Casa dos Contos Eróticos

Feed

Negão Enorme

Autor: Aninha
Categoria: Heterossexual
Data: 26/03/2012 00:10:21
Nota 9.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, vou me denominar como Ana. Irei contar o que aconteceu comigo no ultimo final de semana. Estou escrevendo porque não tive coragem de contar para ninguém, nem mesmo para minha melhor amiga (Claudia), mas como tenho que desabafar, irei contar aqui no site.

Me chamo Ana, tenho 27 anos, 1,70m com 65 Kg. Sou branca, olhos castanhos, peitos médios e um bumbum que adoro. Todos os meus namorados sempre elogiaram. Sempre que saio na rua, sou elogiada por ele. Acredito ser bonita, pois, minha mae já foi "garota bonita" na cidade onde morou e sou bem parecida com ela. Pois bem, tenho meu noivo, engenheiro, muito bonito. Eu o amo, mas o que aconteceu comigo, nao me perdoo por ter traido, mais foi tao especial, que nao podia deixa a oportunidade passa.

Sou formada em economia e trabalho em uma empresa com sede na Inglaterra. No ultimo final de semana, ouve um bremi store da minha empresa em Sao Paulo. Lá, apareceram pessoas de todas as filiais. Brasil, Inglaterra, India e Japão. Foi otimo o evento. Comigo, foram mais 2 amigas. Claudia e Lorena. A Lorena tem a minha idade. Já a Claudia, mais velha com seus 40 anos, uma pessoa muito divertida e bem despojada. Sentamos no auditório para assistir as apresentações e palestras dos colegas de empresa em outro paises. Todos muito bons. Claudia por ser despojada, e Lorena por acabar de se separa, estavam todas muito "para frente". Toda hora, Claudia me cutucava mostrando os colegas de serviço. Digo que tinham muito homens lindos lá.

Em uma determinada hora, subiu ao palco para a palestra, um colega da Inglaterra. Moreno alto com seus 1,85m, corpo aparentemente atlético, cabelo bem cortado com cavanhaque e olhos castanhos claro. Muito lindo ele. Na mesma hora em que ele deu bom dia para a plateia, Claudia me cutucou e me disse: "Dizem que os negros ingleses tem um pau enorme". Ri bastante na hora, mais depois, comecei a reparar nele e fiquei imaginando o tamanho que seria.

Todas as vezes que assistia filmes pornô com meu noivo, sempre reparava no penis dos atores. Em sua grande maioria, todos apresentavam pau enormes e grossos. As atrizes fazem uma cara de tesao que sempre tive vontade de sentir um daquele tamanho me penetrando. Quando era adolecente, pegava as bananas e os pepinos que meu pai comprava na feira, vestia camisinha nelas e enfiava em minha vagina. Era só olhar para as bananas que sentia um tesão danado. Achava uma delicia.

Fiquei olhando para ele no palco e nao conseguia consentrar em mais nada. Claudia me chamou a atenção para uma coisa que sempre foi minha tara quando adolecente, mas nunca tinha experimentado. Ao mesmo tempo que que imaginava o tamanho do pau o Jhon, nome do responsavel pelo financeiro da matriz na Inglaterra, comecei a lembrar quando me masturbava com as frutas quando era adolecente.

No segundo dia do evento, após todas as palestras, a empresa pagou para os funcionarios um restaurante de frente ao Morumbi shop em Sao Paulo. Quando chegamos, ao meu lado sentou o Jhon. Nos apresentamos e começamos a conversar sobre varios assuntos. Sempre quando me dava espaço, tentava olha para sua calça para ver se conseguia ver o tamanho do seu pau. A cada vez que tentava olhar, mais exitada eu ficava. Imaginando aquele pau dele, fiquei molhada. Estava com um vestido com saia rodada, e toda hora, tinha que cruzar as pernas para tentar acalmar minha vagina. A hora foi passando, os chops foram descendo e todos estavam muito bem.

Nas duas vezes que peguei o Jhon olhando para mim, reparei que ele olhava para meus seios e quando fui ao banheiro, reparei que olhava para minha bunda. So de saber que ele estava se interessando por mim, me exitava mais. Fiquei com aquele ar suspenso de como seria o pau daquele moreno. Fim de noite, fomos para uma boate. Claudia, Lorena, Eu Jhon e outros amigos fomos curtir a noite. Jhon era casado e com dois filhos. Em uma hora que fomos ao banheiro, Claudia disse bem perto do meu ouvido: A dança está esquentado. Aproveita que seu noivo está longe. Na hora gelei toda. Sabia que Claudia tinha reparado no afair que estava rolando entre Eu e Jhon. Fiquei mais excitada quando ele me pegou e começamos a dançar. É claro que ele estava todo duro, mas quando enfiou sua perna entre as minhas, fiquei tao molhada que senti minha calcinha ficar encharcada.

Final da noite, fomos todos para o hotel. Por coinsidencia, Jhon estava no mesmo andar que eu. Ele despediu de mim na porta do meu quarto, e ficou me olhando enquanto eu abria a porta.Na quela hora, minha barriga ja estava gelada. Quando consegui abri-la, ele aproximou-se e me deu um beijo no rosto, dizendo boa noite. Na mesma hora que senti nua mao passando em minhas costas, o tesão voltou. Peguei ele pela lapela do blaizer e logo o beijei. Aquilo foi como ir no paraiso e voltar. Nos beijamos por um tempo. Quando ele me precionou contra a parede, senti aquele seu pau me cutucar na sintura. Aquilo foi o maximo que podia resistir.

Puxei ele para dentro do quarto. Enquanto me beijava, sentia aquela mão grossa e grande passar em minhas costas e meu quadril. Ao mesmo tempo de me alisava, me beijava no pescoço e me davam mordidinhas no ombro. A cada vez que eu forçava meu quadril contra o dele, sentia sua ferramenta ficar cada vez mais dura. Perdi totalmente o controle. Ficamos de pé na porta do quarto. Sem pensar um minuto, tirei seu blaizer e sua blusa. Sou porte atletico me deixou com mais tesao ainda. Barriga de tanquinho, peitoral definido, cheiroso e com uma pegada que fiquei louca. Depois de alisar seu peito e sua barriga, ele tirou as alças de meu vestido. Fiquei somente de calcinha e sutian. Ele começou a me beijar do pescoço até os meus seios. A cada vez que sentia aquela lingua em meus mamilos, minha vagina até pulsava de tensao. Quando ele enfiou a mao na minha bunda por dentro da calcinha, passei minha perna esquerda em seu quadril. Pela primeira vez, sentia aquele volume bem perto da minha vagina. Senti o volume tao duro, que fiquei precionando minha vagina contra o pau dele por cima da calça jeans que usava. Quando ele efiou a mao dentro da calcinha, já alisando minha vagina, fiquei louca. Tirei seu sinto, abaixei suas calças e pelo volume na cueca, já via o que me esperava.

Minha primeira reação foi passar a mao por cima da cueca. Senti aquele pau enorma na palma da minha mao. Enquanto me beijava o pescoço, alisava e apertava aquele pau por cima da cueca. Entao ele me pegou e me virou de costas. Enquanto alisava meus seios e me beijava a nuca, relava minha bunda naquele volume que estava louca para sentir. Lembrei da minha adolecencia na hora. Só que agora, estava prestes a realizar um fetiche que sempre quis. Sentir um pauzao dentro da minha bucetinha.

Nao aguentei muito, fiquei de joelhos na sua frente e comecei a morder seu pau por cima da cueca. Nao acreditava que estava diante de um pau tao grande que mal cabia na cueca. Bem devagar, tirei a cueca e revelei o tamanho do Negão. Aquilo ficava de frente para mim, pulsando para cima, grosso, com as veias grandes. Sua cabeça era meio avermelhada. A cor do instrumento era moreno jambo. Era tao grande que fiquei +/- um minuto admirando aquela coisa.

Ele pegou meu cabelo e segurou, como se obrigando a chupar. Nao perdi tempo e cai de boca. Fiquei tao exitada que meus mamilos doiam de tao duros que estavam. O pau era tao grande que por mais que tentava colocar na minha boca ele todo, ficava mais da metade de pau pra fora. Era tao grosso, que duas vezes, quase me deu caimbra no maxilar.

Achava aquele pau tao gostoso, que segurava ele com as duas maos e sobrava rola ainda para chupar. Passava seu pau em minha cara, em meus seios, e voltava para minha boca. Ele entao me puxou, me colocou de pé, me beijou da boca até a barriga, e tirou minha calcinha.

Fiquei louca. Estava totalmente despida, na frente de um moreno lindo, com um pau que sempre sonhei. Parecia que minha bucetinha já estava esperando pela aquela jeba de 22cm. (perguntei a ele depois).

Ainda de pé, estavamos na frente da porta. Enquanto ele alisava minha vagina, passando a mao em meu grelo e constantemente enfiando o ponta do seu dedo em mim, pegava aquele pau e ficava punhetando bem devagar, no mesmo ritimo que ele mexia em minha bucetinha. Até na hora que nao aguentava mais e peguei aquele pau e comecei a esfregar na porta da minha vagina. Era tao grande que raspava ele do inicio até quase na entrada do meu Cu. Aquela cabeça enorme esfregava em mim que parecia que iria gozar so de esfregar.

Ai veio o melhor. Ele me virou de costa, colocou seu pau no meio das minhas pernas, e começou a esfregar a cabeçona na minha vagina. Fiquei parada enquanto ele relava. Estava com tanto tesao, que sentia meus pés dormentes e meus mamilos anestesiados de tao duros. Entao ele me pegou no pescoço e em um movimento que ele fez, a cabeça entrou na minha buceta. Comecei a rebolar forçando a penetração. Estava tao molhada que ele entrou de uma so vez. Quando senti que ele tinha me penetrado por inteiro, dei um gemido alto que bastaram duas bombadas dele para para eu gozar. Senti meu corpo todo formigando. Aquele pau enorme me penetrando por traz era tao gostoso que nem lembrei de camisinha, nem de noivo, nem de nada. Estava tao gostoso, que pedi a ele pra me penetrar mais forte. A cada bombada mais forte que ele dava, mais eu me contorcia naquele pau enorme e grosso que estava dentro de mim. Enquanto ele me penetrava, suas maos alizavam meus peitos e me segurava pelo pesco ço. Estava tao gostoso que até esqueci que ele nao falava portugues. Mas a cada vez que eu falava para ele me comer, ele bombava mais forte.

Pedi a ele para deitar na cama. Aquele jeba toda molhada era meu liquido do gozo que ele me fez ter. Estava tao impressionada com o tamanho daquele pau que cai de boca nele denovo. Enquanto eu chupava, ele mexia bem devagar o quadril. Duas vezes parei de chupar e lambi seu saco. Ao mesmo tempo, punhetava bem devagar a jeba e a comparava como tamanho da minha face. Era tao grande, que enquanto eu chupava o saco, a cabeça estava bem acima da minha testa.

Nao aguentei por muito tempo e agachei no pau dele. Comecei a relar a cabecinha na portinha, até que sentei de uma so vez. A impressao que tive era que aquele pau iria na minha garganta. Comecei entao a cavalgar bem devagar. Sentia aquilo bem grosso e grande dentro de mim, que lembrava de quando era adolecente. Nenhuma banana nem nenhum pau foi tao profundo. Nem tinha o calor, a grossura neme o tensao de um pau de carne.

Comecei a cavalgar mais forte. Ele segurou em minha cintura e acompanhava os movimentos com a mao. Disse a mim que iria gozar, quando encostei meu peito ao seu e pedi para que ele continuasse bombando. Ele começo a gemer e gozar tao gostoso, que sentia os jagos de porra dentro demim. Fui no ceu e voltei. Sentia aquele pau gozando dentro de mim, os jatos na minha vagina, ele pulsando dentro da minha bucetinha. A pegada forte que ele teve. Ele parou e pediu para que eu esperasse um pouco. Tirei ele de dentro de mim e cai denovo de boca naquela jeba. Passava a lingua da cabeça até o talo, por duas vezes tentei fazer garganta profunda. Sem sucesso pq era muito grosso e enorme.

Quando ele animou denovo, pedi a ele para me penetrar de frente. Deitei de frente para ele e ele me penetrou. Enquanto aquele pau entrava, eu me contorcia de tesao. A cada bombada eu gemia de prazer. Tava muito gostoso. Ele segurou minhas maos acima da minha cabeça, beijava-me a boca e o pescoço que comecei ate a gozar. Os gemidos eram tao altos que ele tampou minha boca e continuava a bombar. So do fato dele tampar minha boca, mais prazer eu sentia naquele pau me entrando. Senti que ele estava tornando as bombadas mais fortes e falava para ele me comer. Senti denovo os jatos de porra dentro demim. Ele bombava tao forte que a impressao era que minha vagina iria romper.

Ele deitou ao meu lado e começamos a conversar, depois de recuperar o folego. Acabamos dormindo na mesma cama.

No dia seguinte, acordei com aquele vomule relando na minha bunda. Ele passou a mao em meus seios e me puxou para perto do corpo dele. Ele sempre gostoso, começou a passar aquela cabeçona na porta da minha vagina. Nao aguentei por muito tempo, abri minhas pernas e coloquei o pauzao dentro demim. Pedi a ele para ficar parado pois comecei a rebolar naquele pau grosso. Novamente, de tao gostoso sentir aquele jeba dentro de mim, ele disse algo que nao entendi muito bem, mas acredito que era que ele iria gozar, comecei a apertar o pau dele com minha vagina, ele me agarrou bem forte e começo a gozar. Os movimentos estavam tao delicioso que comecei a gozar junto com ele.

Acabamos de acordar, fomos para o banho. Ai perguntei o tamanho do dote. Ele disse 22cm. Comecei a pega-lo, ele foi animando, e cai de boca. Chupei até ele gozar na minha boca. Mas por encrivel que pareça, pensei que iria tomar um banho de porra na cara, como os filmes. Só que ele gozou bem pouquinho.

Perguntei sobre sua familia, seus filhos. Ele me perguntou sobre meu noivo. Não levamos o assunto muito a diante.

Assim que ele saiu do quarto, minutos depois a Claudia apareceu. Me chamou para o café. Na conversa de amigas, ela disse que Lorena arrumou um bofe mas nao conseguiu leva-lo para o quarto. Me perguntou do Jhon, mas disse a ela que nao sabia dele, que ele era muito simpatico. Peguntou se nos nao estavamos muito assanhadinhos na boate. Disse que não, que tinha meu noivo que amava e ele tambem era casado. Ela disse: Que pena, parece tao gostoso.

Mal sabia ela sobre o que passou na noite passada naquela cama. Mal sabia ela que aquele moreno com 22cm de rola me comeu a noite toda. Fiquei tao leve no dia, que quando passei por ele o comprimentei discretamente e ele retribuiu. Aquela noite foi especial, que nunca vou esquecer, a penetração, os jatos de porra na minha vagina, o cheiro dele, seus beijos, suas caricias.

Voltamos para casa, voltei para meu noivo. Tenho o sentimento um pouco de culpa por ter o traido. Ainda mais sem preservativo. Mas foi por uma tara que tinha desde adolecente que sentei naquela rola de 22cm. E como ela era gostosa.

Espero que tenham gostado.

Comentários

10/05/2013 03:16:17
Que sorte, querida!! Parabéns.
26/03/2012 19:04:52
olá,...achei bacana o conto,...pq vc é bem safada...eu curto isso, mulheres que sabem fazer direito,...pelo jeito vc é bem tesuda e trepadeira...parabéns.. leia meus contos, são reais também.... viajo sempre...adoraria te conhcer...
PF
26/03/2012 15:18:46
Deve ser ficção, ná querida. Seu ingles não ia conquistar o negão. Bremi store não existe querida. É Brain Storming (Tempestade cerebral). TAmbém não é Jhon e sim John. Também não é "shop" e sim Shopping. Seu conto é bom, mas querer escrever sobre o que não conhece dá nisso. Podia dizer que era o negão daqui mesmo que te dava um 7, mas com essas bobagens vai de 5
26/03/2012 10:06:06
Muito bom o seu conto.Vc tá falando como experiencia...espero que vc seja uma mulher forte conservar isso como experiencia,pois senão,no próximo negão,outra "experiencia"
26/03/2012 09:09:02
Fuder com um negão roludo, leiteiro e socador não é traição...é obrigação!
26/03/2012 08:44:58
Acho que a maioria das mulheres tem essa tara! Muito bom seu conto!!!
26/03/2012 08:26:01
Muito bom me add se puder homem_daestrada@hotmail.com
26/03/2012 06:13:00
Hummm....legal...olha só tenho um dote considerável,mais nem sempre a vida foi só flores,ocorreram muitas vezes de a mulher ao se deparar comigo nu,resolver fugir da raia, e olha que isso não foi só uma vez,foram varias,seu conto é delicioso bem escrito, tesão puro, abraço...theo_ozga_vitury@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.