Casa dos Contos Eróticos

Transei Com Minha Tia ao lado da Mamãe

Autor: Weslley
Categoria: Heterossexual
Data: 20/05/2015 08:57:35
Última revisão: 23/05/2015 14:21:46
Nota 10.00
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá á todos. Me chamo Weslley, 18 anos, Branco, sem corpo atlético, como muitos se descrevem. Tenho um corpo normal porem, uma barriguinha sarada por praticar esportes. Me considero Um rapaiz de boa aparencia, dono de um belo par de olhos azuis. Áh muito tempo venho criando coragem para escrever um conto erotico, ate porq, sei que niguém acredita nessas historias, que o povo conta nesses sites mesmo. Vamos áo que interessa. Irei contar com maximo de detalhes possivel, como tranzei com minha Tia na frente da minha Mãe. Descupem quaisquer falha na escrita. Sério, esse é meu primeiro conto. O têxto vai ser longo. Pensei em Fazer em duas partes mas optei por fazer em uma única. Relaxem, embarque nessas agradáveis lembranças, e gozem gostoso!

Vamos lá. Minha adorável mãe é separada do meu pai a uns 5 anos. É Uma mulher Branca, pele macia. Corpo normal como qualquer dona de casa que se cuida. Prática exercicios, faz caminhadas algumas vezes por semana, Tem uma bunda bonita e durinha para sua idade. Aliás, tudo nela "é enxuto" para a idade que tem, 39 anos. Durante o tempo que está separada da convivencia com meu pai, nunca áh vi com outro cara. Se já ficou, foi muito bem escondido. Esse segredo que vou relatar agora aconteceu de verdade. Antes de começar, falarei de minha tia: Uma mulher extrovertida, simpática, com um temperamento um pouco forte. Leva uma vida pacata, sem filhos. Trabalha como funcionária pública em nossa cidade e, mora com meus avós. Em um desses fim de anos que se passaram, minha tia veio comemorar com nós a Noite de natal. Elas fezeram uma cêia farta com muita comida, um jantar legal. Compraram bebidas e ficamos bebendo eu,mamãe, minha tia e outras pessoas aqui da vizinhança. Quando deu umas 3 hrs da manhã, as pessoas foram indo embora. Eu por minha vez, ja estava um pouco tonto mas, Minha tia e mamãe estavam "tri tontas" ao ponto de minha elegante mãe, tropeçar no Tarpete da sala e cair aos tombos no sofá. Era aquela zueira e eu já tinha transado com essa minha tia quando era adolescente e, mamãe sabia, só que nunca tocou nesse assunto. Essa minha tia é uma mulher muito fogosa. Deois que ficou apenas nós 3 na sala bebendo, a Tia vinha dançando com um copo de breja (cerveja) na mão e, sentava no meu colo rebolando bastante o rabo sobre meu pau, que logo ficou tinindo de duro, feito pedra. E minha tia tava com um vestido um tanto provocante, com um decote 'V' na frente e, na parte de trás era estilo costa nua. Curto e colado no corpo, o que destacava aquela bunda dela maravilhosa. O engraçado, foi que o clima "ficou meio tenso". Tipo, Aquele clíma de tesão sabe? ela amassava um dos seios enquanto roçava a bunda no meu colo, o silencio tomou conta da sala daqui de casa. Minha mãe saiu do sofá grande e veio sensualizando encostando a latinha de cerveja que bebia, em seu decote, na entrada dos seios e, veio rumo ao sofá que estavamos. Eu percebi o quão era grande, o fogo daquelas duas mulheres formosas, sendo que, uma delas era minha propia mãe. Ela se aproximou e sentou ao meu lado no sofá que estavamos, daqueles de um só assento, sabe?.

Pois bem. Mãinha completou o copo da minha tia e se ajeitou para mais junto de mim, na parte do sofá onde apoia os braços. As duas já não falavam mais as bobagens e nem davam risadas. Ficou aquela tensão silenciosa na sala, apenas o som tocava em volume baixo, por causa da minha irmãzinha caçula que dormia no andar de cima da casa. Esse clíma me deixou com muito mais tesão mas ainda sentia um pouco de vergonha por ter minha mãe bem ao meu lado vendo a bunda da titia roçando em cima do meu pau estufado na bermuda. Aquelas pernas grossas, branquinhas e xeirosas da mamãe era um convite para o desejo pecaminoso. uma delas se encontrava com o joelho encostado no meu mamilo, o que me causava arrepios. Eu olhava para mamãe e ela acariciava meu rosto, meu pescoço. passava o dedo polegar nos meus labios. Nossa, Eu nunca tinha recebido afagos dela daquela forma. Talvez por causa da bebida, eu Percebia um certo desejo nos toques e no olhar dela. Quanto isso, minha tia continuava rebolando e cada vez mais gostoso. Quando menos espero, para minha surpresa mamãe agarra na bunda da minha tia, fazendo o seu quadriu subir um pouco e, puxou seu vestido para cima. Eu gelei quando sentir a mão da minha mãe tocar no meu pau por cima da bermuda, no momento em que puxava o vestido da tia. Ela olhou pAra mim e deu um sorriso maroto. Eu já não pensava mais com a cabeça de cima. A de baixo assumiu o controle da situação. Quando vi a bunda da minha tia com aquela marquinha do bronze, coberta apenas com uma calcinha minuscula, meu pau começou a doer latejar de tão duro. Eu alizava as nadegas da tia e segurei com pressão no quadriu dela, e acompanhei o seu gingado, o que fez ela ficar mais louca ainda. Eu olhava para o lado e vi mamãe mordendo os labios, assistindo tudo com muita atenção. Minha tia dizia ta vendo Val? esse meu subrinho ta doido para comer meu rabinho denovo.. (risos delas) mamãe disse: -Pois éh estou vendo, mana! Eu já tinha perdido o raciocinio humano, e agia como um cachorro no cio louco para engatar a propia tia, com a supervisão da mãe. Tranza entre Chachorros é assim, néh? Pois bem. Vergonha tabem não existia mais em meu ser. Eu passei a dar tapas na bunda da tia, apertando forte arrancando gritinhos abafados dela, seguidos de uns palavrões e soltava gemidos baixinhos. Minha mãe estava inquieta. Cruzava as pernas, descruzava e cruzavam novamente. Ficava acariciando suas coxas. Eu estava crente de que, ela tava morrendo de vontade de estar no lugar da irmã, minha tia. E eu já não aguentava mais ter aquele rabão gostoso da minha tia roçando meu pau e, sem poder fazer muita coisa, até então.

Mas idealizando o oposto do ditado bem conhecido, que seria: "Não áh nada que esteja bom, que não possa melhorar" rs Pois bem. Minha tia falou sussurrando, que nao aguentava mais de vontade de fuder. Nesse momento olhei para mamãe e ela estava com com a respiração ofegante. Deu um sorriso meio sem graça e voltou a olhar pro volume que fazia o meu pau, recebendo as investidas da minha tia safada. Mamãe pois a mão no meu ombro e fez gestos com os dedos, introduzindo o indicador entre o circulo formado com os dedos da outra mão, sabem como, néh? Pois bem. Foi quando me dei conta, de que eu tinha o sinal verde para comer minha tia tarada na frente da minha mãe, alegre no efeito da malvada breja. De imediato fui enfiando a mão por baixo dentro da calcinha da tia, sentindo a poça de liquido ensopando sua calcinha. Ela soltou um gemido longo e também olhou para mamãe, como em um pedido de permissão para surrar de buceta o seu filhote safadinho. O que de imediato obteve "carta branca" para a consumassão do ato, com o mesmo sinal feito por minha mãe para mim, tipo: (Mete, Safada!). Bom, daqui pra frente a coisa fica séria. Tanto para voces, leitores, que estão lendo e envolvidos no meu pecado gostoso, quanto para mim, o autor do ato, que está com a pica enrigecida de dura aqui dentro das calças. Enfinn.. Proseguindo. Minha tia levantou e foi logo tirando a calcinha e exclamaou. "Voce acendeu, agora vai ter que apagar, muleque safado!! Eu meio sem norte, tornei á olhar para mãmis, que fez sinal afirmativo com a cabeça e com um largo sorriso estampado no rosto. Foi apenas para me certificar, porque naquela altura do campeonato, eu já não tinha uma segunda opção. Minha tia já estava ajoelhada entre minhas pernas, pronta para rezar. A safada Tava pro crime, como diz as tirinhas do zap zap. Já foi abrindo o ziper da minha bermuda e, já tentando retira-la do meu corpo no entanto, como em um reflexo eu segurei suas mãos dizendo que não seria necessário tirar. Ela sorriu zombando de mim, que o bebêzão tava com vergonha da mamãe. (Meu saco, tia), pensei eu. -Não é tão normal assim o que estamos fazendo.(Risosrs). Mas pelo visto, mamãe estava adorando, toda feliz com a situação. Se encontrava com os olhos arregalados no meu pau e, sorrindo com uma cara de safada que eu nunca tinha visto antes, no seblante da minha doce e meiga mãe. Diante daquela visão maravilhosa: 18cm de piroca, Até entendí a felicidade e cumplicidade de minha mãe com a nossa putaria. Minha tia manuseava minha pica com suas mãos macias e ordeiras, começou a punheta-lo com volúpia e sem nem um pingo de pudor por está na presença de minha adorável mãe. Essa que, por sua vez era recíproca na ausencia de pudor, ao tecer comentarios animadores para mim do tipo: -Nossa.. como cresceu esse pinto. Tá maior que o do pai.(disse ela sorrindo). Eu já me sentia bem mais á vontade e menos vergonhado, por está com a pica latejando de dura, aos penetrantes olhares de minha saudosa mãe. Minha tia pediu áh mamãe, que fosse buscar mais breja (cerveja). Em seguida iniciou um boquete magestoso, explendoso, magnifico, digno de arrancar gemidos até de homens seco e bruto. Ao entrar na sala, mamãe deu uma travada ao ver a cena, mas respirou fundo, arrumou a barra da saia e veio em nossa direção, parecia uma adolescente que fugiu da escola para fazer putaria na casa de uma amiga, veio toda sorridente certa deque, mais dias ou menos dias, ela também ia por a boca naquele mastro (Meu cacete). Meus caros leitores, eu muito bem, poderia estar fantasiando tudo isso que descrevo aqui mass, os pelos do meu corpo ficam todos oriçados ao relembrar esses fatos ocorridos em minha vida e, dividindo aqui com voces.

Dai sim. Mamãe serviu os copos e não sentou mais ao meu lado, como estava antes. Para o meu delirio, ela ajoelhou-se ao lado da minha tia alegando que queria ver aquilo de perto. Nesse momento me deu um misto de sentimentos e senssações indescritiveis. Eu tive que abrir mais minhas pernas, e ficou titia encostada na perna direita e mamando no meu pau e, mamãe meio que desabruçada com os seios sobre minha perna esquerda, com os braços em volta da minha coxa e uma das mãos entrando na entrada da perna da bermuda, e acariciava os pelos da minha coxa. Ela ficava com os olhos vidrados nos labios da tia Val envolvidos nos meus 18 cm de pica, descendo e subindo deslizando sobre as veias, e ao mesmo tempo fixava os olhos no meu rosto, e sua mão cada vez mais la no fundo da bermuda, as pontas dos dedos quase alcaçando a minha virília. Isso fazia me segurar para não gozar na boca da outra. Eu dados momentos eu tentava enchergar minha mãe naquela mulher com um olhar sereno, meigo e com aquele poder de sedução que só uma mulher inteligente e experiente possui. Justamente o que não fazia sentido, vindo de minha propia mãe. Entenderam? Só quem viveu essa experiencia um dia, saberá o que eu senti na hora. Voltando aos fatos: Minha tia já tinha me chupado por uns 5 a 8 minutos, aproximadamente. Mamãe se levantou e deitou no outro sofá. Ela já tinha me passado o seu recado com aqueles olhares e caricias. Tipo: "Quero foder com voce meu bebê". Me pareceu estranho. Mas foi exatamente isso que foi transmitido á mim. O clima estava prestes á pegar fogo. Minha tia deu mais umas tantas lambidas na cabeça do meu pau, derramou um pouco de saliva, e se posicionou para sentar no torno. Minha mãe vendo a movimentação, se levanta do sofá e volta á sentar ao meu lado, no encosto do sofá que estavamos. Minha tia já tinha feito sua buceta não muito apertada, escapulir magestosamente na minha vara. E as coisas tomaram rumos desconhecidos, assim como em todo o momento que estava rolavando essa loucura. Minha passou a rebolar com meu pau dentro dela. A desgraçada não sei como, consegue fazer uma pressão com a buceta e com o cu, parece ser um alicate na portinha. Enfin.. Ela rebolva gemia e eu ali curtindo meio que imovel, por ter minha mãe bem ao meu lado. Talvez ela percebeu isso. Passou o braço em volta do meu pescoço pra perguntar se eu não achava melhor ela sair dali da sala. Eu já cheio de segundas intenções com ela levei minha mão sobre a coxa dela e blancei a cabeça que não. Ela olhou pra minha mão e deu aquele sorriso maroto novamente. Em seguida foi se espalhando ao meu lado, passando o brço por traz de mim e ficando com a cabeça bem junto da minha. Juro a voces, leitores. Eu tava sentindo mais tesão com a minha mãe alí juntinho de mim do que mesmo com minha tia cavalgando no meu cacete. Mamãe com o braço em volta da minha cabeça começou a acariciar meu pescoço, orelha, nuca, rosto, e sussurou no meu ouvido - Seu pau é grande neh? Nós mulheres gosta assim(Nome). Nesse momento gelei, subiu um calafrio na espinha. Nossa! Perdi o resto de pudor que me restava e fui escorregando minha mão pro lado de dentro das coxas dela. Ela segurou um pouco mais forte no meu pescoço para se apoiar e foi abrindo as pernas aos poucos para minhas acaricias se estender até sua virilia. Não sei o que deu em mim, mesmo com o consentimento dela, eu travei na hora de tocar na buceta, fiquei so tateando a virilia dela com meus dedos. Mas tambem, era minha mãe, poha. Pensei eu após o ocorrido. Essas caricias foi o suficiente para acender o fogo dela. Não sabia se dava atenção para a minha tia cavalgando no meu pau, ou para mamãe que beijava meu rosto, meu pescoço e perguntando se eu tava gostando de comer minha tia. Eu disse que sim. Percebi que ela tambem queria meu pau. Agarrei na centura da tia e levantei ela ate em cima sem deixar que a cabeça escapulisse, segurei minha tia no alto criei coragem e disse, veja mãe! É de um assim que a srª ta precisando? (Com um Sorriso meio timida, respondeu que sim). O que fez aumentar, turbinar o meu tesão. Já tinha batido varias punhetas imaginando mamãe com o seu bonito corpo excitado por mim. Mas Nem na punheta mais ousada, tinha me imaginado com mamãe cheia de tesão e desejo, vendo eu fodendo uma buceta com meu pau entrando e saindo, doida para estar no lugar da mulher. Muito menos sendo minha tia, sua irmã. Eu tinha conciencia do quanto era inusitado e especial para mim aquele momento. Meu pau latejava, pulsava, vibrava e doia de tão duro. Minha tia acelerou a cavalgada, arreganhau bem as pernas sobre minha pica e cavalgava como se tivesse naqueles touro de rodeio. Anuciando que ia gozar, ela quicava na minha rola tão forte que doia minhas bolas. Ela pediu para que eu passasse saliva nos dedos e acariciasse o seu cuzinho, porque assim gozaria mais rapido. Não me fiz de rogado, passei saliva nos dedos e passei 3 dedos abertos no rego e, concentrava um introduzido no anelzinho dela que piscava e mastigava meu dedo. Depois, prometeu deixar fode-lo na proxima. Durante ela tá gemendo alto dizia: -OOOOOHHH VOU GOZAAAR... AAIII QUE DELICIA.. AAAAHH BEBÊ QUE PAUZÃO GOSTOSOOOO..!! QUE PIROCA TESUDA DA TITIA..!! TÔ GOZAADOO BEBÊ.. TÔ GOZANDOO..!!! Vendo ela gritar essas coisas, foi a gota d'água. Eu segurava o quadriu largo dela, não deixei ela cessar sua cavalgada. Continuei empurrando e puxando seu corpo contra minha pica em uma velocidade crescente. Os seios dela balançavam pulavam no ritimo do corpo. Ela olhou para trás e viu minha expressão de desespero. Disse: -Vai cachorrinho da mamãe, gozaa!!! Não entendí bem o porque dela usar o termo mamãe. Mas isso foi o golpe de piedade. Eu apoiei minha costa no sofá e enclinei meu corpo dando estocadas de baixo para cima, fasendo meu pau socar a buceta da tia, como uma picareta perfurando concreto. Eu disse: Aaahh..Vou gozar tiia vo gozaar... Ela tirou a buceta do meu cacete, minha vista escureceu, eu estiquei as pernas e os jatos começaram a jorrar caindo sobre minha barriga. Mamãe ficou cheia de tesão ao ouvir e ver aquilo tudo que acabara de acontecer. Fez algo que eu nunca esperaria acontecer. Após ter gozado, minha barriga tava toda lambusada de leite. Nunca gozei tanto na minha vida. Ela trouxe a mão ate minha barriga e espalhava minha porra com os dedos. Olhei para ela, que sorrindo disse -Nossa, meu filho. saiu muito, em! Tirou os dedos melados da minha porra e levantou-se do sofá, indo rumo áh cozinha. Antes de sair do alcance da minha vista, ví ela levar os dedos áh boca e chupa-los, lambendo meu leitinho morno. Ela pensa que eu não ví esse ocorrido, que para mim, significou motivos de futuras punhetas. Mamãe provou meu semem, veja só! Será só questão de tempo!! Em seguida ela voltou com outra cerveja, encheu meu copo e sussurou no meu ouvido: - Tá cansado, garanhão?. Depois dessa noite minha vida não será mais como antes. Preciso de Homem, meu filho. Tô Mais precisada que sua tia!(Sorriu). Essas palavras me deixou intrigado, mas, com a parcial certeza que aparti daquela noite, pelo menos a bunda de mamãe eu em breve comeria. Pois conhecendo-a da forma que conheço, por questões religiosas, doutrinas e etc. Será mais facil comer seu anus, do que sua vúlva.

Se você gostou desse conto, Fiquem na espreita. No proximo tenho uma surpresinha para voces, leitores ! Quem quizer me enviar contos ou relatos de incestos por email, vou adorar ler e coresponder todos com muito carinho. Bjs Abs

Comentários

28/05/2017 06:42:26
Nossa, Weslley, deixou a tia aqui molhadinha... Olhos azuis e com 18 de idade e naquilo ali. Sou suspeita de comentar contos assim. Isso porque, já transei com um sobrinho e também com meu filho. A tua mãe vai ceder logo logo, menino. Meus três primeiros relatos foram incestuosos. Quando puder, leia eles. Para achar, clique em ¨Coroa Libertina¨ aí em cima. Beijos bem molhados da Vanessa.
05/06/2015 10:19:23
EXCELENTE CONTO, SÔ! ESTAVA BOM PRA DANAR. NOTA DEZ PRA COMPENSAR. SE DER, LEIA O MEU ¨ACONTECEU E COMI A MAMÃE¨. ABS.
21/05/2015 19:35:58
Como dizem os bêbados: ¨Eu só bebo para esquecer... Nem lembro mais do que...¨. Rsrss. Imagino a mãe e a tia embriagadas, carentes e sem freios. Sorte a tua de estar ali, Weslley. A história está ótima e acho que ainda vai ser melhor. Grata por comentar meu conto. Bjs.
21/05/2015 10:11:11
Delicia de conto, Wes. Quando o desejo toma conta, fazemos as coisas mais impensadas. E com bebida então, saia da frente. Foi o que aconteceu com as irmãs, sua tia e mãe. Muito excitante o relato e as palavras da mãe prometem. Me avise quando publicar. Agradecida pela leitura do meu conto. Beijos.
21/05/2015 07:27:15
Que tesão!rsss
20/05/2015 13:28:25
Belo conto. Agora vou esperar o conto dele comendo a mãe.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.