Casa dos Contos Eróticos

Feed

meu neto pirocudo

Autor: joaosinhos
Categoria: Heterossexual
Data: 21/10/2011 18:44:41
Nota 7.17
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Meu nome é Lurdes, hoje tenho 75 anos, tudo começou quando meu netinho Joaosinho nasceu, moravamos no interior de Minas Gerais, numa bela chácara, minha filha trabalhava fora e eu cuidava do menininho, desde cedo, ele era diferente fortão com meses seu perusinho era da grossura do meu dedão e maior do que as crianças de sua idade, levamos o menino ao médico ele disse que só com o tempo as coisas poderiam se arranjar. Completou o primeiro aninho, o segundo, fui envelhecendo com o tempo e ele cada vez maior e mais apegado a mim. Minha filha precisou trabalhar fora do estado e não podia levar o menino que agora já estava com 10 anos, bem 2 anos minha filha já estava fora e só vinha tirar férias, só pensava no trabalho, o menino não se importava por que tinha uma vó que lhe dava tudo, carinho, amor sim eu era tudo para aquele menino. Bom sempre existe alguma dificuldade, numa visita ao médico, ele me disse que joaosinho teria que operar a fimose. a não ser que fosse feita muita massagem. Aí eu expliquei que morava distantee que não tinha massagista próxima da chácara, o médico sorriu e disse que o rpoprio menino poderia fazer o tipo de massagem que ele eria explicar, insisti e argumentei mas como saberei que ele esta fazendo o correto, foi então que ele me explicou o que se tratava, fiquei aliaviada ao saber que era ao simples. Deixando o consultório retornamos a chácara, joaosinho foi para o quarto e na madrugada passando pela sua porta, comecei a observar gemidos de dor e angustia, como alguem querendo gozar lá estava o joaosinho se acabando numa baita punheta, ele fazia com violencia queria fazer a glande pular para fora na marra, achei que aquilo iria prejudicá-lo e resolvi intervir, abri a porta e disse calma aí rapaz assim vai se machucar para o meu espanto o que vi era simplesmente espetacular, 26 centimetros de puro pirocão, como aquilo derrepente poderia ter assumido uma grandeza daquelas era uma piroca de um macho, coisa que a muito tempo eu não apreciava. Fui despertada para um mundo que já havia esquecido. Deixa vovó voce não pode me ajudar com isso, na escola os meninos nem entra no banheiro comigo. todos tem medo as meninas então nem posso encostar, é sai pra lá ters pernas, lá vem o pé de mesa. Filho realmente é um baita pirocão, mas sua cuida de voce desde pequeno, tá certo que desde os nove que voce toma banho sozinho e já um tempão eu não via seu pirocão, sabia que iria crescer muito, mas além de crescer engrossou muito tá enorme. Mas não pode toca-lo assim tem que ser com jeitinho, me ensina vó, o médico não explicou direito, eu sabia filho, vou lhe explicar, voce já goza o que vó, caramba, bem deixe-me pegá-lo nossa como é grosso e quente, aí vó tua mão é tão macia e gostoso, assim vó, ai, unhu, calma chega mais perto, deixe-me punhetá-lo filho tá bom assim, tá gostoso, não falei mas nada um jato grosso de porra cortou o ar e parou bem nos peitos, joasinho orgulhoso da primeira gosada sorriu e mais orgulhosa ainda fiquei. Não perdi tempo com o pretexto de me limpar tratei de tirar a roupa os olhos do moleque brilharam e aquela piroca desta vez parecia uma estaca grande e grossa, fiz uma deliciosa chupeta deixando-o bem lubrificado e já estava toda melacada e minha buceta piscando, pois havia mais de 15 anos que me relacionara com ninguém. Mandei Joasinho deitar na cama e me acentei naquela jeba que me levou a loucura, entrou com dificuldade, rasgando tudo me abrindo toda, quando escostei a bunda no seu saco pedi para ele me chupar os peitos, parecia que estava amamentando de novo, a não ser pelo fato de ter uma verga varótica bem no meio da minha buceta que aquela hora estava encharcada, gozei e quase assusto o menino, foi tanto grito e esporro que desvairei, anha, unhruu..., aaaaha, uuiaa, fode meu macho gostoso, fooode, ui,uiii, ai, aii, ai, puta que pariu eu criei bem aquele filho da puta.

Se pensão que acabou naquela dia mesmo após um belo banho que nada lembrou aquele muitos de que lhe quando era pequeno, pois teve maosinhas, chupões, dedadas, tudo que não sabia lhe ensinei, o destino foi nosso cumplice, bem depois de tanta sacanagema, afirmo não sou puritana sempre tive vontade de dar o cu, mas não tiveram competencia para comer. Com meu neto não, só de ver aquela vara o cú trincava e piscava com quem quizesse levar pau. Com muito carinho comecei a esfregar o seu grosso pau no meu cu tentei sentar mas não aguentei, fui até a cozinha peguei banha de porco passei naquele cabeção, esfreguei o cu e sentei encima, no princípio doeu para caralho, rasgou a primeira prega, tentei sair mas ele me puxou eu pedi para ele me soltar, ele disse tá gostoso vó, foi aí que me fodi, tive pena ele fez força e empurrou com tudo puta que pariu que caralhada, nem puta aguentaria, mas o que não se faz pela pica de um netinho, fodedor e gostoso. Ai filho da puta arrombou o cu da velha..... E foi assim que me tornei amante de jamanta, o maior picão de minas.

Comentários

25/08/2013 01:21:22
vó com neto???????????????????
22/10/2011 18:54:37
Valeu Vô, ajudando o netinho. Agora a duvida. Com quantos anos esse menino já tinha essa piroca toda? E outra, vc pegou a regua e mediu para saber que tinha 26 ou foi puro olhometro? hehehe
22/10/2011 00:25:42
Eh a primeira vez q leio um conto d uma avó tarada pelo neto. Legau.
21/10/2011 21:24:40
Adorei, nunca havia lido algo do tipo. Mas deveria ter esperado ele crescer mais talvez.
uem
21/10/2011 19:19:00
hai vovo quero que vc mim ajude a bater uma tb gostosa mim add gata uelitonbielriquel@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.