Casa dos Contos Eróticos

Feed

Aprendendo a ser safada

Autor: Renan40
Categoria: Heterossexual
Data: 21/07/2011 11:06:28
Nota 9.00
Ler comentários | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Tenho um esposa linda, branquinha, loirinha, com uma boca que provoca e me faz delirar com seu talento e uma tatoo estratégicamente colocada...

Sempre fico louco de tesão do jeito dela de me provocar, descobri que tenho essa tara, adoro vê-la, assistir como ela chama a atenção, quando deixa outros louco de tesão olhando, querendo e eu ali apalpando, tirando casquinha daquela bunda deliciosa, posso garantir, ela de quatro ainda mata um.

E eu conto isso para ela, que fico com muito tesão de assistir ela provocar, as vezes ela paquerava, olhando, sorrindo para outro, só para me testar. Não me dava ciúmes, mas muito tesão, os caras babando e eu ali aproveitando. Ela sabendo disso, começou a gostar do jogo, aproveitava pra paquerar um pouco com a maior cara de pau, uma delícia. Ela dizia: “acho que eu era biscate e não sabia”. Aquilo me deixava mais louco ainda, que até chegava a imagina-la dando para outro enquanto eu assistia... será que eu teria essa coragem ????? Vontade posso garantir que tenho... e muito...

Agora ela gosta de me atentar, contando que logo vou ser corno, é estranhamente excitante quando ela me chama de corno, as vezes sussurando em meu ouvido. É, sei que é estranho, uma mistura de ciúmes e tesão, amar uma mulher safada.

“Mas eu sou devagar, não sei ser biscate” – ela justifica ainda não ter realizado minha fantasia. “Vou ensina-la a ser minha Safada” – sinto que ela gosta quando digo isso, ela dá um sorrisinho de safada pelo canto da boca que me faz subir as paredes.

Enquanto ela treina o lado safado dela, e tenta encontrar alguém interessante pra comer ela, eu penso numa idéia interessante, procurar alguém e sem que ela desconfie, apresento como um velho amigo, e peço que tente seduzi-la, imagino mais ou menos assim...

Conheci o Marcos pela internet, um cara bonito, interessante, muito coversador e contei minha fantasia, e claro ele topou na hora “fazer esse esforço” (ahahah), e me “ajudar”. Marcos morava em SP, mas viajava muito a MT a trabalho, combinamos um dia, que ele estivesse aqui em Cuiabá para nos encontrar-mos no shopping, uma coincidência falei para Denise, encontrar um velho amigo aqui. Apresentei e pedi que sentesse com a gente, que contasse o que fazia da vida, onde estava morando, inventava uma desculpa qualquer várias vezes para deixa-los um pouco sozinhos, e vê-la de longe, toda interessada já me deixava louco. Depois de uma tarde divertida, cheia de provocações e olhares, via nítidamente que minha gatinha já devia estar molhadinha de tesão só da oportunidade de dar para outro, que sem a mínima cerimônia a elogiava e cantava na maior cara dura. Ela me surpreendeu convidando nosso amigo para ir em nossa casa, já estaríamos sozinhos esta noite, filhos estão viajando, claro que o Marcos aceitou de primeira, disse que a Denise iria com ele para mostrar o caminho e eu ainda passaria num supermercado para comprar algumas bebibas e guloseimas.

Enrolei bastante no mercado antes de chegar em casa, extremamente ansioso e nervoso, já tentando prever que nessa noite finalmente realizaria uma das minhas loucas fantasias. Entrei e já dei de cara com os dois conversando na sala, enquanto uma de suas mãos já acariciavam as coxas da minha deliciosa branquinha.

Enquanto fui deixar as bebidas na geladeira e trazer umas cervejas, ela me acompanhou até a cozinha dando aquele delicioso sorriso de safada, me sussurando no ouvido: “agora não tem volta... você pediu... e vai ganhar...” – sorriu e fez um gesto conhecido com as mãos sobre a cabeça... e saiu em direção a sala levando uma latinha para o nosso convidado. Meu corpo tremia de tesão...

Minha gatinha já meio altinha pelo álcool, rindo alto, avisou que iria tomar um banho e colocar algo mais fresquinho, “tá muito quente aqui... não acham ?” – deixou a pergunta no ar...

O Marcos já estava subindo as paredes, babando na minha loira. “Cara, ela é uma delícia...” – sussurou para mim.

Me aparece com um vestidinho curto, sem nada por baixo, aqueles peitinhos durinhos furavam o tecido, chamando nossas bocas pra chupa-los, até o Marcos não se segurou: “nossa... assim você judia da gente...” – deixou escapar. “sofre por que quer !” – completou Denise. Já não tem volta, pensei. Meu corpo tremia, ansiedade, nervoso, tesão, igual um adolescente no primeiro encontro.

Ela veio e se sentou ao lado do Marcos no sofá, enquanto eu estava na poltrona em frente deles, derrepente, sem cerimônia ela corta o silêncio e diz: “Meu namorado ta louco pra ser corno, e ainda quer ter certeza disso assistindo de pertinho ! Bem que você, como amigo, podia ajudá-lo, afinal amigos também é pra essas coisas !” – disse me olhando com a maior cara de safada que já vi.

Sem falar nada, Marcos a beijou muito forte, com tesão, puxando pra perto pelos cabelos, meu coração disparou, uma loucura... não sei explicar, aquela cena era puro tesão, pura loucura.

Continuei ali sentando, bobo, só olhando, de pertinho. Eles dois, pegando fogo, se mordendo, apertando, apalpando. Aquele cara se aproveitando da minha branquinha, ou ela se aproveitando dele, no começo era algo meio frenético, desesperado, aqueles longos beijos apertados, as mãos cravando as unhas, puxando os cabelos dela, ele parecia agressivo com ela, e ela adorava. Dava tapas na cara dela, apertava seu pescoço, enforcando, tirando o fôlego, da minha branquinha que estava mais pra vermelhinha. Tremi quando vi suas mãos invadirem seu inocente vestidinho, procurando a boceta gostosa da minha gatinha, já molhadinha de vontade... ela pedia, gritava... ela queria mais...

“me pega, me come... me fode!!!!” – aprendeu a ser safada, pensei enquanto a ouvia gemer nas mãos daquele estranho. Ele queria chupa-la por inteiro, lambia seu pescoço, sua nuca, enquanto arrancava com força aos poucos a roupa dela, vi aqueles peitinhos arrepiados, rosados, sendo sugados por outro homem, e o pior, ela adorando, querendo mais. Como se ela esquecesse da minha presença ali pertinho, era loucura a cena, dela nua com a roupa embolada na cintura, rasgada. Aquela pele lisa, branca, toda marcada de tapas e unhas, aquele homem se lambusando da minha mulher, mordendo seus peitinhos durinhos, com força, eram gritos de dor e tesão. Ele a chupava por inteiro, com gosto, provando o sabor de cada cantinho da minha gatinha... Chupava com força a bocetinha dela, e ela se contorcendo de tesão, gemendo gostoso... gozava sem parar muitas vezes na boca do Marcos, ele adorando...

Ela, sabendo que sou fissurado naquela bundinha gostosa, virou de costa para que nosso amigo possa aproveitar dela também, só pra me provocar, pra me deixar com ciúme e com água na boca. Ele entendeu muito bem o recado dela e caiu de boca naquele cuzinho delicioso, ela gemia muito e me olha no fundo dos olhos, sorrindo. “Olha meu corninho... era isso que você queria ????? Era ????” – gritava para me provocar ainda mais, adoro ouvi-la ... adoro ver... assistir de camarote.

“Quero pau !!!!!!” – Gemeu alto, me olhando, e se ajoelhando no chão, foi tirando o pau do Marcos para fora da sua calça, segurava gulosa com as duas mãos, apertando aquele pau enorme, admirando de pertinho... até que não resistiu e lambia de leve aquele cacete, com muita vontade, enchendo aos poucos sua boca, ora chupando com força ora lambendo de leve e, as vezes esfregava em seu rosto todo. De repente ela se levantou e se aproximou de mim, segurando no meu pau e me beijando disse: “sente... sente o gosto do cacete que vai me comer muito hoje... sente meu delicioso corninho, o gosto de safada na minha boca, to adorando essa sua louca vontade...”

Levantou-se e caminhou em direção ao Marcos, sentado no sofá, e sentou no pau daquele homem, beijando e gemendo com aquele pau enorme comendo ela, cavalgando loucamente. Delicioso ver minha gatinha dando gostoso, gozando muito no pau de outro homem, aproveitei e cheguei pertinho pra sentir o cheiro de sexo no ar, abraça-la, suada no pau de outro, morder aquele pescoço, enquanto apertava seus deliciosos peitinhos, durinhos de tesão e sussurrando nos ouvidos da minha putinha como era bom ser o corninho dela... tirei a minha roupa e ela aproveitou, segurando enquanto cavalgava... “adoro pau !!!! quero muito pau!!!! Você vai ser muito corno ainda...” – gritava entre os gemidos, que era para todos saberem... Até que o Marcos gritou de tesão, gozando e enchendo a bocetinha da minha gatinha de porra...

Minha branquinha realmente aprenderu a ser safada, e queria me mostrar mesmo que era uma boa aluna... se deitou no chão da sala, toda lambusada, suada, melada, deliciosamente provocante e chamou: “ Vem... mostra que é um corno obediente... e vem me limpar com sua língua... Vem ter certeza, bem de perto, que realmente é meu corno, ver minha boceta regaçada de dar pra um pau de verdade... prova o gosto de boceta de biscate... obedeça meu corno mansinho...” – me puxando a cabeça pra entre suas pernas suadas, chupar aquela tentadora boceta melada. Nem deu tempo para que pensasse o que fazer, nem deu tempo de saber se eu queria ter mais essa experiência... chupei forte aquela boceta melada, cheia de porra... quente.. o tesão era tanto que nem pensei, cai de boca, e ela delirou, gozou muito rápido, com as mãos ela afundava meu rosto na sua boceta... sentia o cheiro de sexo, de porra... e eu aproveitava e chupava forte... “mama corninho, limpa tudo. Depois você vai me dar um banhinho gostoso, mas antes me limpe com a língua meu gatinho, adoro isso. É assim que quero sempre, cuide do que é seu e veja como foi muito bem tratado por outro” – quanto mais ela falava, mas louco eu a chupava, até que gozei em minhas mãos, e ficamos nós três ali, esticados no chão da sala por um tempo, enquanto nos restabelecemos as forças.

Depois de algum tempinho, nos levantamos e tomamos um delioso banho juntos, onde ríamos bastante e contamos pra ela a verdade, e para nossa surpresa ela já tinha certeza disso, mas que aproveitou e deu bastante, do jeito que ela queria.

Depois que nossa visita foi embora, a Denise ainda me atacou, ainda queria pau, estava feliz e com tesão. “Como você foi um corninho bonzinho hoje, vou dar um presentinho que você adora...” – Disse caindo de boca no meu pau, ela sabe chupar como ninguém, gulosa e rapidamente não consegui me segurar, até que enchi sua boquinha gostosa de porra, bem quentinha... e dormimos acabados na cama.

O Marcos voltou pra SP, mas sempre vem dar visitinha pra gente, ela já saiu algumas vezes sozinha com ele, e me conta tudinho quando chega de volta, com todos os detalhes e sem tomar banho, mostrando a “prova do crime” me diz:

- “Vem amorzinho, meu corno manso e obediente, servi leitinho no copinho que você adora... pra você sempre se lembrar que é meu corninho...”

Adoro quando ela me provoca, quando fala de outros homens perto dos amigos, quando fala que ta pensando em dar pra alguém que conheceu, me deixa estranhamente com tesão. Homens e casais que queiram uma amizade gostosa entrem em contato.

Renan e Denise – MSN: palavrasaoar@hotmail.com Cuiabá-MT

Comentários

23/05/2012 06:18:10
delicia de conto meu sonho tbm,eu viajo muito para cuiba feliz-casal@hotmail ,com
27/07/2011 19:09:17
Gostei. Minha mulher leu o conto, gostou também. Disse que vai me fazer uma surpresa .
26/07/2011 09:18:40
Excitante seu relato. Sou casada e gosto muito de sexo, mas meu marido não me satisfaz. Tenho algumas experiencias fora, e confesso que gosto muito de mamar um macho safado e dominador. Beijos. gataloiracasada@gmail.com
23/07/2011 13:38:36
ola gozei de tanto tesao do seu conto....me add sou de sao jose do rio preto sp.meu imail leocb.spfc@hotmail.com gostaria de uma putinha assim tenho muito a saber quero experimentar isso..tambem

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.