Casa dos Contos Eróticos

DE CARONA COM MÉDICO GOSTOSO PARTE 2

Autor: Lua Quente
Categoria: Heterossexual
Data: 18/11/2011 23:20:01
Nota 9.80
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Voltando para minha deliciosa história – quem quiser saber a primeira parte dessa aventura procure o conto De carona com o médico gostoso parte 1 - depois da pegação no estacionamento Túlio e eu estávamos pegando fogo. Tínhamos gozado deliciosamente no carro, mas faltava algo, nossos corpos precisavam se tocar, suarem juntos, gozar juntos.

No caminho para o Motel a cada sinal que parávamos nos beijávamos com sofreguidão, meu corpo ardia, eu já não pensava em mais nada, não via a hora de ser possuída por Túlio. Mal estacionamos o carro na garagem e ele veio como um animal para cima de mim. Beijou-me, lambeu meu corpo agarrou-me com força.

Ele deu a volta, abriu a porta e carregou-me. Entramos no quarto, não parávamos de nos beijar, ele me olhava com desejo e admiração. Aquele homem era simplesmente maravilhoso, me desejava e sabia como me enlouquecer. Jogou-me na cama, foi ao frigobar e pegou uma cerveja, sentou-se ao meu lado, tirou calmamente a camisa, deu-me mais um beijo e começamos a bebericar. Enquanto conversávamos ele pediu que eu tirasse minha roupa. Atendi seu pedido, fiquei em sua frente e bem devagar fui retirando cada peça de roupa. As sandálias, a saia, a blusa e o sutien. Fiquei só de calcinha, tomei a latinha de sua mão, dei um longo gole e deitei-me de bruços na cama. Ele levantou-se, ficou completamente nu e deitou-se por cima de mim. Começou uma massagem deliciosamente excitante. Suas mãos macias e firmes apertavam meu pescoço, meus ombros me sentia relaxada e com muito tesão. Túlio pegou uma pedra de gelo e passou-a em toda extensão das minhas costas. Lentamente ele me torturava deliciosamente, o frio da pedrinha de gelo eriçava meus pêlos, eu me contorcia e gemia, isso deixava Túlio mais excitado, podia sentir a o pau dele crescendo e tocando com cada vez mais força minha bunda. Ele debruçou-se sobre mim e começou a beijar-me, me lambia, mordia e falava coisas desconexas, chamando-me de gostosa, tesuda. Sentia minha bucetinha latejar, meu caldinho já encharcava minha calcinha e sentir o caralho delicioso de Túlio pressionar meu bumbum, por Deus, isso já me enlouquecia.

Pedi que ele acabasse com aquela tortura e me penetrasse logo, eu queria sentir todo aquele vigor dentro de mim. Ele era muito sacana parecia gostar daquele jogo onde ele estava no poder e eu era sua puta submissa.

Então me deitei de costas e ele veio por cima. Começou a massagear vigorosamente meus seios, apertava-os entre suas mãos, beijava profundamente meus lábios e mordia minha língua. Túlio parecia enlouquecido, jamais imaginei viver uma situação dessas. Ele agachou sobre meu corpo e lentamente introduzia a piroca dura e melada em minha boca. Segurava minhas mãos e socava com força, mas lentamente, sentia seu pinto ir fundo em minha garganta.

-Gostosa. Abre bem essa boquinha para receber meu pau.

-Isso safada, chupa esse macho.

Ele falava e me enlouquecia, eu chupava com gosto aquele caralho. Sentia suas bolas batendo em meu queixo, quase engasgava, mas deixava aquele pau bem molhado, pressionava suavemente entre meus lábios, ver aquele homem delirar em cima de mim era uma sensação deliciosa.

-Puta que pariu, eu vou gozar na sua boca outra vez, safada.

E gozou, encheu minha boca com sua porra quente. Túlio mais uma vez estava satisfeito, mas eu ainda ansiava por um gozo completo. E isso não demoraria a acontecer. Ele beijou-me deliciosamente, deslizava sua língua macia pelo meu corpo, mordia levemente minha barriga, meu umbigo. Encontrou minha calcinha, que já estava completamente molhada, ele a retirou com os dentes, reiniciou a sequência dos beijos dessa vez pelos pés. Mordia e lambia cada um dos meus dedinhos, arranhava minhas pernas. Aos poucos ele beijava minhas canelas, minhas coxas e finalmente alcançou minha bucetinha, quente, úmida pronta para recebê-lo. Túlio cuidadosamente enfiava sua língua na minha xaninha, sentia cada centímetro de meu sexo sendo lambido, percorrido por uma deliciosa corrente de prazer.

-Safado, gostoso. Isso chupa a bucetinha da sua putinha. Me faz gozar.

Ele fazia direitinho, como um cachorrinho obediente. Chupava cada pedacinho da minha xoxota, enfia seus dedinhos, brincava na portinha do meu cuzinho. Eu rebolava e forçava meus quadris contra seu rosto, sentir a barba dele por fazer raspando em mim me dava mais tesão. Nessa altura eu já urrava de prazer, apertava a cabeça de Túlio contra meu sexo. Ele com seu fôlego impressionante, não parava um instante de me chupar, enfiava o dedinho em mim, comecei a sentir uma forte onda de calor percorrer meu corpo, fui tomada por espasmos eu estava gozando.

-Ai safado, me fez gozar mais uma vez. Agora quero você dentro de mim.

Bruscamente virou-me de bruços mais uma vez. Mordeu meu bumbum, segurou seu pinto e começou a pincelá-lo em mim, espalhava nossos caldinhos preparando-me para o que estava por vir.

-Vou possuir você. Você vai chorar na minha pica sua puta.

Sem frescuras Túlio começou a penetrar em meu cuzinho, no inicio fiquei temerosa, mas de nada adiantou, ele estava decidido a me comer daquele jeito. Foi enfiando cada centímetro daquele pau em meu rabinho, que foi se alargando e alojando aquele pau delicia. Ele metia um pouco, parava, me chamava de safada e metia mais um pouquinho. Até que tudo entrou e ele começou a bombar em meu rabo. Socava com força, lentamente, penetrava tudo, eu só conseguia gemer, chorar e rebolar naquela pica deliciosa. Rebolava como se não houvesse amanhã.

Túlio sabia realmente o que estava fazendo, tirou sua pica do meu rabo e enfiou tudo e de uma vez só na minha bucetinha.

Que delicia sentir aquela pica rasgando minha xoxota ao meio, estava sendo deliciosamente preenchida por aquele caralho. Túlio socava ia até o fundo da minha buceta. Me comia com vontade, eu estava prestes a gozar.

Ele então deitou-se e pediu que eu o cavalgasse, como uma putinha obediente tratei logo de subir na pica do meu garanhão. Direcionei sua piroca para entrada da minha buceta e fui escorregando, delirando com cada centímetro daquele caralho que se alojava em mim.

Cavalguei então, primeiro vagarosamente, sentindo as bolas dele batendo em mim, fui rebolando calmamente, sentindo a textura e a grossura de Túlio, (só de lembrar fico molhadinha), aos poucos fui aumentando o ritmo. Quando me dei conta estava galopando naquele macho, subindo e descendo freneticamente sentindo seu pau rasgar-me profundamente, ele me tinha, me dominava eu gozava como puta, uma safada que precisava e naquele momento sentia-me como a mulher mais gostosa da Terra.

Percebendo que eu estava em êxtase meu doutor apertava os bicos durinhos dos meus seios, espremia-os entre seus dedos e também urrava de prazer comigo:

-Isso minha puta, lambuza meu pau todo com seu mel. Assim bem sem vergonha.

Eu olhava em seus olhos, mordia meus lábios e gozava arranhando seu peito másculo e vigoroso, meu gozo foi longo, sei que deixei seu pau muito melado. Ainda meio tonta com aquele clímax levantei-me e ficamos num sessenta e nove, chupei seu mastro e pude sentir todo o gostinho da minha xaninha, e ele me sugava todo o mel.

Mudamos mais uma vez de posição, aquele homem era realmente um garanhão, fiquei de quatro e pedi a ele que gozasse dentro do meu rabinho. A penetração dessa vez foi mais rápida, encontrávamos entorpecidos de tesão, seu pau escorregou gostoso para dentro e meu cuzinho o recebeu calorosamente. As estocadas agora estavam fortes, profundas e rápidas, ele segurava firme em minha cintura, puxava meus cabelos e dava tapas em meu bumbum, que delicia ficar assim com meu médico, estávamos como dois animais no cio. Mais alguns movimentos e senti meu rabinho sendo preenchido por uma porra quente,e viscosa, os jatos eram rápidos e ocuparam toda a extensão do meu cú. Quando ele tirou o pau senti sua porra escorrendo indo em direção a minha xoxota, e mesmo sentindo-me satisfeita não resisti. Deitei-me com as pernas bem abertas para Túlio e masturbei-me espalhando sua deliciosa porra da entradinha de meu cuzinho até a pontinha do meu grelo, mais uma vez gozei gostoso olhando a expressão safada do meu macho.

Tomamos um banho, nos esfregamos e nos beijamos mais. Estávamos satisfeitos, o clima de sedução que nos envolverá havia nos levado a uma deliciosa transa, sem culpa, só havia espaço para o prazer e o desejo que um tinha de fazer o outro gozar. Pegamos o carro e ele deixou-me perto de casa, e até hoje quando vejo um Meriva prateado meu coração dispara e me lembro de uma das gozadas mais deliciosas de minha vida.

Bom sexo a todos, afinal fazer gozar e gozar é fundamental!

PS: Esse conto foi inicialmente publicado pelo autor no site cfantasias.blogspot.com

Visitem esse site, contos deliciosos e por favor não deixem de comentar e votar, não só esse, mas todos os contos que vocês lerem, isso nos estimula a escrever sempre e dividir nossas aventuras com vocês!!!!

Comentários

12/12/2011 21:30:46
Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii. Que delicia. Parabens.
20/11/2011 19:00:30
hum karine deixa eu te molha mais rs
20/11/2011 15:47:56
fiquei molhadinha... nota 10 kariny_gostosa69@hotmail.com
19/11/2011 01:48:48
Hum bom conto !!!
18/11/2011 23:47:53
muito bom excitante demais

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.