Casa dos Contos Eróticos

Dessa vez, com o açougueiro

Autor: Eliane
Categoria: Heterossexual
Data: 07/04/2012 02:09:46
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Muito bem, como muitos devem saber, adoro dar umas escapadinhas, conhecer homens diferentes, aprender um pouco mais... Tinha saído com meu marido pra comer um pastel numa barraca muito boa que descobrimos. Bem em frente essa barraca tem um mercado e mulher, sabe como é, não pode ver um shopping ou um mercado que sempre se lembra de alguma coisa pra comprar. Pois bem, comemos o pastel e fomos no mercado. Chegando lá, fomos até o açougue e tive uma bela surpresa com quem nos atendeu. Era um homem de mais ou menos uns 35 anos, 1,85 m, moreno, um homem de verdade! Meu marido tem 30 anos, deve ter + oum, meio gordinho... É um amor de pessoa, mas quando vejo um Homem desses, fico de pernas bambas. Então, ficamos na fila do açougue até que chegou a nossa vez. Tomei a frente do meu marido. Ele até estranhou, pois é ele que sabe escolher as melhores carnes. O açougueiro perguntou:

-Pois não, em que posso servir?

Respondi olhando fixo pra ele:

-Quero a carne mais saborosa que você puder me dar!

Ele meio desconcertado disse:

-A picanha está muito bonita, moça. Quer dar uma olhada?

-Claro!

Everton (meu marido), disse baixinho:

-Você ta dando na cara. Todo mundo ta percebendo que você ta dando em cima do açougueiro.

-Desculpa amor! Não resisti. Vou me comportar.

Nisso o açougueiro veio trazendo a carne que pedi e eu já muito comportada disse que estava ótima e que eu ia levar. O açougueiro empacotou a carne e entregou em minhas mãos com um sorriso, agradecendo.

Já estávamos quase na saída do mercado quando eu parei e disse pro Everton:

-Vai lá e leva meu telefone pra ele!

Ele disse:

-Tá louca? Ele viu que você é minha esposa.

-Você não gosta de ser corno, então, eis a sua chance de ser mais uma vez.

Anotei meu numero num papel e Everton foi lá. Em instantes ele voltou meio emburrado. Perguntei o que foi e ele disse:

-Falei pra ele que você tinha pedido pra entregar pra ele e ele riu na minha cara. Disse que tinha percebido que minha mulher tinha gostado dele.

Não aguentei e ri também do meu corninho, mas, depois acalmei ele.

No dia seguinte, recebi a ligação que eu estava esperando. Nossa, que voz era aquela... Combinamos de nos encontrar a noite, depois que ele saísse do trabalho. Ele só impôs uma condição. Que meu marido fosse me levar e me entregasse nas mão dele. Eu disse que tudo bem.

A noite, me produzi toda com um vestido novo que ganhei do meu marido, que tem muito bom gosto pra me dar presentes. Era um vestido curtérrimo ,do jeito que ele gosta que eu use. Tenho um bumbum bem avantajado e isso faz co que minhas roupas fiquem ainda mais curtas.

Chegamos no local combinado, perto do mercado e lá estava ele: calça jeans camisa por dentro, estilo cawboy. Ele realmente era um gato! Fui de mãos dadas com meu marido até onde ele estava e disse:

-Como combinamos, estou aqui. Você vai me pegar das mãos do meu marido.

Nem acabei de falar ele me puxou pela mão e me agarrou, me dando um beijo de tirar o fôlego. Ele olhou pro Everton e disse:

-Vou levar ela pra mostrar como um homem de verdade faz!

E me segurando pela cintura foi me levando pro carro dele. O Everton ficou ali parado, sem ação. Mas é disso que ele gosta. Que me peguem de jeito! Entrei no carro do sujeito que me levou pra casa dele. Chegando lá, me levou pra sala e ali mesmo ele me mostrou como um homem de verdade faz. Que delícia! Me fez chupar aquele pau enorme como nunca ninguém fez antes. Ele me segurava pelos cabelos e só não me chamava de santa. Ele quase me virou do avesso! Me fez gozar como uma louca e gozou na minha cara duas vezes. Lá pelas duas da manhã ele foi me levar embora e pediu pra subir no meu apartamento. Como já era tarde, achei que não tinha problema e que nenhum vizinho veria, então subimos. No elevador ele disse que queria que meu marido tivesse visto o que fizemos e será que ainda estava em tempo. Quando entramos, Everton durmia no sofá e ele disse: -Eis a minha chance. Foi me empurrando e me fez sentar no sofá ao lado do Everton. Colocou aquele pau enorme pra fora e me fez chupar novamente. Everton acordou e parecia não acreditar no que estava vendo. Chupei-o até que ele gozasse em minha boca e sem dizer nada, somente com um sorriso no rosto, ele se ajeitou e foi embora. Meu maridinho meio atordoado perguntou o que tinha sido aquilo e eu respondi:

-Isso foi só uma demonstração do que essa delícia fez comigo!

Ele me levou pro quarto e me beijou demoradamente e disse em um tom bem terno que eu estava com gosto de porra na boca, mas que era pra eu descansar, pois não devia ter sido muito fácil saciar aquele cara.

Eu sorri e disse: -Eu amo você, meu corninho manso!!!!

E muuuuuuuito satisfeita, adormeci nos braços do meu corninho...

Comentários

07/04/2012 21:10:13
Passa o endereço deste mercado. srsrsrsrsrsr
07/04/2012 13:37:37
olá me add no msn amiga silvio.neri1970@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.