas sugou meu pau com muita força, ouvia barulhos da boca dela sugando meu pau, sentia ela lamber meu pau, ela cuspir nele, sentia a saliva dela escorrer pelo meu saco e pela minha perna ate na minha bunda, por um instante percebi que nossos corpos estavam ensopados e não demorou muito para que aquela puta fizesse eu também gozar na sua boca mas dessa vez, não ouvi gritos, nem gemidos nem xingamentos, sentia ela sugando meu pau, tentando extrair ate a ultima gota de porra do meu pau...quando terminamos eu peguei seu cabelo e estava encharcado, a coloquei no meu colo e passamos uns bons minutos nos beijando. O cheiro de sexo estava no ar, aroma de suor, saliva, porra, buceta estava impregnado no ar, mandei a Amanda abrir as janelas do quarto e ir tomar um banho, mas quando ela estava saindo eu me lembrei que gozei muito na buceta dela sem camisinha:

-Filha, preciso ir comprar um remédio pra você neh?

-Relaxa pai, acha que eu não tenho um estoque no meu quarto não?

-Estoque, como assim?

-Relaxa, qualquer dia desses eu te conto tudo!

Nem tive cabeça pra ficar com raiva da Amanda, estava derretendo e ela também, só tive forças pra mais uma coisa:

-Amanda, não esquece do som hein...

-Ai que saco pai...

E fiquei assistindo ela vestindo somente a blusinha que não cobria todo os seus seios e coberta de suor descendo e subindo as escadas e desfilando pela casa com a buceta e o cuzinho melados do nosso gozo...

**

Quem gostar, enviar email ou adicionar no Skype mg_ezio_h2012@hotmail.com

Comentários

27/02/2017 10:52:13
Bom
27/02/2017 10:51:12
10
19/02/2017 22:33:31
10
17/01/2017 12:17:51
Ótimo conto, envolvente, muito bem escrito.
15/11/2016 18:49:43
kd a parte 2 ???
07/12/2015 00:57:32
Maravilhoso, filha maravilhosa parabéns nota 10
17/08/2015 21:40:52
MT legal!
Ner
12/08/2015 11:28:36
Que delicia!!!!!!!!!QUE FILHA MARAVILHOSA!!!!!!!!!!!!!!!!Muito bommmmmmmmmmmm
18/06/2015 15:17:31
Espetacular!!!
14/06/2015 12:49:06
Excitante teu conto.... Garotas q quiserem realizar fantasias e so me chamar no whatsapp...
12/06/2015 14:22:22
Qe delicia... muito bom
15/05/2015 21:44:35
Delicia de conto, Ricardo. Pelo que notei, você tem fantasias com a Amanda, o que é normal e salutar. Afinal, antes de parentesco, somos fêmeas e machos, com desejos e vontades. De qualquer modo, foi bem excitante. Beijos.
08/05/2015 13:10:50
A sua filha é muito gostosa, fiquei com muito tesão ao ler esse conto.
07/05/2015 23:36:22
Delicia de conto
07/05/2015 21:02:19
D+
07/05/2015 16:08:17
Intenso, espetacular!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.