Casa dos Contos Eróticos

Feed

O NEGRO ROLUDO ARRASOU COM MEU CUZINHO APERTADO

Autor: putomoc
Categoria: Homossexual
Data: 17/03/2012 14:50:04
Nota 9.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

O NEGRO ROLUDO ARRASOU COM MEU CUZINHO APERTADO

Sou mineiro, BISSEXUAL não assumido, loiro, alto, branco, pau de 16cm, rosado, grosso e cabeçudo, de onde sai muita porra cremosa. Não tenho nada de super, sou um cara normal, tenho barriguinha saliente, já que estou fora de forma. Porém, compenso tudo na cama, onde faço o que o tesão mandar, sendo bem safadinho e sem pudores. Fico e deixo o parceiro ou parceira louco de tesão. Estou sempre pronto pra arrombar um cuzinho ou uma bucetinha, nos quais meto forte e fundo, mas também com muito carinho, fazendo a putinha ou putinho gemerem, gritarem e gozarem bem gostoso. Meu rabo branco é muito volumoso, bem desenhado e afeminado, já que não tenho pêlos na bunda, que é bastante firme e com certeza o macho vai encher a mão com minha bunda gostosa e gulosa. Terei muito prazer em rebolar na cara do safado que quiser chupar meu cuzinho que é pequeno e apertado, visto que tenho estreitamento do esfíncter e portanto, apesar de meu cu já ter sido invadido, ele continua apertadinho, portanto o trate com carinho. Gosto de ser fodido bem de leve, com carinho, quero sentir a pica entrar e sair bem gostoso do meu cu. Quero sentir os pentelhos do macho roçarem meu rabo branco, sentir a barriga do safado bater contra meu bundão branco. Se me foder assim, vou gritar e gemer feito uma puta, como uma cadelinha no cio, como uma verdadeira vadiazinha, já que vou ser sua puta na cama.Meu cuzinho é muito guloso e anseia por recepcionar línguas ávidas, dedinhos exploradores e pirocas bem limpas, cheirosas, gostosas, com bastante leitinho pra jorrar no fundo do meu cu ou na minha garganta, já que tenho cede de leite-de-pau, o qual recebo entre meus lábios e engulo tudo, deixando o pau limpinho. Minha boca é bem desenhada, tenho lábios carnudos, volumosos e rosados, prontos para engolir cacete e chupar bucetinhas e cuzinhos. Mamo feito um bezerrinho, chupo os ovos, enfio o cacete todo na boca, até engasgar com a cabeça do pau batendo em minha garganta, amo fazer garganta profunda. Deixo o pau todo melado, pronto pra me fazer de fêmea, pronto pra entrar e sair do meu cuzinho, deixando-o arrombado, terei prazer em ser sua puta, sua cachorra vadia. A mesma boca que chupa pica chupa e lambe buceta. Enfio minha língua toda dentro de uma bucetinha, chupo o clitóris com força, até a vadia safada gozar na minha boca. Sorvo todo o gozo da putinha e deixo a xaninha pronta pra receber meu caralho. Também amo lamber cuzinhos e sentir o puto ou puta rebolando em minha cara, se contorcendo de tesão. Gosto de machos que gozam bastante, pois gosto de ficar meladinho de porra, senti-la escorrer por meu rosto. Gosto de sentir a porra encher minha boca e quando gozam no meu cu, gosto de senti-la escorrer pra fora, descendo por minhas pernas. Quero conhecer machos safados que queiram me foder bem gostoso e que me dêem seu leitinho quente em abundância. Quero conhecer fêmeas trepadeiras safadas que amem dar a bucetinha, na qual quero meter muito gostoso até a vadia gozar no meu pau e em minha boca. Quero conhecer casais safados pra foder a esposa ou a esposa e o marido e chupar a buceta da safada após o maridão ter gozado nela. Quero chupar a bucetinha da esposa enquanto o marido fode meu cu. São várias fantasias a realizar e espero a cooperação dos safados e safadas de plantão. Quem se interessou é só me adicionar no MSN ou mandar e-mail para putomoc@hotmail.com que terei o maior prazer em responder às mensagens e iniciar contato para, quem sabe, começar uma amizade bem gostosa. Meu pau está de pé e meu cu aberto a proposta de casais, machos e fêmeas safadas para amizade, curtição e prazer, sempre com sigilo, discrição, educação e muita putaria. Beijos do seu putinho - PUTOMOC@HOTMAIL.COM

Ontem saí com meus amigos pra um bar para bebermos e jogarmos conversa fora. Como todos eles são heteros e não sabem que eu sou bi e como o movimento estava fraco, lá por 00:30 horas resolvi ir embora. Peguei meu carro e parti rumo a minha casa. Quando parei num farol me assustei quando um negro gordo de aproximadamente 2m de altura se aproximou da janela do carro. Ele viu que me assustei e pediu desculpas e disse que precisava de uma informação. Ele é baiano e precisava chegar a um determinado bairro e perguntou se havia algum ponto de táxi por ali. Sei que foi perigoso, mas por sua educação eu me ofereci a levá-lo ao bairro que procurava, pois eu moro nesse bairro. Aquele homem enorme, cabeça raspada, dentes tão brancos que chegavam a brilhar, sorriso cativante e educação ímpar entrou no carro e nos dirigimos para o bairro que é um pouco distante do local onde estávamos. Durante o trajeto eu tive que parar o carro, pois estava louco pra urinar. Encostei o veículo numa rua escura e desci pra me aliviar. O grandão fez o mesmo. De pé, ao meu lado, ele colocou a piroca pra fora. Puta que pariu, que caralho enorme e grosso. Meu pitinho ficava parecendo pênis de criança perto do dele. Meu espanto fez com que involuntariamente eu soltasse um “nossa!”. Nesse momento ele olhou pra mim sorrindo e disse: “nunca viu um assim?”, sorrindo eu disse que já vi muitos, porém não com aquelas dimensões. Ele olhou pra meu pau e viu que estava duro e disse: “to vendo que você gostou hein! Ele cresce muito mais que isso, vem me ajudar que te mostro”. Não pensei duas vezes e agarrei aquela cobra preta da cabeça roxa que instantaneamente começou a crescer e tomar proporções inimagináveis. Pensei: “hoje to literalmente fodido”. Comecei a mamar aquele caralho enorme que mal cabia em minha boca. Enfiava até onde cabia e ainda conseguia segurar o que sobrava de fora com a mão fechada. No começo estava com um gostinho de xixi, mas depois ficou uma delícia. Meu maxilar doía, pois tinha que abri-lo muito para meter aquele cacete na boca. O negão gemia e fazia movimento leves como se fodesse minha boca. Eu mamava olhando pra o safado, fazendo cara de puta e metendo o pau pra dentro da minha boquinha. Enquanto mamava apertava suas bolas levando-o à loucura. Passei a tirar seu pau da boca e mamar seus ovos, lambia a extensão daquele ferramenta enorme e batia aquele pauzão na minha cara. Depois de um tempo mamando o puto disse que ia gozar. Tirei seu pau da boca e o coloquei na direção do meu rosto ficando com a boca aberta e a língua de fora. Já disse que gosto de homens que gozam bastante e aquele negrão era um desses. O filho da puta começou a urrar e jorrar porra. O primeiro caiu no meu rosto e cabelo. Mais dois jatos acertaram em cheio meu nariz e testa, vindo a escorrer pelo meu rosto. Encostei a boca na cabeça do seu pau e os demais jatos caíram direto em minha boca, enchendo-a de leite. Era tanta porra que eu estava engasgando. Minha boca estava cheia, escorria porra pelo meu queixo e o filho da puta ainda gozava. Depois que aquele pau preto parou de jorrar leitinho e fiquei com a boca aberta mostrando todo o leitinho pra o negão roludo e brincando com ela na língua. Olhando pra o safado eu engoli sua porra, lambi os lábios e disse: “delícia”. Passei a mão no rosto coletando toda a porra que estava nele e lambi tudo. O grandão disse que tinha sido o melhor boquete que ele tinha ganhado. O pau do puto continuava duro e eu com tesão. Então me levantei e tirei uma camisinha e um pacote de gel lubrificante da carteira. Falei pra o negão: “agora quero sentir essa pica no meu cuzinho”. Me encostei no carro empinando o rabo e baixando minha calça, ficando com o rabo branco e o cuzinho rosado expostos. O negão arregalou os olhos e disse: “que rabo lindo minha putinha branca. Quero te foder todo.” O safado se abaixou, arreganhou meu rabo e meteu a língua no meu cu. Eu rebolava e gemia na cara do tarado. Depois de um tempo entreguei-lhe o pacote de gel e o filho da puta começou a passá-lo no meu cu. Ele enfiava um dedo que mais parecia uma rola de tão grosso que era. Ficou enfiando esse dedo até meu cu dilatar. Ele se levantou e bateu seu pau na minha bunda dizendo: “vou te foder putinha”. Entreguei-lhe a camisinha e disse: “fode sua putinha, mas com carinho. Nunca levei um pau tão grande e grosso. Se eu pedir pra parar você para tá!?” ele concordou. Ele colocou a camisinha. Me inclinei ainda mais para abrir meu cu para o meu macho comedor. Coloquei uma das mão pra trás para segurar seu pau e controlar a enfiada. A camisinha ia um pouco além da metade de seu pau. Senti aquele homem enorme se encostar atrás de mim. Sua barriga me pressionava contra o carro. Comecei a sentir aquele cacetão encostar no meu cu, fazer pressão e entrar. Nossa, como doeu. Eu gemia e ele ia enfiando, parava quando eu pedia. Apenas uma pequena parte de sua rola havia entrado e eu não estava agüentando de dor. O safado começou a fazer o vai-e-vem no meu cu e eu nem conseguia me mexer. Doía muito mesmo. Chegou um momento que comecei a chorar baixinho e pedia pra o puto gozar logo. Ele estava demorando muito e meu cu estava ardendo. Pedi pra ele tirar um pouco o pau pra dar um descanso pro meu cuzinho. Que alívio quando aquele pau saiu. Meu cu estava aberto, senti um vazio em mim. Que pau monstro! Abri o porta malas e pedi pra o grandão se sentar. Vim e de costas pra ele comecei a sentar naquela piroca, controlando a enterrada. Me pus a sentar e levantar daquela vara. Doía bastante ainda, mas eu queria que aquele safado gozasse. Sinceramente devemos ter ficado assim por mais de 40 minutos. Já estávamos suados e cansados. Já estava desistindo quando o negão disse que ia gozar. Nessa hora nem me importava mais com a dor e aumentei o ritmo das sentadas. O puto me segurou pela cintura enterrando o pau mais do que o devido. Nossa como doeu. Dei um gritinho e comecei a chorar baixo enquanto sentia o pau do safado pulsar no meu rabo, enchendo a camisinha de porra. Assim que ele relaxou eu me levantei. Como meu cu doía! Passei a mão e vi que tinha um pouco de sangue, mas estava feliz por ter “agüentado” aquela tora no cu. Olhei pra trás e o negão era só sorriso, disse que tinha sido ótimo, que ninguém havia agüentado aquela jeba no cu e que eu era uma putinha deliciosa. Tirei a camisinha do seu pau e virando-a do avesso sorvi toda a porra que estava nela, engolindo-a e saboreando-a. ajudei o negão a guardar o pau, vesti minha roupa e fomos embora. Na porta da casa onde ele ficaria ainda coloquei seu pau pra fora e fiz um boquete. O puto gozou, porém tinha pouca porra. Amo sorver porra. Nos despedimos e agora estou aqui, com o cu ardido e batendo punheta pensando nessa foda. Assim que meu cu melhorar quero outro roludo carinhoso pra fodê-lo e deixá-lo esfolado. Espero contatos de machos safados ou casais para foder bem gostoso. putomoc@hotmail.com

Comentários

13/07/2012 08:50:35
O conto é bom, mas o conhecimento em regras gramaticais não é muito bom. Já ouviu falar em parágrafo? Não, né? Pois é, percebi...
19/03/2012 00:57:01
Delícia!
17/03/2012 19:43:21
Que delicia!
17/03/2012 16:58:25
Apesar de só comer cú de mulher seu conto foi bem gostoso.
17/03/2012 15:41:04
Muito bo kara nota 1000000 meu msn will.novinho@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.