Casa dos Contos Eróticos

Eu, minha Esposa e o Amigo

Autor: Italiano 33
Categoria: Heterossexual
Data: 12/03/2013 11:27:42
Nota 9.80
Ler comentários (19) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

A estória que vou contar aqui faz parte da minha vida, isto ocorreu há 2 anos e somente agora me senti a vontade para relatar.

Meu nome é Igor, sou italiano nascido em Genova e vivo no Brasil há quase 15 anos, ou seja, quase metade da minha vida eu vivi aqui. Eu amo o Brasil, mesmo porque foi aqui que cresci profissionalmente e foi aqui que conheci minha esposa Patrícia.

Eu conheci Patrícia logo que cheguei ao Brasil, foi uma paixão louca que nos levou ao casamento com 1 ano de namoro.

Patrícia é bela, têm cabelos castanhos claros e longos, sua pele é clara, mas fica morena com pouco sol, diferente de mim que ao contato com o sol fico vermelho. Patrícia mantem aquela marquinha do biquíni que a deixa tão sensual e muito tesuda. Quem olha minha esposa nota a sensualidade em tudo, dos pés a cabeça. Somos casados há 12 anos e posso garantir que nossa vida é plena em todos os sentidos.

Há algum tempo incrementamos nossas relações com algum tipo de brinquedo, sempre gostamos de inovar na cama, procuro proporcionar a ela o máximo de prazer, assim como ela tem este habito comigo. Das brincadeiras mais gostosas que fazemos é usar algum tipo de brinquedinho no ato sexual, possuímos alguns modelos que usamos nas mais variadas formas de prazer tanto na sua bocetinha quanto anal. Eu nunca consegui ter sexo anal com ela, meu pau não é tão grande, mas é bem grosso, isto dificulta a penetração de forma plena.

Há 2 anos fizemos uma viagem para o nordeste Brasileiro, tiramos 10 dias para passar em uma praia com muito sol. Este passeio foi planejado com muita euforia por nós, pois gostamos muito da vida natural.

Tudo corria muito bem em nossas férias, passávamos o dia na praia e a noite saímos para jantar e dançar, sempre regados a boa bebida.

Uma noite estávamos dançando quando sentou a mesa ao lado um rapaz de nome Beto. Era bem jovem, não tinha mais que 22 anos e era um rapaz muito simpático. A estória de Beto era bem parecida com a minha, com a diferença de que ele era Brasileiro e morava em São Paulo.

Logo que o conhecemos ficamos muito amigos, ele tinha um bom papo e era bem atencioso com Patricia.

Certa noite, quando fomos dormi,r eu e Patricia transamos muito, quando terminamos ficando conversando por muito tempo, durante nosso papo surgiu o nome do Beto. Patrícia elogiou muito dizendo que ele era um garoto muito educado e de boa índole, por fim me disse “além de ser uma graça não é?” Rimos com seu comentário e brinquei dizendo que não sentia ciúmes dele. Patrícia me olhou e disse se estava sendo sincero.

-Claro que sim, não vejo motivos para ter ciúmes dele, eu sou um homem de cabeça aberta você sabe disso.

-Mas Igor, eu sei que é um homem de cabeça aberta e sei que me ama, assim como eu te amo, mas você não notou como ele olha para mim?

-Não, acho que ele é bem educado e a trata muito bem.

-Sim, mas não sei, alguma coisa em seu olhar é intrigante.

-Patrícia, você sente desejo por este garoto?

-Não sei se é desejo, Igor, mas ele me intriga.

As palavras de minha esposa ficaram na minha mente durante boa parte da madrugada. Na verdade não era as palavras dela que me deixavam assim, mas o quanto havia me deixado excitado.

Apesar de ter uma vida bem aberta com minha esposa, jamais havia passado pela minha cabeça ver minha esposa transar com outro homem, mas não sei por que esta ideia me excitava.

Quando amanheceu tomamos café e fomos para praia. Ao chegar à praia deparamos com Beto já instalado, ele havia preparado o local de forma que nosso guarda sol ficaria perto do dele. Assim que chegamos ele nos recebeu com um largo sorriso expondo seus dentes brancos.

-Bom dia Igor, Patrícia!

-Bom dia Beto, disse eu.

Patrícia o cumprimentou com largo sorriso também. Beto tomou a minha frente e pegou algumas coisas que minha esposa levava, assim que as colocou no chão ele disse.

-Hoje quero aproveitar bem o sol.

-Que bom Beto, eu também quero sair daqui bem morena. Entre risos e gargalhadas sentamos nas cadeiras e conversamos boa parte do dia.

Num determinado momento Beto disse que entraria no mar, quando estava indo disse que se quiséssemos poderíamos entrar também, mas preferimos ficar mais um tempo na sobra.

Passados algum tempo Patrícia me disse que iria entrar no mar.

-Você não quer ir comigo amor?

-Não Pat, vou ficar aqui, o sol está muito quente.

-Se importa se eu for?

-Claro que não, fique a vontade.

Levantando da cadeira Patrícia dirigiu se ao mar, consequentemente na mesma direção de Beto.

De longe eu podia ver que ambos estavam conversando muito, dava pra notar que riam muito e de vez em quando Patrícia acenava com a mão me chamando para entrar no mar, até que resolvi entrar e juntar-se a eles. Ficamos um bom tempo até Patrícia me chamar para sair, o sol estava realmente muito quente.

-Amor, vamos chamar o Beto para tomar um vinho em nosso quarto hoje a noite?

-Você quer?

-Sim, acho ele divertido e muito educado, acho que vamos passar bons momentos juntos.

-Ok, podemos chama-lo.

Assim fizemos, convidamos Beto a juntar se a nós a noite para um vinho.

Naquela noite minha esposa estava mais animada, sem duvidas a presença daquele rapaz estava animando Patrícia. Beto chegou na hora combinada, nem um minuto de atraso.

De bermuda e camiseta Beto entrou em nosso quarto e sentou se.

Começamos a beber vinho e foi aí que tudo aconteceu.

Patrícia foi retocar sua maquiagem e aproveitei para falar com Beto.

-Dance com a Patrícia, Beto.

-Você não se importa?

-Não, só quero vê-la feliz.

Assim que Pat chegou Beto a pegou pelo braço e a convidou a dançar.

Eu sentei em uma pequena poltrona e fiquei observando.

Beto sabia conduzir uma mulher, pelo pouco espaço que tinham eles estavam dançando muito bem.

Em determinado momento Patrícia aproveitou que Beto estava de costas para mim e me olhou como se me pedisse autorização para continuar, eu apenas sorri. Ela certamente entendeu isto como um “sim”

Pat encostou sua cabeça no peito de Beto que aproveitou para aconchegar mais seus braços em volta da cintura dela. Assim ficaram algum tempo até que Beto a beijou na boca. Patrícia retribuiu com ternura o beijo daquele garoto. Assim que se beijaram pararam de dançar, aproveitaram o tempo para tirar o máximo de carinho um do outro. Nesta altura eu não sei por que, mas eu estava com o pau muito duro, eu não conseguia disfarçar minha excitação.

Beto a pegou pelos braços e a deitou na cama deitando em cima de minha esposa.

Ambos se enrolaram em um beijo louco de língua que cada vez mais me deixava excitado.

Beto escorregou a mão sobre as pernas de Patrícia e levantou sua saia curta expondo a calcinha de minha esposa. Patrícia parecia ter perdido completamente a inibição, pois retribuía tudo que Beto fazia. Depois de tirar a saia e blusa de Patrícia, Beto tirou sua bermuda e a camiseta ficando apenas de cueca. Neste momento deu para ver o volume que havia dentro da cueca daquele rapaz. Lentamente Beto tirou o sutiã de Pat e em seguida tirou sua calcinha deixando minha esposa peladinha. Aquela visão estava me deixando louco de tesão, nesta altura eu acariciava meu pau por cima da calça.

Beto pediu para Pat ficar de quatro na beira da cama, logo que Patrícia ficou de quatro ele entrou por baixo e começou a chupar a boceta de minha mulher que estava em êxtase. Patrícia ficava de olhos fechados com o intuito de não me ver, mas na primeira vez que abriu os olhos me viu com olhar cheio de tesão e desejo, isto foi um gesto de aprovação de tudo que estava acontecendo.

Ao mesmo tempo, Beto chupava sua boceta e seu cu, deixando Patrícia cada vez mais louca de tesão.

Quando patrícia estava completamente louca de tesão, Beto baixou a cueca expondo um pau enorme, era mais fino que o meu, mas realmente era enorme. Direcionando na entrada da boceta de minha mulher ele não perdeu tempo, enfiou de uma vez arrancando urros de tesão de Patrícia. Nesta altura eu tirei meu pau para fora e batia uma punheta deliciosa, como nunca havia feito. Beto bombava na bocetinha de Pat, entrava e saía com muita facilidade, fazia aquela enorme rola sumir dentro de minha esposa. Patrícia havia levantado sua anca na intenção de facilitar a penetração daquela rola enorme. Depois de um bom tempo Patrícia gozou na vara daquele garoto. Ele sentindo o gozo de Patrícia começou a falar coisas em seu ouvido que a deixava com mais tesão.

Após o gozar, minha mulher caiu de lado exausta. Beto não queria parar e voltou a chupar seu grelo até Pat ficar excitadíssima de novo. Assim que ela levantou ele a colocou de quatro novamente pediu para minha mulher abrir a bunda. Pat receosa olhou para mim e viu seu marido enlouquecido de tanto tesão.

Pat arrebitou sua bunda o máximo que pode até expor bem seu cuzinho para aquele garoto. Beto direcionou a cabeça de sua pica até a entrada de seu buraquinho e começou a forçar até entrar a cabeça. Patrícia era só loucura, gemia e gritava de tesão. Beto dava tapas em sua bunda que aos poucos ia ficando vermelha, a cada tapa que ele dava minha esposa procurava ajeitar mais a bunda na intenção de acomodar aquela pica enorme em seu cu. Nesta altura eu estava quase gozando quando Pat me pediu para ir a sua frente. Assim que cheguei ela abocanhou minha rola e começou a mamar em um ritmo frenético me levando a loucura. Minha visão era privilegiada, pois via aquele garoto com aquela pica enorme enfiando sem dó no rabo de Patrícia e via minha esposa gozando como louca naquela rola. Beto não aguentando mais a chamou de puta e disse que ia gozar em seu cu, assim, Patrícia aumentou o vai e vem na minha rola até que gozamos juntos. Beto urrava ao gozar, puxava Pat para trás a fim de enfiar mais e mais a sua rola naquele cu que até então era só meu. Eu segurava a cabeça de Pat para não sair da sua boca e ao mesmo tempo preocupado que o pau de Beto não saísse do cu de minha mulher. Pat segurou toda minha porra na boca e depois engoliu tudo de uma vez. Beto gozava muito no cu de Pat até seu pau ficar completamente mole.

Após gozarmos caímos de lado desfalecidos. Eu estava mais inteiro que eles, tive tempo de olhar o estrago que Beto havia feito com sua enorme rola no cu de Patricia. Havia porra em toda a cama. Assim ficamos mais de uma hora, sem falar uma única palavra.

-Bom dia Beto! Disse Patrícia ao ver aquele garoto na sala do café.

-Bom dia Pat, tudo bem?

-Maravilho!

Ambos sorriam e olhavam para mim.

Naquele café da manhã foi a ultima vez que vimos Beto. Depois de tomar café ele subiu para arrumar suas coisas e partiu.

Ficamos tristes com sua partida, mas encaramos como um romance de varão.

Um dia depois voltamos a nossa cidade para a vida rotineira.

Depois disso nossa vida mudou muito, para melhor, mas nunca voltamos e ter a mesma experiência .

Quem sabe em outra oportunidade.

Comentários

08/10/2015 07:35:00
Sensacional o relato, Igor. Sei bem como é o tesão de ver a parceiro com outro. Meu caso é parecido com o teu. Ainda não conseguir comer o cuzinho da minha mulher. Quem sabe numa DP? Ha pouco mais de um ano, ela deu para um japonesinho pela primeira vez. E depois, aí o Brasil, com um rapaz descendente de italianos. Aos poucos está se soltando. Escreva mais como ficou depois dessa experiência com o Beto. Fiquei curioso. Se der, comente meus relatos. Abs.
16/09/2015 08:17:55
cara muito gostoso assistir outro comendo a nossa anada elas se soltam mais faz coisas que só fazem se tivermos juntos como dar o cu
20/04/2015 11:09:48
Delícia de relato, muito gostoso e excitante. Também somos casados e curto muito esposa com outro e ela faz de tudo para me agradar e apimentar nossa relação. Temos relatos de nossas aventuras postados aqui neste site. Seria um prazer ter sua avaliação. Leia e comente, ficaremos lisonjeados. Abç e Beijos Cesar e Jaqueline. NOTA DEZ!
06/04/2015 13:13:38
Adorei o conto. Vou por algumas coisas em prática em minhas futuras experiências
08/02/2015 11:39:53
Eu sou do Chile.. Tenho minha namorada mas sou um polatra doido por pés... Revisa minha historia... Um abraço
27/01/2015 06:31:20
Grande conto!
25/01/2015 15:05:47
Delicia de conto, Igor, muito bem escrito, rico em detalhes excitantes. Adorei. Só fiquei curiosa em saber qual seu sentimento em ver a tua Patricia dar o cuzinho para o Beto, algo que ela não tinha feito contigo. Percebi o teu tesão em vê-la com outro. Teve algum ciúme? É algo que ainda não entendi na cabeça dos homens. Algumas situações de vocês são parecidas com as minhas, como narrei em alguns contos. Nota dez para o casal. Beijos.
16/12/2014 11:53:50
Fantastico o conto, gostei de mais. Postei mais um capitulo da minha série, vai lá ler
10/01/2014 05:02:47
Sensacional sua estória. Creio que viver momentos assim vale muito a pena. De tanta porcaria que se Lê aqui, este foi um dos, se nao o melhor que ja li. Leia o meu "Amor entre meninas"
13/04/2013 11:42:37
Nao duvidem este conto e real
18/03/2013 19:44:28
Perfeito seu conto eu e meu noivo ja vivemos muitas coisas assim que relato em alguns dos meus contos mais enfim muito bom .
13/03/2013 00:00:57
show de bola. belíssimo relato e, de quebra o marido foi parte atuante e não humilhado como de costume
12/03/2013 23:10:23
Gostei, muito bom.
12/03/2013 22:36:07
Saio com casais há uns 15 anos ee adoro ser um amigo especial de um casal como vcs e gostaria de conhece-los. Meu email é marcodotadospreal@live.com e que também serve de MSN, caso usem para contato. Vamos conversar?
12/03/2013 21:23:18
belo conto, gostei!
12/03/2013 16:24:31
Sacanagem, tem de terminar, parece ser bom, precisa melhorar um pouco no português, mas estava indo bem.
12/03/2013 15:51:22
Um ótimo conto.Parabéns
12/03/2013 14:11:08
Conto fantastico. Imagino que tenha sido um tesao (ja vivi coisas parecidas).
12/03/2013 11:52:13
Eita coisa boa!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.