Casa dos Contos Eróticos

Feed

O CLUBE DA SIRIRICA

Autor: Quiquinha 12
Categoria: Homossexual
Data: 06/12/2011 23:53:21
Última revisão: 11/07/2014 07:56:32
Nota 10.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Micaela é uma das minhas amiguinhas ("amiguinhas" é como denomino as garotas que curtem comigo os prazeres lésbicos). Conheci-a numa festinha, ocasião em que fomos juntas ao banheiro e nos beijamos muito. Muito mesmo. Dois meses depois, ela apareceu para me convidar ao cinema, sessão das 17h30. Ela já tinha os ingressos. Lá chegando, ela me apresentou Rai, uma morena de dezesseis anos, coxas grossas e cabelos longos. Quanto a Sabrina, ela era muito bonita. Tinha cabelos castanhos, algumas poucas espinhas no rosto e o semblante de quem se sente em casa

— Bem-vinda ao clube! — disse Rai beijando-me nas faces.

Observei que todas usavam saia, unhas curtas e traziam uma bolsinha a tiracolo, inclusive Micaela e a quarta componente do “clube”, Mariângela, que fomos encontrar na bombonnière, onde ela auxiliava sua mãe na venda de pipoca, refrigerantes e guloseimas em geral.

— A Micaela me falou de você — disse ela e seu olhar me causou um doce arrepio.

Tinha um rostinho encantador. Era magra, pequena. Diretamente sobre a pele, a blusa mostrava seu peito liso. Quando ela saiu de trás do balcão para confabular com Micaela, calculei não ser conveniente citar sua idade.

— Vamos logo! — apressou-nos Sabrina. — O filme já vai começar.

O filme, na tela, era um besteirol. Bem diferente do outro, que iríamos protagonizar, na última fileira, onde entramos de acordo com as instruções de Micaela:

— As mais velhas, primeiro.

A mais “velha” era ela; seguida de Rai. Ao meu lado (esquerdo) sentou-se Sabrina, que me disse:

— Segura o lugar da Mári.

Como eu mais ou menos intuía a finalidade daquela reunião no escurinho do cinema, não me senti muito à vontade com a ideia de ter Mariângela ao meu lado (direito). Princípios. Mas, numa região onde a precocidade não só é aceita, como também incentivada, é muito difícil manter distância de meninas de pouca idade.

Logo as luzes se apagaram, a menina da bombonnière tomou o lugar que lhe era reservado e o “clube” abriu a sessão. Com gestos que demorei um pouco a entender, as calcinhas foram parar nas respectivas bolsinhas. Pouco depois, a mão de Sabrina veio entre minhas pernas, causando-me um delicioso arrepio. Ao mesmo tempo, pude perceber, na penumbra, que outra mão laborava sob sua saia. Era Rai que, por sua vez, recebia as atenções de Micaela.

Era o CLUBE DA SIRIRICA.

Afastando ligeiramente as pernas, fiz como as demais: olhava distraída para a tela e concentrava a atenção nos dedos que se moviam de um lado ao outro de minha calcinha, lentamente, mostrando indecisão, ou falta de pressa. Minha excitação crescia. Minha boceta, muito receptiva a mãos femininas, pedia mais. Então Sabrina me falou ao ouvido:

— Fica com a Mári.

Era isso. Eu não estava agindo de acordo com as regras. Estava ignorando a menina sentada à minha direita, que aguardava minha iniciativa. “Quem está na chuva é pra se molhar”, pensei, levando a mão entre as pernas que a menina abriu para me dar acesso a uma bocetinha pequena e lisa como a minha. Impúbere. Mas fazer o quê? Enfim, não era a primeira vez que eu quebrava meus princípios. Além do mais, se ela tinha sido admitida no clube, devia ter seus méritos.

Logo eu conheceria esses méritos.

Percebendo que, como boa associada, eu estava acariciando Mariângela, Sabrina introduziu, finalmente, a mão em minha calcinha. Eu adoro isso. E adorei quando seus dedos se deslocaram, se espraiaram, depois se acomodaram, alojados entre as dobras da minha boceta. Ela não fazia movimentos de masturbação; apenas usufruía a emoção de tocar o sexo de outra garota. Vez por outra, entre longos intervalos, seu dedo médio afundava na rachinha, pressionando levemente meu clitóris.

Por meu lado, eu fazia o mesmo. Mas a xaninha que eu tinha na mão era muito sensível. E me passava uma excitação que aumentava aos poucos; aos poucos aumentava. Passada meia hora, entregue àquele estado voluptuoso que exige mais, houve troca de mãos. Da direita para a esquerda. Sabrina colocou a minha entre suas pernas e a de Mariângela veio entre as minhas.

Foi quando conheci seus méritos.

Percebendo que eu não estava convenientemente “uniformizada”, a menina tratou de tirar a minha a calcinha, que, com minha colaboração, foi parar em sua bolsinha.

Então sua mão se pôs em ação e eu me impressionei com sua habilidade, agilidade e conhecimento. Diferente do desempenho de Sabrina, a pequena mão que vendia doces veio lubrificada de saliva e se concentrou no clitóris. Com os dedos em forma de tesoura, ela friccionou a juntura de meus lábios vulvares, em movimentos ora lentos, ora rápidos, e meus orgasmos começaram a vir, gostosos, temperados pelas sensações que eu recebia de Sabrina.

O clube tinha, até esse dia, uma regra: nada de movimentos que chamassem atenção. Isso incluía beijos, gemidos, mão ou boca nos seios. Mas, mesmo sem gemidos, Mariângela percebia quando eu gozava. Então fazia uma pausa, explorava minha rachinha com os dedos, levava-os à boca e voltava à ação enquanto eu estimulava a boceta raspada de Sabrina.

Assim passou-se minha primeira reunião com as meninas. Sabrina não alcançou o clímax, apesar do alto grau de excitação que atingiu por masturbar Micaela e ser masturbada por mim. Pouco antes do final do filme, fomos em fila indiana para a toalete. Lá, Micaela, Sabrina e Rai ocuparam os três reservados. Mariângela então perguntou, ao devolver minha calcinha.

— Gostou?

Algumas matérias veiculadas na imprensa a respeito do lesbianismo situam as primeiras experiências ao redor dos onze anos de idade. A natural propensão feminina para gestos de afeição leva a isso. Eu não deveria, pois, estranhar o comportamento da menina; apenas me senti um pouco envergonhada. Mas fui sincera:

— Gostei.

.........................................

Este trecho faz parte do livro ÉRIKA 14, que pode ser acessado no link:

http://www.bookess.com/read/10688-erika14.

CONTINUA.

Comentários

13/01/2014 17:47:38
Tem vaga no clube?Vou visitar teu blog, visita o meu tb!www.lenalopezblog.com
20/02/2013 02:06:51
adorei!! Dez... quero fazer parte do grupo... ainda estou para compartilhar um conto meu sobre minha primeira relação com uma mulher! Depois passa lá para ler... DEzz seus contos!
15/02/2013 04:42:01
Você é uma verdadeira escritora e sabe usar muito bem as palavras para provocar tesão. Gostei muito...
24/11/2012 15:36:01
Atenção! Meu email para receber relatos para revisão mudou: quiquinha12.bol.com.br. Mandem os textos, terei o maior prazer em revisá-los.
12/03/2012 06:13:24
Gostei do conto. Mas faltou um pau para alegrar as quatro de uma só vez. Imagine só essas garotinhas na flor da idade, com os hormônios a toda, metendo gostoso, chupando uma à outra, e tendo um pau no meio delas para alegrá-las um pouco mais? Não sou contra o lesbianismo, mas fica legal misturar as coisas, ao menos de vez em quando. Enquanto uma usa uma parte, o homem pode muito bem ir comendo a outra. Que delícia!
05/03/2012 17:06:54
uau... quero o endereço desse clube...
05/02/2012 02:39:48
Uau, muito bom. :) Lerei mais dos seus contos.
05/01/2012 19:09:26
Oi menina, adorei seu conto, até porque tive uma experiencia recente no Cinema com duas amigas a qual me deu muito tesão. Lendo seu conto lembrei de cada detalhe da nossa "reunião". Está publicada em meu nick antigo(NINE-2010), leia lá. Beijos, vou ler todos os seus.
08/12/2011 09:43:10
Oi, Marta33! Meu e-mail (quiquinha12@hotmail.com) está à disposição para receber seus textos. Eu gosto de fazer revisão para manter o bom nível do site. Bjs
07/12/2011 00:52:23
Oi, Quiquinha, seus textos são maravilhosos. Eu estou escrevendo tbm meus contos e gostaria q vc fizesse a revisão. Qual é o teu email?
07/12/2011 00:15:48
Oi, Quiquinha! Sou seu fã. Já li o primeiro dos seus livros, o Érika 12. Achei maravilhoso. Quanto a este relato, achei que está um pouco curto, mas, bom é adaptação do livro e você promete continuar. Mande logo a continuação. Meninas se masturbando no cinema é muito excitante.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.