Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comendo a Crentinha Casada

Categoria: Heterossexual
Data: 09/09/2012 22:58:33
Nota 9.57
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bem amigos, mais uma vez vou narrar mais uma das aventuras que vivi.

O que vou contar agora aconteceu há uns 2 anos atrás, quando criei minha conta do Facebook.

Nessa época por tristes razões eu não estava bem no meu casamento, então acabava passando muito tempo na Internet conhecendo pessoas.

Certo dia navegando na Internet, adicionei alguns contatos. Entre eles a Débora. Apesar de frequentarmos a mesma igreja, eu ainda não a conhecia. Ela tinha cerca de 30 anos, era uma mulher muito bonita, loira, cerca de 1,65 de altura, belas pernas, cintura fina e seios durinhos.

Seu marido também era um senhor bem conhecido na igreja, mas isso não importa.

A princípio, nem tivemos tanto assunto, pois o que rolava era apenas assunto sobre coisas da igreja. No entanto, com o tempo ela começou a falar sobre sua vida pessoal. Consequentemente, com o tempo o assunto começou a esquentar, onde eu comecei a prestar mais atenção em seu corpo e jeitinho.

O tempo passou e continuamos conversando, mas sem rolar malícia, já que ela poderia abrir a boca e daria merda na certa.

Um dia, ela falou que seu computador estava travando e como sabia que eu trabalhava com informática me pediu ajuda. Claro, como um bom amigo, me prontifiquei na hora e combinei um dia para ir na casa dela.

Como estava muito calor, falei brincando: já pensou se eu chego aí em sua casa e te vejo de saia? vai ser difícil efetuar a manutenção e olhar suas pernas bem torneadas, né?

Ela deu um gostoso sorriso e falou: "deixa de ser bobo"!

Para minha surpresa quando cheguei lá ela estava vestida exatamente como comentei. Isso é: com uma camisa típica de crente (até o pescoço), mas de saia, como eu havia comentado.

Era uma saia com o pano fininho, o que deixava seu corpo bem definido.

Comecei a fazer a atividade de manutenção, mas como estava muito calor, perguntei se ela poderia me dar um copo d água. Ela me chamou na cozinha e ela me deu água. Enquanto isso, continuamos a falar sobre nossas conversas sobre religião.

Olhando para ela, comecei a me excitar, imaginando coisas malucas. Nisso, meu pau começou a ficar duro e eu tentei disfarçar, mas ela acabou percebendo minha excitação.

Eu notei que ela ficou embaraçada com a situação, pois já se perdia nas palavras, mas começou a dizer que eu era um cara super bacana e que ela me curtia muito.

Eu falei que ia voltar para a sala para terminar minha atividade, pois imaginava que a limpeza automática já estava sendo finalizava. ela completou dizendo: "é melhor, pois certas coisas devem ser evitadas".

Quando eu comecei a a caminhar para a porta, quando fui subitamente puxado pelo braço e sem falar nada ela me deu um abraço forte, dizendo: "você acha que eu armei esse encontro a toa? Eu não vou deixar esse moreno gostoso sair da minha casa sem ao menos eu tentar lhe dar um beijo" e completou me beijando.

Surpreso e sem saber como reagir, pois fui pego de surpresa eu falei: "Você não deveria ter feito isso, pois sou um cara casado e você também". Ela ficou sem graça e disse: "Me desculpa, eu não resisti, é que meu esposo só me procura 1 vez por mês, mas não quero confusão. me desculpe mesmo".

Eu falei - tudo bem, eu te entendo. Você é uma mulher muito bonita e eu também estou super atraído por você, mas quero que pense nas consequências e tome uma decisão correta, pois se rolar, não quero que você se arrependa depois.

Ela disse: Eu sei. Vou pensar com carinho.

Nessa eu dei um beijo nela, um tapinha na bunda e fui para a sala.

Terminei meu serviço e fui embora.

Po, depois que saí de lá bati uma punheta muito gostosa pensando nela, imaginando como seria se tivesse feito amor com ela. Ao mesmo tempo fiquei me chamando de otário pra baixo, por ter deixado passar a oportunidade.

Alguns dias se passaram e novamente eu a encontrei na Internet. Dessa vez eu a cumprimentei perguntando se ela havia pensado no assunto e ela me respondeu agradecendo: "Puxa, você foi muito gentil comigo. Depois que você foi embora, me masturbei gostoso, mas quando passou aquela euforia imaginei o tamanho da besteira que íamos fazer".

Antes de eu falar algo ela completou: "Ao mesmo tempo que coloquei os pés no chão, fiquei imaginando como seria se fizéssemos amor. Fiquei feliz, pois vi que você ficou realmente com tesão, mas lutou para não me ver decepcionada".

Eu complementei: "É... eu não curto só sexo. Se rolar, quero que seja algo a mais, que tenha química".

Continuamos a conversa e ela me prometeu: Você vai ver se algum dia rolar!

Eu completei: Você que não sabe o tesão que eu senti, mas tudo bem. Se algum dia rolar, você vai ver o que eu vou fazer.

Um dia, fazendo uma seleção de novos funcionários na empresa, imagina quem veio? A Débora!

Nesse dia estávamos apenas eu e a secretária. Como eu quem estava fazendo a seleção, fui atender em minha sala e quase desmaiei quando ela entrou.

Ela estava trajando uma saia que mostrava bem suas pernas, uma blusinha branca com um lindo decote, sandália de salto alto e estava maravilhosa.

Eu a atendi e perguntei porque ela tinha ido Lá. Ela então me respondeu: Não vai me convidar pra entrar? Confesso que fiquei sem ação, mas a convidei pra entrar e fechei a sala.

Ela entrou se sentou e começou a me falar: aquele dia que você fez aquilo, não deveria ter feito, pois também sou casada e não quero confusão pra minha vida. Eu a interrompi e perguntei: Então por que você veio aqui? Ela não falou nada, mas seu olhar me disse tudo. Me sentei ao seu lado no sofá em sem nada dizer comecei a beijar seu pescoço.

Seu perfume era delicioso, o cheiro de seus cabelos me enlouqueciam. ela começou a se entregar, gemia baixinho e começou a falar: Eu não devia fazer isso, mas não consegui aguentar, pois você me deixou maluca conversando comigo no Facebook. Foi o único cara que me conheceu como sou em toda a minha vida!

Comecei a beijá-la, fui descendo pelo seu corpo ao mesmo tempo em que a deixava nua, quando tirei sua roupa toda fiquei parado observando sua beleza, pra minha surpresa sua buceta era raspadinha, sem nenhum pelinho.

Voltei a beijá-la e fui descendo pelo seu corpo, até parar em seus seios que chupei muito fazendo-a gemer de tesão.

Nesse momento, caí em mim e me lembrei que estava no escritório. Nessa hora liguei para a secretária avisando que entraria em reunião com a Débora e tranquei a porta.

Após fazer isso, voltei a abraçar a minha loira gostosa. Fui descendo mais e cheguei até sua buceta, então cai de boca, sugando cada ml de seu líquido saboroso.

Ela gemia baixinho pra ninguém ouvir e me dizia que seu esposo nunca havia feito daquela forma com ela.

Eu sentia sua respiração mais ofegante, seu corpo trêmulo e ela acabou gozando gostoso na minha boca, soltando um grito que quase deu para a secretária ouvir lá de fora.

Me levantei e tirei minha roupa toda, ela ficou espantada com a grossura de meu pau e falou: "Por isso que eu queria você. Eu sabia que você tinha um pau grosso".

Perguntei se ela já tinha feito sexo com muitos homens antes e ela disse que só com o marido. Na hora eu não acreditei, mas com o tempo eu vi que era verdade.

Perguntei se ela curtia sexo oral e ela falou que não, perguntei se ela queria experimentar, ela então desajeitadamente colocou ele na boca e eu fui ensinando o que ela deveria fazer.

Mesmo ela não tendo muito jeito, foi gostoso sentir seus lábios macios e molhados em volta do meu pau; pra não assustá-la, quando vi que estava quase gozando pedi pra ela parar e gozei nos seios dela.

Depois disso abri bem suas pernas e fui por cima dela (sou tarado pela posição frango assado). Nem precisei fazer muito esforço pra encaixar meu pau dentro da buceta dela, pois ela estava muito molhada. Só de encostar meu pau ele já deslizou e entrou a cabeça tranquilamente. Como ela não estava acostumada com uma ferramenta como a minha, ela soltou um gemido acompanhado com um urro, pois ela não podia gritar.

Após ela acostumar com a cabeça da minha pica, eu comecei a foder devagar, pois estava muito apertado. Enquanto eu falava coisas gostosas aos seus ouvidos, acariciava seus deliciosos seios.

A Débora rebolava querendo engolir tudo e me dizia coisas como: "que delicia, quero gozar gostoso, quanto tempo não sei o que é um pau de verdade", etc, etc, etc.

Como percebi que ela se soltou, fui aumentando o ritmo das estocadas. Quando vi que ela iria gozar, tirei o pau na hora e fiquei acariciando seu grelinho e passando um dos dedos no seu cuzinho.

Ela me apertou com tanta força que até me machucou. Gozando abundantemente no meu dedo.

Nessa hora eu percebi que ela estava há muito tempo carente mesmo e fiquei com mais vontade dela.

Como eu também estava com muito tesão, falei que queria mais, mas dessa vez eu ia fazer do jeito que ela merecia.

Nessa hora eu deitei e pedi pra ela vir por cima de mim. Ela subiu e começou a engolir ele devagarzinho, até até não sobrar mais nada.

Quando eu vi que entrou tudo, eu a virei e fui por cima. Nisso comecei a bombar com força naquela crentinha safada.

Ela na hora começou a se soltar e pedia para eu enterrar tudo e gozar gostoso no fundo da buceta dela, pois queria sentir minha porra quente. hmmmm, que delícia, claro que fiz como ela ordenou!

Eu fiz rápido, atolando a pica e tirando tudo, mas continuei fodendo sem gozar. Instantes depois ela falou pra mim: "eu não aguento mais, vou gozar de novo". Nessa hora eu segui o ritmo dela e gozei fundo naquela xota, gozando junto com ela.

Depois disso conversamos bastante, ela me falou mais sobre a vida íntima e disse que queria ser minha amiga, mas também amante e que teria de ser sem cobranças, pois ela era casada e tinha um nome a zelar.

Claro que eu concordei, dizendo que queria muito transar com ela mais vezes, e isso aconteceu mesmo e muitas vezes, eu transei com a Débora durante mais de 3 anos.

Até hoje quando dá vontade, ligo, agendo e fazemos no meu escritório, no motel e na casa dela, onde vou fazer visita técnica.

Durante esses anos eu a iniciei no sexo anal, ela se aperfeiçoou no oral (ela era muito ruim no oral - hoje posso dizer que de todas as mulheres que já tive, ela é a que chupou mais gostoso).

Ultimamente não temos nos visto tanto, pois ela mora em apartamento e cuida dos filhos em tempo integral, mas guardo muitas boas lembranças de todos os momentos de prazer que vivemos.

Se você é casada, solteira e quer ter bons momentos de prazer sem cobrança, entre em contato comigo no email marcelinhosurfistasp@gmail.com

Se você gostou da publicação, deixe seu comentário!

Comentários

07/12/2014 14:43:53
bom muito bom rs
30/12/2012 20:02:39
Conto super-excitante! Eu gostaria de conhecer alguma crente safada de Recife e arredores. Dessas de cabelos super-longos e que queiram ir pra um motel em vez da igreja pra trair o marido que se acha garanhão e fica colocando chifres nela em vez de acompanha-la na igreja. Levo pra motel luxuoso e deixo ela ligar pro corno enquanto sugo sua xota. Caso haja interessadas contato em dartos@operamail.com
24/12/2012 19:00:32
Olá Nildo456, passo sim. É só me passar alguns contatos de amigas suas que te passo de amigas minhas. Abraço.
24/12/2012 09:53:02
eu adorei pode me da o contato della nil.do81@hotmamil.com vou adora conhecer ela
13/09/2012 16:20:23
muito bom.. conta mais sobre essa safada !!!!
10/09/2012 11:17:19
Olá Rubia, fico feliz que tenha gostado! Vi a mensagem que vc escreveu sobre o cunhado. Ele é um cara de sorte. Por ter uma mulher gostosa como vc que após 5 anos tem o mesmo tesão.
10/09/2012 11:12:52
Um que delicia!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.