Casa dos Contos Eróticos

Eu + Você = Nós... Bem, pelo menos era assim que eu pensava. 6

Autor: Nando Mota
Categoria: Homossexual
Data: 24/05/2015 16:38:36
Nota 10.00
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Cumprimos mais uma vez o ritual de se ver na janela da cozinha e após o beijo mandado por mim e retribuído por ele, verifiquei que o relógio que ficava em cima da geladeira marcava pouco mais de 23:30 h da noite. Apaguei a luz e fui pro quarto. Assim que lá cheguei Dan e Giba estavam quase que enroscados um com o outro. Dan, o mais novo tinha medo de dormir na parte de cima da beliche e vez por outra descia sorrateiramente e se enfiava na cama de Giba que não mais se importava com isso. Giba por sua vez não queria dormir na parte de cima por ter preguiça d subir e descer... vai entender esses dois. Pra sorte de todos nós, sempre se deram muito bem e aproveitando o silêncio que reinava na casa, me despi e tratei logo de vestir a cueca preta que mamãe todo santo dia lavava por saber que eu só dormia com ela.

O sono vei rápido e tranquilo. Antes de apagar completamente, fiquei pensando em quanto de imaturidade tinha. Sofri o diabo nesse domingo tendo por companhia fantasmas e paranoias e por outro lado havia feito sofrer aquele que só queria me ter por perto o tempo todo.

Despertei por volta das 05:30 h da manhã com o ronco do motor da moto de Bernardo que antes de cruzar o portão, eu era capaz de ver tudo o que ele fazia, buzinou duas vezes olhando na direção de minha casa e finalmente foi se distanciando na fria manhã daquela segunda-feira.

Não consegui mais dormir e fiquei deitado na cama esperando o despertador tocar meia hora depois. Giba assim que abriu os olhos me viu sentado na cama já com a calça do uniforme do colégio e amarrando o cadarço do tênis da farda.

_ Tinha preto a cama J B? E assanhou eu cabelo enquanto andava na direção da porta do quarto pra poder ter seu momento higiene no banheiro que ficava no final do corredor.

_ Tinha não meu irmão. Só acordei mais cedo e acho que perdi o sono. bati em sua nádega direita ao passar por mim e sorrimos cheios de camaradagem. Essa brincadeira d cabelo e do bater na bunda era algo que nascera entre nós a certo tempo.

Quando terminei de arrumar senti o cheiro de café fresquinho que mamãe com certeza já estava fazendo. Como de costume peguei o dinheiro que estava em cima da mesa da sala de jantar e saí direto pra comprar pão. Quando voltei o telefone de casa chamou...

_ Alô?! Foi tudo o que disse assim que atendi a tal ligação.

_ Posso falar com o JB? Aí reconheci a voz de imediato.

_ Sou todo ouvidos... E sorri. Ele notou.

_ Oi Mozão.

_ Mozão? Ouvi direito?

_ Ué não gostou? Pois acho melhor acostumar... Só vou te chamar assim.

_ E eu como vou te chamar, já que pensei em te chamar assim?

_ Acho que esse tipo de coisa vem naturalmente... Até lá você pode me chamar de Bernardo, Cabo Gouveia, sei lá...

_ Beleza. Já no quartel?

_ Já sim. Daqui a pouco formatura e entro de serviço por vinte e quatro horas...

_ Então que você tenhas um bom dia e um excelente serviço. Posso te ligar mais tarde?

_ Liga sim... Depois das cinco as coisas por aqui ficam tranquilas e a gente vai poder falar com mais calma. Toma cuidado Mozão. Sou louco por você, viu? Um beijão bem grande.

_ Eu também por você. Um beijo maior ainda Soldado.

_ Soldado? Mozão, eu sou Cabo...

_ Acho melhor acostumar... Soldado e pronto.

Ele sabia que não podia me vencer em zanga ou teimosia e desligou sorrindo.

Nem preciso dizer que toda essa conversa não foi mais que cinco minutos e claro eu falava sussurrando o tempo todo com a boca encostada no bocal do telefone.

A partir daí as coisas foram ficando cada vez mais sérias entre a gente e todo o tempo livre que eu ou ele tinha, fazíamos questão de estar juntos seja de que maneira fosse.

Meus dias começam cedo e terminavam quando meu último aluno de reforço escolar saia da minha casa por volta das 17:30 h. Papai havia construído no fundo do quintal uma espécie de alpendre e lá eu havia colocado uma grande mesa com oito lugares e em dois horários de aulas das 13:30 às 15:30 eu tinha as oito cadeiras ocupadas com alunos do nível Fundamental e das 15:30 h às 17:30 h mais oito alunos no nível Médio. Eu tinha uma média de R$ 2400,00( Dois mil e quatrocentos Reais) por mês. Dava uma boa ajuda em casa e ainda sobrava pra economizar um pouco numa Caderneta e usar quando saía junto com os amigos.

Meu Soldado chegava quase sempre nesse horário e íamos juntos ate a academia de um amigo dele, que sabia de nós dois e por lá ficávamos até por volta das 20:00 h. Ele ficava meio chateado comigo porque eu morria de medo de andar de moto e jamais fui com ele a qualquer lugar nela...

_ Soldado não adianta você ficar assim... Já disse a você que tenho medo e pronto.

_ Pô Mozão, você acha que ia te por em risco, logo você... Fala sério.

_ Tenho certeza que você jamais faria isso comigo, só que não dá... Por favor entende. E se você me olhar assim de novo, juro que subo em cima de você e te cubro de beijo... Ai é que ele insistia em em me olhar com aquele molhar de cachorro que caiu do caminhão no dia da mudança... Terminávamos nossas D.R. sempre rindo.

Na volta pra casa ele tocou num assunto que já rondava nossas conversas há quase um mês...

_ Já falou pra tua família que vai sair no dia do teu aniversário?

_ Ainda não, Soldado. Acho que haverá alguma comemoração... Sou o neto mais velho e com certeza eles vão querer comemorar.

_ Poxa Mozão isso é que eu chamo de azar. Pensei em te levar pra jantar e ficar a noite toda com você e agora vejo que não vai ser dessa vez.

_ Eu falei pra você que as coisas não seriam tão fáceis assim. Que tal se a gente comemorar no outro dia?

_ Se pra você não tiver problema, pra mim também não haverá nenhum. O bom é que teremos uma noite só nossa.

Era visível a sua decepção... O que eu poderia fazer pra amenizar a coisa? nada... Infelizmente nada.

Como havia previsto na conversa que tive com o meu lindo e gostoso Soldado, na quinta-feira 25 de junho toda a família se reuniu em minha casa pra comemorar meus 18 anos de idade. Oficialmente era maior e pra falar a verdade, não vi nada demais em ter essa idade. Bernardo e suas irmãs estavam na comemoração como amigos e vizinhos. Giba dava o maior valor ao meu namorado e Dan fez parte do coro de aceitação.

_ Você ta lindo, Mozão... Disse meu Soldado quando me abraçou pra cumprimentar. Me senti confortável em seus braços.

_ E você também, Soldado.

Cabelo cortado rente, calça jeans clara, sapato de couro marrom, camisa de botão aberta, o cordão cromado no pescoço tinha o mesmo trançado da pulseira no punho esquerdo. Seu corpo definido e proporcional ficava bem a mostra e tudo isso era meu há quase três meses e ninguém sabia de nada... Pelo menos alguém do meu lado, amigos e familiares.

Não tivemos um minuto de paz. A casa tava cheia de gente e antes dele ir embora com as irmãs que eram as melhores amigas de Soninha, ele me puxou pro lado da casa e disse:

_ Hoje não tive como ter você... Amanhã estarei de serviço. No sábado você não me escapa, Mozão. Quero só que você saiba que deixei de ser louco por você ... Na verdade eu Amo Você... Muito. Um rápido selinho fez meu coração acelerar ao máximo.

_ Isso é verdade, meu Soldado? Eu fiquei super surpreso.

_ Você tem dúvidas disso? E saiu me deixando sonhando acordado enquanto minha festa de maior idade prosseguia.

Nem preciso dizer que amava meu Soldado há muito tempo, só que eu ainda tinha medo do que esse amor, ou melhor dizendo, o que esse tipo de amor poderia me trazer de bom ou ruim... Afinal de contas aos olhos de muita gente o que eu vivia era tremendamente errado. Só que a vida era minha e quanto a achar que estava errado eu já sabia a resposta... Eu não estava errado em nada. E podem ter certeza que lutaria por esse amor com as armas que eu tivesse...

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Meu querido Povo do Lado Esquerdo...

Podem ter certeza de que ainda hoje farei o melhor sábado da vida desses dois. Um grande beijo em cada coração. Nando Mota.

Comentários

11/06/2015 21:31:37
muito bom
27/05/2015 13:21:08
Amei :)
25/05/2015 05:33:13
Bom demais da conta. ..Bjus
25/05/2015 03:16:55
Nando, penso que o Bernardo não decepcionará o JB, penso ao contrário ambos sentirão que decepcionaram ou decepcionará seus amigos e familiares por lutarem pelo que acham certo, a oportunidade de serem felizes e por estarem amando e serem amados, independente deste amor for por outro homem. JB demonstra uma força de caráter incrível para tão pouca idade e uma responsabilidade e paixão pelo que faz que me lembram vc, meu lindo professor. Ansiosa para ver a primeira vez do JB, e de como o Bernardo fará para que seja prazeroso e menos traumático. Que seu início de semana seja gratificante, um cheiro e um superbeijo da sua sempre Vital.
25/05/2015 00:32:48
Eu adorei o JB é um garoto tão maduro pra sua idade, me identifiquei completamente... :)
24/05/2015 23:23:13
Muito lindo amigo! Estou tão feliz que você voltou a escrever. Você me faz viajar em suas estórias e eu simplesmente adoro. Empolgada para ver a primeira vez dos dois. Beijos lindão!
24/05/2015 23:15:10
Que a sua semana seja de realizações.
24/05/2015 22:07:06
Boa semana, chéri!
24/05/2015 22:06:50
Viva o amor!
24/05/2015 20:38:00
Não bastava privilegiar minha mente, com textos tão explendidos, agora meu corqção com seu beijo carinhoso, vou guardar bem guardado Nandão!
24/05/2015 19:25:30
Simplesmente Perfeito! me deixou louco de curiosidade...
24/05/2015 19:23:11
Muito bom, e ainda axo que o Bernardo que vai decepcionar o JB e isso vai ser foda, espero esse cap
24/05/2015 19:10:41
Muito lindo. Ansioso pelo melhor sábado dos dois. Abraços Nandinho!
24/05/2015 17:43:43
Ai q lindo, Nando ! Adorei...bjs
24/05/2015 16:56:27
Bom demais. Abraços Nandão.
24/05/2015 16:50:25
Muito show

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.