Casa dos Contos Eróticos

A História Sem Título - Parte 9 - The Old and Good Blackmail

Autor: Enrique
Categoria: Homossexual
Data: 10/06/2013 19:29:53
Última revisão: 05/01/2014 18:30:36
Nota 9.93
Assuntos: Homossexual, Gay
Ler comentários (13) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Desculpe a demora pra postar...

A narração continuara do ponto de vista do Leandro:

Entrei no meu quarto e vi Joice dormindo... Menos mal... Me deitei ao lado dela desejando que tudo isso não tivesse acontecido... Que eu não tivesse gostado daquele maldito beijo...

Dormi, sem ao menos tirar as roupas... Acordei assustado, tive um pesadelo. Só não lembro sobre o que. Me levantei, não iria conseguir dormir mais mesmo. Olhei no relógio: 5:30 da manha... Joice continuava dormindo. E o Raphael veio a minha cabeça... Eu confesso: morri de medo de levar uma surra. Quando ele me deu aquele soco na cara, eu apaguei... E depois, eu tava na cama dele, ele em cima de mim... Eu entrei em panico! A única coisa em que eu pensava era sair daquele quarto, dos braços dele... Leandro, esquece isso!

Decidi começar o ritual de todo santo dia mais cedo: Tomar banho, botar uniforme... Nesse meio tempo a Joice acordou:

- Bom dia, dormiu bem? - Disse, me sentando ao lado dela. Os cabelos avermelhados dela estavam todos assanhados. A visão era um tanto engraçada.

- Não - falou Joice com a cara emburrada - você não veio rápido!

- Eu já disse, tive que resolver um problemas. - Ou arranjar outros...

- Qual é esse “problema” que você não quer me falar? - Perguntou ela, curiosa como sempre...

- Nada de mais... - precisava mudar de assunto, senão ela conseguiria saber o que queria - E você, ligou pros teus pais avisando que ia dormir aqui?

- Claro que eu avisei né! Se eu não tivesse avisado minha mãe já taria aqui fazendo um escândalo...

Joice decidiu não ir pra escola. Então, dei um abraço nela e desci pra tomar um café. Minha mãe já tinha saído pro trabalho, então, nem me demorei muito... Dei tchau pra Rosa, peguei minha mochila e abri a porta dando de frente com...

- O que você quer? - Perguntei a Raphael, que estava ao lado de uma moto vermelha, enorme e linda. Estava vestindo uma calça meio justa, preta, mas nada muito afeminado, pelo contrario. Um par de sapatos, pretos também, muito bonito. Além de uma jaqueta jeans encima da blusa do uniforme...

- Vim te dar uma carona. - Disse serio, olhando em meus olhos...

- Não, obrigado. Sei o caminho da escola ainda. - Disse me virando. Ele logo me alcançou e segurou um dos meus braços com força.

- Você não deixou eu acabar de dizer... Vim te pedir desculpas. - Disse, fazendo assim que eu virasse pra falar algumas verdades pra ele.

- Você acha que eu vou te desculpar só porque tá fazendo essa carinha de cachorro sem dono? Por favor! - Disse eu, a ponto de explodir...

- Aceita a minha carona. A gente conversa melhor na escola... - Disse ele tão calmo, que, droga!

- Eu não quero falar com você nem agora e nem depois. Agora, me larga! - Falei, é claro, em vão, ele simplesmente não me dava ouvidos.

- Aceita vai! Depois que nós tivermos essa conversa eu te deixo em paz. - Falou Raphael, olhando nos meus olhos. A oferta era bem tentadora...

- Tá! Mas você vai devagar nesse troço ai... - Disse apontando pra moto turbinada...

- Não esquenta - disse Raphael dando um sorriso vitorioso...

Raphael subiu e ligou o monstro vermelho que rugiu como um tigre. Subi na moto e ouvi Raphael disser: Se quiser segurar em mim...

- Não obrigado! - Disse irritado. Cinco metros percorridos depois, meus braços já estavam ao redor do tanquinho do Raphael. E ele começou a rir da minha cara que nem um... Aff, por que ele tem que ser tão idiota, por que?

Poucos minutos depois estávamos na frente do Colégio Quadrante. Desci da moto tremendo de medo, enquanto Raphael ria do meu medo:

- Prum cara que teve coragem de me dar um soco na cara, você é bem medroso...

- Há há. Muito engraçado... Agora eu quero saber como agente vai entrar, o colégio ainda tá fechado.

Raphael balançou a cabeça num sinal negativo, e me olhou como se eu tivesse dito a coisa mais estupida do mundo. Se limitou a dizer um: - Observa. - e foi em direção ao portão do colégio. Vi que ele conversou algo com o porteiro e logo em seguida voltou e me disse:

- Agente já pode entrar...

- Mas como?

- Não faz pergunta, vem! - Disse Raphael, um pouco irritando.

Quando chegamos ao portão, o porteiro o abriu e nos disse bom dia e tudo. o.O

Muito estranho... Aquela velho não abre a boca pra nada...

- Vamo pra trás da quadra, lá ninguém vai nos ver... - Disse Raphael, já me puxando em direção a quadra...

- Tá oque você quer? - Indaguei assim que chegamos atras daquela quadra.

- Eu... É...

- Raphael, se for pra você ficar enrolando... - disse olhando na direção daqueles olhos. Logo em seguida ele se agarrou a mim num abraço de urso!

- Me desculpa, eu não queria ter te batido! Mas, você tinha que me provocar? Tinha? - Disse falando ao meu ouvido...

- Me solta, Raphael... - Disse no mesmo tom que ele... Putz, por que ele tem que ser tão gostoso... E o cheiro que ele tem...

- Não, não solto... - Disse me olhando com aqueles dois olhos azuis perfeitos - Não antes de você me dar duas coisas?

- O que você quer? - Me internem, please!!!!!

- Que você me desculpe e... me de um beijo! - Pediu-me olhando com as aqueles olhos azuis... Tenho quase certeza que eles mudaram de tom... Passaram pra um tom das águas do Caribe.

As mãos deles seguraram firmemente a minha cintura, minhas mãos foras param ao redor do pescoço dele (que clichê!) e dei a ele um beijo que começou cálido, mas logo a língua dele buscava a minha num beijo quente... Em seguida nos separamos, alguém poderia aparecer...

Ele sorriu pra mim de um modo um tanto quanto estranho. Não parecia aquele mesmo olhar, aquele mesmo sorriso que ele me lançou a instantes antes... Depois, me disse baixinho:

- Eu vou na frente... Você vai depois...

Se virou e foi embora. E eu fiquei lá, espantado, com o coração batendo a mil...

Eu, definitivamente, tô sentindo algo pelo Raphael...

Narrado a partir daqui do ponto de vista do Raphael:

Eu consegui! Deu trabalho, mas, consegui!

Graças ao Túlio, um amigo meu que é detetive, consegui câmeras de espionagem que filmam em HD, além de um microfone de alta precisão... Antes de ir na casa do Leandro, fui até o Quadrante. O porteiro morre de medo de eu denunciar ele de ter ficado com algumas alunas do terceiro ano, então, foi fácil entrar no colégio... Chegando ao fundo da quadra, instalei as câmeras em pontos estratégicos. Coloquei o microfone por dentro da jaqueta. Depois disso, voltei ao condomínio, parei minha moto na frente da casa do Leandro e o resto vocês já sabem...

Esperei o Leandro sair de trás da quadra e fui lá remover o equipamento. Logo depois, peguei meu netbook da mochila e descarreguei os arquivos das câmeras e do microfone ali mesmo... Tudo foi gravado perfeitamente. Eu e o Leandro, aos beijos... Tava louco pra dar sequencia ao plano! Sincronizei os arquivos de áudio e vídeo para se tornarem um vídeo só... Passei para o meu celular, além de enviar para o DropBox... Agora sim. Tudo feito... Guardei tudo e fui em direção a sala de aula... Iria confrontar ele durante o intervalo...

[…]

Finalmente, o intervalo! Não ia conseguir esperar ele ficar sozinho... Me levantei e fui na direção dele que estava ao lado de duas meninas...

- Leandro, eu preciso falar uma coisa com você!

Ele me olhou de um modo estranho, como se perguntasse o que estava acontecendo, e percebi que toda a sala voltou a atenção a mim e a Leandro.

- Mas--

- Mas nada! Vem!

Ele se encolheu um pouco na cadeira, mas logo se levantou dizendo um até logo pras meninas que estavam com ele...

- O que você quer de mim agora? - Disse Leandro, enfezado como sempre. Vamos ver se tua marra vai durar pra sempre...

- É que eu queria te mostrar um vídeo... - Disse dando o celular para ele ver o filminho em que ele mesmo protagonizava...

A feição dele foi de curiosidade a espanto em um milésimo de segundo...

- V-o-o-cê fez isso? - Perguntou, gaguejando, quase sem voz...

Acenei que sim. E o meu iPhone foi jogado pra longe.

- Tu tá louco, sabe quanto custa um celular daquele? - Disse debochando... Amanha eu compraria outro...

- Por que você fez isso? - Perguntou Leandro apreensivo...

- Você ainda não sacou? Pra te chantagear... - Falei com um sorrisinho cínico no rosto... Tava adorando aquela carinha de assustado dele...

- Mas, se você espalhar esse vídeo pela escola, você vai se ferrar também... - Disse, tentando se defender...

- É claro que eu não vou fazer isso... Mas, eu posso mostrar pra sua mãe... Eu tenho certeza que - disse tirando um cartão do bolso da jaqueta e o lendo - a dona Laura Assunção, vai adorar saber que o filho dela é viado! Eu posso muito bem ir lá no escritório dela!

Leandro arrancou o cartão da minha mão e o rasgou em mil pedaços... Eu apenas cruzei os braços e sorri. Como eu imaginava, a mãe dele não sabe!

- Você não vai fazer isso! - Estávamos na cantina, num canto, bem afastado...

- Você tem certeza? Eu não vou perder nada, já você... - Disse me levantando e virando de costas...

- Ei, aonde você vai? - Perguntou Leandro, com os olhos angustiados...

- Ah - falei virando de frente pra Leandro - eu vou fazer uma visitinha pra tua mãe... Tchau!

Falei isso, virando de costas... Ele vai me chamar em Raphael! - Bingo!

- O que você quer? - Perguntei, me fazendo de inocente...

Leandro se levantou e ficou de frente a mim...

- Eu aceito essa tua chantagem nojenta! Mas... vai durar pouco! Eu só preciso de tempo pra contar pra ela...

- Sei... - dei uma risada - mas enquanto você não conta, vai precisar fazer uma coisinha pra mim...

- O que? - Perguntou Leandro com ódio nos olhos...

- Você vai ter que fazer a Joice voltar pra mim!

***Continua***

Ai, ai, ai... Cansou escrever essa parte... Mas valeu a pena! Bem meus agradecimentos a todos vocês que comentaram todos os meus contos, como o Amante de Series...

P.S.: Quero saber a opinião de vocês... Acharam essa reviravolta muito mirabolante? Respondam sinceramente ai nos comentários ;)

Comentários

05/01/2014 15:22:51
Affs eu heim
03/07/2013 23:33:46
mtu bom
30/06/2013 00:51:45
Uouu esse Rafael.... Tsc
18/06/2013 21:25:46
Cara, continua logo! Ta perfeito! Add aeew no skype: leo.vitt
18/06/2013 15:44:32
Ta optimo continua logo
15/06/2013 13:08:28
Eu li tá muito massa,continua logo por favor,ansioso pela continuação :-D
11/06/2013 10:07:19
10
11/06/2013 09:57:26
uou, devo admitir que gostei muito. Cara, estou apreensivo com a continuação. Então, continua logo, por favor.
11/06/2013 00:26:34
Amei essa parte, apesar de ainda não entender bem pq o Raphael fez isso, ele foi malefico.rsrs! Adorei!
10/06/2013 23:25:52
Amei esse conto. Haiti Raphael kkkkk. Continua logo!
10/06/2013 20:53:03
ele quer que o leandro se passe por namorado dele porque? ou melhor, pra quem?
10/06/2013 20:11:19
Não é que tenha sido forçado, tampouco clichê, mas por que o Raphael, um cara hetero, pediria tal coisa ao Leandro? E esse conto me fez ter uma visão que o Raphael só quer brincar com os sentimentos do Leandro, e se Raphael ama-lo, futuramente, pode ser um pouco tarde, pois a raiva já vai ter consumindo o Leandro.
10/06/2013 19:53:00
meio forçado ne mas continua

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.