Casa dos Contos Eróticos

Feed

Comendo a Cumadre

Categoria: Heterossexual
Data: 21/08/2011 18:20:00
Última revisão: 12/05/2012 17:51:24
Nota -
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Comecei a desconfiar que minha cumadre estava a fim de dar pra mim quando a cada vez que eu e minha esposa íamos visitá-los, ela me dava os três beijinhos bem perto da boca. E cada vez que ela me passava o chimarrão, sempre dava um jeito de pegar a minha mão.

Eu e meu cumpadre éramos militares. Eu tinha carro e ele não. Um dia em que ele estava de serviço no quartel, ela me liga e me pede uma carona para levá-la até a casa da mãe dela, pois estava chovendo e a nenê não poderia se molhar.

Prontamente fui. E ao chegar na frente da casa da mãe dela, ela foi me dar os três beijinhos. Não aguentei e beijei ela na boca. Ela me olhou e saiu depressa do carro, pois a sua irmã menor estava na janela olhando. Eu pensei que havia feito merda, pois se a irmã dela falasse que viu algo, eu estaria encrencado com meu cumpadre.

No outro dia, eu estava de serviço no quartel, e quase ao cair da noite, o telefonista me chamou porque havia uma ligação pra mim. Era ela. Me falou pra mim não contar nada pra ninguém do que havia acontecido, pois ela não queria que seu marido ficasse falado no quartel. Falei pra ela ficar tranquila, que eu não falaria nada, mas disse que gostei do beijo e queria mais. E ela disse: -Mas como gostou, se foi bem rápido??

Eu falei: -Eu sei, mas mesmo assim eu gostei e quero mais.

Ela então me disse para ir lá amanhã, já que seu marido novamente estaria de serviço. No outro dia de manhã, procurei meu cumpadre no quartel e disse que queria uns cd's emprestados e que se a Manuela já estivesse acordada, eu poderia passar lá pra pegar. Ele me falou que sim, que ela acorda cedo. Pronto. Armei a arapuca. Agora se alguém contasse pra ele que me viu saindo de lá, ele saberia o motivo.

Cheguei e sentamos no sofá ainda meio envergonhados. Daí ela levantou para pegar os cd's e eu levantei junto. Abracei ela e comecei a beijar. Nisso ela já levou a mão e pegou no meu pau. Como é rápida minha cumadre. Eu nem tinha tocado na bunda dela ainda, e ela já estava agarrada no meu pau. Achei que só ía dar uns amassos no primeiro encontro, mas como ela se avançou, me grudei nela.

Fomos para o quarto de hóspedes e começamos a nos despir. Ela é pequena, tinha 16 anos na época, e apesar de ser mãe à pouco tempo, tinha um corpinho em forma e seios médios e firmes, apesar de cheios de leite materno.

Deitei ela na cama e comecei a chupar aquela bucetinha que apesar de nova, era bem assanhada, pois desde os 14 anos que ela já andava com meu cumpadre. Ela também me chupou, e deve ter gostado, pois mamou feito louca.

Comi ela no papai-e-mamãe, depois com ela de costas pra mim, e por fim, coloquei ela a cavalgar em mim. Era lindo ver aquela baixinha rebolando no meu pau e aqueles seios firmes balançando na minha cara. Chupei meio com medo que pudesse sair alguma gota de leite. Gozei feito louco. E apesar de eu estar com o pau meio-mole, ela continuou a cavalgar em cima. Dias despois ela me disse que essa foi a primeira vez que ela havia sentido orgasmo, que ela já havia até comentado com a mãe dela que nunca havia sentido prazer. E que ela gostou tanto que, mesmo despois de eu já ter gozado, ela continuou no meu pau querendo mais. Não sou nenhuma criança de acreditar nisso, mas que é bom ouvir isso, ah isso é.

Comi ela algumas vezes mais, até tentei o cuzinho, mas ela era muito pequena e tinha um cuzinho menor ainda. Não consegui.

Isso aconteceu já faz uns 8 anos, e dia desses encontrei ela novamente. Moramos em cidades diferentes agora e por causa disso perdemos contato. Ela está separada do meu cumpadre. Casou de novo. Nunca mais tocamos no assunto, e hoje ela é só minha cumadre e nada mais.

Comentários

27/08/2011 22:28:08
BELEZA COMADRE NAO E PARENTE

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.