Casa dos Contos Eróticos

Destruí o cú do meu tio

Autor: Thi9308
Categoria: Homossexual
Data: 16/05/2013 07:38:49
Nota 9.38
Assuntos: Homossexual, Gay, Incesto
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá pessoal, meu nome é Matheus e tenho 15 anos. Moro no Rio de Janeiro

somente com minha mãe, pois meu pai faleceu quando eu ainda era bem

pequeno, nem tenho recordações dele. Minha mãe tem 38 anos, magra,

baixa, pele bem branca e muito bonita. Minha mãe tem um irmão mais novo

que ela, 35 anos, muito parecido com ela também. Um cara bem de vida,

boa pinta, aliás muito bonito como minha mãe. Mora sozinho na zona sul

do Rio num apartamento mineiríssimo. Voltando a mim, também sou bem

branquelo, magro, mas com corpo definido de natação, caixa torácica bem

formada e sem pelos no corpo, somente um pouquinho na região ao redor

do pênis. Meus peitos são um pouquinho bicudos, dizem que de tanta

punheta que toco. Mas nem sei se é isso mesmo.

O fato que vou relatar aqui aconteceu há bem poucos dias e é verídico.

Fiquei um pouco preocupado com o que aconteceu e resolvi buscar

informações na internet a respeito do assunto "incesto". Assim

encontrei este site e vi que não há nenhum problema absurdo com o que

aconteceu comigo e estou encarando tudo naturalmente. Assim sendo,

resolvi dividir com vocês os prazeres que tenho experimentado. Vamos lá

ao que interessa:

Era um sábado pela manhã e desci do meu quarto para tomar café quando

minha mãe que já estava na cozinha me disse:

- Bom dia meu anjo, dormiu bem? Mamãe vai dar um pulo no salão prá

fazer as unhas e o cabelo. Não devo demorar mas quero que fique em casa

pois seu tio hoje vem almoçar conosco e pode chegar qualquer hora.

Nesse instante logo pensei em colocar o filme pornô que havia pego com

um amigo na 6a feira. Logo fui me excitando e minha imaginação era

muito fértil, principalmente quando se fala em putaria. Sou um

punheteiro nato e chego as vezes a bater quatro punhetas seguidas vendo

sacanagens no computador. Virgem ainda, só pensava em meter o pau em

alguém e estava subindo pelas paredes de tanta vontade, mas a

oportunidade ainda não tinha surgido. O jeito era continuar me

masturbando e fudendo as almofadas do meu quarto, várias delas já

manchadas de porra. Duas dessas almofadas, de seda, eram minhas

preferidas, pois eu ficava vendo filmes e metia o pau, já com 18 cm no

meio delas. Era uma delícia aquela sensação e eu imaginava como seria

melhor uma buceta ou um cú de verdade. Só de estar aqui escrevendo prá

vocês e me lembrando já estou com o pau duraço... então perguntei para

minha mãe:

- Mãe, o tio João não vai casar um dia? Ele não tem nem namorada?

Eu já havia questionado minha mãe sobre isso e ela sempre

desconversava. Então respondeu:

- Não sei meu anjo, as vezes ele prefere ficar sozinho. Nem todas as

pessoas casam ou namoram. Algumas preferem viver sozinhas...

e citou alguns exemplos de pessoas que viviam sozinhas. Mas na minha

imaginação fértil e imunda, meu tio podia ser gay e eu sentia um certo

tesão em imaginá-lo tocando uma punheta prá mim. Nada além disso é

claro. É que meu tio tem a pele bem branca e lisinha, sem pelos pelo

corpo, é um cara bem bonito e muito carinhoso comigo, assim como minha

mãe.

Tomei café e fui pro meu quarto. Assim que ouvi minha mãe sair, comecei

a me deliciar com o filme que falei antes. Meu pau já estava duraço mas

eu me continha pois minha idéias era que meu tio chegasse e me visse

assistindo o filme, com o pau prá fora. Eu queria ver a reação dele

quando me visse excitado. Peguei a fita métrica da minha mãe e medi meu

pau novamente. 18 cm, muito bom para minha idade. É grosso também e com

as veias bem aparentes. Um pirocão de dar inveja em muito homem adulto.

Não demorou muito e ouvi o barulho da porta lá embaixo se abrindo, era

meu tio, pensei. Comecei logo uma leve punheta e fingi que não tinha

percebido a chegada dele em casa. Algum tempo passou e nada dele

aparecer. Até que percebi que ele estava na porta do meu quarto e

acabei tomando um susto. Não sabia se ele estava me observando há muito

tempo ou se tinha acabado de subir. Foi quando ele disse:

- Seu moleque safado, o que tá fazendo aí com esse birrinho na mão.

Tomei o maior susto mesmo e logo puxei minha cueca e bermuda, mas meu

tio veio em minha direção e continuou:

- Fica calmo, sei como é essa fase. Não precisava se apavorar tanto.

Não vou falar nada prá sua mãe. Pode pegar o birrinho de volta e

continuar o que estava fazendo.

Mas meu tio não saiu do quarto e ficou me olhando. Foi quando criei

coragem e disse:

- Qual é tio? Birrinho nada!!! E apertei meu pau por cima do short.

Percebi que meu tio não tirava o olho. Ele então disse:

- Vamos descer e esperar sua mãe? Ela foi no salão né? Saiu há muito

tempo? Disse se ia demorar?

Descemos e mudamos o rumo do assunto mas toda hora meu tio voltava no

papo da punheta que tinha flagrado e insinuava que meu pau era um

birrinho até que eu disse a ele:

- Tio, meu pau tem 18 cm, você acha que é pequeno?

Ele arregalou o olho e desconversou:

- Sei lá... você acha que entendo de tamanho de pau?

- Deve entender sim tio, sabe o tamanho que as mulheres gostam ou não

sabe?

Ele respondeu:

- Você tá muito safadinho heim seu porra! Onde tá aprendendo essas

coisas?

Era a perceptível a curiosidade do meu tio em relação a mim e ele não

mais conseguia desviar a atenção dele em relação ao tamanho do meu pau.

Disse que nem sabia direito quanto eram 18 cm e pediu que eu pegasse a

fita métrica no meu quarto. Peguei e mostrei a ele na fita o tamanho do

meu pau. Senti que ele ficou mais curioso e tenso. Achei que o papo

estava caminhando para onde eu queria e aumentava minha desconfiança

sobre meu tio. meu tesão era imenso e eu precisava tocar uma punheta

prá aliviar. Para minha sorte, meu tio disse que iria ao banheiro e

então fui pro quarto e toquei uma punheta deliciosa, jorrando porra

toda sobre meu abdômen e peito. Muita porra mesmo. Tomei um banho e

desci. Meu tio continuava no banheiro e imaginei que tivesse tocando

uma bronha também. Quando saiu do banheiro não falamos mais nesse

assunto e então já mais calmo, ou melhor, aliviado do tesão e das

putarias que eu estava pensando, cheguei a pensar que era tudo

imaginação.

Minha mãe chegou, conversamos os três na cozinha enquanto ela preparava

o almoço, brincamos. Eles tomaram umas cervejas e tudo fluía normal

quando meu tio perguntou a minha mãe:

- O que vocês vão fazer essa noite? Não tenho nada programado e pensei

que podíamos sair os três prá dar uma distraída, o que vocês acham?

Minha mãe respondeu:

- Você não tem o que fazer e quer uma motorista né seu safado, prá

poder beber e não precisar dirigir por conta da lei seca não é?

- Claro que não Carla, nem to pensando em beber a noite, não estou

muito bem da garganta.

- Sendo assim, podemos ir, porque eu to doida prá tomas umas biritas...

kkkk

- Você vai conosco não é Matheus? Depois trago vocês e durmo por aqui

mesmo.

Nisso, a luz da putaria acendeu novamente em minha cabeça. Meu tio

queria dormir aqui em casa prá finalmente realizar o meu sonho de tê-lo

tocando uma punheta prá mim. Não podia ser isso,eu estava ficando louco

e imaginando coisas demais. Este conflito de idéias me deixava

atordoado e nem sabia o que pensar. Tentava não pensar nisso mas não

conseguia. O jeito era tocar outra punheta e só assim eu conseguia me

acalmar. Assim fiz...

A noite chegou e fomos para um bar muito legal com música ao vivo.

Minha mãe e meu tio dançaram e nos divertimos muito. Ele não bebeu

nada, mas minha mãe tomou todas e estava bem alegre na hora que fomos

embora. Não era prá menos, havia misturado cervejas e três caipivodkas.

Era legal ver minha mãe alegre daquele jeito.

Chegamos em casa e ela já estava apagada no carro. Eu e meu tio

ajudamos minha mãe a ir pro quarto e fomos para meu quarto. Tirei a

camisa e fui logo me deitando. Meu tio foi puxando a cama sob a minha e

perguntou:

- Não vai nem esperar o tio seu mané?

- To cansadão tio, quero deitar...

- Cansado só se for de tocar tanta punheta, kkkk.

Nisso, eu que já nem estava mais pensando em sacanagem, comecei a

maldar novamente as intenções de meu tio. Acabei despertando e comecei

a pensar um monte de bobagens. Me virava toda hora na cama e não

conseguia dormir. Meu tio perguntou se eu tava com pulga e começou e

conversar comigo bem baixinho. Até que ele chegou no assunto que na

verdade nós dois queríamos:

- Tu tá tocando punheta embaixo do lençol seu moleque?

- Eu não tio, to com o braço doendo. Queria era ter uma mulézinha prá

tocar prá mim.

- Hummm tadinho do meu anjinho, tá carente é? Deixa o tio te fazer

dormir...

Nisso, meu tio jogou esticou o braço e começou a fazer carinho no meu

peito. Ele nunca tinha feito aquilo. Começou e mexer nos meus mamilos e

meu pau já estava duraço. Pude ter certeza que alguma coisa ia

acontecer. Não deu outra, a mão dele foi descendo pro meu abdômem.

Fiquei muito assustado e disse:

- Tio, o que é isso? O que o sr está fazendo? Ele respondeu:

- Se não tiver gostando eu paro meu anjo... fiquei calado e ele

reforçou:

- Não tá gostando?

Eu quase sem conseguir falar respondi:

- To sim tio, mas é que isso tá me deixando muito excitado.

- Eu sei meu anjo, titio sabe o que tá fazendo e você vai gostar

bastante.

Não aguentei e empurrei a mão do meu tio na direção do meu pau. Ele

agarrou firme e começou uma leve punheta em mim. Era um sonho, aquela

mão de pele fina, bem gostosa, que delícia aquela sensação... meu tio

largou meu pau, se levantou e eu me assustei.

- Desculpe tio, nem sei porque fiz isso, me desculpe!!!

Ele fez sinal de silêncio e trancou a porta do meu quarto.

- Calma anjo, o tio gosta de fazer carinho em você. Está tudo bem.

Volte a se deitar.

Nisso se deitou novamente e tascou mão na minha piroca de novo. Eu

estava indo às nuvens e nem sabia o quanto ainda ia ser melhor. Começou

a se ajoelhar na cama e abaixou por completo meu short. Minha pica

parecia uma barra de ferro. Nisso senti a boca do meu tio beijando

minha barriga e com a mão ele passava minha rola no rosto até que senti

a língua quente na cabeça. Eu queria ver aquilo, era uma novidade prá

mim. Acendi o abajour da cama e pude contemplar meu tio abocanhando

minha pica como as putas que via nos filmes. Maravilhosa a sensação

para nós dois.

- Matheus, que pirocona gostosa meu anjo. O tio sempre sonhou em chupar

uma rola um dia mas nunca tive oportunidade nem coragem. Você é o

primeiro a fazer isso com o tio.

Eu gemia muito, baixinho pá minha mãe não perceber nada, mas meu tesão

era enorme. Meu tio engolia tudo e depois tirava da boca, chupava meus

ovos. Abocanhava meu pau de lado e depois enterrava de novo na

garganta. Pedi a ele prá lamber minha virilha e ele obedeceu,

esfregando meu pau no rosto. Não agüentei e jorrei muita porra pela

lateral do rosto dele. Ele abocanhou e conseguiu jogar uma boa parte

dentro da boca. Após deixar meu pau limpinho com a língua disse:

- Já gozou anjo, o tio queria brincar mais.

Ele disse isso achando que meu pau iria amolecer, foi quando respondi:

- A primeira é sempre mais rápida tio, mas nas outras 4 eu demoro

mais...

- O que? Disse meu tio: - Nas outras quatro? Você quer me deixar maluco

moleque?

- É sim tio, as vezes toco cinco punhetas direto. Meu normal é pelo

menos três, mas já cheguei a tocar seis...

Ele mamou mais um pouco, levantou e acendeu a luz do quarto. Me abraçou

e começou a mordiscar meu pescoço, minhas orelhas, soprando meus

ouvidos. Fui a loucura. Comecei a apertar os mamilos do meu tio, a

bunda e levantei a camisa dele. Mamei os peitos dele e então ele

começou a se comportar como uma puta. Enfiei a mão por dentro do short

dele e fui apertando a bunda. Ele se contorcia todo de tesão. Comecei a

dominar a situação e a tratar meu tio como puta. Ele tava gostando.

Abaixei as calças dele e disse.:

- Esse cuzinho já levou ferro alguma vez?

Ele respondeu que não e então comecei a passar os dedos. Ele dizia que

ia doer mas foi amolecendo até que caí de boca no buraquinho do meu

tio. Um cuzinho sem pelos algum, rosado e apertadíssimo. Enterrei um

dedo e mais um. Ele gemia de tesão e dor, mas pedia mais. A situação

estava dominada e eu já tinha certeza que iria estourar aquela pregas

com minha piroca. Tentei comer meu tio deitado na cama, mas a falta de

experiência de nós dois não ajudava. Ordenei que ele ficasse de quatro,

ajoelhado na cama do chão e debruçado na minha cama. Passei mais um

pouco de gel e de joelhos por trás dele apontei a cabeça. Meu tesão era

tanto que não consegui ter dó. Meu tio se contraía, mas sem parar fui

empurrando a geba nele, sentindo as pregas rompendo. Fui até o talo e

lá fiquei esperando ele se recompor. Quando acalmou um pouco, comecei o

vai e vem. Puta que pariu, que coisa mais gostosa comer um cú!! Seria

uma buceta melhor que isso? Não sei, ainda não tinha experimentado. Mas

cú é bom demais. Meu tio nem se mexia, Comecei a perceber que meu pau

estava com um pouco de sangue. Fiquei assustado e parei de mexer.

- O que foi Matheus, continua... disse meu tio soluçando. Obedeci e

acabei de estraçalhar aquele cú. Gozei como nunca antes em minha vida.

Tirei o pau e fui no meu banheiro lavar. Meu tio foi atrás de mim e de

sua bunda escorria uma porra rosa, mistura de sangue com porra. Me

abraçou e disse que me amava, pedindo mais. Tomamos banho e voltamos

prá cama. Meu pau já latejando novamente. Meu tio se deitou de frango

assado e disse que queria me ver comendo a bunda dele. Finalmente me

vendo foder o cú dele e sem nem tocar no pau ele gozou. Gozou muito

sobre o próprio abdômen e pedia mais, eu obedecia. Tirei a rola e

deitei ele de lado. Meti rola por trás dele. Gozei a terceira vez. Ele

disse que o cú ardia muito e não tava agüentando. Botei ele prá limpara

meu pau com a boca e deixei ele se deliciando com minha pica até que

gozei a quarta vez. Dentro da boca. Apenas um pouco de porra escorreu

pelo canto, o restante ele engoliu tudo. Não deixei ele tirar o pau da

boca e pedi mais uma vez:

- Tio, deixa só mais uma vez no cuzinho? Pedi com carinho e ele

prontamente respondeu:

- Claro anjinho, claro que o titio deixa...

Já um pouco cansado, meti no meu tio de costa deitado de lado. Enfiava

meus dedos na sua boca e dava tapas na bunda dele. Tirei o pau, deixei

ele de bruços e meti novamente. Na hora de gozar, tirei o pau e dei prá

ele mamar mas na hora do leite, tirei e joguei tudo na cara do tio. Ele

adorou. Meu tio foi pro banheiro se limpar e tomar banho. Virei pro

lado e dormi sujo mesmo... como um anjinho...após cinco gozadas e ter

jorrado muito leite. O cú do meu tio estava literalmente destruído. Mas

estávamos realizados os dois.

Continua??

Comentários

29/04/2017 01:46:55
EXCELENTE.
01/07/2013 10:28:42
Muito louco, massa o conto
27/05/2013 16:06:41
Excelente.
23/05/2013 10:04:37
Caraca, que tesao esse conto seu, curti os detlahes de tudo. Meu pau ficou babando...
17/05/2013 23:50:18
Pode continuar.
17/05/2013 23:49:33
Gostei da historia. Voce tem futuro nesse ramo. Pode continuar
17/05/2013 10:49:06
eu queria ser teu tio!!!!!!!!!
16/05/2013 22:39:28
Lek, continua que ta maneiro! hahaahaha. comer cu é gostoso demais mesmo, eu nunca dispenso hahahhaha
16/05/2013 20:09:21
continua.
16/05/2013 19:42:14
Muito bom. Conto tesudo, bem escrito. Só tem uma coisa que não bate: não existe cara bonito, gay, de 35 anos, na zona sul do Rio, que seja virgem... rs
16/05/2013 17:39:49
Mto bom. Acesse: http://luanapri.blogspot.com.br
A.R
16/05/2013 16:57:53
Gostei!
16/05/2013 13:50:16
10. continua.
16/05/2013 11:49:46
Continua, muito bom.
16/05/2013 11:08:30
Claro que sim e muito boa essa historia
16/05/2013 09:52:11
Continua sim amei muuuiintooo excitante nota 10 me add no msn gleisonduarte21@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.