Casa dos Contos Eróticos

O Lado bom da Vida (Ep.21)

Categoria: Homossexual
Data: 04/05/2015 02:53:36
Nota 10.00
Ler comentários (18) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

A viagem durou mais ou menos 15 horas, aterrissamos no aeroporto de McCarran e la tinha um moço da empresa que me esperava.

Seguimos para a cidade. Eu parecia criança descobrindo o mundo.

Fiquei em um apartamento da empresa, no outro dia já começaria a trabalhar. Naquele dia andei por onde pude, conheci o que tive tempo.

No outro dia comecei a trabalhar, e era muito mais trabalho e como meninos resolveram adiar o casamento, porque tinham novos planos, eu não precisaria voltar para o Brasil.

Fui em boates de todos os tipos, fiquei com várias meninas, deixei o cabelo crescer, conheci os casinos, aprendi a jogar poquer, fiz tatuagens, conheci pessoas e voltei a estudar.

Um dia por acaso eu estava em casa sem fazer nada, peguei o note e comecei a mexer, tinha chamada na webcan, fui ver quem era e tive uma enorme e ótima surpresa, era Marcell. Depois de quase 2 anos e meio, os meninos me procuraram.

(via webcan.)

Marcell: Oiii guria! Saudades enormes de ti. Nossa como você tá linda.

Eu: Poxa, quanto tempo. Saudades também. Você que está lindo. E Diego?

Marcell: Tá la dentro. Me conta as novas?

Eu: Voltei aos estudos, fui promovida. Etc etc.. me conta e você?

Marcell: Eu e Diego vamos casar e agora é pra valer, aah tenho uma mega novidade.

Eu: Diga.

Marcell: Eu e Diego adotamos dois babes gêmeos de uma menina de 16 anos que não queria os bebês.

Eu: Não acredito! Quer dizer que sou tia??? - Sorri contente.

Marcell: Sim. Agora que eles já estão mais grandinhos queremos uma festa simples. Você vem ne?

Eu: Claro.

Marcell: Será no final de semana que vem!

Eu: Ótimo.

Marcell: Amore. Mais tarde conversamos, não posso deixar meu amor sozinho com as crianças. rs

Eu: Claro. Nos vemos em breve.

Desligamos.

Cogitar a idéia de voltar para o Brasil me causava arrepios, já fazia bastante tempo, será que muita coisa havia mudado?

Passei o restante dos dias trabalhando.

Sai de Las Vegas quinta pra chegar sexta aqui. A festa de casamento seria no sábado a noite.

Cheguei mega cansada e segui para a casa dos meninos. Cheguei de surpresa pois não tinha avisado que viria.

Marcell me recebeu.

Marcell: Aaah não acredito. - Disse todo alegre. - Você veio.

Eu: É claro. Sou madrinha desse casamento. - Sorri. - E o Diego?

Marcell: Saiu, foi comprar umas coisinhas.

Eu: Cadê os babes?

Marcell: Vem comigo.

Subimos e quando cheguei ao berço, gente. Eram lindos demais. Uma menina e um menino. Dormindo feito anjos. Me senti tão feliz por eles.

Marcell: Não são umas graças?. - Disse todo babão.

Eu: São lindos. Qual os nomes?

Marcell: Maria Luísa e Miguel

Eu: Lindos. Quantos meses? - Perguntei.

Marcell: Eles tem 9 meses.

Saímos do quarto e fomos conversar na sala. Marcell não tirava os olhos da babá eletrônica.

Marcell: Menina como você ta diferente! Seu cabelo, suas roupas, cadê moça moderna de cabelos curtos?

Eu: Pois é. Resolvi relembrar meus tempos de cabelos longos. - Suspirei. - E as coisas por aqui como vão?

Marcell: Muito bem, sabe a Melissa agora expõe os quadros dela, e mora sozinha. Renata foi morar em Curitiba, conheceu um boy magia e foi ver se dar certo. Mais to bem ansioso mesmo é com o casamento da Bruninha...

Eu: Hein? Bruna vai casar??

Marcell: É Nanda! Achei que você soubesse. Ela colocou em todas as redes sociais dela.

Eu: Não entro muito. Mais com quem ela vai casar?

Marcell: Com o Vicente. Depois que você foi, ele insistiu muito por ela. Até que eles começaram a namorar e agora resolveram casar. Apesar de não estar tão animada quanto o Vicente. Ela até que tá digerindo bem a idéia. - A babá eletrônica mostrou que um dos babes estava chorando. - Iii titia, vamos subir, uma das minhas crianças chama pelo papai.

Subimos e era Maria Luísa que chorava. Ela era lindinha demais, até quando chorava.

Marcell: Vem com papai. - Disse pegando ela.

Eu: Psiiu. Deixa eu cuidar dela?

Marcell: Rs essa eu quero ver. Tá claro. - Disse me passando ela.

Eu: Oiii bebe Luísa, é a titia Nanda. - Falei com voz de criança. Ela sorriu.

Me apaixonei perdidamente por aquelas crianças. E quando menos percebi era apenas eu pra cima e pra baixo cuidando daqueles amorezinhos.

Depois de ficar um pouco com os babes fui descansar.

Quando me deitei a primeira coisa que me veio a cabeça foi Bruna, não sabia ao certo se tinha a esquecido completamente. Ficar longe é fácil, você não tem como sair e ir até o próximo quarteirão atrás. Mas agora, com ela perto não sabia ao certo o que sentiria ao vê-la.

Depois de muito pensar o cansaço me venceu.

Acordei por volta das 8 da manhã, eu ficaria com os bebês enquanto os meninos se arrumavam. Diego iria até o sítio resolver o restante da decoração, e Marcell ia buscar o terno e outras coisinhas.

A manhã foi agradável as crianças não davam trabalho.

Por volta das 15h Marcell chegou.

Eu: Oiii!

Marcell: Quer sair? arrumar algo? Eu fico com os bebês.

Eu: Claro. Obrigada, vou ao salão.

Peguei o carro dele e fui até o sítio.

Não era longe da cidade, quando fui chegando a entrada era linda, o estacionamento era bem grande. O sítio era grande e tinha um enorme lago. O pavilhão onde aconteceria o casamento estava um alvoroço, muita gente terminando os detalhes. Desci e fui olhar superficialmente.

Depois de caminhar pelo local parei perto do lago e me sentei. Diego logo veio até mim.

Diego: Oii! Você aqui?

Eu: Vim dar uma olhadinha.

Diego: Não quer entrar?

Eu: Não, não. Deixa pra ser surpresa.

Diego: E o Marcell?

Eu: Em casa com os bebês. E você onde vai se arrumar?

Diego: Vou me arrumar na casa da Bruninha.

Eu: Ah sim.

Diego: Tá certo. Viu, Vou indo tá?

Eu: - Sorri. - Claro. Vai sim.

Depois de alguns minutos alguém falou comigo.

Mel: Eu estou tendo uma visão? Fer?

Eu: Oi sou eu. - levantei.

Mel: Nossa como você tá linda, que bom te ver aqui. - Sorriu e me abraçou.

Eu: E você o que faz aqui?

Mel: Ajudando na decoração. Garanto, esse casamento vai ser um espetáculo.

Eu: Tem que ser menina, eles merecem. - Sorri.

Mel: Depois conversamos. Preciso voltar ao trabalho. Te vejo mais tarde. - Deu um beijo na minha bochecha.

Sai correndo, fui pro salão. Depois segui pra casa dos meninos. Cheguei la e tinha um dos quatro padrinhos, Pedro. Era primo do Marcell. Ficamos cuidando dos bebês e Marcell foi se arrumar. Depois de 30 minutos Marcell desceu num Smoking branco.

Eu: Nossa como você tá lindo. - Falei fascinada.

Marcell: Obrigada Amore. - Piscou. - Vão se arrumar vocês dois. Eu vou por as roupinhas dos bebês.

Subimos meio que correndo, tomei banho, limpei a pele e fiz maquiagem, coloquei o vestido e desci.

Desci e os bebês estavam em roupas brancas, lindos igual ao pai. Pedro e eu fomos com os bebês na frente. Marcell chegaria depois.

Chegamos e entramos, Mel ficaria com os bebês, Pedro e eu iríamos ficar com os outros padrinhos perto dos noivos.

Mel: Aaah Fer. Me pediram pra te entregar isso. - Me deu um envelope.

Eu: Hein? Que isso?

Mel: É pra você cantar.

Na hora me veio um gelo.

Eu: Cantar?

Mel: Eles não vão usar a música convencional de casamento. Então você vai cantar quando os noivos entrarem.

Eu: Ai minha Santa querubita. Mel porque eu??

Mel: Marcell confia em você. E além do mais você vai arrasar, agora entra, tá todo mundo ae.

Entrei e tive uma surpresa. O lugar estava fantástico. Todo decorado com cristais, rosas brancas, os convidados estavam sentados. Eu não conhecia quase ninguém, entrei toda timida e a equipe do som veio até mim.

Eq.: Fernanda ne? Você que vai cantar certo?

Eu: Sim sim.

Eq.: Por favor venha comigo.

Fui com eles para arrumar o microfone e passar a música. Seria I won‘t give up a música. Eu começaria a cantar e eles entrariam.

Quando voltei pra ficar ao lado do Pedro, Bruna estava chegando com o Vicente. Nossos olhares se cruzaram e por aqueles breves segundos eu pude sentir meu coração acelerar. Não havia esquecido. Ela estava linda, em um vestido de cor vinho longo, o cabelo solto, linda como sempre. Vicente tava elegante, usava um terno preto, igual ao do Pedro, porém, a gravata era de cor vinho. Ele andava exibindo a noiva, antes que eles chegassem perto da gente sai e fui beber uma água.

Alguns minutos avisaram que ambos os noivos tinham chegado, e que era pra eu ir até os padrinhos. Fui até la, peguei no braço do Pedro e olhei pra eles. Bruna sorriu pra mim. Acho que por vergonha ou sei la, não retribui o sorriso.

A banda começou a tocar, era minha deixa.

“ When I Look into your eyes

[ Quando olho em seus olhos ]

It's like watching the night sky

[ É como observar o céu a noite ]

Or a beautiful sunrise

[ Ou um belo nascer do sol]

Theres so much they hold

[ Há tanto que eles carregam]..

.. “

( Jason Mraz)

Pensei comigo, música perfeita pra eles dois. Eles vinham de mãos dadas, sorrindo como bobos.

A cerimônia aconteceu, e depois veio a festa, que seria próximo ao lago.

Sentamos eu e Pedro e ficamos com os bebês enquanto os noivos recebiam as felicitações dos convidados.

Mel sentou conosco. Estava linda em um vestido verde.

Mel: Pode ir Pedrinho, pode ir conhecer as meninas da festa eu fico aqui.

Eu: É vai sim.

Ele saiu.

Mel: E ae? Como foi ver a Bruna?

Eu: Não sei. Achei que seria diferente.

Mel: Hmm .. - Sorriu.

Eu: É sério.

Mel: Porque não sorriu pra ela aquela hora?

Eu: Hein? Você tava nos cuidando?

Mel: Ué.. lógico.

Eu: Não sei. Não consigo ver ela ao lado daquele cara.

Mel: Você quem deixou isso acontecer.

Eu: E se você continuar a falar dela, você vai ver o que vai acontecer.

Mel: Tá certo. - Sorriu.

Um tempo depois eu tava distraída sozinha cuidando das crianças, senti uma mão no meu ombro.

Bru: Esqueceu de mim foi? - Sorriu. - Oi Nanda.

Eu: Oii Bruna. Tudo bom? - Sorri seca. - Senta!

Bru: Você tem jeito com crianças. Não sabia que tinha.

Eu: Pretendo ter filhos, tenho que saber cuidar deles. E você não quer ter filhos?

Bru: Eu até queria, mais o Vicente não gosta de crianças.

Eu: Aaah Parabéns pelo casamento. - Disse seca.

Bru: - Me olhou de forma nada animada. - Obrigada.

Eu: Viu vou no carro pegar a bolsa com as coisas das crianças, você pode ficar com eles um instantinho?

Mel: Que isso. Vocês mal conversaram. Podem ir. - Eu fico com os bebês.

Bru: Sendo assim vou com você. - Sorriu.

Eu: Certo. - Respondi seca.

Passei pelo pavilhão e fui para o estacionamento. No caminho até o carro Bruna quebrou o silêncio.

Bru: E você o que me conta de novo?

Eu: Por enquanto tudo na mesma. - Respondi querendo que ela não perguntasse mais nada.

Chegamos até o carro. Abri e fui pegar a bolsa com as coisas das crianças.

Bru: Porque você tá me tratando assim?

Eu: Oi? Assim como?

Bru: Sei la. Você tá evasiva, seca.

Eu: Impressão sua. - Fechei a porta e virei de costas.

Bru: - Puxou meu braço. - Ei.

Eu: Que isso Bruna? - Olhei pra mão dela.

Bru: Porque você tá fugindo de mim?

Eu: Bruna para.

Bru: Não. Você tá diferente.

Eu: E não era pra tá? Eu fui embora, vivo outra realidade, era previsível que eu estaria diferente quando voltasse.

Bru: É por causa do casamento não é? Eu te conheço.

Eu: - Sorri tentando disfarçar.(Apesar de tá escrito na minha testa que era) - Não. Você tá louca? - Sorri sem graça. - Normal, você recomeçou.

Bru: Sabe, quando me disseram que você tava no Brasil, eu fiquei tão ansiosa pra te ver. E quando eu ti vi senti algo tão diferente...

Eu: Com certeza. - Sorri debochadamente. - Sentiu uma certa distância.

Bru: Não, eu senti saudade.

Eu: Não faz isso.

Bru: Isso o que?

Eu: Me diz que sentiu saudade, enquanto tem um cara ao seu lado. Isso é hipócrita.

Bru: Fer ..

Eu: Eu conheço esse filme. Você tá apenas negando quem você é ficando com ele.

Bru: Cala boca.

Eu: Não. Você sabe do que eu to falando. Ele não vai te fazer feliz.

Bru: Eu falei pra você calar a boca. - Me puxou contra ela e me beijou.

Como eu senti falta daquele beijo, ao mesmo tempo que eu entendia que aquilo era saudade, eu não entendia o porque de ela se negar ao ponto de casar com um cara.

Eu: - Me afastei. - Para. Eu vou embora.

Bru: Quando você volta pra LV?

Eu: Amanhã.

Bru: Você não entenderia.

Eu: Não na verdade eu entendo. Você nega quem é, ficando com ele. Tem medo de dar sua cara a tapa.

Bru: Não é isso..

Eu: É sim. Vou embora.

Sai disparada em direção a mesa onde estava os bebês. Mel me olhou e sorriu.

Mel: Batom borrado.. humm

Eu: Cala boca. Eu podia matar você.

Troquei as crianças e coloquei nos carinhos e levei para os pais.

Eu: Meninos eu preciso ir.

Marcell: Mais já Nanda??

Eu: Depois eu te conto.

Marcell: Já faço uma idéia.

Dei um beijo em cada um e sai até o carro. Nessa ida vi Bruna me acompanhando com o olhar ela estava ao lado do Vicente.

Sai peguei o carro. Mandei uma mensagem para o Pedro pegar carona com alguém que eu estava indo.

Era engraçado como eu fugia de tudo que estava sentindo. E ainda assim não conseguia entender o que Bruna estava fazendo.

Cheguei na casa dos meninos. Tirei o vestido e me joguei na piscina, nadei durante um tempo. Depois subi e fui arrumar minhas coisas.

Escutei barulho na sala, pensei “Pedro deve ter chegado“. Gritei do quarto..

Eu: Pedro? É você?

Não obtevi resposta. Eu tava apenas de calcinha e sutiã e estava toda molhada, quando ouvi um barulho no quarto.

Eu: Pedro arruma suas coisas. E tira suas roupas daqui.

Senti uma mão na minha cintura. Me virei assustada. Era Bruna.

Eu: O que você tá fazendo aqui? Era pra você tá na festa com seu noivo. - Sai dela.

Bru: Eu sai da festa, com a cabeça a mil, fui pra casa, troquei de roupa, rodei com o carro, e na minha cabeça só vinha você. O que você quer que eu faça? Achei que seria fácil.

Eu: Sai da festa por você ter esse poder sobre mim. Não posso ficar perto de você.

Bru: E esse é o poder que você tem sobre mim. - Chegou perto.

Eu: Não faz isso.

Bru: Cala boca, antes que eu me arrependa.

Puxei ela contra mim. A beijei com toda a vontade que tinha. Uma das mãos dela segurava meus cabelos, e a outra estava na minha cintura.

Eu queria tanto aquela mulher, as noites frias em LV, era com ela que eu queria estar, os arrepios que eu sentia era ela que nunca tinha me abandonado. Não tinha segredo a gente se amava e ponto, e não era capaz de ficar longe uma da outra.

Segurei ela contra mim como se ela fosse fugir, ela sorriu sacana e disse.

Bru: Você tá uma delicinha só de sutiã e calcinha. - Mordeu o lábio.

Eu: Você acha é?

Bru: Acho, adorei seu cabelo longo, fica mais sexy.

Fechei a porta, ela me virou e jogou na cama, tirou a blusa e veio pra cima de mim. A virei subi por cima, ela subiu as mãos da minha cintura até os meus seios e ficou me olhando.

Eu: Que foi? - Sorri.

Bru: Sei la. É diferente.

Eu: Porque faz tempo?

Bru: Não. Porque parece a primeira vez.

A beijei, ela segurava minha nuca. Desci os beijos até seu pescoço, chupei, mordi, lambi ela ficou toda mole. Desci até seus seios, tirei o sutiã, chupei um depois o outro, ela gemia baixinho e sorria ao mesmo tempo, observava cada movimento meu. Desci por sua barriga, beijei e voltei até sua boca. Coloquei minha mão dentro do short, ela tava bem molhada, comecei a masturba-la ela começou a gemer mais forte, tirei os dedos e chupei. Desci beijando sua barriga, tirou o short jeans que ela usava, juntamente com a calcinha e me surpreendi com uma tatoo, um golfinho, era pequena e era igual ao pingente da corrente que dei a ela. Sorri

Bru: Gostou? Fiz quando você foi embora. Fiz pra lembrar de você.

Eu: Amei.

Beijei o interior das coxas dela, e fui descendo, a menina dela tava visivelmente inchadinha. Não resisti comecei a chupar, ela segurava meu cabelo e gemia, as vezes rebolava de encontro a minha língua, fiz movimentos circulares com a língua, chupava e soltava, ela já estava em êxtase, senti ela ficar tensa, sabia que ela ia gozar, aumentei o ritmo e ouvi os gemidos fortes e descompassados dela gozando. Tão linda, ficou mole durante um bom tempo. Cubri ela de beijos e adormecemos.

Continua. [...]

Oiiiii Oiiii meninas? Sei que estou em falta com vocês, me desculpem, estou bem sem tempo, porém hoje dei uma corridinha aqui só pra postar esse capítulo. Infelizmente já está na minha hora e não vai dar pra escrever os agradecimentos. Mais saibam que eu amo vocês. Gosto muito de ler os comentários. Me alegra saber que vocês gostam do que escrevo, e é só por isso que ainda estou por aqui. Espero que esse capítulo tenha ficado legal.

Assim que possível, eu volto com os agradecimentos e com outro capítulo.

Beijos suas gostosas.... ;333

Comentários

19/10/2015 21:02:09
Sempre algo ou alguém para estragar a felicidade neh!!!! Tomara que se acertem logo *.*
Al_
14/06/2015 11:46:47
Demaaais!! Estava com saudades da história <3
20/05/2015 15:26:46
👍
08/05/2015 14:54:38
Awiintt q Gstzoo kkk.. Amooo seus contos Fer ^-^ Dllç.
05/05/2015 17:46:03
adorando seu conto...
05/05/2015 13:31:35
Você se supera a cada capítulo, adorei. Não demora a postar
05/05/2015 13:30:44
Que maravilha, amei. Não demora pra postar
05/05/2015 12:42:51
Mds qta emoçao sem palavras amei so nao esperava q ela tivesse passado tanto tempo fora achei q ia ser um mes mas o final foi explendido maravilhoso, vc escreve perfeitamente bem ja disse isso ne gatinha bjosss ate mas.
05/05/2015 01:22:24
nota mil! conto maravilhoso!
04/05/2015 20:06:38
Belo conto não demora a escrever gata...
04/05/2015 16:35:16
vc esta com a bruna ate hoje
04/05/2015 13:47:44
Qui bom que voltou Saudade Como sempre conto tá ótimo Tenta não demora muito para posta Beijo
04/05/2015 09:22:29
Perfeito. .Tomara que agora a Bruna deixe o Vicente e fiquei com você. .E seja muito felizes. .Beijos
04/05/2015 09:16:59
eita q saudades foi incrivel esse capitulo
04/05/2015 08:01:18
belo conto, muito bom! parabens,
04/05/2015 07:57:31
belo conto, muito bom! parabens
04/05/2015 05:42:49
Ai que bom *-* fica logo com a Bruna e faz esse Vicente desaparecer! kkkkkk
04/05/2015 04:51:23
Uuhuu adoro :3... Amo..

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.