Casa dos Contos Eróticos

Feed

Casal currado no sítio

Categoria:
Data: 20/05/2013 18:29:28
Nota 9.83
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Esse conto verídico e ocorreu antes de meu casamento.

Num feriado de Nossa Senhora de Aparecida o pessoal de minha Cia. resolveu alugar um sitio em Atibaia, após ter acertado a escala de serviço com aqueles que não quiserem ou não puderam ir, fomos todos para lá.

Estavamos em 35 pessoas, haviam militares de outras unidades, muitos casais com filhos, outros com namoradas e somente eu e mais 2 solteiros destoando do resto da rapaziada.

Chegamos todos na sexta-feira e fomos nos ajeitando contudo havia um porém os quartos eram compostos por uma cama de casal e uma cama de solteiro, como estávamos eu, Cabo Moisés e o Soldado Cruz só daria certo se dormissem dois na cama de casal o que rejeitei de pronto e fui seguido pelos outros 2 e sem pensar duas vezes procurei um quarto onde a cama de solteiro estava vazia e coloquei minha mochila e meus pertences, me troquei e fui direto para a piscina.

Dei um mergulho pois a noite estava quente e depois cheguei próximo à área de churrasqueira ficando ali com a rapaziada juntamente com Soldado Cruz.

A bebida rolava solta, cervejinha gelada, picanha na tabua, saladinha de alface, farofa, Double Red(Label/Bull) e foi quando a galera agitou um truco.

Sentamos todos à mesa e começamos o jogo, logo eu e Soldado Cruz estavamos ganhando de todo mundo foi quando sentou um casal que até então não conhecia.

- Muito prazer Carlos e está é minha esposa Eliete.

- Muito prazer, Sergio e esse aí é Cruz.

Começamos o jogo contudo percebi o pé da esposa do cara roçar na minha panturrilha e no transcorrer do jogo ela começou a passar seu pezinho delicado na minha perna peluda e como a toalha era grande escondia bem o que acontecia embaixo da mesa e tu mandando ver na cerveja e a esposinha do cara também, até que em determinado momento ela esticou mais sua perna e com os dedos do pé cutucou meu caralho que nesse momento já estava duraço, e após seu pé tocar a tora ela me olhou nos olhos e soltou um sorrisinho malicioso foi quando ouvi

- Truuuuuuuuuuuuco!

Era o seu marido trucando na minha orelha, olhei minhas cartas ZAP e PICAFUMO não pensei duas vezes e sem consultar o parceiro mandei descer, o cara desceu a COPETA pensei que bosta, fui lá e meti o ZAP e fiz. Tornei pedindo SEIS ela mandou descer eu fui com um 2 de paus que ela fez com um 3, as cartas do meu parceiro tavam fracas e foi nesse momento que ela me olhou no olho e disse:

- Nooooooooove!

Pensei me fudi e blefei:

- Doooooooooooooooooooze!

E ela rindo desceu a ESPADILHA matando meu PICAFUMO foi a primeira que perdi naquela noite mas como já eram mais da uma da manhã já saí da mesa em direção ao meu quarto para tomar uma ducha.

Porém ao levantar, eu ainda estava de sunga e pelo carinho da safadinha meu pau ainda estava à meia bomba e de propósito quando levantei passei de sunga com o cacete marcando, quase encostando no rosto dela ela não teve como não olhar, percebi seu olhar em direção ao meu saco e logo em seguida olhando pro marido para ver se ele havia flagrado sua secada na tora.

Após isso fui ao quarto que era suíte, vi em cima da cama do casal alguns pertences e tal e antes da ducha, mandei uma bronha gostosa 'praquela' casadinha e larguei minha sunga toda esporrada e entrei no box, tomei um bom e relaxante banho e quando saí percebi que havia esquecido de lavar a sunga e pensei comigo 'que se foda amanhã cedo eu lavo' e pendurei-a no registro do chuveiro dentro do box, me troquei fiquei de cueca boxer preta e com uma regata branca e fui pra baixo do lençol.

Minutos depois quem entra no quarto? O casal truqueiro, ao me ver ali a safadinha soltou:

- Perdeu e veio dormir foi....ahahaha

- Ehehehe, amanhã tem revanche não esquenta...

E nisso Eliete disse ao marido:

- Amor vou tomar um banho primeiro tá...

Pegou suas coisas e foi saindo em direção ao banheiro, enquanto eu fiquei por ali conversando um pouco com Carlos que se mostrou mais tímido que sua mulher, mas conversou um pouco.

Foi aí que me lembrei da sunga esporrada no banheiro, para Eliete abrir a ducha do chuveiro com certeza veria minha sunga ali e mil coisas passaram pela minha cabeça, e quando Carlos saiu disse que para não me atrapalhar apagaria a luz quando fosse ao banho.

E assim que sua esposinha saiu vestida com um shortinho de algodão curtinho com as polpinhas da bunda de fora e uma blusinha que expunha sua barriguinha não aguentei, meu pau ficou duro na hora.

Era uma garota de cabelos ondulados claros, cintura fina, quadril largo, coxas grossas e bumbumzão, o cara passava bem ali e por baixo do lençol saquei o pau pra fora e deixei ele fazendo uma tenda no lençol foi quando ela de costas penteando seu cabelo me disse:

- Lavei sua sunga para você...

- Obrigado...

E ela ao virar-se para falar comigo viu a tenda, meia envergonhada virou-se novamente e deitou de bruço na cama com a bundona virada em minha direção.

Me recordando da alisada que ela deu com o pé no meu cacete por debaixo da mesa perdi a razão e com o pau pra fora fui pra cima dela. Ao subir na cama e ela me sentir me encaixando por trás ela soltou:

- Que isso Sergio, você tá louco meu marido está no banheiro, me solta....

- Ele que se foda sua puta, não ficou me provocando alisando meu pau por baixo da mesa agora vai sentir ela dentro de você!

E nisso fui arriei seu shortinhos até os joelhos e a filha da puta tava sem calcinha, sabendo que não tinha muito tempo fui encaixando meu pau na porta de sua bocetinha e ela numa última tentativa me pediu:

- Pelo amor de Deus você quer acabar com meu casamento, ele pode sair dali a qualquer momento, por favor eu te imploro....

- Não se preocupe que vou ser rápido.

E nisso soquei o pau violentamente para dentro de Eliete de uma única vez numa estocada bruta, acredito que ela tenha se masturbado no banheiro pois estava um pouco lubrificada, mas não o suficiente para não machucá-la pois ela sou um gemido:

- Uiiiii me machucou...

E nisso comecei a bombar forte, comendo aquela casadinha de bruço enquanto o maridinho estava no banho sem saber o que estava acontecendo, comecei a chupar-lhe o pescoço e socar forte, fazendo o barulho do meu corpo batendo na sua bunda, o tesão era animal e sentindo aquela boceta apertada levando ferro me excitei ainda mais acelerando os movimentos e Eliete pediu:

- Por favor pelo menos goza fora Sérgio eu não tomo remédio...

Nem dei ouvidos soquei o bambú naquela fêmea gostosa e cravei fundo gozando lá dentro e enchendo sua bocetinha de leite do seu macho dominador e soltei o peso dos meus 88kg sobre ela.

Nesse momento o chuveiro desligou e meu pau ainda amolecia dentro dela:

- Vai logo meu marido vai sair Sérgio, se ele pegar você aqui em cima de mim desse jeito eu tô fudida....

E ao terminar de falar a porta do banheiro se abre e Carlos pega a cena no flagra, outro macho com o corpo vestindo totalmente o corpo de sua mulher que estava com o shortinho arriado até o joelho de bruços e com um macho por cima...

Peço votos e comentários para postar o restante do final de semana inteiro com esse casal putinho que foi currado usado e abusado.

Comentários

16/06/2013 03:00:19
Cara vc é um dos melhores escritores do site. Continua essa história aqui brow
21/05/2013 08:50:49
muito bom,ontinua brother quero saber o que aconteceu
21/05/2013 00:59:25
muito bom, tem continuar..
20/05/2013 19:25:11
Hum que otimo continue.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.