Casa dos Contos Eróticos

Minhas experiências #1

Autor: Joca
Categoria: Homossexual
Data: 22/01/2013 03:09:03
Nota 4.50
Assuntos: Homossexual, Gay
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Oi, meu nome é joão e agora vou relatar pra vocês a minha prineira experiência sexual (que eu me lembre). Foi a um bom tempo atrás, não me lembro em que série eu estava, mas lembro qye meu primo Pablo estava na oitava. Bem, tidos os dias depois a aula, eu Pablo e meu irmão mais novo Caique almoçavamos na casa de minha tia, e sempre depois do almoço nós iamos brincar na casa de baixo, que não morava ninguém. Pois bem, eu não lembro quando foi que isso começou a acontecer, mas meu primo Pablo vrincava comigo de certas coisas "indecentes" (se é que você me entende). A lembrança de um desses dias de brincadeiras indecentes que mais me marcou foi essa: haviam duas camas na casa de baixo, eu eatava sentado em uma e o Pablo estava deitado em outra, aí ele me chamou e falou assim:

- Quer brincar de massagista juquinha (meu apelido)?

- Quero! - respondi animado

- Então tá, sobe aqui na cama comigo.

Ele se virou de costas, levantou a camiseta, arriou as calças e a cueca e mandou eu sentar em cima da sua bundinha e massagear suas costas. Eu como bom primo obediente o fiz. Não tardou muito e ele mandou que eu descesse as mãos em direção a sua bundinha bramca e lisinha, eu obedeci, porém dessa vez as ordens foram diferentes:

- Aí Juquinha, passa os dedos pelo meio da minha bunda vai…

Eu passei o indicador de cima a baixo do seu reguinho suado e senti o corpo dele se arrepiar todinho.

- Aaaargh - protestei. - Ta molhado e fedorento.

Ele riu e mandou eu sair de cima dele porque nós agora iríamos brincar de médico.

Ele se virou na cama e revelou um pênis mediano de cerca de 15 cm, grosso e que aos meus olhos pareciam a maior coisa do munfo.

- Doutor é o seguinte. - começou ele. - Acontece que ha um tenpinho eu venho sentindo certas dores no meu piu piu e elas s aliviam depois de se fazer uma voa nassagem, o senhor acha que pode dar um jeito?

Eu na minha inocência fiquei sem ter o que responder, tudo que eu fiz foj deixar ele guiar minha mão até seu "enorme" carakho. Eu não conseguia fechar minha mão naquele belíssimo mastro, de modo que eu somente puxava sua pele com a ponta doa dedos, pra cima e pra baixo, pra cima e pra baixo. A cada vez que eu o fazia eu descobria algo novo em seu pênis, desde as bolinhas que não aei do que eram até aquele cheiro de macho que aquele caralgo exalava.

Eu continuei com is movimentos até que ele gozou. E como ele gozou! Cobriu toda a sua barriga gordinha somente com seu leite quente e ainda sobrou um bom bocado em meus dedos... Então de súbito e para meu nojo (na época) ele levou meus dedos a sua boca e limpou toda a sua porra que havia ficado lá, mas eu não o impedi, ele usou minhas mãos para limpar a pirra que ele havia se lambuzado e enquanto limpava com uma, com a outra ele bebia sua própria porra quentinha e que privavelmente era suculenta. Ele repetiu o processo mais duas vezes e me fez lamber da terceira, mas esta, foi no vanho.

Depois de um certo tempo (acho que duraram alguns meses) ele se formou e mudou de escola, sendo assim, ele não almoçava mais na casa de nossa tia, e eu, brincava sozinho.

Comentários

23/01/2013 03:07:31
Agradeço que tenha gostado amiho e tenho mais três histórias ora contar ainda e se os druses me ajudarem a melhor de todas pode acontecer semana que cem
BGG
22/01/2013 10:12:30
Estou gostando!!! Manda ver mais

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.