Casa dos Contos Eróticos

Flerte Fatal

Autor: Kadu36
Categoria: Heterossexual
Data: 11/01/2014 22:21:30
Última revisão: 05/02/2016 03:46:14
Nota 9.64
Ler comentários (7) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá leitores sou Kadu

Venho publicando aqui meu segundo conto. “Flerte Fatal”

Era num sábado assim como o combinado cheguei à casa de Giovanna bem cedinho 07h50min, pois sua mãe como todo sábado foi fazer faxina na casa de seus avós, e seu pai trabalhava o dia todo, me ouvindo chegar de carro abriu o portão para poder entrar. Veio sorridente ao meu encontro ainda de roupa de dormir, usava camisetinha e shortinho de malha bem soltinho, só em vê-la fiquei excitado pensando no que vinha por acontecer naquele dia, beijei tua boca enquanto minha mão passeava e apalpava seu bumbum redondinho e suculento, ela disse “-nem dormir direito ontem pensando em tudo que aconteceu, tive muito tesão, minha bocetinha ficou melada a noite toda, querendo você, quero seu pênis duro dentro de mim, sentir o seu cheiro o seu corpo junto ao meu... venha vamos entrar.“ dando um riso safadinha. Fomos entrando, seguia na frente eu encoxando por trás, entrando na sala posicionei dela debruçada no braço do sofá esfregando meu cacete que estava nervoso dentro da bermuda, passava bem no meio de sua bundona carnuda, ela rebolava, rebolava respondendo a minha investida, minha gordelícia estava muito excitada ansiosa por mais prazer!!!! Ela se vira para mim me beija segurando o meu pênis, fica agachada, abaixa minha bermuda e tira minha rola grossa e cabeçuda pra fora estava meia bomba, e sem receio cai de boca engolindo-o inteiro indo até a base e voltando deixando ele babado, punhtava e dizendo “-ai que delícia de rola, desejo ser preenchida com ele bem duro dentro de mim, como ontem.” e voltou a chupa-lo.

Continua assim que está gostoso, seguro sua cabeça e fodo sua boquinha como se fosse a bocetinha, estocava até que gozei em sua boca, ela engoliu meu leitinho todinho, sem desperdiçar uma só gotinha deixando todo limpinho.

Beijei sua boca bem gostoso, logo fui retirando sua blusinha que já estava sem o sutien e chupo seus seios inchados duros de tesão chupava um e acariciava o outro alternadamente. Passo a língua em toda aureola e nos biquinhos durinhos sempre em movimentos circulares ... “- Aí que tesão meu gato gostoso, me chupa, me chupa.... Chupa meus peitos uhmmmmm delíiiiiiiiiicia!” Não demorou muito já sentia meu membro enrijecer, volto à posiciona-la no braço do sofá como antes, abaixo o seu shortinho e também sua calcinha branca de algodão, reparei uma pequena mancha de sangue no fundinho, fiquei com mais tesão lembrando da noite anterior, a qual havia tirado sua virgindade, sua bocetinha estava ensopada e completamente à mostra, separei suas nádegas e por trás fui lambendo sua rachadinha, gemia alto de tanto tesão, penetrava-a socava sua fenda com minha língua sedenta por seu gozo, e ao mesmo tempo sentindo o cheiro do seu cuzinho virgem, rosadinho cheio de preguinhas, dei várias lambida nele, e massageei com o polegar tentando afrouxá-lo, ela ficou quieta só gemendo de tanto prazer, então a seguro firme pelo quadril e, penetro de uma só vez minha rola em sua bocetinha fogosa, ela geme mais e mais... comecei a fode-la com força e estocadas rápidas, “-aaaiiii Duuu que gostoso não para, come minha boceta que está pegando fogo, fode sua menininha, judia da minha bocetinha. .. mete gostoso em mim meu amor, me fode... delíciaaaaaaaaa...”. Eu obedecendo seu pedido penetrava vigorosamente na sua xoxota, más não demorou e ela gozou, gemendo loucamente, continuei fodendo alucinado pois sentia que estava quase gozando, ela começou a gemer dizendo pra parar pois sentia muita sensibilidade na boceta, vendo que eu não parava de estocar, tentava fugir da minha vara, puxei ela forte juntinho a mim disse eu "- calma amor aguente firme, estou quase ai delícia de boceta... tesão... ela gritava cada vez mais alto pelo tesão, com medo dos vizinhos ouvirem seus gritos e gemidos, peguei aquela calcinha enrolei e pus em sua boca, meti com vigor e tempo depois comecei a gozar, que tesão, que buceta gostosa, eu exclamava em seus ouvidos, enquanto ainda ejaculava dentro dela, estocava até meu cacete amolecer e ser expelido de dentro da sua xoxota, nossos orgasmos escorriam pelo braço do sofá...

A beijei e fizemos uma pausa nos limpamos e fomos tomar nosso café da manhã, más estávamos tão excitados, ela veio me servir mais suco, e comecei acariciar sua xoxota enfiando a mão por entre um dos vão das pernas do deu shortinho, enfiei dois dedos na bucetinha massageando seu clítoris, retirei minha bermuda, e ela o shorts, sentando no meu mastro rijo novamente e começou judiar, cavalgava com força, eu massageava e chupava seus seios fartos, ela me abraça com as pernas, levantei-me da cadeira e a conduzo para o quarto com o cacete latejando dentro dela, a deito na cama, ficamos de ladinho, fodia sua boceta muito gostoso, ela se vira de bruços ficou de 4 e empinou bem o seu bumbum na altura do meu cacete, separando as nádegas com as mãos me convidando a entrar “-hoje temos o dia todo, não precisa ficar afoito, fiquei com medo, pensei que não fosse parar de me foder aquela hora, vem continue me comendo meu cachorrão, fode a sua cachorrinha...” olhava aquela boceta melada e vermelha de tantas estocadas, arregaçada para eu começar a fodeção novamente, assim fiz, penetrei vigorosamente e estapeava seu bumbum tesudo, xingado-a de cachorrinha e minha putinha e que iria foder muito sua xoxotinha, ela ia ao delírio com isso. Olhei sua cômoda estiquei a mão e peguei um frasco óleo corporal e melei seu cuzinho, lisinho como estava meu dedo entrou sem dificuldade e depois mais outro, ela mordia meus dedos atolado dentro do seu cuzinho, gemendo exclamou “-aaai tesudo quer comer meu rabinho também, más vai com calma viu pra não me machucar com esse pau grosso delicioso.”, tirei meus dedos e comecei a penetrar vagarosamente meu cacete em seu cuzinho, a cada relaxada com jeitinho estocava mais entrou a cabecinha ela urrava de dor e gritava alguns palavrões... Dei uma pausa e continuei a estoca-lo, ela tentava expulsar o invasor inutilmente, pois estava atolado até a base em seu reto, suas pregas anais abraçavam o meu pau com força, era incrível, que sensação fascinante eu dominava minha fêmea completamente, não poderia escapar. Estava ali submissa a minha vontade, seu corpo tremia de dor perante o meu. A confortei nessa hora com uma das mãos massageava seu clitóris, ela arrebitou mais o bumbum e iniciei aquele vai e vem vagarosamente, meu suor pingava em suas nádegas, fui bombando em seu cuzinho, que logo foi afrouxando e depois de algum tempo aquela dor transformou-se em puro tesão, ai então gozamos em plenitude, eu enchendo seu cuzinho de gala, a casa exalava sexo, exaustos tomamos um banho juntos, de dormimos colados por algumas horas.

ESSA AVENTURA NÃO TERMINA AQUI, CONTINUA NO PROXIMO CAPÍTULO.

Comentários

03/12/2014 05:40:00
Obrigado a todos pelo seus comentários, bem Coroa libertina é claro que foi gratificante e muito esperar mais de um ano pra então nos conhecermos na cama, me sinto realizado com minha esposa. Como disse que no começo foi muito difícil para nós. Ela é demais um Flerte que rolou numa balada no meu caso foi fatal.
17/01/2014 08:49:53
Gostei da iniciação da Giovanna, porém, este está melhor, bem mais excitante. É como no sexo. A segunda transa com o mesmo parceiro, sempre é mais gostoso. Rss. Essa aventura tem tudo para ser fatal mesmo. A garota soube como conquistá-lo. Grata por ler meus contos. Beijos.
12/01/2014 16:32:49
Muito bom seu conro, fico no aguardo de outros.
12/01/2014 12:38:10
Muito bom...Dê uma olhada nos meus. Abs
11/01/2014 23:07:06
Muito bom...estou acompanhando atentamente suas sagas com essa gordelicia!...Leiam meu contos!
11/01/2014 22:58:56
Tô adorando seus contos! Nota 10! kahennajackson@hotmail.com
11/01/2014 22:26:43

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.