Casa dos Contos Eróticos

terminei aceitando o amante dela na nossa vida.

Categoria: Heterossexual
Data: 01/02/2015 02:39:52
Nota 9.71
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sou casado há 20 anos com a Renata. Ela é maravilhosa, olhos e cabelos loiros, branquinha e de bundinha arrebitada.

Meu nome é Carlos, tenho 48 anos de idade, moreno, 1,86 de altura, 90 quilos, olhos e cabelos castanhos, um cara mais que normal.

Há uns três anos, minha esposa me contou que tinha saído com um cara que trabalhava no banco que ela trabalha.

Disse que tinham se beijado, e que ela não parava de pensar nele.

Disse que era tesão, não era amor, mas, queria muito ficar com ele, e quando pensava nisso chegava a ficar molhada de tesão.

Eu não acreditava no que estava acontecendo, fiquei sem saber o que falar, nunca me vi em uma situação tão inusitada como aquela.

Nunca neguei fogo e sempre achei que nos dávamos bem na cama, pelo menos eram que eu pensava.

Passei uma semana praticamente sem falar com ela, só o estritamente necessário, queria me separar, mas, gostava muito dela e sabia que iria sofrer pra caralho, mas, não queria ser o corninho dela, e vi que a única saída era a separação mesmo.

Chamei pra conversar e lhe disse que queria a separação, ela baixou os olhos e disse que tudo bem, disse que não queria pensão, eu concordei na hora e nos separamos.

O tempo passou e já tinha seis meses que tínhamos separado, estava morando sozinha e nossos dois filhos ficaram comigo.

Tínhamos um filho de 17 anos, e uma filha de 19 anos, eu tinha uma namorada de 26 anos e a menina era muito gostosa. As vezes trepavamos duas ou três vezes por dia, não aguentava mais o fogo da menina, afinal de contas, eu tinha 43 anos na época.

Um belo dia encontrei minha ex-esposa em um supermercado próximo do edifício que moro, parecia que ela tinha armado pra me encontrar.

Ela morava no subúrbio e eu morava na zona sul, o que ela estaria fazendo em um supermercado perto do edifício que moro, desconfiei de armação na hora, ela sorriu pra mim e perguntou como estava eu e as crianças.

Disse que as crianças estavam ótimas e eu estava namorando, e que já pensava até em me casar, tudo mentira, pelo contrario, estava pensando em despachar minha namorada, não aguentava aquele fogo que ela tinha, aquilo não era normal.

Ela me olhou com uma carinha triste e disse que ainda estava sozinha, e que tinha tido alguns romances, mas, nada muito serio.

Disse que tinha que ir e me despedi dela, e quando estava indo embora pra casa, ela me chamou e perguntou se eu topava tomar um cafezinho no barzinho com ela, pensei um pouco e disse que sim, (ainda gostava da putinha traidora), fomos pro bar perto e conversamos muito sobre os mais diversos assuntos, mas, ao invés do café, tomamos cerveja, e tomamos muita cerveja, tantas que já estava meio alto, e ela não estava diferente.

Ela me disse que não tinha condições de voltar pra casa, me pediu pra dormir no meu apartamento, vi que apesar de bêbada, era armação pra dormir lá em casa e não concordei dizendo que levaria ela em casa.

Não queria ter contato sexual com ela, sabia que ia terminar não resistindo, e não queria isso, se transasse com ela, terminaríamos voltando a morar juntos e vi que essa era a intenção da putinha, mas, ela não aceitou, disse que não confiava em mim no volante e que eu estava tão bêbado quanto ela, pensei um pouco e vi que ela tinha razão, e quanto a transarmos, só aconteceria se eu quisesse.

Chegando em casa, meus filhos ficaram muito contentes em ver a mãe, eles só viam ela uma vez por mês, nos dias de visita.

Os dois se juntaram e fizeram de tudo pra me convencer a dormir com ela naquela noite.

Meu filho me chamou na cozinha e perguntou todo feliz se nos estávamos pensando em morar juntos de novo, eu disse que isso não aconteceria nunca, ele pediu pra esquecer o orgulho e voltar, pediu por favor, disse que sentia muita falta da mãe e queria muito ela de volta. Minha filha pediu a mesma coisa quando foi à cozinha e me viu falando com meu filho.

Resolvi que ela dormiria no meu quarto e eu no quarto da empregada, que estava de férias.

Fui dormir de madrugada e senti uma boca gostosa chupando meu pau. Pensei logo que era minha namorada, ela era profissional em me surpreender com um belo boquete, depois de alguns minutos de olho fechado curtindo a mamada, lembrei que ela não estava em minha casa, e cai na realidade, e vi que só podia ser minha ex esposa, empurrei a cabeça dela e mandei ela voltar pro quarto dela, ela avançou a cabeça de novo em minha direção e me deu um beijo de língua, não resisti, tinha que ser viado pra resistir a uma mulher tão sensual te beijando.

Gostava muito da safada e estava doido pra transar com ela, tinha muita saudades daquela bucetinha. Ela estava completamente nua, eu sentia o cheiro da excitação dela. Tirei a cueca e mais que depressa comecei a chupar seus seios e a barriga e finalmente a xoxota.

Chupei a bucetinha e ela gemia muito e molhava meu rosto com seus liquido, vi que ela ainda tinha um imenso tesão por mim, sem medo de ser feliz, enfie a minha língua dentro dela e ela fechou minha cabeça entre as pernas e mandou eu fazer ela gozar, me chamava de gostoso e dizia que eu era o homem da vida dela, eu estava morrendo de tesão, e não acreditava que estava comendo minha ex mulher novamente, coisa que já dava como passado em minha vida. Senti a putinha gozar em minha boca, mas, vi que ela queria mais pica, por isso a peguei pelos cabelos, puxando devagar, de uma maneira sensual, coisa que ela gosta muito, depois a mandei ficar de quatro, e fui obedecido de imediato, posicionei minha pica na entrada daquela bucetinha dela, e depois de pincelar na entrada, meti com força, o que foi fácil de fazer, pois, ela estava muito molhadinha, fui estocando com força e continuando a puxar seus cabelos, depois de alguns minutos estocando forte, gozei dentro da bucetinha dela, mas, apesar de cansado, sabia que aquela não seria a última trepada da noite, queria transar em todas as posições e sabia que ela também queria, por isso, depois de um merecido descanso, comecei com um papai com mamãe, depois franguinho assado, e finalmente fiz uma coisa que sempre quis, mandei ela ficar de quatro e meti na bundinha dela, notei logo que não tinha sido o primeiro a entrar ali, mas, isso não me incomodou nenhum pouco, pois, estava decidido que não ficaria mais com ela, porém, essa noite fudemos gostoso, e devo dizer que foi muito maravilhoso.

De manhã acordei com muita dor de cabeça, pois, não sou acostumado a beber, ela amanheceu ótima e já agia como a dona da casa. Nossos filhos felizes da vida, ela tinha feito o café da manha e servido pras crianças, depois foi ao quarto, onde eu e ela tínhamos dormido e levou uma bandeja de café da manhã pra mim, me deu um beijo na boca e disse que tinha sido a melhor trepada da vida dela, pensei em falar que não queria reatar nosso casamento, mas, vendo ela tão feliz, resolvi deixar pra depois que eu voltasse do serviço.

Fui trabalhar e cheguei atrasado, meu chefe não falou nada, ele nunca falava nada, quando eu fazia alguma coisa errada, acho que ele precisa mais de mim, do que eu dele, sou vendedor e trabalho na rua, sou muito bom no que faço, e tenho muitos conhecidos no mercado de artigos gráficos, por isso, se perdesse o emprego, ficaria pouco tempo desempregado, pois dou muito lucro a empresa.

Quando cheguei do serviço, Solange ainda estava em meu apartamento, fiquei surpreso ao encontrá-la, perguntei se ela não tinha ido trabalhar, ela me disse que não trabalhava nas quartas-feiras, era o dia de sua folga bancaria, eu sorrindo, perguntei o que era folga bancaria, ela me disse que era o dia que tinha de folga pra resolver problemas pessoais.

Notei que o apartamento estava muito arrumado, a comida estava cheirando e ela de banho tomado e sorridente, pra falar a verdade, eu estava adorando aquela linda mulher ali, toda pronta pra fazer o que eu quisesse na cama.

Fui tomar banho e no banheiro fiquei pensando e meu coração implorava pra eu perdoar minha mulher, por isso resolvi adiar mais uma vez, o pedido pra ela ir embora, no fundo queria que ela ficasse comigo.

O tempo foi passando e já tinha uma semana que ela estava morando comigo.

Minha namorada finalmente chegou do interior de minas, e como eu já sabia que ela ia direto pro meu apartamento, fui buscá-la na rodoviária, ela me deu um longo beijo e disse que estava morrendo de saudades de mim, eu meio sem graça, disse que nós tínhamos que conversar. A levei pra casa dela e quando cheguemos lá, disse que minha ex mulher tinha voltado a morar comigo. Ela chorou muito e me deixou preocupado. Foi até o portão comigo e se despedir de mim falando que não tinha desistido de ficar comigo, e que esperaria minha mulher me dá outro pé na bunda e ficaria comigo de novo. Disse que eu era o homem da vida dela e que não seria tão fácil se livrar dela.

Solange me tratava como um príncipe.

O tempo foi passando e já tinha mais de dois meses que eu e Solange estávamos juntos.

Eu estava muito feliz com a volta dela, até que um dia ela me chamou no quarto e me disse que tinha transado com o ex namorado, “o mesmo que foi o pivô da nossa separação”, disse que tinha resistido todo esse tempo que estávamos juntos, que queria mesmo que desse certo, mas, não conseguia resistir ao cara, disse que ele fazia ela se sentir mais mulher, mais viva, e apesar de saber que ele era casado e que não pretendia se separar da esposa, não resistia ao tesão que tinha por ele, fiquei muito mal, queria mandar aquela cadela embora imediatamente, mas, fiz silencio e fui dormir no quarto de meus filhos, passei a noite toda pensando e quando amanheceu, vi as malas dela na porta do apartamento, perguntei ser ela ia embora, ela com uma cara triste disse que não tinha mais o que fazer, disse que eu era um cara muito legal e não merecia o que estava fazendo comigo, peguei a mala dela e levei até meu quarto, ela perguntou o que eu estava fazendo, disse que tinha muito ciúmes dela, que a amava muito, mas, não suportaria perder ela pela segunda vez, disse que ela era muito importante pra mim, e que tentaria conquistá-la com meu amor, ela falou que era melhor não, por que com certeza ela iria trair minha confiança de novo, eu disse que queria tentar, depois de conversarmos muito, ela resolveu ficar por mais algum tempo, beijei-a na boca e quando estávamos saindo do quarto, vimos nossos filhos na porta, perguntei a quanto tempo eles estavam lá, meu filho com cara fechada, disse que estava desde o inicio de nossa conversa, disse que a mãe era uma grandessíssima puta e que só pensava nela mesma, e que quem sempre estivera com ele e a Irmã era eu, disse que odiava a mãe.

Eu quase gritando com ele, disse que ele não tinha o direito de falar daquele jeito com a mãe, que ele estava desrespeitando a mãe e eu não iria permitir aquele desrespeito de jeito nenhum, ele abaixou a cabeça e foi pro seu quarto com cara de poucos amigos. Minha filha foi com ele, também desaprovando a atitude da mãe, olhei pra ela e vi que ela estava chorando, perguntei se ela podia ficar por mais alguns dias, queria pensar um pouco no assunto, ela disse que tudo bem, nesse dia dormi de novo no quarto da empregada, de manhã o café estava posto na mesa e ela já tinha ido trabalhar, fui por serviço pensando muito no assunto, amava muito aquela mulher, não queria perde-la, mas como conviver com uma mulher infiel ao meu lado, os dias foram se passando e já tinha mais de uma semana, ela chegou pra mim e disse que precisava falar comigo, e me chamou até o quarto, disse que os filhos mal falavam com ela e que era uma péssima mãe e que iria mudar, disse que tentaria ser fiel a mim, e que queria reatar nosso casamento, olhei pra ela e disse que não queria que ela voltasse pra mim, por obrigação com os filhos, disse que não precisava disso, ela sorrindo disse que tinha muito amor por mim, e tesão também, disse que não amava o Sergio, que era só atração física, e que se afastaria dele, sorri e beijei-a na boca, nessa noite dormimos juntos e foi maravilhoso, transamos muito, e ela a todo tempo, dizia que me amava, que eu era o homem da vida dela.

Com o tempo, nossos filhos voltaram a falar com a mãe e eu estava radiante com sua nova atitude.

Já tinha passado mais de seis meses, eu estava na Cinelândia resolvendo alguns problemas de trabalho, quando a vi, acompanhada do tal Sergio, fiquei muito nervoso, pensei até que ia ter um treco, mas, me controlei, os dois estavam saindo de uma lanchonete, dirigiram-se pro carro dele e saíram, resolvi segui-los, e depois de uns 10 minutos, chegaram em um prédio de apartamentos e subiram as escadas abraçados, eu subi junto, mas, de uma distancia que eles não podiam me ver.

Subiram até o segundo andar e fecharam a porta, esperei uns cinco minutos em frente a porta do apartamento. Queria bater na porta, só depois que os dois já estivessem nus, fiquei no corredor esperando, fui até a porta e quando ia bater, ouvi gemidos da putona da minha esposa, com certeza eles estavam transando.

Quando ia bater na porta, resolvi testar pra ver se estava aberta, pra minha surpresa, a porta estava aberta, entrei bem de vagar e fui até o quarto de onde vinha os gemidos e vi a putona sentada de frente pra ele e completamente nua.

Ela estava cavalgando em cima na rolona dele, eu tremia de raiva, queria matar os dois, mas, fiquei lá só olhando e em questão de minutos, meu pau estava completamente duro, fiquei com muita raiva de mim mesmo, como poderia ficar excitado vendo minha esposa transando com outro, mas, não podia fazer nada, a excitação era maior que o ciúme, vi que o pau do cara era muito maior que o meu, devia ter mais de 20 centímetros, no mínimo, era uma coisa grossa e grande.

Vi que do lugar que estava, podia ser visto, por isso me afastei um pouco mais pra fora do quarto, assim se os dois me olhassem, não me veriam, ela trepou com o cara de tudo quanto é jeito, e até o cuzinho ele comeu, fiquei bobo quando vi ele enfiando aquela jeba na bunda dela e ela gemendo de prazer naquele apuzão, gozei sem botar a mão na rola, depois sai de fininho fechando a porta atrás de mim.

A noite ela chegou e com um sorrisinho maroto me cumprimentou dizendo que queria falar comigo, eu já sabendo que ela iria falar, disse que tinha visto tudo, ela meio nervosa, perguntou o que eu tinha visto, eu disse que estava no apartamento do cara, e vi os dois transando. Ela toda sem graça e tremendo, disse que por um minuto, tinha sentido que realmente tinha alguém espionando, e perguntou como eu sabia que ela iria se encontrar com o amante.

Eu disse que não sabia, disse que tinha visto os dois na Cinelândia e tinha seguido eles e entrado o prédio e o apartamento e a porta estava só encostada.

Ela baixou a cabeça e disse que estava morrendo de vergonha e que iria embora naquela noite mesmo, eu sorrindo, disse que ela não precisava ir embora, que eu aceitava o caso dela, só não queria perdê-la, beijei a boca dela. Foi um beijo muito intenso, parece que ela estava me agradecendo por ser tão compreensivo, fomos pra cama e nos amamos muito, só paramos quando nossos filhos bateram na porta dizendo que estavam com fome e perguntando o que seria o jantar, sai sorrindo do quarto e disse que o jantar seria pizza, o que foi aprovado por todos.

Hoje em dia, somos muito felizes, ela se encontra sempre que deseja com o amante, e até dorme com ele algumas noite por mês, eu reatei com minha namorada de 26 anos, e minha mulher sabe disso e até se tornou amiga dela, meus filhos sabem de tudo e nos apoiam, apesar do meu filho não ter apoiado de inicio, mas, querendo os pais juntos, terminou aceitando e hoje até gosta da situação.

Somos felizes e é isso que importa.

LEIA MEUS OUTROS CONTOS, TELHANDO NO MEU PSEUDÔNIMO PREDADOR 123 (GERALDO).

Comentários

11/05/2016 22:02:43
muito bom
18/03/2015 19:44:36
Muito legal quando há cumplicidade entre o casal!!!
13/02/2015 03:57:21
Cadê os macho comedor pra receber fotos da minha namoradinha gostosa por email ? Meu emai-l é: varanasilol@hotmail.com
04/02/2015 14:53:00
Mais um conto excitante. Parabéns e nota 10!
01/02/2015 22:26:20
Geraldo, muito bacana sua atitude. Quanto existe confiança e parceria não há nada que separe o amor de um casal. Eu e meu marido nos entendemos a respeito dos meus amantes e isso só nos aproximou como casal, inclusive o amo mais do que no início do casamento. Leia meus contos também... Bjs.
01/02/2015 18:21:55
PARABÉNS AO AMOR DO CASAL.
01/02/2015 11:13:00
O conto ficou muito bom, foi um acordo justo. Separação as vezes é o combustível do ódio e ódio faz mal.
01/02/2015 03:28:02
publiquei esse conto a alguns anos atrás em outro site, dei uma modificada e espero que gostem.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.