Casa dos Contos Eróticos

Feed

MINHA ESPOSA PURITANA FOI PARA FORMAÇÃO MILITAR E LEVOU ROLA DE UM SARGENTO

Categoria: Heterossexual
Data: 25/06/2013 23:26:13
Última revisão: 26/06/2013 15:20:44
Nota 9.67
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá caro leitores dos contos eróticos, meu nome é Jean, tenho 30 anos, 1,70 de altura, olhos castanhos, porte médio e casado com Aline há 6 anos, ela é loira, olhos claros, pele branquinha, seios médios, pernas grosas, e uma buceta enormeeee, a maior que já vi, sempre fiz muitos elogios a essa parte de seu corpo, temos um relacionamento estável, transamos 2 ou 3 vezes por semana, e temos um filho de 4 anos, poderia dizer que um casal normal como qualquer outro, no entanto, nos últimos 2 anos uma fantasia vinha me atormentando, comecei a ler contos eróticos, contos de cornos, da mulher traindo o marido, do marido apoiando a mulher em transar com outros homens e esse desejo não me saia da cabeça. Depois de uns meses contei essa fantasia para minha esposa que achou loucura é claro, foi criada na igreja, filha de pais evangélicos tradicionais, só teve um homem na vida, então isso era totalmente inaceitável para ela, porém, como sempre procura me agradar nas transas ela topava fantasiar, que outro estava metendo nela, que tinha um pau maior que o meu e as vezes quando eu pedia até me chamava de corninho, ficamos mais de um ano nessas brincadeiras, pois percebia que quando fantasiávamos ela se excitava mais e gozava mais rápido, porém toda vez que ela via que eu tava levando a sério, querendo achar alguém de verdade ou me inscrever em sites especializados ela brigava comigo e ficava muito chateada, então com o tempo parei de falar sobre esse meu desejo de vê-la transando com outro. Ela sempre foi uma boa dona de casa, todavia sempre expressou o desejo de trabalhar, disse que queria me ajudar com as despesas, apesar de que ganho bem, sou formado em Engenharia Química, e trabalho em um posto da Petrobrás em Urucum, interior do Amazonas, mesmo assim minha esposa começou a estudar e passou em concurso da Policia Militar do Amazonas, eu me surpreendi com a sua dedicação, passou nas provas e nos testes físicos, e realmente esse negócio de trabalhar começou a ficar sério pra ela, quando me dei conta ela já estava entregando os exames médicos para ingressar no curso de formação que teria duração de 6 meses, no começo fiquei em dúvida se permitira ou não ela fazer esse curso, pois teria que ser feito em Manaus, 900 km de onde morávamos, e ainda tinha nosso filho e como seria ela ficar só lá, passou várias coisas pela minha cabeça e até brigamos por isso, mesmo assim ela falou que não desistiria do seu concurso e que era o que ela queria para sua vida. O primeiro mês de adaptação foi muito difícil, mas nos falávamos todos os dias a noite pela internet e ela sempre falava que estava com saudades e com vontade de fazer amor comigo, dizia que me amava, etc., passamos a nos ver um final de semana por mês, era muito ruim, mas resolvi que iria apoia-la nessa nova fase.No quarto mês de formação deixei nosso filho com a avó e fui até Manaus visitá-la no Apartamento que tínhamos alugado, quando cheguei senti que ela tava meio estranha como se quisesse me falar alguma coisa mais estava sem coragem, deixei quieto, esperei chegar à noite e a convidei para ir ao barzinho chamado ferrugem, local muito aconchegando e com musica boa, bebemos um pouco e umas 11 horas voltamos pra casa, quando chegamos fui logo tirando sua roupa e falando que estava com saudade e queria tirar o atraso, no momento em que estava acariciando seu corpo ela chegou no meu ouvido falou “amor você ainda sente vontade de me ver transando com outro homem?” no momento gelei, fiquei sem ação, mas resolvi dizer que sim pra ver até onde ela iria levar essa conversa, então ela continuou tem um Sargento lá meu pelotão Chamado Queiroz que tem me cercado de todas as formas, falando que sou gostosa, que quer me ter, que você tem muita sorte de ter uma mulher bonita como eu e outros elogios, todos os dias. Então perguntei e você o que acha dele? Se sente atraída? Já pensou em me trair? Com certeza já para tá me falando disso! Falei em tom grosseiro. Ela então respondeu, com jeitinho de safada, senti que ela tinha mudado, não amor é que ele é o tipo de homem que fantasiávamos, lembra quando brincávamos que um homem forte e viril me pegava na sua frente e você ficava se masturbando? As palavras dela me deu um misto de raiva e excitação ao mesmo tempo, porém realmente fantasiávamos muito isso, tinha até um bombeiro na nossa cidade que era nosso amigo e tinha um corpo sarado, um tipão como ela dizia e que se fosse ficar com outro homem teria que ser tipo o Renato, nosso amigo bombeiro. Fiz algumas interrogações a Aline e a coloquei contra a parede para que ela me falasse se tinha acontecido alguma coisa entre ela e o Sargento, na verdade estava com medo da resposta, então ela disse que por duas vezes em finais de semana tinha saído com ele e uma outra colega, no entanto, não tinha rolado nada, apenas que tinha dançado com ela e ele tinha dado em cima dela e também que quando estavam dançando ela sentiu que ele estava excitado e com o pau muito duro e a fez ficar sem jeito e então parou de dançar com ele. Em certo momento ele perguntou pra ela com era o relacionamento com o marido e se ela já tinha me traído. Nesse papo cheio de segundas intenções ela deixou escapar pra ele que eu gostava de fantasiar vê-la com outro homem e a partir daí ele começou a pressiona-la para que ela falasse pra mim e que se eu permitisse ela realizaria nossa fantasia com a maior descrição, foi por isso, que ela resolveu falar comigo, bom esse foi o papo dela. Passei a noite pensando nisso e fiquei com muito tesão e a safada percebeu que quando me contava essas coisas fiquei de pau duro. No outro dia falei pra ela que se ela quisesse ligar pra ela e marcar alguma coisa poderia ligar e que seria uma oportunidade de realizar minha fantasia, ela então falou você realmente quer isso? Depois não tem mais volta e ele pode querer fica me comendo mesmo quando você não estiver aqui, como só faltava 2 meses para o final do curso falei que não tinha problema, pois logo logo ela retornaria para nossa cidade e voltaria tudo ao normal e ninguém ficaria sabendo de nada.

Ela então ligou para o sargento Queiroz e marcou em um bar afastado da zona leste, fiquei nervoso, mas ansioso com a situação, quando chegamos ela já estava em uma mesa tomando uma cerveja, nos aproximas e então ela nos apresentou, realmente ele era um cara forte, 1,90 boa aparência, do tipo que fantasiávamos, na conversa senti que a minha mulher estava envolvida e se sentia atraída pelo militar, e ele era um cara meio mandão, ficava me pedindo pra pegar cervejas, cigarros, toda hora arrumava um pretexto para me tirar da mesa e ficar sozinho com a minha Aline, e eu estava adorando ser submisso naquela situação, e em determinado momento fui ao banheiro e quando retornei eles estavam dançando bem colados, percebi uma mão boba dele no bumbum dela e também o volume na calça dele que parecia enorme, quando me viu largou ela, veio na minha direção e falou hoje tu vai ser corno mansinho, vou comer tua mulher de todas as formas, vou gozar nela e você vai receber ela toda alargada e cheia porra, ouvir isso me deixou muito excitado, minha mulher ainda falou tem certeza que vamos continuar com isso? Claro que sim respondi, já chegamos até aqui agora vamos até o fim, a sargento então falou vamos pra um motel, me deu a chave do seu carro e falou que eu iria dirigindo, prontamente obedeci entrei no carro, minha esposa e ele ficaram no bando de trás, no caminho ele já começou a beijá-la, a meter a mão nos seios, na calcinha dela e falava ta gostando corno? E eu sempre confirmando que sim, ainda no carro ele falou agora corno tu vai ver o que é um pau de um homem de verdade, então abriu a calça e tirou um pau que era de assustar, não pelo cumprimento, pois deveria ter uns 17 cm, normal entre a maioria dos homens, como é também o meu, mas o que assustava era a espessura, era quase da grossura de uma lata de leite condensado e cabeça parecia um tomate, ele então ordenou, cai de boca aluna putinha, minha esposa ficou abismada, mas é muito grossa sargento não consigo, ele então a pegou pelos cabelos esfregou o pau na sua cara, chupa vadia você não queria um pau desses, ela se engasgava, e só conseguia colocar um pouco da cabeça na boca, quando chegamos no motel ele a deitou na cama e começou a fazer sexo oral dela, metia a língua com vontade, elogiava o tamanho da buceta dela e dizia uma dessas é para um pau como o meu e não desses ai do seu corninho, continuava a chupar e metia os dedos até que ela gozou na boca dele, e eu assistia a tudo maravilhado vendo minha puritana esposa nas mãos de outro macho. Depois que ela gozou começou a lamber aquele caralhão como forma de agradecimento, então ele me chamou e disse lambe a buceta da tua putinha e deixa bem molhadinha pra mim, prontamente obedeci, me deitei na cama e ela sentou no meu rosto quando estava chupando a buceta de ALINE tomei um susto o sargento chegou por trás e meteu de uma estocada só aquela rola grossa na buceta da minha mulher e arrancou uns gritos de prazer e dor dela e eu ali quase paralisado com aquele cacete roçando na minha cara e entrando buraquinho da minha mulher que até aquele momento era apertadinho, sai então de baixo e meti meu cacete na boca dela, que ficou me chupando enquanto levava estocadas do Sargento, e foi assim por uns 15 minutos até que ele falou que iria gozar, e então invertemos a posição, só que eu meti no cuzinho dela, pois a buceta estava toda alargada e provavelmente eu nem alcançaria as paredes da vagina dela, ele por sua vez gozou na cara dela uma quantidade absurda de porra que escorria por todo o seu corpo e eu vendo essa cena enchi seu rabinho de porra.

Fomos os 3 para o chuveiro, quando voltamos para cama adormeci, passado algumas horas despertei, quando abri os olhos minha esposa estava cavalgando em Cima da tora do sargento que a chamava de puta e dizia taca essa buceta e esfola ela toda, teu marido vai sentir a diferença, agora ele só vai comer buceta arrombada pra deixar de ser corno, depois de muito bombar na buceta dela, o Comedor tirou o cacete pra fora gozou outro jato enorme de porra por todo o corpo dela e ainda a fez lamber tudo, deixando o pau dele bem limpo e eu gozei de novo me masturbando vendo essa situação. No outro dia formos pra casa e conversamos sobre o que tinha acontecido falei que tinha gostado e ela também, acertamos que ela poderia fuder com outros homens desde que eu ficasse sabendo de tudo e participasse de preferência, foi então que ela me confessou que também tinha outros 2 (dois) colegas de curso que davam em cima dela e que também sentia atração por eles, passado 1 (um) mês retornei a Manaus e marcamos um encontro com os dois colegas bombados da minha esposa, mas essa nova história da minha esposa puritana que virou putinha contarei em outra oportunidade.

Quem gostou pode escrever para Jean.batistesena@gmail.com

Comentários

26/06/2013 15:18:48
Obrigado galera, breve trarei novos relatos da minha ex-puritana e agora putinha esposa.
dmm
26/06/2013 12:57:06
Que putinha você tem em casa agora hein......continue a nos contar.......dmm0607@gmail.com
26/06/2013 02:54:50
Muito bom!
26/06/2013 00:28:38
Gosto da sua história. Pode ser até real. Procure sempre passar o corretor para evitar erros. Fica melhor ainda. Muito boa a sua esposinha safada.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.