Casa dos Contos Eróticos

Feed

Eu + Você = Nós... Bem, pelo menos era assim que eu pensava. 12

Autor: Nando Mota
Categoria: Homossexual
Data: 30/05/2015 00:15:25
Nota 10.00
Ler comentários (21) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Os dias e semanas que se seguiram após meu lindo Soldado ter me dito toda a verdade sobre ele foram de calmaria e sintonia total.

Bernardo passou a frequentar nossa casa e durante três dias na semana fiquei lhe dando aulas por conta do seu curso de Sargento temporário que já começara.

A matemática e o Português eram os vilões mais temidos por ele uma vez que realmente existiam certas dificuldades em assimilar conteúdos que aparentemente eram muito fáceis... Confesso que tinha o maior prazer em ajudá-lo e sempre que ele chegava para aquelas duas horas de aulas lá no alpendre do fundo do quintal de minha casa, a gente se entregava com muita seriedade aos estudos visando a conquista de seus objetivos na carreira militar.

Por conta do curso, meu Soldado não tirava mais serviço em sua escala regular e era rara a vez em que ele ficava o dia todo no quartel. Passamos a viajar em alguns finais de semana e isso começou a incomodar minha mãe.

Eu tinha chegado da academia fazia pouco tempo e após o banho fui pro meu quarto vestir uma roupa pra pegar um cineminha com meu Soldado. Leves batidas na porta me fizeram vestir a bermuda com certa rapidez e disse:

_ Entra.

Mamãe entrou, verificou se Dan ou Giba estavam comigo e quando nos viu sozinhos disse olhando em meus olhos:

_ Você só sai daqui se me contar o que esta acontecendo entre você e o Bernardo. E nem pense em mentir pra mim pois eu já comecei a ouvir muita coisa aqui na rua e não gostei nada do que ouvi.

Aquilo me pegou de surpresa e o sangue começou a acelerar nas veias e sem qualquer alarde eu disse olhando seus olhos tão parecidos com os meus:

_ Mamãe eu não sei até que ponto a minha verdade encaixa com o falatório que a senhora me disse ter ouvido por aí. A verdade, certo? Então que a senhora a ouça de mim... Antes eu só quero lhe dizer que ela, A Verdade, é muito simples de ser dita e difícil de ser aceita... Eu e o Bernardo, o militar que mora vizinho a nossa casa e que é um grande amigo de todos nós, bem... A gente tá junto sim. Eu amo esse cara com tanta intensidade mãe que eu não me vejo mais longe dele... Não passa na minha cabeça essa coisa de me separar dele só porque A ou B não aceitam ou entendem o que é amar. Daí que ele e eu sejamos homens? Daí que só pensem em pornografia e aberrações? Sexo qualquer casal faz... Desculpa mãe se de alguma forma isso vai contra o seu pensamento ou tudo aquilo que me foi ensinado, só que eu posso afirmar sem medo que eu e o Bernardo juntos, somos mais e melhores que muita gente que esta por aí.

_ Eu não acredito nisso, meu filho. Você pensa que agora tudo será mais fácil ou que tudo estará politicamente correto em sua vida? Sou gay e pronto, é isso? Meu Deus eu não sei nem o que dizer... Eu... Você me decepcionou João Bosco de Faria Lima... Quem é você realmente? Onde esta aquele garotinho lindo que tanto orgulho me deu?...

_ Eu estou aqui, mamãe. Eu sou o mesmo João Bosco de Faria Lima. Onde a senhora vê diferença em mim?

_ Em tudo João Bosco. Eu tõ com medo de pensar em todas as vezes em que te vi sair de casa todo feliz ... E eu pensando que alguma garota estava operando mudanças em você já que sempre foi tão retraído... NÃO JOÃO BOSCO, EU NÃO VOU PERMITIR QUE VOCÊ...

A porta de meu quarto abriu e Giba perguntou...

_ O que diabos esta acontecendo aqui, mãe?

_ SAIA DAQUI... SAIA GILBERTO de FARIA LIMA... LEVA O DANIEL DAQUI...

Eu não pensei que seria assim dessa forma. Eu estava nesse momento desprovido de emoção. Eu não sabia quem era aquela mulher que estava dentro do meu quarto a gritar e a negar a verdade que ela mesma tinha pedido pra eu dizer...

_ Mamãe, por favor vamos ser racionais... Eu...

_ Racionais? Por favor me diga o que você entende por essa palavra. Suas ações foram ou estão racionais? Eu não quero mais ouvir sua voz, rapaz. Eu não sei quem é você... Você me enganou, traiu a minha confiança e o pior de tudo... Você se tornou um grande mentiroso.

Meu celular começou a toca e no visor o nome SOLDADO apareceu. Como ele estava em cima da cama, mamãe viu...

_ É ele não é? É o seu... É o maldito desgraçado que roubou meu filho de mim, não é João Bosco? Ele me fitou de um jeito que me fez notar o quanto que eu estava enrascado.

Não atendi ao telefonema. Eu pensava que se atendesse a ligação do meu Soldado, as coisas piorariam para o meu lado. Ele ainda insistiu umas três vezes... Não atendi nenhuma.

Acho que com o susto que Giba levou ao ser mandado embora por minha mãe que havia gritado com ele, fez com que papai fosse avisado de que estava acontecendo alguma coisa em casa e ele veio da mercearia aonde ficava nas sextas-feiras com os amigos tomando uma cerveja e assim que entrou no quarto disse:

_ O que tá acontecendo aqui J B?

Eu nada disse. Eu desviou o olhar pra pode fitar minha mãe que olhava o chão do quarto sem nada ver. Ele então perguntou a ela:

_ Berenice, você pode me dizer o que esta acontecendo aqui? O Giba chegou la na mercearia junto com o Dan todo agitado e você sabe que ele tem os problemas de convulsão e eu pensei que algo de muito grave havia ocorrido aqui em casa com você ou a Soninha...

_ Luiz Antônio eu sinto muito ter que dizer a você o que acabo de ouvir da boca do seu filho... Ele tá apaixonado pelo Bernardo e os dois já são um casal há muito tempo.

Papai voltou a me olhar e veio em minha direção com passos lentos. Sua mão me pegou pelo pescoço e ao sentir a pressão que ele fazia em mim temi que algo de muito ruim pudesse acontecer... E aconteceu.

O que mais doeu não foram as tapas, os murros, as várias tentativas de me tirar o ar ao apertar o meu pescoço... Foras suas palavras enquanto exorcizava a verdade que devia estar sendo demais em sua cabeça...

_ Você não é mais meu filho... Tá me ouvindo seu maldito bicha? Você não é mais meu filho...

Meu celular voltou a tocar novamente e eu não tive como atender...

Não sei por quanto tempo fui agredido por meu pai na presença de minha mãe que nada fez para me proteger. Acho que ele cansou ou teve medo do sangue que parecia jorrar do meu nariz. Juro que não me importei com nada disso. Não derramei nenhuma lágrima. Ele saiu do quarto e eu após alguns minutos de pura agonia, limpei o sangue com a camiseta que usaria pra ir ao cinema. meu peito largo e levemente musculoso estava todo cheio de hematomas e marcas de unhas e da aliança que papai usava. Tudo tava doendo demais. Suas palavras não me saiam da cabeça...

Quando me levantei e fui em direção ao armário pra pegar uma mala novinha que havia comprado desde que começara a viajar com Bernardo, mamãe finalmente voltou a falar:

_ Você não vai levar nada do que nós demos pra você... Nada.

_ Não levarei. Agora não deixarei nada do que comprei com o dinheiro ganho com minhas aulas, isso a senhora pode estar certa.

Roupas, sapatos, documentos, alguns livros e todo o dinheiro que recebera pelas aulas na semana fora as únicas coisas que levei. Peguei os pedaços do celular que papai atirara na parede e retirei apenas o chip. Quando saiu do quarto ouvi o choro de minha mãe e no sofá da sala estavam sentados meus lindo irmãos Daniel com a cara de choro, Gilberto que me olhou fundo nos olhos e Soninha que chorava sem nada entender... Ela levantou e aproximou de mim...

_ Se alguém falar com ele será castigado... Falou meu papai cheio de rancor.

_ Tchau meu Manão lindo. Não me importo de apanhar não... Só acho ruim não ter como falar com você. Ela me puxou como sempre fazia e me beijou no rosto machucado.

_ Desculpa maninha... Eu amo você.

Foi o gesto dela que me fez perder o controle e confesso que chorei por ser obrigado a me afastar de alguém tão especial pra mim.

Papai cumpriu o prometido porque quando sai pelo portão ouvi o choro de minha irmã e me odiei por não poder mais protegê-la.

Fui até a esquina e Bernardo praticamente correu em minha direção. Assim que ele me viu ficou paralisado...

_ O que foi que o desgraçado do teu pai fez, Mozão?

Pousei a mão em seu rosto e disse simplesmente:

_ Ele apenas me ajudou a colocar o primeiro tijolo do muro que pretendo construir do nosso mundo.

Ele me abraçou e eu desabei novamente.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Querido Povo do Lado Esquerdo...

Algum de você poderia me dizer quando haverá tolerância?

Não estou falando de situações onde a tolerância já é uma verdade... Falo de algo maior, geral.

Por favor me mandem respostas...

Que seus muros tenham sido bem construídos. Grande abraço a cada um... Nando Mota.

Comentários

15/06/2015 01:16:55
Sem palavras. Mais ou menos, direta ou indiretamente, todos conhecemos isso.
30/05/2015 23:07:45
Excelente o cap. Amando o conto. Nando acho que a tolerancia vira quando existir respeito. Quando as pessoas amar sem distinçao de raça. cor credo e sexualidade. Pq ser homosexual nao é uma opçao a pessoa ja nasce assim.é uma questao fisiologica a atraçao fisica e a quimica que rola entre 2. Pessoas sejam de mesmo sexo ou diferentes. E quando a sociedade entender isso e aceitar talvez assim nao haja mais tanto preconceito. E quando o preconceito vem.dos. pais é terrivel triste e traumatico. Espero que o.Jb fique bem e junto ao bernardo eles consigam enfrentar as dificuldades que estao por vim. bjos Pri :)
30/05/2015 21:49:13
O dia que deixarmos de ser hipócritas e olharmos para dentro em vez de valorizarmos só a casca, que conseguirmos nos ver no outro, que deixarmos de apontar o dedo para o vizinho como se assim pudéssemos esconder os nossos erros, o dia que conseguirmos fazer ao próximo apenas o que gostaríamos que fizessem com a gente aí sim seremos verdadeiramente humanos e o preconceito será apenas uma lembrança triste e vergonhosa. Mas quando será? Gostaria muito de saber também. Quanto ao meu muro? Desabou e estou tentando reconstruir e vou conseguir um bem melhor que o outro:) Beijos.
30/05/2015 16:28:16
Essa é uma pergunta que me fez pensar... :-?
30/05/2015 12:42:44
Não tenho palavras. Felicidades sempre!
30/05/2015 12:27:35
olha meu querido acho que a tolerancia só havera quando as pessoas aprenderem a conviver com as diferennças.quando elas porem na cabeça que tem mas cores do que o vermelho e o branco.quando realmente houver mas amor entre os homens e menos nenhum fingimento.acho que amor è uma palavra universal mas que poucos sabem o real significado ,triste pelo atitude dos pais do jb ,mas principalmente da mãe .por que mãe tem um laço.mas forte ckm o filho .afinal ela gera e carrega por nove meses .mãe deveria amar e aloia o filho sempre.
30/05/2015 10:32:40
Tua pegunta me remete a lago que li a respeito de Mahatma Gandhi. Ele e o vice-rei da Inglaterra se reuniram e ele mostrou ao vice-rei uma parte do Sermão do Monte, onde Jesus afirmava que devíamos amar ao próximo como a nós mesmo. Se algum dia as pessoas que se dizem cristãs conseguirem seguir os ensinamentos do Cristo, teremos a real tolerância. Ninguém é obrigado a concordar com a orientação sexual do outro, mas a respeitá-la, sim. Um abraço carinhoso, Plutão
30/05/2015 09:54:16
Oi amigo lindo, tolerância é uma palavra que pode mudar muita coisa, entendo por tolerância, um sinônimo de amar ao próximo como a você mesmo, ou seja sem se importar com o que a pessoa é ou deixa de ser. Quem nos deu esse mandamento foi Deus, aí eu pergunto o quão longe as pessoas estão dele? Acredito que muito longe, apegados em religiosidade e doutrina e muito longe do amor que leva ao respeito e a tolerância. Talvez a lei posso coibir os abusos, mas só o verdadeiro amor gera tolerância amigo. Acho tão lindo e maduro o JB, um menino que merece a felicidade junto com o Bernardo. Beijos meu lindão e um ótimo fim de semana!!
30/05/2015 07:16:51
Mas no momento em que descobrem a sexualidade do filho...nossa o monstro saiu do armario!! Que vergonha !!! aonde estao esses tao falados valores ? Como um pai pode bater , expulsar e repudiar um filho, porque uma sociedade hipocrita e com valores distorcidos diz que nao é o correto. Onde esse filho errou ? por gostar do mesmo sexo, eu sendo hetero e mande de uma adolescente de 17 ainda estou tentando entender .... Lembro do quanto chorei e pedi a Deus que a minha menininha fosse saudavel ( nunca me passou pela cabeça pedir a Deus q ela nao fosse lesbica) mas se por acaso ela um dia decidir que gosta do mesmo sexo ...tdo que posso fazer é orientar ela sobre a socidade hipocrita e intolerante a qual ela vive. Me perdoe Nando, esse assunto me entristece ... bjao
30/05/2015 07:07:47
Nando querido, por muito que ja tenha lido aqui na casa dos contos , nenhum conto me trouxe tanta emoção a flor da pele como o esse... Quando começo a ler me sinto tensão , emocionada, entristecida e as vezes aliaviada... Mas uma vez vou ser repetitva aqui na CDC...me causa profunda tristeza saber que um pai e uma mãe são capazes de tal atrocidade com um filho,um ser ao qual gerou , educou e ensinou valores.... Valores esses que voce como pai se esquece no momento que descobre a sexualidade do filho. Um pai nao deixa de ser pai porque fumou maconha na adolescencia, pq ja roubou alguma vez, porque esta desempregado, pq adulterou, um filho nao deixa de ser filho pq tirou nota vermelha, pq brigou na rua, pq chegou bebado
30/05/2015 05:01:51
Lamentável, sem comentários
30/05/2015 04:00:50
Legal
30/05/2015 01:32:25
Nunca vou entender um pai ou uma mãe que renega seu filho ou sua filha devido à orientação sexual. Em questão de minutos eles dizem não ter mais filhos. Que amor é esse?! Isso me machuca!
30/05/2015 00:58:20
Cade meu NANDÃO
30/05/2015 00:48:08
Meu lindo infelizmente esta resposta será difícil de responder, pois qto mais eu penso que as mentalidades e atitudes estão se abrindo e amadurecendo para acompanhar o crescimento e a transformação da sociedade casos de intolerância nos pegam de surpresa, como este dos pais do JB, que eles ficassem sem falar com ele para poder assimilar toda a história de amor dos dois ainda vai, mas agredir de forma tão torpe um filho que nunca fez nada errado só pq ele teve a coragem de dizer que ama um igual e é amado pelo mesmo é muito triste e a D Berenice que se mostrou tão meiga e amável, não se prestou a fazer o seu papel de mãe que é o de amar e proteger as suas crias! Torço do fundo do coração q estes pais avaliem o quão crueis eles foram, por medo do desconhecido ou vergonha, não sei dizer, mas torço para que eles caiam em si e consigam o perdão e o amor do seu filho, pois uma coisa eu digo se meus filhos me contassem q amam um igual, daria a minha benção e torceria para q seu amor fosse retribuido. Muito tenso e intenso este cap, onde vemos q nem sempre teremos rosas em nosso caminho, e que alguns espinhos podem aparecer para nos fortalecer. Um cheiro e um beijo da sua eterna Vital.
30/05/2015 00:47:01
Nossa, bom eu nao sei o que ocorrera se um dia eu me assumir bi, mas vejo que sera uma coisa muito pavorosa, tenho um primo gay assumido que meus tios e tios dele, falam e zuam muito a vida dele, e nossa a sorte é que ele manda tudo se fode, mas comigo eu ainda tenho que pensar e me preparar, sei que minha familia nao vai reagir mal, digo pais e irmaos, meu pai se der grilo, to nem ai, pra mim nao importa o que ele diga, ele ja fez muita coisa pior,muitas traições e isso abalou e muito nossa convivencia
30/05/2015 00:46:30
Já mais eu poderei darte esta resposta! Esse capitulo me tirou o fôlego.
30/05/2015 00:43:20
Tolerância é uma utopia. Infelizmente... Nunca a teremos em sua plenitude. Mas o que mais me deixa indignado é ver, como no exemplo acima, pais que sempre "idolatraram" um filho, que sempre o viram como exemplo do que há de melhor, simplesmente mudam de idéia de um segundo pra outro em virtude de uma característica tão simples, tão natural quanto qualquer outra que eles adoravam. Talvez seja tudo falsidade e as pessoas só estejam interessadas e só aceitem o que lhes convém. Fora disso não há espaço pra aceitação, compreensão e entendimento. Acho que a maior crueldade a ser cometida é forçar alguém a ir contra sua natureza. E muitos fazem isso pensando apenas em suas vaidades. Acho triste o mundo ser desse jeito. Ainda mais de quem deveria amar incondicionalmente... Meu muro ainda tá em construção, mas acho q as paredes estão tortas. Qualquer dia vou ter que derrubá-lo e começar do alicerce novamente.
30/05/2015 00:40:52
Bom, a reação dos pais do João não foi para mim um espanto total e absoluto, considerando que venho de uma família cristã, o que me admira colocando em situação geral e constante é que vai seculo e vem seculo, e as melhoras para casais gays são sutis (contudo perceptíveis), mas a verdade é que ainda existem pais e principalmente pessoas que perseguem com palavras e com força física gays,lesbicas e afins, assim como os negros sofrem por serem negros, sofremos por amarmos pessoas do mesmo sexo, algo tão comum para todos nos. Vejo que os pais de JB são os personagens de tipicas famílias brasileiras (não generalizando claro), creio que como todo brasileiro não desiste, tenho certeza que J B não desistirá, E bem respondendo sua pergunta... Tento a cada dia colocar na minha construção profissional, estudantil, emocional e intelectual tijolos que me acrescentem valores, que me façam ter orgulho, obvio que erros existem e para mim servem como aviso de que primeiro, eu sou um ser humano, e segundo sempre posso aprender mais e mais com meus erros. Beijos e até o próximo cap desse lindo conto!!
30/05/2015 00:27:43
Maravilhoso Nandão. Pelo jeito o Lucena não vai ser o único a ficar entre o amor dos dois.
30/05/2015 00:26:45
Nossa, o capitulo de hoje me tocou profundamente, nem tenho palavras para descreve-ló. Abracos man

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.