Casa dos Contos Eróticos

Feed

Anal no baile funk

Autor: Luana
Categoria: Heterossexual
Data: 25/07/2011 22:14:51
Nota 10.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bom, para quem ainda não me conhece, sou a Luana, tenho 34 anos, loira, , estatura média, bronzeada de praia, tenho marquinha de biquíni, 105cm de quadril, bucetinha raspada, seios médio e durinhos, boca carnuda e cara de safada. O que mais me chama a atenção nos homens é o meu bundão. Minha bunda é grande, com muito pouca celulite, bem torneada e com tudo em cima. Como os homens ficam enlouquecidos, eu procuro sempre provocar, colocando uns shortinhos jeans bem apertados, saia curta, etc. Certa vez, no metrô lotado, eu tava de shortinho jeans e tinha um cara atrás de mim que tava ficando de pau duro. Como a gente tava colado, eu senti nitidamente o volume se formando atrás de mim. Sabem o que eu fiz? Comecei a fazer pressão pra trás e a rebolar devagarzinho, para ninguém mais perceber. O cara devia estar ficando doido de tesão. Eu só senti depois o short dele molhando por causa do esperma saindo do pênis, rsrsrs. Eu queria era ter dado para aquela piroca, rsrs.

Como muitos sabem, meu vicio é dar o cu e passar de todos os limites na hora de fuder. Se é pra fuder, fode de vez e com força.

Dessa vez, aconteceu em um baile funk, com a minha amiga Amanda. A gente passava muito tempo juntas e planejando altas putarias, rsrs. Ela é mais maluquinha que eu pra sexo. Uma vez, a gente tava em casa esperando o bombeiro pra consertar um vazamento na cozinha. O cara interfonou, mas eu tava no banheiro. Aí eu pedi pra Amanda atender pra mim. Assim que eu saí do banheiro, chego na cozinha e me deparo com a Amanda chupando o pau do bombeiro, que, aliás, era bem grande. Aí virou bagunça, porque o bombeiro fudeu nós duas a tarde inteira e não consertou o vazamento. Aliás, o único vazamento que eu vi foi o do esperma dele na nossa boca, rsrsrs.

Quanto ao baile funk, nós queríamos muito ir para dar a noite toda.

- E aí, Luaninha, vamos hoje lá?

- Lógico! Hoje eu só saio de lá com esperma até as orelhas, rsrs.

- Mas vamos botar um shortinho jeans mesmo. Pra rebolar é melhor, e os machos ficam malucos vendo nosso bundão rebolando no baile, rsrsrs.

- Hehehe, não adianta só ficar maluco! Tem que meter!

Fomos vestidas para matar: blusinha bem curta, mostrando o umbigo e com um decotão, shortinho jeans bem colado e bem curtinho, sapato com salto, maquiadas, com um batom vermelho. Nenhuma de nós usava calcinha. Parecíamos duas putas, qualquer um diria. Mas eu digo em alto e bom som: sou piranha mesmo, aliás, piranhona. No final das contas, eu é que me dou bem mesmo e fodo muito mais do que qualquer mulher por aí.

Bom, chegando lá, música alta, todas as cachorras rebolando, os homens gostosos dando em cima de geral. Nós entramos no clima logo e começamos a rebolar. Nós já estávamos bem suadas e cheias de tesão. Vem um cara e se aproxima da Amanda, apalpando a bunda dela. Eles saem da pista de dança e somem. Eu continuo a rebolar e sinto o abdomem sarado de algum homem atrás de mim. Eu me viro e vejo um morenão alto, forte, gostoso, de cabelo raspado, com lábios grossos.

- E aí, gato! Ta gostando do que viu?

- Você é uma delícia! To sacando seu rabo gostoso!

- Vai ficar sacando só? O que você tem aí pra me dar?

- Põe a mão e você vai sentir!

Eu coloco a mão pra trás, pra segurar o pau dele. Vou tentando achar a cabeça do pau, mas a piroca parece ser mais longa do que eu imaginava. Uau, era enorme e grosso!

- Nossa, gostoso! Sua mãe te dava mamadeira de testosterona? Rsrs.

- Vamos lá pra fora!

Ele me puxa pelo braço e eu vou com ele com o maior prazer, rsrs.

Chegando lá fora, tava tudo escuro, mas dava pra ver favela e o espaço que tinha em volta do baile. Tinha só umas paredes só com tijolo, uns muros de cimento, um chão de terra e uns becos escuros. Ele me leva pra um canto e me joga contra um muro. Começa a me beijar loucamente. Eu beijo de volta e ele coloca a língua na minha garganta. Fiquei tão molhada que escorria pelo short. Apalpo o pênis dele. O pau tava muito duro e muito grande. Aí ele abaixa um pouquinho o zíper do meu short e coloca a mão na minha buceta, estimulando meu clitóris. Fiquei maluca e continuei a beijá-lo. Aqueles lábios gostosos devoravam minha boca.

- Sua cachorra gostosa, vou te fuder até te deixar roxa!

- Ta esperando o que, garanhão filho da puta?!

Ele abaixa a calça jeans toda, libertando um pênis gigantesco, duro, grosso, com uma cabeça roxa de dar medo, cheio de veias.

Eu me abaixo, fico de cócoras e coloco aquela trolha suculenta na boca. Seguro pela bolas dele e vou chupando até onde eu agüento, porque minha boca não conseguia engolir o pau todo, de tão grande.

- Huuuummmm, que piruzão gostoso, amor!

O cara tava todo suado, exalando aquele cheiro forte da genitália cheia de pentelho. Putz, eu adoro isso! Chupei com muita vontade, como se estivesse chupando um picolé de chocolate delicioso.

- Oooooohhh, yeaahh, cachorra, puta! Vou te fuder com muita força!

Eu cuspi na cabeçona roxa da pica, depois fui descendo a língua na parte de baixo do pau, até chegar ao saco. Botei aquelas bolas grandes na boca e fiquei puxando de leve, pra deixar o cara bem enlouquecido.

Levanto-me, mordo o lábio inferior dele enquanto punheto o pau com uma das mãos. Ele apalpa um dos meus seios com uma mão.

Aí ele se abaixa e tira meu shortinho. Ele deita no chão e me manda esfregar a buceta na cara dele. Eu fico de cócoras e coloco a buceta na cara dele.

- Aaaaii, que delicia, gostosão!! Que língua quente e gostosa!! Puta que pariu, chupa minha buceta pra valer!! Ele lambia tão gostoso que eu gozei várias vezes. De repente, meu tesão é tão grande que eu começo a mijar na cara dele.

- Ooooooh, delicia!! Mija na cara do teu macho!! Puta safada!!

Quando eu acabo de mijar, ele me empurra pra longe e eu caio no chão, ficando suja de terra. Ele me coloca de 4 e repara que meu cuzinho é um pouco largo.

- Tem dado essa bunda por aí, vagabunda?

- Dou pra todo mundo! Dou meu cu pra todo macho pirocudo que eu encontro! Sou uma piranhona suja e arrombada, meu cavalão!

Ele fica maluco de tesão e mete a boca no meu cu, lambendo com muita intensidade.

- Aaaaaaahh, lambe o cuzinho da tua cadela, filho da puta!!

Eu sentia aquela língua quente deslizar no meu cu. Puta, que delicia!

Aí eu sinto a cabeçona do pau forçar no meu cu. Mesmo com meu cu largo, o pau tinha dificuldade pra entrar.

- Oooooooohhhh, me arregaça, filho da puta!! Me dá esse caralhão!! Enfia tudo no meu cuuu!!!

- Yeaaaaaaahh, que cu gostoso!!

A piroca ia sumindo no meu cuzão, que se contraía pra pressionar mais ainda aquele caralho imenso.

Era uma mistura de dor e prazer. Eu fechava os olhos lemente, com um sorrisinho safado no rosto e com a língua no meu lábio superior, com uma cara de quem tava adorando levar no rabo.

De repente, ele força tudo e o pau entra até o fim. As bolas bateram na minha bunda.

- Aaaaaaaaaahhhhhhhhhh, yeaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh!!!!!!! Deliciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ele fazia uma vai e vem intenso e delicioso, batendo na minha bunda e puxando meu cabelo.

- Ooooohhh, yeaaaaahhh!!! Vai, vai, bota pra dentro, seu grosso!! Mete com vontade na sua puta!!! Me arregaça!! Me arromba com força!!!! Vaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

- Oooooooohhhhhhhh, que delicia de cuzão!!!!!!

Enquanto ele fudia intensa e incansavelmente meu cu, ele pega meu cabelo, abaixa minha cabeça e pressiona meu rosto no chão todo sujo de terra.

Eu tava levando no rabo e fiquei toda suja, inclusive no rosto. Eu gosto de ser tratada como uma putona, vadia, de levar porrada.

Minha rosca tava queimando e o meu prazer só aumentava. Só de sentir aquela trolha enterrada na minha bunda me deixava enlouquecida. Aí ele me levanta e me coloca debruçada em um muro de cimento baixo. Ele volta a me fuder com força.

Abaixo do nível em que a gente estava, tinha um outro chão de terra e um muro de tijolo baixo também. Era um nível um pouco abaixo do nosso. Debruçada no muro de tijolo estava a Amanda, totalmente nua, levando no cu por 2 negões ao mesmo tempo. Eram 2 caralhudos também, e a Amanda tava gemendo loucamente. Eu nem agüentava falar muito, porque tava uma delicia aquele pirocão fudendo meu cu.

- Oooooooooooohhhhh, fode sua piranha com mais vontade ainda!!!! Mete esse caralhão!!!!!!!!!

Aí ele me levanta, de frente pra ele, e envolve minha pernas na sua cintura, penetrando pau na minha buceta.

- Aaaaaaaaaiii, meu deus!!!! Caralhudo gostosoooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!

O pau dele fudia minha buceta e depois entrava no meu cu. Ele ia trocando, fudendo o cu e a buceta intensamente.

Eu gozava o tempo todo, deixando o saco dele todo molhado.

- Garanhão, quero cagar na tua cara!

Ele fica doido ao ouvir aquilo e se deita no chão. Eu fico de cócoras, com a bunda virada na cara dele. Começo a cagar e ele fica maluco de tesão, punhetando o pau com uma das mãos.

- Vou fuder teu cu cagado, vagabunda!

Ele me colocou de ladinho no chão de terra. A essa altura, nós dois estávamos todos imundos de terra. Ele também se deita do meu lado e vai enfiando pau no meu cu cagado.

- Aaaaaiii, amor, que delicia!! Mete o pintão no cu da sua fêmea, vai!!!!

Ele me envolve toda com aquele corpo másculo, enquanto fode meu cu de ladinho. Tava uma delicia mesmo. Gozei muito!

Enquanto ele me fudia, ele passava a língua na minha cara, mordendo meus lábios, cuspindo no meu rosto, me beijando gostoso, colocando a língua na minha garganta.

Ele fudia, lambuzava meu rosto, massageava um dos meus seios com uma mão e estimulava meu clitóris com a outra. Eu estava totalmente dominada por aquele macho, gozando ininterruptamente!

- Vou gozar, cachorra!

- Goza na minha boca, cavalo!!

Nós nos levantamos e eu fico agachada, de cócoras, na frente do pau dele. Eu abro a boca e ele começa a punhetar o pauzão. De repente, vários jatos de esperma!

- Oooooooooooooooooohhhhhhhh, puta que pariu!!!!! Gozeeeeeeeeeeeeeeiiiii, piranhaaaa!!!!!!!!

- Aaaaaahhh, huuuuuuuuuuuuuuuuuuummmmmmmmmmm, que delicia, garanhão!!!

Era muita porra que jorrava daquele caralho! Eu bebia tudinho e me lambusava.

Aí ele botou a calça, me deu um beijo e voltou ao baile. Enquanto isso, eu continuava deitada no chão de terra e a Amanda chega perto de mim, se deitando do meu lado, totalmente nua.

- E aí, Luana! Meteu muito hoje? Rsrsrs.

- Pó, o cara era um cavalão! Me fudeu com muita força! Eu vi você dando o cu pra 2 negões ao mesmo tempo. Que safada, hein!

- Os caras eram uma delicia, ué!

- Vamos pra casa?

- Vamos.

Nos vestimos e fomos para casa.

Chegando na porta de casa, dou de cara com aquele meu vizinho pirocudo, que é lutador.

- E aí, Luana, Amanda, tudo bem? Minha mulher não ta em casa hoje.

A gente nem pensou e puxou-o pra dentro da nossa casa. Já eram 3:00 da madrugada.

Adivinhem o que fizemos o resto da noite?

Comentários

28/08/2012 10:12:25
28/08/2012 10:12:23
Muiitooooo bommm...me add gustavoxinhoo@hotmail.com
03/10/2011 09:38:40
hum q putaria delicosa em safadinha... adorei seu conto muito exitante me add djdw2009@hotmail.com
30/09/2011 15:41:39
Conto muito delicioso hummmmmmmmmmmmmmmm
26/07/2011 15:57:05
Nossa!!!! Eu achava qe eu era safada. Parabéns colega, se for verídico tu é fodona!
26/07/2011 10:30:49
adorei luana, quero comer vc e a sua amiguinha. me manda seu msn. bjs
25/07/2011 23:17:36
Rsrs vcs duas sempre safadinhas nota 10(leia meus contos)

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.