Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comendo a sogra! Minha mulher me ofereceu sua mãe!

Autor: PGostoso
Categoria: Heterossexual
Data: 25/10/2012 23:08:28
Nota 9.38
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sou Carlos, tenho 46 anos, e a história que vou contar tem co-participação da minha esposa Gina, que foi quem me incentivou a comer minha sogra. A Gina tem 40 anos, e a mãe dela Analú tem 62, uma coroa enxuta que dá um bom caldo. Mulata, tipo mignon, com uma boca sensual. Minha esposa sempre que encontra a mãe cumprimenta beijando-lhe os lábios, uma o da outra, tipo um selinho, confesso que sempre prestei atenção nisso, por ela não fazer isto com os outros filhos e por não ser realmente comum mãe e filha nesta idade se cumprimentarem assim. Acontece que há algum tempo venho dizendo para minha esposa que está na hora de me retribuir as regalias que lhe dou me liberando uma buceta e um cú para chupar e comer, tem algumas candidatas, que já disseram que minha esposa é um tesão com aquela bundona dela, mas a safada me confessou que sempre achou a mãe um tesão e que desde a adolescência bate siririca pensando na buceta da coroa. Disse que as vezes imaginou que isso era pecado, mas que amava a mãe demais. Disse para ela que pegado é prejudicar alguém e não amar, e que não via mal algum nela ter tesão pela mãe. Foi então que a Gina me liberou para pegar a sogra me dando todas as dicas. Me disse para ter conversas picantes e elogiar, o que não é difícil por ela ser realmente bonita e gostosa, e porque todas as vezes que eu dizia a ela que adora periquita e que não vivia sem uma e ela sempre dava risada. Minha sogra sempre fica uns dias aqui em casa, e algumas vezes ficamos só nós dois, foi aí então que a Gina bolou tudo, muita conversa e vinho que é o ponto fraco da mãe, que segundo ela fica alegrinha. Comecei a elogiar ainda mais a sogra e numa dessas ela acabou saindo do banheiro só de toalha, o que deixou meu pau arrebentando de duro. Minha esposa foi viajar e minha sogra foi passar uns dias em casa. Comprei uma pizza e um vinho bom e suave como ela gosta. Começamos a tomar o vinho e eu só fingindo e enchendo o copo dela, não demorou muito ela tava bem soltinha, até que percebi que ela já estava totalmente desinibida e pronto para o que seria uma das melhores noites da minha vida. Comecei a falar que amava muito a filha, e que amava e desejava demais, que não vivia sem imaginar a periquita da filha que eu adorava, e fui aumentando a intimidade e os detalhes até o momento em que disse que deixava a filha dela transar com outros caras. A velha ficou de boca aberta, ainda mais quando lhe falei que a filha me liberava para chupar outras bucetas se eu quisesse, mas disse-lhe que eu desejava apenas uma, nesta altura meu pau estava duro e escapando para fora da cueca, meu traje comum dentro de casa, mesmo na presença dela, e percebi que ela tinha notado o aumento do volume que eu deixei aparecer de propósito. Disse para ela que era nova ainda, e que deveria arrumar um namorado porque trepar fazia bem pra saúde e ela disse que não tinha pensado nisso, mentirosa, nesta altura já sabia muito bem o que eu queria e ela estava doida para que eu a atacasse. Foi quando levantei-me e ao passar por traz dela dei-lhe uma encoxada e percebi que sua respiração se alterou ainda mais, voltei e encochei de novo e a safada deu uma esfregada no que eu disse – a senhora e muito tesuda dona Analú – e ela ficou ali, só esperando. Falei perto ouvido que muitos homens deveriam desejar comer a sua buceta, e ela foi ficando toda molinha. Cai de boca no seu pescoço, virei-a de frente e beijei aquela boca, que minha esposa havia beijado tantas vezes, só que eu invadia ela com minha língua, e a coroa se entregava toda, como se nunca tivesse beijado. Comecei a esfregar os seu peitos, que esta com o bicões muito duros e todo arrepiado, e mamei um pouco em cada um. Voltei pra boca, e disse – que boca gostosa dona Analú que delícia – e fui escorregando a mão e levantando o vestido a caminho da buceta. Primeiro esfreguei por cima da calcinha que estava toda encharcada, puxei e esfreguei o elástico no grelo, ela só gemia, imóvel, me deixando fazer tudo. Meti a mão por dentro da calcinha e encontrei a mina de ouro, a buça tava toda melecada de tesão, mas não escorreguei o dedo pra dentro mesmo sabendo que era isso o que ela queria, fiquei brincando um pouco no grelo e depois levei ela para o quarto, onde eu comia a Gina todos os dias. Deitei ela na cama, olhei nos olhos e disse – GOSTOSA... HOJE VOU TE LEVAR AO DELÍRIO – ela sorriu meio inocente meio safada. – VOU FAZER COM VOCÊ O QUE FAÇO COM SUA FILHA ANALÚ. Deixei o dona de lado e comecei a mamar mais uma vez aquelas tetas. Fui descendo abri suas pernas e vi o que a Gina havia descrito, uma buceta enorme, desproporcional ao seu tamanho com um grelão entumescido se oferecendo para minha boca, soprei de leve e a coroa se contorceu, abri suas pernas e cai de boca, chupava como um morto de fome, parecia que eu nunca tinha chupado uma xoxota. Puxei suas pernas, encaixei nos meus ombros e chupei muito enquanto a sogra se contorcia e gozava na minha boca dizendo – GENRO NUNCA NINGUEM FEZ ISSO COMIGO, NÃO ASSIM, NÃO PARAAAAAA – mas eu parava só para ouví-la dizendo – EU QUERO MAIS CARLOS, MAISSSS. Ensinei a ela que deveria pedir para que eu lhe chupasse a buceta, o que ela fazia toda vez que eu parava um segundo. Foi então que falei para ela – DONA ANALU, NÃO VAI BRINCA COM SEU GENRO? NÃO POSSO FICAR NA SAUDADE, MEU PAU TÁ ESTOURANDO – ela pegou meio sem jeito na rola e eu fui ajudando a fazer os movimentos, - CHUPA MEU PAU ANALU, CHUPA MEU PAU – e ela me disse que nunca tinha feito isso. Respondi – NÃO TEM PROBLEMA AINDA DÁ TEMPO DE APRENDER. Segurei sua cabeça e tentei forçar na boca, a safada não abriu e comecei a bater em sua cara com meu pau que já estava todo melado, - VOU TE SURRAR COM A PICA NA CARA ATÉ APRENDER A CHUPAR. Acontece que ela estava gostando e enquanto batia em sua cara com meu pau meti um dedo apenas dentro da buceta, onde Analú gemeu gostoso e aproveitei para meter-lhe a pica na boca. Ela começou a chupar meio sem jeito e eu querendo que ela engolisse. De repente vi que a safada foi gostando. Fiz um 69, com certeza não sabia o que era, pelo jeito como agiu, mas gostou. AGORA VOU TE COMER VELHA SAFADA, TA TODA MELADA NÉ? Abri suas pernas pincelei o grelo e a entrada da buceta a ela pedir – METE EM MIM COMO FAZ COM A GINA, EU QUERO SENTIR – meti de uma vez só, sem dó, escorreu uma lágrima de seus olhos, segurei o pau lá dentro até que ela se acostumasse, afinal, era mais de dez anos sem levar rola na buceta. Comecei então a bater uma siririca pra ela, ao mesmo tempo que apertava seus mamilos bicudos um a um. E ela sem nenhum pudor começou a se remexer embaixo de mim e pediu – METE NA MINHA BUCETA CARLOS, ME COME, ME FODE! Eu não me fiz de rogado, e atendi seu pedido, judiei daquela buceta, enquanto falava – TOMA COROA, SENTE O PAU DO GENRO, QUERIA TE COMER FAZ TEMPO, SENTE O PAU DE UM MACHO DE VERDADE! REBOLA VADIA, REBOLA NO MEU PAU! E a safada só fazia gemer AAAAAAAAAAAAAHH HUMMMMMMM DELICIA, NÃO PARA CARLOS, COME SUA SOGRINHA, TO COM FOME DE SEXO! COMO VOCÊ É FORTE! É ASSIM QUE COME A GINA? ME FODEEEEEEEEEE CARALHOOOOOOOO COME MINHA BUCETAAAAAAA! EU SOU TODA SUA AGORA! Eu tava quase gozando, mas não podia, pois tinha prometido pra Gina que ía dar pra mãe tudo que ela não tinha há anos e o que nunca tinha tido também. Virei a vadia de quatro e antes de meter na sua buceta de novo chupei sei cú, adoro cú, e ameacei colocar o dedo, ela fugiu. Antes de foder a buceta novamente dei mais um pouco de vinho, e soquei fundo, as vezes deixava escapar e forçava um pouco no cú, onde a sogrinha fugia, mas quando ela começou a implorar pra eu gozar dentro dela, lubrifiquei seu cú e coloquei a cabeça, que é grande, e gritou FILHO DA PUTA, AÍ NÃO, NUNCA FIZ ISSO E NÃO VOU FAZER! Eu lhe disse que a Gina adorava, e não tirei a cabeça, fui metendo o pau devagar alisando a buceta. De repente estava tudo lá dentro, e ela rebolou gostoso, tirei o pau, coloquei minha sogra de frango assado pincelei de novo o bucetão e voltei a foder o cú. Fui colocando e olhando ela nos olhos, que agora não tinha nenhum pudor e se contorcia toda me oferecendo o cuzinho de amora. Nunca tinha chupado uma buceta mulata, e não sabia que era tão gostosa. Aquela mulata safada, minha sogra, me comendo. Comecei a esfregar o grelo enquanto metia no cú, e as vezes também colocava o polegar dentro da buceta toda melada e que não parava de gozar. AH CARLOS, COMO ISSO É BOM MEU FILHO, AGORA VOCÊ É MEU FILHO, E VOU TE BEIJAR DE SELINHO TODA VEZ QUE TE VER, IGUAL BEIJO A GINA, SÓ NÃO PODE SER NA FRENTE DELA. Então eu vi que esta era a hora certa, a sogrinha já era minha putinha e ía rebolar na minha boca sempre. ANALU, A GINA SABE QUE EU ESTOU TE COMENDO! FOI IDÉIA DELA, COM DÓ DE VER UMA MULHER TÃO GOSTOSA SEM PAU POR TANTO TEMPO. ELA TE AMA, E QUER MUITO BEM. TOMA SAFADA! TOMA NO CÚ! A GINA FALOU QUE VOCÊ ÍA ADORAR! SUA VADIA, SAFADA, VAGABUNDA, RAMPEIRA, PIRANHA, TOMA PAU NO CÚ! Eu entrava e saía daquele rabo como um animal fodendo uma cadela. E a sogrinha rebolava com meu pau no cú e o dedo na buceta. AH CARLOS, A GINA É MUITO BOA EM TE DIVIDIR COMIGO, NEM SEI COMO AGRADECER. GINAAAAAA EU TÔ FODENDO COM TEU MACHO, SOU A PUTA DELE AGORA. METE CARLOS, METE NO MEU CÚ. Isso sogra, é só beijar a filha mais demorado e passar a língua ela vai entender, e vai retribuir. TOMA SOGRA, TOMA PAU NO CÚ VADIA DO CARALHO, EU SABIA QUE TINHA UMA PUTINHA ESCONDIDA! AIIIIII QUE BUCETÃOOOOOO! QUE CÚÚÚÚ, E EU TIREI SEU CABAÇOOOOOM, VOU TE DEIXAR TODA ARROMBADA, VOU TE ARREGAÇAR CARALHO, VOU TE DAR O QUE MERECE SUA VADIA, MUITO PAU E MUITA PORRAAAAA, AGORA VOU TE COMER QUANDO EU QUISER! VOU GOZAR NO SEU CÚ, SE PREPARA! E a Analu muito safada como eu imaginei que era disse - GOZA CARLOS, ENCHE MEU CÚ DE PORRA COMO VOCÊ FAZ COM A GINA, DEPOIS ME CHUPA SEU TARADO, GOZA NO MEU CÚÚÚÚÚ, EU QUERO PORRA CARALHO! VOU GOZARRR, VOU GOZARRR TAMBÉMMM AAAAAHHH Cada vez que chamava a piranha de vadia, vagabunda aí que ela rebolava e pedia mais, naquela noite gozei muito na dona Analu, no cú, na buceta e depois ensinei ela beber o leite direto da rola, como a Gina gostava. E falei pra ela que agora ela seria minha namorada, minha puta, e que eu iria comer ela toda vez que eu quisesse, pois agora eu era dono da buceta da Gina e da buceta dela.

Depois daquela noite, fodo a sogra sempre, as vezes no carro, meto os dedos na buceta dela e chupo para sentir o cheiro e o sabor. Fodemos muito quando a Gina viaja ou mesmo com a Gina em casa, que as vez está na sala assistindo TV e eu no quarto mandando ver na mãe dela. A dona Analú, é assim que a chamo quando estamos na frente dos outros, e quando sozinho e Lú, provou pra filha o quanto a ama chupando e deixando-se chupar pela Gina, mas esta história de ménage à trois e dos planos de dividir ela com outro macho junto com a Gina é para outra oportunidade.

Comentários

27/09/2013 22:38:43
Realmente todas PUTAS! Bom conto, mas me parece fantasia. Tudo bem, Vale pela putaria!
23/02/2013 10:23:08
Quando quiser mais um cara para dar um trato na sogra e participar a quatro pode me chamar
29/10/2012 11:31:31
Feliz de você, Carlos, tendo uma esposa compreensiva e uma sogra tão deliciosa. O conto está muito excitante. Adorei. E se não tive preconceito com incesto, dê uma lida nos meus contos. Para achá-los, é só dar um clique encima do meu nome. Beijos.
28/10/2012 11:30:38
bom...
27/10/2012 18:37:18
Caraca! muito boa essa Sogra!
26/10/2012 08:51:06
Uma sogra gostosa há dez anos sem transar? Hum...
26/10/2012 00:55:11
Hummm!! Que genro gostoso e que sogra mais puta??? Leia os meus contos tb. Querido!! Vai amar!!
25/10/2012 23:10:20
Essa sogra é boa mesmo, também quero tirar um sarro com ela.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.