Casa dos Contos Eróticos

Darkness of Love - Chapter 1: Shadow Falls

Categoria: Homossexual
Data: 16/05/2013 00:49:18
Última revisão: 16/05/2013 13:41:26
Nota 9.92
Ler comentários (12) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Darkness of Love - Chapter 1: Shadow Falls

A vida de todo mundo muda, quando voce começa a se acostumar a vida te dá uma chacoalhada, a minha chacoalhada foi maldosa, meus pais morreram, tudo o que eu tinha, o resto da família era um bando de nariz em pé e não tinham nada, se gabavam pelo dinheiro que meu pai tinha, e que ele conseguiu com muito esforço, mas ele havia ido e minha mãe também e eu fiquei; Meu nome é Diego tenho 16 anos, e hoje estou indo pros Estados Unidos morar com minha tia, ela é a única sensata da família e a única que eu realmente gosto, quando pedi pra morar com ela, ela não hesitou, falou que me queria lá, eu estudo ínglês desde pequeno e já viajei várias vezes pra lá, então língua não seria problema pois sou fluente, o problema é que mudar de um país do outro não era simples, o fato está aí, eu vou sair do Brasil pra morar no Estados Unidos, quando pensava nisso meu coração parava, eu vou deixar meus amigos, minha casa, meu curso de teatro e meu namorado, isso mesmo sou gay e nunca tive problemas com isso e meus pais também não e muito menos minha tia, eu tenho uma história com o Henrique, meu namorado, ele é tudo pra mim, mas vou deixá-lo.

Eram 6:00 da manhã e eu estava no aeroporto, meu vôo saíria as 7:00; 6:30, fui para o portão de embarque, fiquei na sala de espera por 15 minutos, coloquei meus fones e fui ouvindo minhas músicas, dormi várias vezes, eram 10 horas de viagem até Nova York, e depois pegar outro avião até a California e de lá uma viagem de 6 horas até Shadow Falls, a cidade onde minha tinha mora, eu só fui lá 2 vezes e me lembro pouco, eu tinha 8, 10 anos. Nessa época tudo estava muito frio, quando pousei em Nova York tive que abrir a mala pra pegar um casaco e um cachecol, fiz a conexão até a California e fui para Shadow Falls, Quem foi me pegar foi o filho da minha tia, ele tinha 17 anos, eu iria tirar minha carteira de motorista logo, minha tia ia me legalizar no país, mas isto é só burocracia.

-Eu não estou acreditando que vim morar aqui. Eu disse para Jason.

-Pois é, cada um tem uma realidade. Ele sorriu, ele era bonitinho, típico rosto americano, branco, olhos azuis, e cabelo claro, tinha um belo corpo.

-Espero gostar da cidade, podemos sair anoite, pra eu conhecer.

-Até poderíamos, mas agora minha mãe não está me deixando sair anoite, só hoje que vim de buscar.

-Porque?

-Está rolando algo estranho na cidade.

-Tipo...

-Está tendo uns ataques, muitas pessoas estão morrendo, já foram 17 nos últimos 4 meses, e sempre acham os corpos no bosque.

-Ual, tem um assassino na cidade, então podemos conhecer a cidade de dia?

-Contanto que voce não me faça ir na floresta.

-Ok, não farei, mas vá rápido porque está anoitecendo.

-Estamos chegando.

Eu cochilei e acordei com Jason me chamando.

-Bem Vindo ao lar.

Eu levantei a cabeça e olhei pra fora, já estava anoite, saí do carro e ajudei Jason pegar as malas, ainda bem que todas eram de rodinhas, a casa era branca, dois andares, e grande, meu pai deu dinheiro á minha tia para compra-la, após se separar do marido minha tia passou muita coisa, e meu pai ajudou, enfim a casa era bonita e o bairro não era qualquer um, era classe média. Eu parei na porta e Jason abriu, ela estava lá me esperando, eu corri e a abracei.

-Tia Elizabeth que saudade.

-Nossa e muita, Todo esse tempo se falando só por e-mail, telefone e Skype, e nada de contato físico. Ela me disse ainda me abraçando. -Mas teremos todo o tempo do mundo pra matar a saudade.

-E muito tempo mesmo.

-Oh querido, eu sinto muito, seu pai era tudo o que eu tinha, da minha família, agora só resta voce, que é como um filho.

-Obrigado tia, voce é como uma mãe.

-Espero que voce esteja com fome, porque fiz uma janta especialmente pra voce, sinto muito, mas vai sentir falta do arroz e feijão brasileiro, os daqui não são a mesma coisa.

-Comida é o que menos penso agora, mas estou com fome sim agora que disse.

Jantamos, eu conheci a filha dela, Brittany, ela tinha 14 anos, nos demos super bem, viramos amigos na mesma hora, minha tia adorou aquilo, ela me mostrou meu quarto, era grande, e havia uma cama de casal, um quarda roupa, uma escrivaninha que na frente tinha uma janela, e o melhor de tudo um banheiro só pra mim, minha tia disse que eu poderia decorar do meu jeito com o tempo; desarrumei a mala e comecei a dar os meus toques no quarto, eu trouxe meu Notebook e já o coloquei na escrivaninha, livros e outros objetos viriam pelo correio, e com o tempo e desativaria a casa onde meus pais e eu morávamos, dispensaria os empregados e traria algumas coisas, eu limparia o meu rastro do Brasil, agora eu era americano, e minha vida era essa, adeus feijoada e Ana Maria Braga.

Minha tia cuidaria de tudo pra mim, toda papelada e burocracia era ela quem cuidaria, afinal ela agora possuía a minha guarda, alguns familiares queriam minha guarda só por causa da minha herança, mas eu já tenho dezesseis e posso escolher com quem fico, e minha tia deixou claro que o dinheiro do meu pai era meu, mas é claro que eu tinha na cabeça que ajudaria ali, e o dinheiro não é pouco, se eu quisesse viver sem trabalhar poderia, mas eu iria fazer faculdade de artes cênicas, sempre foi meu sonho.

Eu tomei banho e fui pra sala, assistimos um programa de Tv que era bem engraçado, eu já estava com sono.

-Bom vamos dormir, que amanhã eu tenho muita coisa pra fazer. Disse minha tia batendo as palmas. - E Jason e Brittany tem aula amanhã, então pra cama, voce também Diego, amanhã vou matricular na escola dos meninos, e voce começa na segunda, amanhã preciso fazer umas compras e voce vai comigo pra conhecer a cidade.

-Ok, boa noite tia e obrigado por tudo. Eu a abracei e ela me abraçou de volta.

-Boa noite, e durma bem.

-Obrigado.

Eu deitei e fiquei pensando sobre como minha vida seria agora e adormeciTá aí o novo conto, espero que gostem.

Comentários

25/05/2014 13:53:29
Gosteii
05/12/2013 13:04:21
Vc curte lana del rey? Pq eu a amo
18/05/2013 04:14:18
Excelente começo, mais um acompanhante õ/
17/05/2013 11:22:00
amei.......continua logo
16/05/2013 19:46:37
Adeus feijoada e Ana Maria Braga, bem vindo furacões, terrenotos, ataques terrotistas e um assassino no bosque! Kkkkkkk. Acho qur Diego vai descobrir o assassino que usa poderes, no desenrolar ele se apaixona pelo assassino e terão problemas com esse amor heuheuheuheiheu. Está bacana, pode continuar, só não prometo acompanhar. ;)
16/05/2013 19:14:45
Mto bom. Acesse: http://luanapri.blogspot.com.br/
16/05/2013 18:31:44
Fiquei curioso com as mortes eo bosque!. Então o que vai ser?. Um psicopata, um lobsomen, vampiro, ou demônio?. Que está atacando o povo?....posta logo!.
16/05/2013 11:28:41
Muito bom! Estou empolgado com o desenrolar da estória.
16/05/2013 08:18:47
Teve alguns erros, mas acho que isso se explica pela correria e um pouco de falta de atenção. O começo do conto está bom, mas estou louco aguardando pelo do 40ão
Loh
16/05/2013 08:08:23
Adorei " adeus feijoada e ana maria braga" kkk raxei kkk muito bom o começo... Continua log pf. =)
16/05/2013 01:36:19
Ótimo começo, 10
16/05/2013 00:57:53
gostei do conto, espero que logo tenha sua continuidade

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.