Casa dos Contos Eróticos

Feed

A primeira vez que ela bateu pra mim no prédio

Autor: Cabidao
Categoria: Heterossexual
Data: 03/07/2012 22:09:21
Última revisão: 07/07/2012 16:23:35
Nota 7.25
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu batia punheta pra ela todos os dias... Era uma coisa loka... Só que ela meio que não sabia... Era minha vizinha de frente, chamava bianka e toda a vez que a gente ia pra piscina do prédio, ela usava uma blusa coladinha que me deixava doido. E pra completar a minha sessão punheta, ela ainda teve a coragem de dizer:

- Vc ta mais fortinho.... Mmmmmmm isso me dá coisas...

Claro que ela disse isso longe da mae dela, que era toda neurótica... Mas o bom é que ela já tinha 18, e uma cara de sem vergonha.

Um dia minha mae durmiu fora de casa... Foi a primeira vez que fiquei sozinho no prédio... Já sabia a hora que ela voltava da piscina e tava pra dar seis horas da tarde... Foi aí que montei minha estratégia. Eu não tinha um corpo bonito, era mais novo, e na piscina ela já tinha falado que gostava de caras mais velhos e experientes... Sabe como é né? Conversa vai, conversa vem... Ela começou a contar umas coisas, eu contei outras, aí minha mãe sempre me chamava pra comer... mas eu não queria comida... queria a bianka...

Aí chegava em casa e delirava naqueles peitos rosadinhos escondidos no sutiã vermelho, sempre apertadinho, e me acabava na mão... minha mão ficava encharcada de gozo... úi... mas por ela valia

Eu percebi que meu pau ia aumentando a cada punheta que batia, mas não sabia como fazer pra acabar com aquela seca. E quando usava a sunga, ficava aparecendo o volume. A bianka não era santa não... vire e mexe quando olhava pros peitinhos dela, ela olhava pra ele e fazia uma cara de safada... e depois fazia um elogio besta do tipo:

- Nossa... ta fazendo academia... ta mais fortinho!

Bom, foi ai que minha mãe teve a brilhante ideia de ir para a casa da minha avó, e me perguntou se eu não queria ir... Eu disse que não, estava calor e eu queria curtir a piscina... E dei a sorte da bianka ficar sozinha no prédio... Decemos pra piscina e ela estava mais gostosa do que nunca... Geralmente ficava a tarde inteira com ela lá, mas como não era bobo nem nada, esperei a mãe dela se despeir e logo perguntei:

- Sua mãe vai sair, vc não vai com ela?

- Não... meu padrasto foi trabalhar mais cedo e ela tem que pegar dois ônibus pra chegar lá...

Tinha que pensar em alguma coisa bem rápida... Subir! Era isso, inventei uma desculpa sem pé nem cabeça e subi... Disse que voltava logo. Quando subi, contive a punheta e observei ela da janela... rezando pra ela subir também... E deu certo, acho que sentiu minha falta! No que vi ela saindo da piscina, logo tirei a sunga e me enrolei na toalha, abri a porta e fiquei do outro lado da parede sem que ela visse.

Já disse que a biankinha morava na frente de casa, né? E quando ela subiu, viu minha porta aberta e veio na direção da minha casa... Eu já estava do outro lado da parede e meu pau bem elevado na toalha. Ela não precisou nem chamar. Eu lembro que ela estava com um shortinho bem grudado:

- Deixou sua porta aberta!

- Eu já ia fechar, valeu... - Abri a toalha e e tentei esconder - opa...

Ela começou a rir:

- Nossa!

Não é por nada não, mas meu pau quando fica daquele jeito fica grande... Ela não parava de rir...

- Que foi?

- Nada... fecha a porta ta bom...

Quando ela ia saindo, eu disse:

- bianka, me ajuda aqui... - peguei a mão dela e logo vi a tremida que ela deu

- É por isso que deixou aberto, né seu safado - e começou a bater bem devagar... - É cabacinho ainda... tem pouco pelo - e continuou batendo... - Mas eu não tiro cabaço de pivete, não... já te disse isso!

- Então continua assim mesmo...

Deu um beijo nela... fui em direção a minha porta e tranquei... E ela bateu uma punheta deliciosa pra mim:

- Vou te ensinar uma coisa que você vai gostar - agachou e disse - Já que é grande, tem que saber usar direito - desceu a boca nele... Puts, lembro como se fosse hoje ela enfiando a boca e tirando... - Tenta segurar o máximo, quando não der vc me avisa... - E foi batendo e chupando... Eu tava no lucro, não pensava em nada... não conseguia pensar em nada... parecia que meu pau ficava maior na boca dela... - bia...

Como se ela já entendesse... tirou a boca e começou a bater muito forte pra mim, beijou o meu ouvido e gritou:

- AGORA GOZA... GOZA... GOZAAAA.

Aí eu não aguentei e lambuzei a entrada da minha casa de gozo... Depois de ver eu gozando feito um doido, ela levantou e disse:

- Segredo nosso, ta bom? Limpa tudo direitinho! - e saiu pra casa dela

Eu fiquei sem acreditar naquilo... Botei a sunga de novo e depois peguei um pano e um chero lá que minha mãe usa pra limpar o chão... Fiquei tres dias sem tomar banho pra sentir aquela mãozinha macia pegando no meu pau aos poucos... Foi a melhor punheta da minha vida... mas eu não ia deixar barato não, ela que me aguardasse

Comentários

05/07/2012 10:49:46
O banho só usei como estratégia... Queria que ela subisse de qualquer modo pro meu apartamento
04/07/2012 15:15:16
O conto foi bom, mas não entendi a parte do banho! nota 7

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.