Casa dos Contos Eróticos

Minha filha ajudando o papai na oficina

Autor: Tony Safado
Categoria: Heterossexual
Data: 10/04/2013 22:23:07
Última revisão: 16/04/2013 19:45:53
Nota 9.75
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Mais um dia comum de trabalho, os mesmos clientes chatos, funcionários atrasados com as mesmas desculpas. Tudo isso junto com o fato de que minha filha vem me visitar após sete anos, tempo este que não nos vimos, pois sua mãe foi morar na Holanda com seu novo namorado.

A desorganização era completa, como iria impressionar minha linda filha com uma bagunça daquelas, então comecei a organizar a oficina. Quando estava ficando tudo em seu lugar chega mais um cliente, esse era antigo, logo, não poderia manda-lo embora, teria que trabalhar naquela noite no motor do carro para que ele pudesse viajar no dia seguinte, revisão geral.

Comecei a mexer no carro testando a parte elétrica, quando vejo mais um carro chegando, fiquei indignado na hora, mas fui pacientemente até a porta para ver o que o sujeito queria. Eis que surge uma linda garota, com um sorriso lindo e vem na minha direção me chamando de pai e dizendo o quanto estava com saudades, me surpreendi, não lembrava o quanto ela havia crescido e se tornado uma linda mulher com seu 18 anos e um corpo maravilhoso, puxou a mãe, estava todo sujo então só dei um abraço e pedi para que ela subisse e se estalasse que eu já iria vê-la.

Terminei a revisão e subi rapidamente, demorei uns quinze minutos, não a encontrei, então fui pelos cômodos da casa a chama-la, então ela responde e diz que está no meu quarto, fui direto e para minha surpresa ela estava apenas com uma camiseta minha, dizendo que ia para o banho pois a viagem foi cansativa. Na hora fiquei extasiado com aquela cena, esquecendo que ela era minha filha, meu pau cresceu na hora, fiquei de boca aberta e ela ria até que ela falou:

_Paizinho vou para o banho, já vou arrumar a janta para o senhor.

A cara que ela fez quando disse aquilo fazendo biquinho, me deixou ainda mais louco. Mas por um segundo de razão corri para a cozinha tomar um copo com água gelada.

Quando ela desceu só usando minha camiseta, fiquei ainda mais louco, ela me deu um abraço e pude perceber que seus seios eram bem duros e estavam quase à mostra tentei puxar um assunto para disfarçar, mas não conseguia parar de olhar aquele belo corpo. Pedi a ela para que me contasse como foi à viagem, se tem muitos amigos novos, se faz faculdade...

Ela me respondeu:

_Sim papai, faço faculdade, e dou aula de espanhol em uma escola lá na cidade onde moro.

_E onde você mora? Perguntei.

_Em Amsterdam mesmo, a facul também é perto de casa, assim vou a pé.

_Hummm! Respondi sem tirar o olho do decote.

Ela se espreguiçou e disse que estava com sono e iria descansar. Aproveitei e desci para a oficina terminara a geral, foi quando umas duas horas depois ela desce e diz que está se sentindo sozinha e pede se pode ficar me vendo trabalhar.

_Claro filhinha, pode ficar sim, só não vou poder te dar muita atenção porque estou arrumando essa bagunça. Falei.

E ela prontamente respondeu:

_Aaah! Papai eu venho de longe e o senhor não me dá atenção, o que eu tenho que fazer pra ter sua atenção papai? Me olhando de lago com um sorriso safado.

Gaguejo e entro em baixo de um carro para pegar umas ferramentas, fico um pouco para esfriar, mas quando saio olho e vejo-a sentada com as pernas abertas na minha mesa sem calcinha, tive uns segundo de apagão, quando volto digo para ela descer, ela ri e sai saltitante.

Pergunto o que houve ela responde:

_Nada... Eu só queria sua atenção e tive! Subiu rindo e foi dormir.

Na minha cabeça eu sabia o que ela queria, mas hesitava. Ela com certeza podia ver o estrago que fez em mim. Não conseguir dormir direito naquela noite.

Quando passei em frente ao seu quarto para ir à cozinha, escutei que ela falava com uma amiga ao telefone, não entendo direito o inglês, mas entendi que ela ficava excitada com as história que sua mãe contava sobre nossas transas.

Continuei a escutar, mas acho que ela percebeu e desligou o telefone e me chamou:

_Papai é o senhor aí?

_Sim, estou indo para a sala assistir algo, não quer vir junto? Como fiz essa pergunta não sei.

_Sim, mas espera eu me vestir.

Tive que disfarçar o volume nas minhas calças e sentei no sofá. Ela aparece com uma camisola transparente e senta ao meu lado. Ao trocar de canal passo pelo Multishow, como era tarde estava passando uma cena de sexo quente e ela disse:

_Ui, que delicia!

E eu ainda mais louco falei:

_Eu sou muito mais eu, essa rapaziada não tem a pegada de um cara mais velho, queria ver se eu pegasse uma novinha iria fazê-la delirar.

E deixei no canal para ver no que dava

Subitamente ela levanta e senta no meu colo e se aconchega em meu ombro, meu pau estava saindo do calção, ela percebeu e começou a rebolar lentamente acompanhando a atriz do filme. Comecei a brincar também, mordia orelhinha dela vagarosamente, a brincadeira começou a esquentar e ela aumentou a velocidade e me arranhava os braços enquanto eu mordia seu pescoço. Ficamos ali por alguns minutos até que ela levanta e sai em direção ao meu quarto, quando pergunto aonde vai, ela responde:

_Não quero dormir sozinha, estou com medo papai.

Percebi na hora o que ela realmente queria, então desliguei a tv fui ao encontro dela. Ao entrar no meu quarto a vi nua entrando embaixo do edredom, me fiz de desentendido e tirei a roupa também e juntei-me a ela. Pergunto se está tudo bem, ela responde que está com frio e pede pra que eu a abrace. Num piscar de olhos, encaixo naquele corpo maravilhoso e meu pau roçava em sua bundinha até que ela se vira e começa a me masturbar, me olhando com aqueles olhos verdes lindos e com a cara de safada, não perco a oportunidade e deixo-a brincar um pouco, me afasto e digo que é a minha vez, desço e começo a chupar aquela bucetinha maravilhosa, toda depiladinha, fico alguns minutos ali, ela gemendo alto, e mordendo os lábios e falando:

_ Vai paizinho me faz gozar!

Aquilo me dava mais combustível para sacia-la até que pedi pra ela me chupar, ela não vacilou e caiu de boca, uma boca de veludo, mal conseguia aguentar sem gozar. Até que ela começou a pedir pra que eu colocasse meu pau dentro dela, que ela queria senti-lo. Eu disse que só faria isso se o sexo fosse completo. Ela respondeu que nunca fez anal, mas deixaria eu come-la se eu prometesse não machuca-la. Então pirei, joguei-a na cama e comecei pela bucetinha apertada, ela gemia muito e dizia que me amava, e eu metia cada vez mais forte, mesmo quase sem força, a virei de quatro, um sonho vê-la assim, aquele corpo perfeito, decidi enrabala, coloquei meu pau bem na porta e esperei que ela fizesse o resto, ela me pediu:

_O que eu faço paizinho?

_Vem de vagar! Isso, assim!

_Não tá entrando papai, ajuda!

Então esqueci que ela era minha filha e a enrabei como se fosse uma puta qualquer, ela gritou e começou a chorar, falei que doía só no começo e depois melhorava mesmo com a dor ela não parava de ir para frente e para trás. Eu estava quase gozado quando comecei a ouvir os gemidos dela:

_Vai paizinho, come meu cuzinho, ui, vai!

Tirei forças sei lá da onde e continuei a meter naquela bundinha maravilhosa. Quando não sustentei mais minha força a virei e gozei tudo em sua boquinha, ela engolia me chamando de seu homem e que não iria para casa nunca mais.

A partir daí, ficamos juntos muito tempo, sempre nos divertindo, até que eu comecei a namorar uma nova colega dela de faculdade, mas isso já é outro conto.

Espero que tenham gostado.

Obrigado!

Comentários

06/08/2015 13:20:48
Que delícia
26/07/2013 12:30:15
Otimo conto
09/05/2013 12:52:24
Adorei. Visitem : http://x-tudotudotudo.blogspot.com.br/
02/05/2013 13:47:57
Gostei muito, vamos trocar material vesppa1314@gmail.com
20/04/2013 22:28:21
MTO LEGAL!! GOSTEI FIQUEI EXITADO!! TENHO UM CASO COM MINHA FILHA, VOU POSTAR UM CONTO!!!
11/04/2013 00:23:31
otimo conto cara continue com os contos,com a participação de sua filha ate chegar na amiga dela e da amiga dela indiante.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.